Restauraçao Area Degradada Tese CESP

  • View
    18

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Restauraçao Area Degradada Tese CESP

  • ESTRUTURA E DINMICA DO ESTRATO ARBREO E DA

    REGENERAO NATURAL EM REAS RESTAURADAS

    FLAVIANA MALUF DE SOUZA

    Dissertao apresentada Escola Superior de

    Agricultura "Luiz de Queiroz", Universidade de So

    Paulo, para obteno do ttulo de Mestre em Cincias,

    rea de Concentrao: Cincias Florestais.

    PIRACICABA

    Estado de So Paulo - Brasil

    Junho - 2000

  • ESTRUTURA E DINMICA DO ESTRATO ARBREO E DA

    REGENERAO NATURAL EM REAS RESTAURADAS

    FLAVIANA MALUF DE SOUZA

    Engenheira Florestal

    Orientador: Prof. Dr. JOO LUS FERREIRA BATISTA

    Dissertao apresentada Escola Superior de

    Agricultura "Luiz de Queiroz", Universidade de So

    Paulo, para obteno do ttulo de Mestre em

    Cincias, rea de Concentrao: Cincias Florestais.

    PIRACICABA

    Estado de So Paulo - Brasil

    Agosto - 2000

  • AGRADECIMENTOS

    Ao professor Joo Batista, pela orientao e pela confiana;

    CESP, por permitir a realizao do estudo em suas reas, e ao Engenheiro Washington Luiz de

    A. Geres pelo apoio;

    A professora Ruth Kunzli, da UNESP de Presidente Prudente, e ao diretor do CESPRI (Centro

    de Ensino Superior de Primavera), Jos Wanderley, pelo alojamento em Primavera;

    FAPESP, pela bolsa de estudos e pela reserva tcnica, e por possibilitar e facilitar

    imensamente o desenvolvimento de pesquisas no Estado de So Paulo;

    A Sandra Pavan, pelo pontap inicial com a ajuda financeira;

    Aos especialistas consultados, pela presteza na identificao das espcies: Flvia Garcia, Pedro

    Carauta, Jorge Tamashiro, Vincius Castro Souza e em especial ao Geraldinho (Geraldo Franco),

    por sempre arrumar uma brecha nas suas idas e vindas para identificar os materiais;

    Aos professores do Departamento de Cincias Biolgicas da ESALQ Ricardo Ribeiro Rodrigues

    e Sergius Gandolfi, pelas discusses e pelas valiosas contribuies a este trabalho;

    A Giselda Durigan, pela leitura do boneco da qualificao e pelas correes feitas em to pouco

    tempo;

    Aos funcionrios do Departamento de Cincias Florestais e IPEF: Dirceu, Z Martins, Ivo,

    Rogrio, Erivelto, Margareth e Silvana, um agradecimento especialssimo pelos inmeros galhos

    quebrados;

    Ao Pi (Hlio Passos), por ter segurado a barra, financeira e emocionalmente, no to difcil

    comeo...;

    Aos meninos do LMQ, pela agradvel convivncia, e por me fazerem entender um pouco melhor

    o universo masculino!;

    Ao Jefferson, pela super ajuda nos trabalhos de campo e pela extrema boa vontade na hora de

    resolver os pepinos do laboratrio;

    Aos estagirios Limonada (Flvio L. Cremonesi) e Casado (Mrcio S. Cardoso) pelo trampo no

    campo, pelas risadas, pelo bom-humor e pela serenata!;

    Ao Gnomo (Maurcio Gorenstein), pela disposio e pela ajuda na identificao das espcies no

    campo;

    Ao Arajo ("Magaiver"), por ter sido, alm de motorista, escalador de rvores, medidor de

    plantas e criador de engenhocas;

  • Ao "Guto" (Beija-flor), pelas incansveis leituras da dissertao, desde os tempos de relatrio

    FAPESP, e por ter me despertado tantas coisas importantes (apesar dos contratempos!...);

    Ao Era, pelos anos de vida conjugal inesquecveis, pelas longas conversas madrugada adentro

    e por conseguir me surpreender a cada minuto!;

    A Al, super assessora e companheira nos estudos da Lngua Portuguesa, pelas leituras,

    correes, sugestes, e principalmente pelo agradvel convvio na casa nova e pelas fervees,

    que ainda sero muitas!;

    Ao Roko (Fabiano Rodrigues), amigo querido, por estar presente, sempre;

    A Lud, Terceira Elementa, pela sua alegria, pelos seus ensinamentos e pelas boas risadas

    que demos (e ainda daremos) com sua vasta experincia em assuntos domsticos;

    A minha me querida, pelo amor e pelo socorro financeiro nas horas de aperto;

    Aos amigos de Pira, em especial Carlinha Gheler, Mrcio Sztutman, Val, Lauro, Adri, Baiano,

    Nelore (Bifo) e Paula, Marcelino, Geraldo, Bolaxa, Viviane (Inhq), e o casal F e M, pelas

    risadas, pelo carinho e pelas alegrias e angstias compartilhadas nestes anos de ps.

  • SUMRIO

    Pgina

    RESUMO ............................................................................................................................... v

    SUMMARY ..........................................................................................................................vii

    1 INTRODUO ...............................................................................................................1

    2 REVISO DE LITERATURA ........................................................................................3

    3 METODOLOGIA ..........................................................................................................12

    3.1 Caracterizao da rea de estudo..............................................................................12

    3.1.1 Localizao geogrfica e caractersticas edafo-climticas ...........................12

    3.1.2 Vegetao .....................................................................................................13

    3.1.3 Caracterizao das reas restauradas ............................................................13

    3.2 Levantamento do estrato arbreo .............................................................................19

    3.2.1 Composio, estrutura e dinmica................................................................19

    3.2.2 Densidade de copa e plantas herbceas ........................................................21

    3.3 Levantamento da regenerao natural......................................................................22

    4 RESULTADOS E DISCUSSO ..................................................................................23

    4.1 Estrato arbreo..........................................................................................................23

    4.1.1 Composio florstica e diversidade.............................................................23

    4.1.2 Estrutura .......................................................................................................28

    4.1.3 Densidade de copa e plantas herbceas ........................................................33

    4.1.4 Dinmica.......................................................................................................35

    4.2 Regenerao natural .................................................................................................37

    4.2.1 Composio florstica ...................................................................................37

    4.2.2 Estrutura .......................................................................................................39

    4.2.3 Dinmica.......................................................................................................43

    5 CONCLUSES.............................................................................................................45

    6 IMPLICAES PARA A RESTAURAO ..............................................................47

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS .................................................................................49

    ANEXOS..............................................................................................................................62

  • ESTRUTURA E DINMICA DO ESTRATO ARBREO E DA REGENERAO

    NATURAL EM REAS RESTAURADAS

    Autora: FLAVIANA MALUF DE SOUZA

    Orientador: Prof. Dr. JOO LUS FERREIRA BATISTA

    RESUMO

    O objetivo deste estudo foi avaliar a estrutura e a dinmica do estrato arbreo e

    da regenerao natural de florestas formadas a partir de plantios mistos com espcies

    nativas. As reas estudadas situam-se nas margens dos reservatrios das usinas

    hidroeltricas da antiga Companhia Energtica do Estado de So Paulo (CESP) e foram

    plantadas nos anos de 1988, 1989 e 1993, com diferentes modelos de plantio. A

    principal diferena entre os modelos de plantio est na proporo de rvores pioneiras.

    Nas reas plantadas em 1989 e 1993 esta proporo de cerca de 50 %, enquanto que na

    rea plantada em 1988 de aproximadamente 20 %. Para o estudo do estrato arbreo

    (indivduos com circunferncia altura do peito - CAP 15 cm) foram instaladas

    parcelas permanentes de 30 x 30 (900 m2) nas quais foram medidos o CAP, a altura total

    e o ndice de posio da copa no dossel. Para o estudo da regenerao natural, foram

    sorteadas seis sub-parcelas de 1 m de raio (3,14 m2) dentro de cada parcela utilizada no

    levantamento do estrato arbreo. Nestas sub-parcelas, fez-se a contagem, a identificao

    e a medio da altura dos indivduos lenhosos com altura 50 cm e CAP < 15 cm. Foi

    realizado tambm um levantamento da densidade de copa e de plantas herbceas com

    um densitmetro vertical, atravs do qual registrou-se a presena/ausncia de cobertura

    em pontos distribudos dentro de cada parcela de 900 m2. Para o estudo da dinmica,

  • vi

    todos os parmetros foram reavaliados aps um ano. Os ndices de diversidade de

    Shannon (H') e equabilidade (J) encontrados para as reas plantadas em 1988, 1989 e

    1993 foram 3,03/0,84, 2,45/0,71 e 2,18/0,66, respectivamente. A rea basal e a altura

    mdia do estrato arbreo na rea plantada em 1989 foram superiores aos valores

    encontrados na rea plantada em 1988. Os valores de mortalidade e recrutamento esto

    seguindo os rumos da sucesso secundria, com maior mortalidade de espcies pioneiras

    e recrutamento de secundrias iniciais seguido de secundrias tardias e

Search related