Click here to load reader

Revolução Francesa

  • View
    2.158

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Revolução Francesa

Diapositivo 1

Revoluo Francesa

Trabalho Realizado Por:Adriana Tavares, n1Pedro Ferreira, n 16Rita Salvador, n 18

ObjetivosAntecedentes Situao poltica, social e econmica de Frana

Pensadores e ideais que influenciaram a revoluo - Princpios defendidos

Principais momentos da Revoluo Francesa

Consequncias da Revoluo Francesa

Napoleo Bonaparte

3Antecedentes e Novas IdeiasAntecedentesAntecedentes PolticosAbsolutismo Monarquia Absolutista, ou seja, o Rei detinha um poder supremo independente e estava no topo da hierarquia da sociedade.

Lus XVI casado com Maria Antonieta

Sociedade de Ordens Os 3 EstadosAntecedentes EconmicosA Frana ainda tinha grandes caractersticas feudais:

- 80% de sua economia era agrcola.

Uma onda de frio na regio fez com que houvesse uma grande escassez de alimento.

Atividades Econmicas: Indstria e Agricultura (matria-prima)Norte e CentroLyonRouen e Mulhouse Lorraine MarselhaCastres, Sedan, Abbeville e ElbeufParisMetalurgia ModernaSedasAlgodoFerroSaboLMobilirioSalTanoariaIndstrias de luxooutrasAntecedentes EconmicosSituao PolticaNovas IdeiasNo sculo XVIII, desenvolveu-se na Europa um movimento de renovao cultural a que se deu o nome de ILUMINISMO.Este movimento defendia os seguintes princpios:Crena no valor da Razo s a razo liberta o Homem da ignorncia e das foras opressoras (religio, igreja, Estado absolutista).A ideia de Progresso a educao a via privilegiada para o progresso da Humanidade.O direito Felicidade a sociedade deve ser organizada de modo a que o Homem possa ser feliz.O esprito de Tolerncia os Homens devem lutar pela igualdade perante a lei, justia, liberdade de pensamento e respeito pelos outros.Soberania popular - Contrato social : o poder reside no povo que o cede aos seus representantes para governarem de acordo com osInteresses do povo.Diviso tripartida do poder - legislativo; executivo e judicial.

O IluminismoFoi divulgado em:Jornais e outras publicaes peridicas ( Correios, Magazines e Mercrios); Academias;Sales, cafs e clubes;Maonaria (sociedade secreta cujos membros, os maons, se organizavam em pequenas clulas, as lojas manicas, e obedeciam a normas e rituais prprios).

Principais IluministasMontesquieuExistem, no Estado, trs poderes: o poder legislativo, o poder executivo e o poder judicial (). Quando na mesma pessoa ou no mesmo rgo poltico o poder legislativo est reunido ao poder executivo no h liberdade (). Tambm no h liberdade se o poder judicial no estiver separado dos poderes legislativo e executivo.

Montesquieu, O Esprito das Leis (1748).Montesquieu: defendia, a separao de poderes (teoria segundo a qual os poderes legislativo, executivo e judicial tm de ser exercidos por rgos polticos diferentes e independentes).RousseauNo contrato social, a minoria deve submeter-se vontade da maioria uma consequncia do prprio contrato (...). verdade que cada um, quando vota, exprime a sua prpria vontade. Mas do nmero total de votos que resultar a vontade geral. Se o resultado final no estiver de acordo com a minha vontade, isso significa apenas que a maioria est em desacordo comigo e que eu me devo submeter. Nem por isso deixarei de ser livre.

Jean-Jacques Rousseau, O Contrato Social (1762). defendia a soberania popular (teoria segundo a qual o poder pertence ao povo que, atravs do voto, o delega nos seus representantes), o voto universal e a igualdade de todos os homens perante a lei."Liberdade, Igualdade e Fraternidade frase de sua autoria.Rousseau:VoltairePossam todos os homens lembrar-se de que so irmos, que devem ter terror tirania exercida sobre os espritos. () Se as guerras, so inevitveis, no nos odiemos uns aos outros no seio da paz.

Voltaire, Contrato sobre a Tolerncia (1763). defendia a justia social, a tolerncia e a liberdade e criticava a poltica, a Igreja, a moral e os costumes da poca.Voltaire:O Que a Enciclopdia? A EnciclopdiaA enciclopdia abordava todos os assuntos e divulgava as idias filosficas e polticas do Iluminismo.Foi dirigida por Diderot e D`Alembert, foi publicada entre 1751 e 1772, em 28 volumes, 11 dos quais com gravuras, com a colaborao de muitos sbios da poca.

Principais Momentos da Revoluo FrancesaPrincipais MomentosAssembleia Nacional Constituinte (1789-1792)

Conveno (1792-1795)

Diretrio (1795-1799)

Assembleia Nacional Constituinte (1789-1792)

Constituio Francesa (1791)O poder do rei passou a ser limitado pelos princpios da constituioConstituio Francesa (1791)Diviso dos PoderesReiAssembleia LegislativaJuzesConveno(1792-1795)Jacobinos no Poder1792Subida dos Jacobinos ao poderA nobreza e o clero conspiram contra a revoluoA crise econmica continua a afetar o povoApesar disto, os problemas continuam:Concretizam os seus objetivos

Nova Constituio (1793)A escravido nas colnias abolida

Lei do Mximo (fixao de preos e salrios)

Organizao de um exrcito

Poder executivo Comit de Salvao Pblica

Criao do Comit de Segurana Geral (para descobrir os suspeitos de traio)Jacobinos no Poder21 de Janeiro de 1793Lus XVI foi executado na Guilhotina (na Praa da Revoluo)Marca o incio do Grande Terror ou Terror Jacobino ou ainda, simplesmente Terror

Jacobinos no PoderDiretrio(1795-1799)

DiretrioA crise econmica agrava-se a cada dia, a corrupo aumentava e faltavam alimentos

Conjurao ou Conspirao dos Iguais organizada pelos Jacobinos e sans-culottes (1796)

Liderada por Franois Nol Babeuf (Graco Babeuf)

Objetivo: Igualdade

Conflitos com pases absolutistas

DiretrioNapoleo Bonaparte obteve vitrias contra o estrangeiro

Em 1799 assume o poder com um golpe de Estado, com ajuda da burguesia

D-se no 18 de Brumrio (10 de Novembro de 1799)

Marcou o fim da Revoluo Francesa

Napoleo BonaparteNapoleo Bonaparte Nasceu a 15 de Agosto de 1769 em Ajaccio, Crsega (Reino de Frana)

Casamentos:

1 casamento - Josefina de Beauharnais 2 casamento - Maria Waleska (com a qual teve um filho, Alexander Walewski ) 3 casamento - Maria Lusa de Asttia (com a qual teve o filho Napoleo II - filho legtimo) Tambm teve um filho de um caso que teve com Elonore Denuelle, chamado de Len

Napoleo Bonaparte Nasceu a 15 de Agosto de 1769 em Ajaccio, Crsega (Reino de Frana)

Casamentos: 1 casamento - Josefina de Beauharnais 2 casamento - Maria Waleska (com a qual teve um filho, Alexander Walewski ) 3 casamento - Maria Lusa de Asttia (com a qual teve o filho Napoleo II - filho legtimo) Tambm teve um filho de um caso que teve com Elonore Denuelle, chamado de Len

Napoleo BonaparteGanhou destaque no mbito da Primeira Repblica Francesa e liderou com sucesso campanhas contra as naes que se aliaram para combater a Frana

Adotou o nome de Napoleo I, e foi imperador da Frana de 18 de maio de 1804 a 6 de abril de 1814.

Conquistou e governou grande parte da Europa central e ocidental nas chamadas Guerras Napolenicas.

Napoleo BonaparteAps uma sequncia de vitrias, a Frana garantiu uma posio dominante na Europa continental no entanto, numa desastrada campanha na Rssia, foi derrotado pelos exrcitos aliados adversrios dos franceses e obrigado a abdicar (1814).

Exilou-se na ilha de Elba, na costa oeste da Itlia.

No ano seguinte organizou um exrcito e tentou restaurar a monarquia, mas foi derrotado na Batalha de Waterloo, na Blgica (1815).

Napoleo BonaparteEsse perodo ficou conhecido como o Governo dos Cem Dias.

Foi preso pelos ingleses e foi deportado para a ilha de Santa Helena, no meio do Oceano Atlntico, onde morreu em 5 de maio.

Uma autpsia concluiu que ele morreu de cancro no estmago, embora haja suspeitas de envenenamento por arsnico.

Consequncias da Revoluo FrancesaConsequncias da Revoluo FrancesaConsequncias SociaisAscenso da Burguesia: A burguesia conquista efetivamente o poder

Perseguio das ordens religiosas: Expulsaram os monges dos edifcios de forma a que estes ficassem deixados ao abandono e uma grande quantidade de livros e manuscritos foram perdidos;

Atraso no ensino: Desagregou-se uma rede de escolas, que era das mais completas da Europa, que s passado 30 anos que foi substituda;

Consequncias SociaisAtraso demogrfico

Diminuio da populao jovem;A taxa de mortalidade agravou-se no perodo revolucionrio

Consequncias da Revoluo FrancesaConsequncias EconmicasAtraso econmico: O povo dedicava-se s revolues abandonando os campos e o comrcio artesanal, estes ficavam nas mos dos seus senhores que no cultivavam nem trabalhavam no artesanato fazendo com que as tcnicas de trabalho no evolussem

Lanam-se na Revoluo Industrial: Inicialmente houve um demora nas novas tcnicas de produo. Mas mais tarde Frana entra na Revoluo Industrial (Capitalismo e Liberalismo econmico)

Aumento das exportaes: Evoluo no comrcio exterior

Expanso da costa atlntica: Frana comea uma notvel expanso de sua costa atlntica;

Consequncias da Revoluo FrancesaConsequncias PolticasFim do Absolutismo e do Feudalismo: Acaba um regime Monarca Absolutista e comea um regime Monarca Liberal

Aparecimento das Monarquias Liberais: semelhana de Frana vrios pases adotaram um regime Monarca Liberal

Influencia as Revolues Liberais Europeias: As ideias liberais expandem-se por todo o mundo, influenciando as Revolues Liberais Europeias

Surge o estado constitucional: Este caracterstico dos regimes Monarcas ou Republicanos Liberais. Este estado baseado nas leis das constituiesFIM