PROJETO POLTICO PEDAG“GICO 1. APRESENTA‡ƒO .n³s do col©gio estadual rodrigues alves, ... alcione

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of PROJETO POLTICO PEDAG“GICO 1. APRESENTA‡ƒO .n³s do col©gio estadual...

  • PROJETO POLTICO PEDAGGICO

    1. APRESENTAO

    Ns do Colgio Estadual Rodrigues Alves, temos uma viso de que o

    projeto poltico pedaggico faz parte de um processo de mudana e de

    antecipao do futuro, que estabelece princpios, diretrizes e propostas de aes

    para melhor organizar, sistematizar e significar as atividades desenvolvidas pela

    escola como um todo. Ento sua dimenso poltico-pedaggica caracteriza uma c

    Construo ativa e participativa dos diversos segmentos escolares

    alunos, pais, professores e funcionrios, direo e toda a comunidade escolar.

    Essa participao na construo do projeto vai seguramente levar a escola ao

    sucesso, permitindo que as pessoas ressignifiquem as suas experincias, reflitam

    sobre suas prticas, resgatem, reafirmem e atualizem os seus valores na troca

    com os valores de outras pessoas, explicitem os seus sonhos e utopias,

    demonstrem as suas identidades, estabeleam novas relaes de convivncia e

    indiquem um horizonte de novos caminhos, possibilidades e propostas de ao.

    Todo esse processo pautado numa gesto democrtica, percebendo a vez e a

    voz de cada envolvido no desenrolar educacional dentro da escola.

    Observando o sentido etimolgico, o termo projeto vem do latim projectu

    que significa lanar para adiante. antever um futuro diferente do presente, nas

    palavras de GADOTTI (1994),

    Todo projeto supe rupturas como presente e promessas para o

    futuro, Projetar significa tentar quebrar um estado confortvel para

    arriscar-esse, atravessar um perodo de instabilidade e buscar uma

    nova estabilidade em funo da promessa que cada projeto

    contm de estado melhor do que o presente. Um projeto educativo

    pode ser tomado como promessa frente a determinadas rupturas.

    As promessas tornam visveis os campos de ao possvel,

    comprometendo seus atores e autores.

    Nesse sentido toda a atividade proposta para a elaborao e realimentao

    do presente projeto foi com intuito de estabelecer os trs marcos que definem tal

    documento: O Marco situacional, o Marco conceitual e o Marco operacional. O

    1

  • primeiro estabelece a situao da realidade local inserida num contexto global,

    qual o perfil de pessoas envolvidas no processo educacional desenvolvido na

    escola alunos, professores, funcionrios, direo, equipe pedaggica e pais.

    Qual a viso que cada um desses segmentos tem da escola como um todo e

    quais os problemas e limites a serem superados no decorrer dos anos. J no

    segundo marco pretende-se definir os conceitos de sociedade, de homem, de

    mundo, de escola, de currculo, entre outras, que devemos ter frente ao que foi

    levantado no primeiro marco. E finalmente o ltimo marco que o operacional, ou

    seja, as aes que sero propostas para amenizar as situaes desafiadoras

    apresentadas no marco situacional, definindo-se o que ser e como ser

    realizado, quem ser responsvel por tais aes e um tempo previsto para que

    isso ocorra. Enfim, assim teremos uma viso ampla e ao mesmo tempo detalhada

    de todo o funcionamento do Colgio Rodrigues Alves, seus entraves e conquistas

    no decorrer do processo ensino-aprendizagem ofertado aos alunos que

    frequentam a escola. Para a elaborao do P.P.P. foram realizados encontros,

    discusses, com a comunidade escolar esclarecendo as dvidas sobre cada

    marco do Projeto Poltico Pedaggico. Na seqncia foram entregues um

    levantamento socioeconmico e cultural para os alunos para ser respondido com

    pais ou responsveis para a discusso de dados para o Marco Situacional. Em

    seguida foi realizados um grfico com os dados compilados deste instrumento

    para o Marco Situacional do PPP. Atravs de vrias leituras, podem-se

    estabelecer os conceitos que seriam aplicados realidade do colgio e seus

    alunos definidos ento o Marco Conceitual, enfim com a anlise dos dados do

    Marco Situacional verificou-se os limites a serem superados e as dificuldades

    ainda presentes no cotidiano escolar. Sendo assim, foi elaborado o Marco

    Operacional com as devidas aes a serem implementadas para cada dificuldade

    apresentada. Houve participao e envolvimento por parte da maioria dos

    elementos da comunidade escolar, em todas as aes que se realizaram para

    que o Projeto fosse elaborado. Alguns poucos que no demonstraram interesse,

    notou-se a necessidade de maior envolvimento por parte dos pais, professores

    Direo e Equipe Pedaggica, algo esperado dentro de uma construo coletiva.

    2

  • 2. INTRODUO

    2.1 Identificao

    O Colgio Estadual Rodrigues Alves Ensino Fundamental e Mdio,

    Normal e Profissional, situa-se a Rua do Expedicionrio, n 134 Jaguariava

    Paran, CEP 84.200 000, fone/fax (0 - - 43) 535-1146, pertencente ao Ncleo

    Regional de Ensino de Wenceslau Braz, tendo como dependncia administrativa

    o Governo do Estado do Paran e a entidade mantenedora a Secretaria de

    Estado da Educao.

    2.2 Histrico

    O Colgio Estadual Rodrigues Alves foi criado pela Lei n 6165 de

    maro de 1949, com a denominao de Ginsio Estadual de Jaguariava, na

    administrao do governador Moyss Lupion. Pela Portaria n 925 de 22 de

    setembro de 1949 da seccional de Curitiba, foi autorizado o funcionamento do

    curso de 2 Ciclo, condicionalmente, sendo posteriormente retificado este

    funcionamento pela Portaria 765/01/61 da Diretoria do Ensino Secundrio, que

    alterou a sua denominao para Colgio Estadual Rodrigues Alves.

    Em 27 de fevereiro de 1975, pelo Parecer n 045/75, foi aprovado

    pelo plano de Implantao de Ensino de 1 Grau de Jaguariava. Em 17/02/1978,

    o Parecer n 089/78 aprovou a Implantao do 2 Grau e a partir de 1978 com as

    habilitaes de Magistrio, Contabilidade e Bsico em Sade no Colgio Estadual

    Rodrigues Alves.

    Pelo Decreto n 5576/78 foi autorizado o funcionamento do

    Complexo Escolar Isabel Branco em 28/09/78 onde o Colgio Estadual Rodrigues

    Alves Ensino de 1 e 2 Ciclo, Escola Normal Colegial Paula Gomes e o Grupo

    Escolar Tertuliano Teixeira de Freitas, passaram a constituir-se em um nico

    estabelecimento sob a denominao de COLGIO ESTADUAL RODRIGUES

    ALVES - ENSINO DE 1 E 2 GRAUS.

    Em maio de 1997 com a municipalizao do Ensino de 1 a 4

    sries, esse nvel de ensino deixou de ser ministrado no Colgio Estadual

    Rodrigues Alves, atravs da resoluo n 1687/97, permanecendo o ensino de 5

    3

  • a 8 sries e de 2 grau.

    Com a implantao do PROEM, com bases no Projeto de Lei n

    560/96 e da nova Lei de Diretrizes e Bases da Educao, LEI n 9394/96, os

    cursos tcnicos profissionalizantes foram gradativamente extintos, passando a

    funcionar o ensino fundamental e o mdio.

    Atravs da Resoluo n 3492/98, o CERA passou a denominar-se

    COLGIO ESTADUAL RODRIGUES ALVES ENSINO FUNDAMENTAL E

    MDIO.

    Em abril de 1999, ao comemorar o JUBILEU DE OURO de sua

    fundao, o COLGIO ESTADUAL RODRIGUES ALVES ENSINO

    FUNDAMENTAL E MDIO inaugurou, com a presena de autoridades e da

    comunidade jaguariaivense, atravs de recursos viabilizados pela FUNDEPAR e

    PROEM, um anexo composto das instalaes da nova Biblioteca, agora aberta a

    toda a comunidade, Laboratrio de Informtica e Portal de entrada.

    Em 2001, passou a funcionar o Curso Ps Mdio, modular, Tcnico

    em Gesto Empreendedora e o estabelecimento passou a denominar-se

    COLGIO ESTADUAL RODRIGUES ALVES ENSINO FUNDAMENTAL,

    MDIO E PROFISSIONAL.

    Em 2004, a Secretaria de Estado da Educao, atravs do Decreto n

    autorizou o funcionamento do Curso de Formao de Docentes da Educao

    Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental, nova nomenclatura para o

    antigo curso do Magistrio.

    Em 2005, pela Resoluo n 596/06, autorizou-se o funcionamento

    do Curso Tcnico em Administrao, extinguindo-se o Ps Mdio em Gesto

    Empreendedora.

    Em 2006, com a resoluo n 138/06, autorizou-se o funcionamento

    do Curso de Formao de Docentes da Educao Infantil e dos Anos Iniciais do

    Ensino Fundamental, na Modalidade Normal, a Nvel Mdio.

    4

  • 2.3 Organizao do espao fsico:

    No piso superior temos:

    AMBIENTE QUANTIDADESALAS DE AULA 06SALA DA DIREO 01SALA DE PROFESSORES 01SALA DE HORA ATIVIDADE 01ALMOXARIFADO 01SALA DE EQUIPE 01SALA COORDENAO FORMAO DE DOCENTES 01SALA DE VDEO 01BANHEIROS 03

    Piso inferior:

    AMBIENTE QUANTIDADESALAS DE AULA 06CANTINA 01CANTINA COMERCIAL 01SALA DE EDUCAO FSICA 01SALA DE RECURSO 01SALO NOBRE 01SALA DOCUMENTAO 01SALA COORDENAO TCNICO EM ADMINISTRAO 01BANHEIROS 04QUADRA 01

    Anexos:

    AMBIENTE QUANTIDADESALAS DE AULA 02SALADE RECURSOS 01 DEPSITO DE MERENDA 01SALA ESTGIO 01SALA DE APOIO 01SECRETARIA 01BIBLIOTECA 01LABORATRIO DE CINCIAS 01LABORATORIO DE INFORMTICA 02QUADRA COBERTA 01QUADRA DE AREIA 01VESTIRIOS 02ARQUIVO MORTO 01

    2.4 Quadro de pessoal

    5

  • NOME FUNO

    ADRIANE PRESTES DA SILVA FANHA PROFESSORA

    ALCIONE SOUZA SANTOS PROFESSORA

    ALINE LOUIZE OLIVEIRA COSTA E SILVA PROFESSORA

    ADILAINE DE ASSIS FERREIRA PROFESSORA

    AMARILDO DA SILVA MELLO PROFESSOR

    ANA CAROLINA BLUM PROFESSORA

    ANDREA AMORIM PROFESSORA

    ARIANE LOYOLA PROFESSORA

    ANA ROSA PEREIRA DA SILVA AUX. DE SERV.GERAIS

    ANGELA TEREZA MENDES PROFESSORA