Click here to load reader

Revista Pilotis 08

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Publicaçao interna do Colegio Sao Luis - Jesuitas

Text of Revista Pilotis 08

  • 1www.sao

    luis.org

    /rev

    istapilotis

    nmerooitoRevista Pilotis - n 08 - outubro/novembro de 2008Produo interna dos alunos e educadores do Colgio So Lus

    Programas apresentam o cotidiano escolardos alunos e professores do Colgio

    SO LUS NA TVExposio

    Engenharia

    Projeto

    Campanha

    Liderana

    Movimentos Culturais

    Jovens pesquisadores

    Bossa Nova

    Natal Solidrio

    O sucesso da II SINU

    nesta edio:

  • 2.3redao

    O brinquedo

    .4 Aconteceu

    .6projeto

    Bossa nova contagia a 2. srie EF I

    .7national geographic

    Viagem do Conhecimento

    .8liderana

    O sucesso da II SINU

    .10comunicao

    So Lus na TV

    .14estudo do meio

    Semana Cientfica do CSL

    .15jogos pedaggicos

    Aprender jogando

    .16educao

    Estudando a Pedagogia Inaciana

    .17meio ambiente

    Projeto ComPensar

    .18intercmbio

    Adoo temporria

    .19evento

    A cultura em movimento

    .20engenharia

    Jovens pesquisadores

    .22campanha

    Natal Solidrio

    .23 Agenda

    Vivemos em um mundo no qual os meios de comunicao, cada

    vez mais presentes na vida de todos, divulgam milhares de

    informaes a cada minuto.

    A globalizao, a partir do incio dos anos 90, transformou os

    processos de comunicao, tornando-os mais rpidos e acessveis.

    O desenvolvimento de novas tecnologias veio ao encontro dessa

    mudana, possibilitando o trnsito das informaes.

    Para ns, educadores, a reflexo : qual o papel da educao

    diante desse contexto?

    Acreditamos que a escola deve, justamente, exercer o papel de

    orientadora dos alunos na escolha das informaes que devem

    utilizar. Devemos auxiliar nossas crianas e nossos jovens a

    direcionarem o olhar e observarem criticamente o que vem, bem

    como a agir sempre com tica e verdade.

    O Colgio So Lus incentiva e proporciona vrias e novas

    formas de aprendizagem, com base na Pedagogia Inaciana,

    acompanhando as mudanas do mundo.

    Proporcionar a vivncia aos nossos alunos um dos nossos

    objetivos. Experimentar o fator determinante para o processo

    da aprendizagem, por isso criamos sempre atividades no sentido

    de desenvolver a liderana e a autonomia. Entre elas citamos

    algumas que se encontram nesta edio da Pilotis: SINU, ENAC,

    voluntariado, TV So Lus, entre outras.

    Desejo a todos uma tima leitura e que Deus os abenoe.

    Abraos fraternos,

    Pe. Mieczyslaw Smyda

    Diretor Geral do Colgio e da Faculdade So Lus

    :: editorial

    Revista Pilotis - n 08 - outubro/novembro de 2008

  • 3vida porque tinha alguma misso importante na terra, mas ele

    no sabia qual era.

    Um dia, ele encontrou uma casa com pessoas alegres e felizes.

    Um garotinho saiu da casa e acolheu o boneco. As pessoas da

    casa se assustaram muito, pois o boneco tinha vida. O boneco

    contou toda a sua histria e todos acreditaram nele.

    Um homem que morava na casa disse a ele que tinha uma filha

    com dez anos de idade, que perdeu a me em um incndio.

    Desde ento, ela nunca mais sorriu.

    O soldado se ofereceu a tentar alegrar a garota. O

    boneco sentiu uma fora interior muito grande. Ele fechou

    os olhos e sorriu para a garota. A garota sorriu, pois

    lembrou-se do rosto da sua me. O boneco transferiu

    toda a sua alegria para a garota. Ela voltou a sorrir, a

    brincar, a conversar e, principalmente, a gostar de si

    mesma.

    Aps o boneco transferir o seu amor para a garota, ele voltou

    a ser um simples boneco sem vida. Mas apenas o boneco ficou

    na terra, pois o verdadeiro heri da histria, que era a alma, foi

    para a glria!

    :: redao

    O brinquedoEra uma vez uma antiga fbrica de

    brinquedos, governada por um velho

    muito carinhoso.

    O velho gostava de fazer soldadi-

    nhos de chumbo, pois adorava suas

    vestimentas.

    O velho fez um soldadinho especial

    para um garoto muito rico.

    O garoto comprou o boneco por

    cinco reais. O garoto era ego-

    sta, mal criado e gostava de

    quebrar os seus brinquedos.

    O soldadinho, de tanto ser

    mal tratado pelo garoto,

    ganhou uma vida.

    O soldado fugiu

    da casa desse

    garoto e passou

    a procurar um lar

    onde poderia ser amado

    de verdade. Caminhou,

    caminhou, mas no encon-

    trou abrigo. Ele percebeu

    que ganhou aquela Por Antonio Zaia Tarraf, aluno da 5. srie EFII

    Ilustr

    ae

    s de

    Man

    uel V

    icto

    r de

    Aze

    vedo

    Filh

    o, e

    xtra

    das

    do

    livro

    O

    Sol

    dadi

    nho

    de C

    hum

    bo

    e ge

    ntilm

    ente

    ced

    idas

    pel

    a Ed

    itora

    Rid

    eel.

    C

    opyr

    ight

    E

    dito

    ra R

    idee

    l Ltd

    a.

  • 4:: aconteceu

    Estudo do Meio da 6. srieDe 03 a 05 de setembro, a 6. srie EFII viajou para Bertioga, litoral

    de So Paulo, para o Estudo do Meio. A viagem proporcionou um olhar diferente sobre o local, mesmo para aqueles que j conheciam

    Bertioga.

    8. srie em ParatyEntre os dias 02 e 05 de setembro, as turmas da 8. srie EFII visitaram Paraty e Angra dos Reis, em uma viagem de Estudo do Meio. Desde o incio de 2008, os professores j preparavam os alunos para o Estudo do Meio, apresentando os contedos e temas que seriam vivenciados em campo.

    Estudo do Meio da 1. srie EMO ms de setembro, para significativa parcela dos alunos e da

    equipe da 1.a srie do Ensino Mdio, despontou na direo da rota do sol, que, marcada pela histria, cultura e f, possibilitou, por

    meio da reconstituio de Os Passos de Anchieta, a experincia reflexiva sobre a caminhada no estado do Esprito Santo.

    1./9 na Vila GonzagaAs turmas do 1. ano/9 viveram um dia especial na Vila Gonzaga,

    quando encontraram todas as personagens do Stio do Picapau Amarelo. Dessa maneira, as crianas tiveram contato, de uma

    forma ldica, com a obra de Monteiro Lobato, tema do projeto desenvolvido na srie.

    Dia dos Pais no IntegralOs grupos do Integral, manh e tarde, se dedicaram na produo de uma lembrana para comemorar o Dia dos Pais. Cada turma realizou um projeto, como camiseta com um desenho feito na lixa ou um chaveiro de E.V.A. com a foto do aluno, entre outros.

    Jogos InteramizadeO V Jogos Interamizade do Ensino Mdio noturno aconteceu nos dias 12 e 13 de setembro, no Colgio So Lus. J entre os dias 29 de setembro e 02 de outubro, foi a vez do XVIII Jogos Interamizade do Ensino Mdio diurno.

  • 5Grmio EstudantilDuas chapas concorreram s eleies do Grmio Estudantil do Colgio So Lus a ChapAtiva e a Chapaolim. Aps trs dias de campanha, os alunos do Ensino Mdio votaram, nas salas dos coordenadores, e elegeram a Chapa ChapAtiva.

    aconteceu ::

    Projeto MiniempresaO Projeto Miniempresa, parceria do Colgio So Lus com a Junior Achievement, teve incio no ms de agosto. Dois grupos de alunos da 2. srie EM j conheceram os instrutores, detalhes sobre o seu funcionamento e j esto trabalhando nos projetos.

    Conhecendo o quarteiroAs turmas da 3. srie EFI realizaram um passeio diferente no dia 13

    de agosto. Uma atividade simples, como uma volta no quarteiro onde est situado o Colgio So Lus, tornou-se um momento de aprendizado e diverso. As professoras orientaram os alunos a

    observarem e conhecerem os benefcios e os problemas da regio, assim como os prestadores de servios, comrcios, etc.

    Olimpada de Matemtica no CSLNo dia 14 de agosto, um grupo de 237 alunos da 5. srie EFII a

    2. srie EM participou da III Olimpada de Matemtica do CSL. O evento aconteceu no Estudo e em uma sala do 5. andar e foi

    coordenado pela equipe da disciplina.

    Missa da FamliaNo domingo, 10 de agosto, no Salo Santo Incio, foi celebrada a Missa da Famlia em homenagem ao Dia dos Pais. O momento foi de confraternizao para todas as famlias presentes.

    Jogos Jesutas 2008Realizados entre os dias 14 e 16 de agosto, os Jogos Jesutas dos Colgios da Provncia Brasil Centro Leste aconteceram no Colgio So Francisco Xavier, em So Paulo. A equipe de Educao Fsica

    e Esportes do CSL esteve presente com seus times, competindo com tica e conquistando excelentes resultados.

  • 6na Oca, no Ibirapuera, onde as crianas pu-

    deram conhecer um pouco mais da histria e

    dos cantores daquela poca.

    A prxima etapa deste projeto, que foi des-

    membrado em vrios outros, ser a apresen-

    tao de um programa de rdio, no qual

    todas as crianas da 2. srie participaro,

    desempenhando diferentes papis, como n-

    coras, cantores de rdio, protagonistas de

    rdio-novela, narradores, cantores de jingles,

    sonoplastas, iluminadores, dentre outros. Des-

    sa forma, podero representar teatralmente os

    bastidores de um veculo de comunicao ao

    qual no tiveram acesso.

    Todo esse trabalho ser coroado com a nossa

    tradicional festa de encerramento em dezem-

    bro, quando sero apresen-

    tadas danas e repre-

    sentaes artsticas,

    fechando os 50 anos

    da Bossa Nova com mui-

    ta alegria.

    :: projeto

    tema por meio das letras escritas das msi-

    cas e de uma interpretao de texto sobre a

    origem da Bossa Nova, partilhando as idias

    principais, sempre focando o interesse e a

    curiosidade pelo assunto.

    Msica em sala

    Para nossa surpresa, o envolvimento das

    crianas foi tamanho que organizamos uma

    aula especial, trazendo um Karaok sala de

    aula para que as crianas pudessem cantar

    as msicas j conhecidas por elas, trabalhan-

    do a familiaridade com o ritmo e a ginga que

    embalou aquela gerao.

    Gradativamente, as crianas iam trazendo

    CDs que pediam para os familiares compra-

    rem, fotos e notcias referentes aos 50 anos

    da bossa nova, atualidades, como a morte

    do grande compositor Dorival Caymmi, mes-

    tre e compositor baiano que teve grande in-

    fluncia para aquela gerao, enfim, os anos

    50/60 comearam a tomar conta do

    nosso dia-a-dia.

    Exposio

    Para promover maior inte-

    rao com o tema, or-

    ganizamos uma visita

    exposio Bossa

    Em 2008, a Bossa Nova completa 50 anos.

    Com seus novos sons e batidas, esse movi-

    mento artstico e musical, legitimamente brasi-

    leiro, mudou nosso jeito de cantar, compor e

    tocar. Alm disso, disseminou nossa msica e

    nossos artistas mundo afora.

    Para celebrar e refletir sobre esse momento

    to importante da cultura brasileira, a 2. s-

    rie EFI desenvolveu um estudo interdisciplinar,

    envolvendo notcias, fatos histricos, msicas,

    rdios novelas e jingles da poca.

    O projeto

    O objetivo fazer com que as crianas iden-

    tifiquem a Bossa Nova como gnero musical

    de identidade geneticamente brasileira e com

    projeo mundial, assim como uma anlise

    do momento histrico. Pretendemos tambm,

    faz-los ampliar o universo cultural a partir da

    riqueza e sofisticao do ritmo e poesia des-

    se gnero musical.

    Inicialmente apresentamos alguns ritmos ante-

    riores Bossa Nova, como bolero, jazz e m-

    sica clssica. Trouxemos para a sala de aula

    CDs para que pudessem fazer uma explora-

    o auditiva e assim despertar a curiosidade

    pelo tema. Partimos ento para a histria do

    surgimento dessa tendncia musical, datada

    em 1958.

    Aps o primeiro contato com as m-

    sicas, partimos para um trabalho

    com uma apostila na rea de

    Portugus. Deixamos que as

    crianas explorassem o

    Bossa nova contagia a 2. srie EFIPor Rosely Malheiros Jerez e Nanci Libanore, professoras da 2. srie EFI

  • 7O Colgio So Lus partici-

    pa, pela primeira vez, do projeto Via-

    gem do Conhecimento, produzido pela

    revista National Geographic, junto de milhares

    de escolas do mundo todo.

    O objetivo desse projeto fazer com que os jovens

    conheam o pas a fundo e comecem a despertar

    para a cultura de viagem. Os estudantes tambm

    devero dominar conhecimentos sobre histria, turismo,

    vida sustentvel, diversidades sociais e culturais do Bra-

    sil, alm de informaes que envolvam atualidades sobre

    aspectos ligados natureza e ao meio ambiente.

    Os alunos de 7. srie EFII a 1. srie EM do CSL realizaram a

    primeira fase do projeto no dia 15 de agosto, no Colgio, sendo

    orientados pela equipe de Geografia das sries.

    Trinta questes de mltipla escolha fizeram a turma de alunos relembrar

    dos conhecimentos aprendidos na disciplina de Geografia. Somente 5%

    dos estudantes participantes de cada instituio avanaram para a prxima

    fase do programa.

    Fase Regional

    No dia 27 de setembro, cinco alunos do Co-

    lgio So Lus Caio e Lus, da 8. srie EFII,

    e Teresa, Pedro e Lucas, da 1. srie EM ,

    realizaram a segunda prova, composta por

    cerca de 20 questes de mltipla escolha e

    uma prova escrita.

    Como a prova aconteceu justamente na se-

    mana de provas do Colgio, no foi possvel

    estudar especificamente para ela, conta Te-

    resa.

    Apesar da falta de tempo, Caio e Lucas ain-

    da conseguiram acessar o site para lerem al-

    guns dos textos sobre assuntos da atualidade

    divulgados.

    O prof. Fbio Brando, de Geografia, acom-

    panhou os alunos que tero de aguardar at

    a divulgao dos aprovados para a terceira

    fase.

    Em outubro, o histrico escolar dos estudantes

    dever ser enviado Comisso Organizado-

    ra para serem escolhidos os finalistas.

    A etapa final acontecer em novembro, com

    uma prova de mltipla escolha e a definio

    do tema de estudo para a apresentao oral

    em grupo. Alm disso, ser realizada a ativi-

    dade de campo e produo de texto individu-

    al, apresentao em grupo e premiao.

    Boa sorte aos nossos alunos!

    Informaes: www.viagemdoconhecimento.com.br

    national geographic ::

    Viagem doConhecimento

  • 8Ver os nossos alunos e alunas vestidos a

    carter (de terno e gravata ou de tailleur) e

    defendendo propostas srias e factveis para

    problemas que afetam a humanidade, foi

    uma experincia que engrandece o Colgio

    e gratifica os educadores.

    Diplomacia e disciplina

    Durante dois dias e meio, os alunos partici-

    param de comits da ONU como delegados

    e ministros dos pases participantes, defen-

    dendo suas posies oficiais, negociando e

    fazendo acordos, a fim de elaborar documen-

    tos que procuraram sugerir e/ou direcionar

    solues para problemas que esto na pauta

    das Naes Unidas. Outros alunos atuaram

    como jornalistas de peridicos importantes,

    apresentando a cobertura das discusses se-

    gundo a linha desses jornais.

    O sucesso da II SINU

    :: liderana

    Os alunos da 3 srie do Ensino Mdio, du-

    rante meses, prepararam todo o evento, des-

    de a formatao dos ambientes, infra-estrutu-

    ra, treinamento na metodologia de modelos

    e preparo de materiais para os participantes.

    A sala do Prof. Edelson, no quarto andar, tor-

    nou-se o quartel general da SINU, durante

    as semanas que a antecederam.

    Professores de Geografia acompanharam o

    preparo acadmico e diversos setores do CSL

    foram envolvidos na organizao do evento.

    Desde a Diretoria, passando por coordenado-

    res, assessores e funcionrios, todos se empe-

    nharam para ajudar os alunos na realizao

    deste que vai se tornando uma tradio do

    CSL.

    A II SINU (Simulao Interna das Naes

    Unidas), realizada entre os dias 12 e 14 de

    setembro, foi um sucesso.

    A abertura foi feita, em sesso solene, com

    execuo do Hino Nacional Brasileiro, dis-

    cursos e a presena do Padre Smyda.

    Por Edelson Soler, assessor de Formao Crist da 3. srie EM

  • 9nome dado

    platafor-

    ma, foi utiliza-

    da para a troca

    dos documentos

    produzidos pelos co-

    mits e envio de mensa-

    gens instantneas entre os

    participantes. Com a GIC, a

    prxima SINU poder tornar-se uma expe-

    rincia internacional, com a participao de

    alunos de colgios jesutas de outros pases.

    Mas o mrito maior mesmo dos alunos, que

    se transformaram em secretrios, diretores, mi-

    nistros, delegados, jornalistas e staffs, dando

    um banho de organizao e envolvimento.

    A SINU foi tambm marcada pela participa-

    o, pela primeira vez, de alunos do Colgio

    So Francisco Xavier, acompanhados pelo

    Professor Paulo, de Geografia.

    Plataforma GIC

    Outra grande novidade foi a utilizao da

    nova plataforma de comunicao que dever

    conectar os colgios jesutas da nossa Provn-

    cia, do Brasil, com a possibilidade de cone-

    xes internacionais.

    A GIC (Gesto Interativa do Conhecimento),

    Mais informaes e fotos podem ser obser-

    vadas no site www.saoluis.org/sinu

  • 10

    :: comunicao

    So Lus na TVintroduzida no Colgio So Lus, nos ltimos

    anos, buscam aprimorar e aperfeioar esse

    caminho dialogal propcio em um universo

    comunicativo.

    CSL na telinha

    A TV So Lus vem somar a esse projeto es-

    tratgico a funo inicial de amplificar a

    comunicao a todos do mundo So Lus.

    O Colgio produtor de uma cultura densa,

    tanto na quantidade como, principalmente,

    na qualidade daquilo que construdo por

    professores, alunos, todos os funcionrios e

    colaboradores que compem a nos-

    sa comunidade.

    Essa diversidade de aes necessita de uma

    comunicao que seja objetiva, para comu-

    nicar com eficincia e agilidade o que est

    sendo feito, mas tambm ousada e moderna.

    O recurso televisivo permite a gerao de um

    noticirio que leva verticalmente a mensagem

    de tudo o que est acontecendo no Colgio,

    de forma dinmica, com uma esttica moder-

    na e um ritmo equilibrado.

    O que se v na TV

    Na TV So Lus so gerados

    programas que comunicam o

    cotidiano escolar

    desde

    as nossas agen-

    das at, especialmente, os

    projetos que esto sendo desenvol-

    vidos por todos os segmentos: do Maternal

    ao Ensino Mdio. Tambm mostrado o

    bastidor, apresentando as pessoas que

    Comunicao. Este desafio o Colgio So

    Lus vem levando a cabo nos ltimos anos,

    procurando criar e estabelecer canais de

    informao, dilogo e interatividade para e

    com todos que compem a nossa comunida-

    de.

    Mais que isso, introduziu, por meio do concei-

    to de Educomunicao (ver revista Pilotis n.

    04), os meios de veiculao disposio dos

    professores e alunos para o desenvolvimento

    de projetos de ensino-aprendizagem que utili-

    zam os processos e recursos comunicacionais

    com o objetivo de traduzir a realidade que

    cerca todos temas relacionados s vrias dis-

    ciplinas que compem o currculo.

    Assim, internet, rdio, recur-

    sos audiovisuais e toda tec-

    n o l o g i a

    Por Paulo Moregola, coordenador do DECOM

  • 11

    de um mundo mais justo, com indivduos que

    exeram o seu poder de liderana procu-

    rando ser mais para

    os demais.

    so responsveis pela manuteno dos servi-

    os necessrios para que todos os dias nosso

    Colgio funcione.

    Destacamos tambm a participao dos alu-

    nos que j se tornaram produtores da TV,

    propondo programas e coberturas jornalsti-

    cas elaboradas e executadas por eles. (Ver

    box sobre Telenovela e Estudo do Meio)

    esse orga-

    nismo vivo que a TV

    So Lus pretende exibir

    diariamente. E estar co-

    nectada aos outros meios de

    comunicao elaborados pelo Colgio,

    como a WEB e a Revista Pilotis.

    Convidamos todos a participarem desse novo

    canal de comunicao. Envie as suas idias,

    crticas e sugestes ([email protected]).

    A efetivao desse canal vai auxiliar na par-

    ceria famlia e escola no trabalho de forma-

    o de pessoas integrais e ntegras, objetivo

    maior de nossa pedagogia, que, inspirada

    em Santo Incio, prope que todos os meios

    e instrumentos sejam utilizados na construo

    O projeto de TV escola nesses moldes nico e o

    CSL pioneiro. A TV ainda est em desenvolvimen-

    to, pois todos os dias uma linguagem nova surge, e

    um formato digital se renova.

    A equipe que trabalha na criao, edio e capta-

    o das imagens dos programas grande: produ-

    tores de TV, editor, animador digital, programador,

    operador de cmera, equipe de TI e um coorde-

    nador geral.

    As transmisses so feitas via IP (internet protocol).

    Podem tambm ser feitas via satlite, mas essa tec-

    nologia utilizada somente para transmisso para

    muitos pontos.

    Nosso maior desafio trazer o aluno para perto

    da TV. Para isso, nosso objetivo criar e discutir

    pautas e contedo com os prprios alunos, finaliza

    Paulo.

    A equipe de filmagem, composta por um cine-

    grafista e algumas produtoras, que os alunos

    do CSL j esto acostumados a ver duas vezes

    na semana circulando e fazendo filmagens, j

    faz parte do o dia-a-dia do Colgio. Mas essa

    equipe a ponta do iceberg de uma empresa

    parceira do So Lus nessa iniciativa de produ-

    zir a nossa TV interna.

    A Zebra Filmes atua na rea de TV corporativa

    desde 2005. Seus criadores, Paulo Mavuchian

    e Rodrigo Brito, amigos desde a poca de co-

    lgio, aproveitaram a vivncia na participao

    em grmio, centro acadmico e atltica, para

    desenvolver formas diferentes de se comunicar

    com o pblico. Aproveitando uma linguagem

    difundida em highschools americanos e a tec-

    nologia mais barata, criamos um formato que

    pudesse atrair tanto os alunos e seus pais como

    colaboradores da empresa, cita Paulo.

    Quem faz a TV

  • 12

    Programao da TV So Lus

    Estudo do meio e viagens formativas. Atividades de sala de aula.

    Dicas de professores. Projetos e rotina do curso.

    Perfil de alunos, professores e funcionrios. Atividades extra-classe.

    Dicas culturais. O dia-a-dia da Educao Infantil.

    Jogos e campeonatos. Departamentos e preparao de atividades.

    Roteiro: Estudo do MeioTer a idia, reunir um grupo, escrever

    o roteiro e... ao! Essa foi a se-

    qncia realizada por um grupo de

    alunos da 7. srie EFII, que decidiu

    aproveitar a viagem de Estudo do

    Meio para as cidades histricas de

    Minas Gerais para produzir um vdeo

    educativo sobre os assuntos l trata-

    dos. Vamos produzir uma espcie

    de seriado, em captulos, usando

    figurino levado por ns, mostrando os

    contedos vistos de todas as discipli-

    nas, conta Rodolfo, um dos integran-

    tes do grupo. O programa deve ser

    gravado em Ingls e Espanhol, alm

    do Portugus.

    O gosto dos meninos Rodolfo, Pe-

    dro, Rafael, Marcanti, Batata (Lucas)

    e Roberto pela filmagem comeou

    antes do evento, quando resolveram

    usar os minutos dos intervalos para

    reproduzir alguns filmes. Alguns

    atuam, outros so diretores de cena,

    outro o cinegrafista e assim por

    diante.

    A coordenao da srie aprovou a

    idia e ajudou o projeto oferecendo

    uma sala do 2. andar para a turma.

    Aps algumas gravaes, os estudan-

    tes viram na TV So Lus uma oportu-

    nidade para ampliar o seu trabalho.

    Os profissionais deram orientaes

    sobre a filmagem e a TV vai veicular

    as criaes na volta da viagem.

    :: comunicao

  • 13

    comunicao ::

    Gerao TrianonDurante as aulas de Teatro com o

    seu grupo de quarta-feira, o profes-

    sor Tuna Serzedello teve a idia de

    transformar a pea que comeava a

    estudar Gerao Trianon, elabo-

    rada por Anamaria Nunes em

    formato de telenovela.

    Todas as sextas-feiras, os alunos, pais

    e educadores do Colgio se diver-

    tiram acompanhando o grupo atuar

    na tela da TV So Lus.

    Por ser uma TV de passagem,

    tivemos que adaptar o texto e a

    filmagem para o cinema mudo,

    conta Tuna.

    Para Rachel, aluna da 2. srie EM,

    a experincia de atuao resultou em

    um aprendizado maior que o espera-

    do e a aprovao geral dos amigos

    do Colgio tambm foi maior que

    a prevista. O grande desafio neste

    projeto foi demonstrar os sentimentos

    sem usar a fala, conta a estudante.

    Encerrando a novela, o grupo ensaia

    a pea para ser apresentada em

    novembro, na Mostra Intercolegial de

    Teatro do CSL.

    Cenas da novela Gerao Trianon.

    Momentos da gravao da novela.

    O aluno Leonel representa a personagem Esse

    Menino.

    Prof. Tuna Serzedello o diretor da novela. Toms no papel de Staffa.

    As alunas Helosa e Rachel, atrizes da novela.

    A aluna Luiza no papel da

    Mocinha.

  • 14

    alunos formas eficazes de se estudar, pois,

    s vezes, muitos esforos so em vo se o

    aluno no tem a capacidade de gerir seu

    tempo de estudo e levar uma vida saudvel,

    tanto na parte fsica quanto na parte mental.

    Resultado

    Foi uma experincia muito importante, pois

    me ajudou a perceber a dinmica dos assun-

    tos atuais to presentes na minha vida. Alm

    disso, foi de grande valia para a viagem de

    Estudo do Meio que fizemos para o Esprito

    Santo, diz Gustavo Fernandes, aluno da

    1. srie do Ensino Mdio, referindo-se s

    diversas palestras que tiveram na semana e

    viagem que a srie fez para o ES, quando

    puderam pr seus conhecimentos em prtica.

    J a aluna Cora Valentini, da 2. srie do

    Ensino Mdio, teve grande interesse pela

    palestra sobre biocombustveis, pois nos faz

    entender todos os aspectos de um assunto

    to debatido e polmico nos dias de hoje.

    bom saber que existem formas de produo

    de energia alternativas, que no destruam

    ainda mais o nosso planeta, diz a estudan-

    te.

    Iniciativas como essa so de grande valia

    para o Colgio e para o aluno, pois somam

    ao conhecimento j aprendido na sala de

    aula, a situao real em que esse conheci-

    mento aplicado, o que acaba por formar

    um aluno mais preparado e engajado em

    idias fundamentais para a manuteno do

    nosso planeta.

    Semana CientficaPor Toms F.V. Mesquita, aluno da 3. srie EM

    do Colgio So Lus

    O mundo no qual vivemos hoje marcado

    por inmeras mudanas que tomam lugar

    a cada dia por motivos diversos. Com a

    globalizao e o rpido acesso a notcias,

    sabemos de fatos e fenmenos que nunca

    poderamos saber h tempos.

    Foi pensando dessa maneira que o Colgio

    So Lus realizou, entre os dias 18 e 22 de

    agosto, a Semana Cientfica para as 1. e

    2. sries do Ensino Mdio diurno. O evento

    se baseou numa semana com um calendrio

    diferente, repleto de palestras sobre diferen-

    tes assuntos do nosso cotidiano, com uma

    viso mais aprofundada e divertida de cada

    assunto.

    Programao

    Temas de extrema importncia e com amplo

    espao na mdia foram ministrados, como o

    cncer de pele, clulas-tronco, biocombust-

    veis, entre outros, que proporcionaram aos

    alunos uma percepo mais interessante de

    assuntos de que geralmente s se houve falar

    em telejornais, por meio de acordos polticos

    ou em revistas cientficas com textos muito

    mais tcnicos do que explicativos.

    Foram chamados, para dar essas palestras,

    diversos convidados especializados em cada

    assunto e tambm com a sensibilidade de

    passar esses assuntos para jovens de 15, 16

    e 17 anos. Alm deles, foram chamados ain-

    da profissionais do prprio Colgio, como o

    prof. Renilson, de Educao Fsica das 1. e

    3. sries do Ensino Mdio, que ensinou aos

    :: estudo do meio

  • 15

    :: jogos pedaggicos

    Aprender jogandoregras, experincia e tomada de conscin-

    cia. Quando os alunos conseguem interio-

    rizar as regras e aplic-las com facilidade,

    so trabalhados os mtodos e estratgias.

    Os alunos no aprendem simplesmente o

    jogo pelo jogo, mas como interagir para que

    lhe traga algo enriquecedor, tanto na escola

    como na vida prtica, de acordo com o de-

    senvolvimento e ritmo de cada um. O lema

    o importante competir prioridade neste

    trabalho, donde o respeito ao oponente e,

    em alguns jogos, a importncia do trabalho

    em equipe.

    Olimpada de Raciocnio

    A experincia que as equipes educacio-

    nais j possuam na aplicao de jogos

    pedaggicos em sua prtica de ensino-

    aprendizagem contribuiu para que o CSL

    fosse escolhido como anfitrio da primeira

    Olimpada de Raciocnio no Brasil, no dia

    18 de outubro.

    A Olimpada uma oportunidade de colo-

    car em prtica os conceitos e habilidades

    que a metodologia prope, como desen-

    volver o raciocnio, colaborar, ter respon-

    sabilidade, trabalhar em equipe, lidar com

    Desde 2003, ano em que teve incio o

    segmento Integral no Colgio So Lus, as

    aulas de jogos pedaggicos fazem parte da

    grade horria.

    A partir do 2. semestre de 2006, iniciamos

    um projeto com a equipe Mente Inovadora,

    supervisionando e capacitando os orientado-

    res do Integral e os professores da Educao

    Infantil, para aplicar os jogos com os alunos,

    o que contribuiu para o enriquecimento

    dessas aulas.

    Contribuio

    O jogo pedaggico uma das estratgias

    que trabalham os cinco passos norteadores

    do processo de ensino-aprendizagem, ins-

    pirado pela Pedagogia Inaciana: contexto,

    experincia, reflexo, ao e avaliao.

    Essa parceria enriqueceu o desenvolvimento

    cognitivo dos alunos e acrescentou bons

    resultados ao trabalho j realizado pelo

    Colgio So Lus.

    Passo a passo

    A aula dividida em histria ou dinmica

    (contextualizao do jogo), aprendizado das

    situaes de conflito, saber ganhar e perder,

    entre outros.

    Para participar, os alunos devem estar na

    fase do raciocnio avanado, ou seja, alunos

    entre oito e doze anos. Sendo assim, somen-

    te os alunos de 2. a 6. srie que freqen-

    tam o Integral nos dias das aulas dos jogos

    pedaggicos participaro da Olimpada.

    Nos meses de agosto e setembro, os alunos

    foram preparados e, por meio de competi-

    es internas, foram escolhidas as duas equi-

    pes que representaro o Colgio So Lus.

    A Olimpada conta com a participao

    de outros colgios, competindo nos jogos:

    Abalone, Damas, Quoridor e Octi. A equipe

    do colgio vencedor representar o Brasil

    na Olimpada Internacional que ocorrer em

    2009, na Itlia.

    Quando ouvir um aluno falando que utilizou

    o mtodo semforo na aula, no estranhe,

    concluindo que jogaram na rua. Simplesmen-

    te a criana se deparou com uma situao

    em que foi necessrio parar, pensar e refletir

    na estratgia que o oponente estava utili-

    zando, e depois agir, pensando na melhor

    jogada.

    Por Juliana Ruiz de Las Heras, orientadora de estudos do 2 ano/9 do Integral

  • 16

    :: educao

    Discutir para entender. Esse o lema do

    primeiro grupo de estudos de Pedagogia

    Inaciana que se iniciou no Colgio So Lus

    em agosto de 2006. Orientado pelo asses-

    sor pedaggico, Laez Fonseca, o grupo

    formado pelos professores Ana Elvira Iorio,

    Ivete Ortncio, Mnica Taborda, Maria He-

    lena Garcia, Luiza Cristina Marques, Roberta

    Ramos, Rodney Luzio, Nilza Guimares, Ana

    Maria Figueiredo, Mayla Lavagnolli, Myrta

    Biondo, Mrcia Castaldo e Maria Angela

    Barbuto.

    O grupo tem como objetivo discutir e refletir

    sobre os princpios da Pedagogia Inaciana

    para sua aplicabilidade e aprimoramento da

    prtica educativa.

    Os encontros so feitos quinzenalmente e

    tm a durao de uma hora. No incio,

    os professores discutiam acerca da teoria

    presente em alguns textos. Aps dois semes-

    tres de estudos dos textos, o grupo sentiu a

    necessidade de produzir artigos referentes

    s discusses realizadas, abordando os

    seguintes temas presentes no PEC (Projeto

    Educativo Comum da Companhia de Jesus

    na Amrica Latina):

    Educao personalizada

    Avaliao

    Educao em valores

    Liderana

    Disciplina e indisciplina

    Espiritualidade inaciana

    Autonomia

    Divididos em duplas, os professores pesqui-

    saram e escreveram acerca de cada tema,

    apresentaram os textos ao grupo, que os

    discutiram e fizeram sugestes posteriormente

    incorporadas na reescrita final.

    Atualmente, o grupo continua se reunindo,

    sempre discutindo temas atuais e situaes

    presentes no cotidiano da sala de aula,

    luz da Pedagogia Inaciana, unindo prtica,

    reflexo e experincia para uma partilha e

    um aprendizado constante.

    A experincia inaciana ultrapassa a compreenso meramente intelec-tiva e estimula a valer-se tanto da experincia, da imaginao e dos sentimentos, como do entendimento (Pedagogia Inaciana P. 42).

    Estudandoa Pedagogia InacianaPor Roberta Ramos, professora de Portugus e Redao do EFI

  • 17

    meio ambiente ::

    Projeto ComPensar

    Reunio com pais e professores

    No dia 11 de agosto, todos os professores do Colgio So Lus tiveram um momento

    para conhecer mais sobre o Projeto ComPensar. Eduardo Deangelo, diretor da Brasil

    Flora, parceira do CSL neste projeto, esclareceu algumas dvidas dos educadores.

    J no dia 30, os pais participaram da palestra Educao Ambiental e Cidadania, abor-

    dando diversos temas de interesse.

    Entrega das canecas

    No dia 13 de agosto, uma caneca com a ilustrao de uma rvore da Mata Atlntica foi

    entregue a todos os alunos do CSL.

    As equipes de srie realizaram a distribuio, nas salas de aula, informando aos alunos

    sobre o presente, que simboliza a rvore plantada em seu nome.

    Plantio das mudas

    Durante o ms de setembro, a quantidade de mudas equivalente ao nmero de alunos

    do CSL foi plantada em trs locais de Cotia: Parque Teresa Maia, Parque CEMUCAM e

    Fundao Maria Carolina.

    Acompanhe o desenvolvimento das aes do Projeto no Colgio So Lus.

    Mais informaes e fotos podem ser observadas no site www.saoluis.org/compensar

  • 18

    relao matria do vestibular, l poderei

    ganhar outras, de valor inestimvel, e apren-

    der coisas que levarei para a vida toda. Esta

    ser uma forma de eu conhecer pessoas do

    mundo inteiro, melhorar meu ingls, amadu-

    recer. Com certeza significar uma grande

    aprendizado para mim.

    O maior desafio para Mirella ser o retorno

    ao CSL, pois ele no automtico. Ela ter

    que se submeter a provas de reingresso para

    retomar seus estudos.

    Saudades de casa

    Passando tanto tempo fora de casa, o maior

    medo de Mirella o pensamento de que

    no poder abraar, ver, conversar com

    aqueles que mais ama (sua famlia e amigos)

    e de que no estar presente quando eles,

    que sempre a apoiaram e estiveram com ela

    quando precisou, estiverem necessitando de

    seu apoio.

    Com certeza, essa viagem ser uma expe-

    rincia fantstica para ela e para todos os

    outros amigos que nos deixam agora no final

    do ano para um perodo de aprendizado

    em outro pas, e, sem dvida, todos voltaro

    com muitas histrias para contar.

    Adoo temporriaPor Nnive de Macedo Rocha, aluna da 2. srie EM

    Desafios

    Mudar assim de casa requer uma grande

    preparao. Me preparei comprando

    roupas, porque o inverno l muito rigoroso

    (no ano passado, a temperatura mnima foi

    de -34C). Tambm fico pensando todo o

    tempo que a viagem ser maravilhosa e que

    quando eu voltar, meus amigos estaro aqui

    me esperando, e tudo estar igual, conta

    Lella.

    Obviamente, muitos medos e incertezas

    passam pela cabea de quem est para

    viajar, mas nunca se deve desistir apenas

    pela existncia de obstculos. Sei que vou

    sentir falta da minha famlia, meus amigos

    e minhas cachorras, mas penso que esta

    ser uma tima experincia, que dar muito

    certo. Minha irm mais velha tambm foi

    quando estava na 2. srie EM e voltou no

    segundo semestre da 3. srie. Ela teve que

    se dedicar bastante aos estudos, mas passou

    de ano e na faculdade. Acho tambm que

    mesmo que eu perca muitas coisas aqui em

    Durante o Ensino Mdio, os jovens so

    impelidos a fazer muitas escolhas, como a

    universidade e a carreira a seguir, se querem

    ou no votar e muitas outras. Alguns vo

    alm disso e resolvem mudar radicalmente

    de vida, como Mirella Donatello, da 2.

    srie EM.

    Desde o incio do ano, Lella, como conhe-

    cida por seus amigos, estava decidida a

    fazer intercmbio. Procurou uma agncia e

    comeou a se comunicar com a famlia que

    iria hosped-la no segundo semestre deste

    ano, na sua estada em Watertown, Dakota

    do Sul, nos Estados Unidos.

    Escolhi os Estados Unidos porque o lugar

    mais barato para ir entre os pases que

    falam ingls. Tambm porque j viajei para

    l outras vezes e adorei. Lella pretende ficar

    6 meses fazendo intercmbio, mas, se gostar

    muito de l, pode estender sua experincia

    para 1 ano.

    :: intercmbio

  • 19

    que englobam Lnguas Estrangeiras

    tambm estaro presentes.

    Queremos levar as turmas, no horrio

    de aula, acompanhadas pelos professores,

    pois assim, mesmo que no possam em outra

    hora, todos tero a oportunidade de ver com calma

    e entender os trabalhos apresentados nos Movimentos

    Culturais, complementa o professor.

    Exposio

    Com a ajuda dos alunos, durante os dias 27 e 28 de

    outubro, a montagem do evento ser feita no Salo Santo

    Incio. Na noite do dia 28, acontecer a abertura, que

    contar com o show da Traditional Jazz Band, aps da apre-

    sentao do IV Festival Coreogrfico Andanas. Nos dias 29

    e 30 ser realizado, tambm no Salo Santo Incio, o I Festival

    de Bandas do CSL. At o dia 31, a exposio ficar aberta para

    visitao.

    Muitas vezes, os projetos s so vistos por alunos da mesma srie, por

    serem expostos somente no prprio andar. Com os Movimentos Culturais,

    podemos fazer com que pais, alunos, professores, funcionrios,

    convidados, enfim, todos vejam o que a escola faz durante

    o ano. Alm disso, ser possvel a troca de experincias,

    importante para o encontro, conclui Fbio.

    O Colgio So Lus retoma, este ano, a pr-

    tica dos ltimos anos de expor a produo

    acadmico-cultural dos seus alunos com a

    realizao dos Movimentos Culturais.

    Projetos de todos os tipos e disciplinas,

    realizados pelos alunos do Colgio So Lus

    durante o ano de 2008, sero apresentados

    em PowerPoint, cartazes, teatros, painis,

    filmes, entre outros, mostrando o que h de

    melhor nas diversas reas de educao.

    Os alunos no fazem os trabalhos somente

    para a exposio. Na verdade, os proje-

    tos so feitos conforme as exigncias de

    srie. O projeto mostra o que fizeram, onde

    aplicaram a matria dada em sala, explica

    Fbio Brando, professor de Geografia,

    da 5. 8. srie e membro da comisso

    organizadora.

    Diversidade de disciplinas

    Vrias disciplinas participam dos projetos.

    Em Geografia, por exemplo, a 6. srie

    explicar um pouco mais sobre o que apren-

    deram no Estudo do Meio, em Bertioga. J

    em Fsica, no Ensino Mdio, um novo com-

    bustvel foi desenvolvido base de plantas

    consideradas inutilizadas. Matrias como

    Matemtica, Histria, Cincias, Artes e as

    evento ::

    MOVIMENTOS CULTURAISData: de 27 a 31 de outubroLocal: Salo Santo Incio - Colgio So Lus

    Por Lvia Kostiuk, aluna da 8. srie EF II

  • 20

    :: engenharia

    Jovenspesquisadores

    Na sexta edio da Pilotis, a matria

    Projeto Jovem divulgou a participao do

    Colgio So Lus no Projeto Promove Jovem,

    da FEI, que tinha como objetivo divulgar a

    Engenharia nas escolas.

    Henrique Luzo, aluno da 3. srie do Ensino

    Mdio, autor da matria citada, apurou que

    o fator que influenciou a criao do projeto

    foi uma pesquisa do governo que indicou

    que, em um futuro prximo, faltaro enge-

    nheiros, de todas as reas, no mercado de

    trabalho brasileiro, dado o ritmo de cresci-

    mento do nosso pas.

    Segundo a FEI, durante mais de seis meses,

    cerca de 150 estudantes do Ensino Mdio

    de quatro escolas da Grande So Paulo

    estiveram empenhados na produo de

  • 21

    biodiesel, no desenvolvimento de robs e de

    carrinhos motorizados, desenvolvidos com a

    orientao de professores do Centro Universi-

    trio da FEI.

    So Lus no Promove JovemNo So Lus, os professores envolvidos na

    orientao dos alunos foram: no projeto de

    Mecnica, a professora Fabiana Kneubil, de

    Fsica; no projeto de Qumica, o professor

    Joo Iecco, de Qumica; e o professor

    William Ribeiro, de Informtica, conduziu o

    projeto de Eletrnica.

    No dia 19 de setembro, a competio

    chegou ao fim. Os estudantes mostraram os

    resultados durante a etapa final do Projeto

    na FEI, campus So Bernardo.

    Os alunos do Colgio So Lus tiveram

    uma participao brilhante no Projeto, se

    dedicando ao mximo nos encontros com

    os professores, estudando e criando novas

    solues para o produto.

    As equipes do So Lus que concorreram na

    modalidade de Robtica criaram robs e

    alcanaram a segunda e terceira colocao.

    A equipe de Qumica trabalhou na elabo-

    rao de um biocombustvel e empatou em

    primeiro lugar com as demais concorrentes.

    E a equipe da Mecnica ficou em stimo

    lugar na competio.

    A todos os alunos

    Depois de quase cinco meses de

    trabalho, o momento de avaliarmos

    esse processo. Se considerarmos apenas

    o resultado, no foi nada mal: as duas

    equipes de Robtica do So Lus alcan-

    aram as honrosas 2. e 3. colocaes.

    claro que frustrante no ter vencido

    depois de chegarmos to perto.

    Mas para o trabalho educacional, o

    processo conta mais do que o resultado.

    O que vale mesmo so as experincias

    vividas, os desafios enfrentados, as pers-

    pectivas que se abrem para o futuro, as

    aprendizagens que ficaro para a vida.

    E desse ponto de vista, somos campe-

    es! Porque aprendemos com a derrota.

    Porque trabalhamos duro, elaborando

    hipteses e testando-as em diversas

    condies. E, principalmente, porque

    nos unimos mais do que podamos

    prever. Foi especialmente relevante o fato

    de que as duas equipes do So Lus,

    embora concorrentes, se uniram, se aju-

    daram e se animaram mutuamente. Na

    verdade, o So Lus no foi representado

    por duas equipes, mas por apenas uma

    que produziu dois robs, e foram os mais

    rpidos de todos, diga-se de passagem.

    Parabns a todos os alunos que abriram

    mo de seus afazeres e diverses, (at

    mesmo durante um domingo!) para juntos

    construirmos algo juntos. (Prof. William

    Ribeiro, coordenador do CETAE)

    UNESCO

    Um grupo de alunos da equipe de Qu-

    mica, que participou do Promove Jovem,

    da UNIFEI, inscreveu sua pesquisa no

    Prmio Mercosul de Cincia e Tecno-

    logia 2008, da UNESCO. Leehendry,

    Cssio, Lucas, Juliana e Francisco

    formaram o grupo que estudou o leo da

    semente do pinho-manso na produo

    de biodiesel.

    O Prmio selecionou as melhores aborda-

    gens sobre Biocombustvel dentre 267

    trabalhos apresentados por estudantes

    e pesquisadores da Argentina, Brasil,

    Bolvia, Chile, Colmbia, Equador,

    Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

    Concorreram premiao estudantes de

    ensino mdio, universitrios e graduados,

    alm de pesquisadores graduados de

    pelo menos dois dos pases listados.

    O trabalho do grupo foi considerado

    como um dos melhores do Brasil pela

    UNESCO, alcanando o 5. lugar na

    classificao geral dos projetos. Ns

    aprendemos muito, tanto com o projeto

    da FEI quanto com o da UNESCO,

    conta Leehendry.

    Os alunos participantes trabalharam nos projetos

    durante 6 meses.

  • 22

    So montadas sacolas com materiais ne-

    cessrios a cada instituio, que devem ser

    entregues em um momento de confraterniza-

    o no ms de dezembro, quando o grupo

    de Teatro do CSL realiza uma apresentao

    no local com o tema do Natal.

    Como participar

    Para ajudar, basta solicitar a sacola de uma

    das instituies com os assessores de Forma-

    o Crist, com o Diego (secretrio da FCC)

    ou na APM.

    No site do Colgio (www.saoluis.org) esto

    divulgados mais detalhes sobre a campa-

    nha, bem como os kits e as instituies.

    Instituies beneficiadas

    So Francisco, Casa Padre Batis-

    ta, So Lus, Quintal da Criana,

    Vila Gonzaga, F e Alegria,

    Maria de Nazar, Sal da Terra, F e

    Alegria, Casa de Convivncia, Pr+Vida,

    Casa do Idoso, Cotolengo, Coopere, Asilo

    Pr+Vida, CCCA e Assentamento.

    NatalSolidrio

    :: campanha

    O Natal ainda no chegou, mas a Forma-

    o Crist do Colgio So Lus j prepara a

    campanha Natal Solidrio 2008, que teve

    incio no dia 1. de outubro.

    Uma carta foi enviada s famlias convi-

    dando toda a comunidade a participar da

    campanha que tem como objetivo beneficiar

    cerca de 2500 pessoas, entre crianas,

    jovens e idosos.

    As instituies auxiliadas fazem parte de

    uma parceria constante e antiga que o CSL

    mantm por meio das Experincias de Frater-

    nidade e do voluntariado.

    A idia, como acontece todo ano, que as

    famlias adotem essas instituies suprindo

    algumas de suas carncias de final

    de ano.

    Experinciade Fraternidade

    Os alunos do CSL tm, durante o

    ano, a oportunidade de conhecer as

    instituies parceiras do Colgio na

    campanha de Natal. Isso ocorre na

    Experincia de Fraternidade, quando

    as turmas passam uma manh em

    uma instituio escolhida e viven-

    ciam a experincia de um ambiente

    novo, exercitam o olhar para o

    outro e acabam se motivando para o

    exerccio do voluntariado. Os alunos

    tm uma preparao antes da visita,

    realizada pela equipe de srie,

    quando se organizam combinando

    as atividades que faro em determi-

    nado local.

  • 23

    Coordenao geralProf. Paulo MoregolaDECOM Departamento de Comunicao

    Edio / jornalista responsvelMarcia Guerra (MTB 2435) - DECOM

    Design / diagramaoDimas de Oliveira - DECOM RevisoMarta Maria Soares de Camargo - DECOM

    ReportagemAntonio Zaia Tarraf, aluno da 5. srie EFIILvia Kostiuk, aluna da 8. srie EFIINnive de Macedo Rocha, aluna da 2. srie EMToms F. V. Mesquita, aluno da 3 srie EMProf. Edelson Soler, assessor de Formao Crist da 3. srie EM.Prof. Juliana Ruiz de Las Heras, orientadora de estudos do IntegralProf. Nanci Libanore, 2. srie EFIProf. Paulo Moregola, coordenador do DECOMProf. Rosely Malheiros Jerez, 2. srie EFIProf. Roberta Ramos, Portugus e Redao do EFII

    ColaboraoTuna Serzedello - DECOM

    FotografiaNAVI Ncleo udio Visual

    Impresso e AcabamentoGrfica Loyola

    Tiragem2.500 exemplares

    PapelReciclato Suzano 90/m2 (miolo)Reciclato Suzano 120/m2 (capa)

    Colgio So Lus

    Direo GeralPe. Mieczyslaw Smyda, SJ

    DireoJairo Nogueira Cardoso Denise Michels Ortiz KreinBenedita de Lourdes MassaroLuiz Antonio Nunes Palermo

    Rua Haddock Lobo, 400 - Cerqueira CsarCEP 01414-902 / So Paulo - SP

    Tel: (11) 3138-9600www.saoluis.org

    agenda ::

    27/09 a 04/10 XVIII Interamizade

    De 02 a 04/10 Simpsio de Educao Infantil

    05/10 Eleies

    06 a 11/10 Estudo do Meio (7. srie EFII)

    07/10 Reunio de Pais da Educao Infantil

    De 06 a 11/10 Estudo do Meio (7. srie EFII)

    07/10 Formao Permanente para Pais

    12/10 NOSSA SENHORA APARECIDA

    13/10 RECESSO

    14/10 Reunio de Pais Integral / Reunio de Pais EFI

    15/10 Dia do Professor

    18/10 Olimpadas de Raciocnio

    19/10 ENCONTRO ESPIRITUALIDADE

    23/10 Prova Integrada do EF I

    24/10 Testo e Prova Multidisciplinar

    24 e 25/10 Encontro de Jovens (6. srie EFII)

    26/10 Eleies 2. turno

    De 27/10 a 01/11 Movimentos Culturais e Exposio Vivendo o Meio (5. srie EFII)

    28/10 Testo noturno

    De 28 a 31/10 Msica na Galeria

    02/11 FINADOS

    De 03 a 05/11 Celebrao de Reconciliao (Catequese)

    04/11 Formao Permanente para Pais e Apresentao de Teatro - 5. a 7 sries

    09/11 1. COMUNHO

    11/11 Apresentao de Teatro 1./9, 2./9 4. srie

    De 12 a 14/11 Acampamento 4. srie EF

    15/11 PROCLAMAO DA REPBLICA

    De 16 a 26/11 Provas bimestrais EFII e EM

    19/11 Festa de Encerramento (1./9)

    20/11 DIA DA CONSCINCIA NEGRA

    21/11 RECESSO

    De 24 a 27/11 Provas bimestrais - EFI

    26/11 Acampamento Aldeia 8. srie EFII

    27/11 Acampamento 5. srie EFII

    29/11 Apresentao de Teatro 1./9, 2./9 4 srieEncerramento das Atividades Extras Esportivo para EFII e EM

    Voc pode participar daRevista Pilotis n 09!

    Escreva sua sugesto de pauta, artigo ou crtica e envie para o e-mail [email protected]

    :: expediente

    outubro/novembro As atividades esto sujeitas a alteraes.