PNAC - Ano 01 unidade 6

  • Published on
    14-Jul-2015

  • View
    11.778

  • Download
    1

Transcript

  • PLANEJANDO A ALFABETIZAO;INTEGRANDO DIFERENTES REASDO CONHECIMENTOPROJETOS DIDTICOS E SEQUNCIASDIDTICA

    Ano 01Unidade 06

  • Iniciando a conversa...Nosso propsito:

    Refletir sobre formas de organizao do trabalho pedaggico, especialmente sobre os projetos didticos na alfabetizao.

    Foco:os dilogos entre os diferentes componentes curriculares, visando a integrao entre os mesmos, bem como o papel dos diferentes eixos de ensino da lngua na apropriao de conhecimentos relacionados s diferentes reas do saber.

  • OBJETIVOS compreender a concepo de alfabetizao na perspectiva do letramento, a partir do aprofundamento de estudos baseados nas obras pedaggicas do PNBE do Professor e outros textos publicados pelo MEC;aprofundar a compreenso sobre o currculo nos anos iniciais do Ensino Fundamental e sobre os direitos de aprendizagem e desenvolvimento nas diferentes reas de conhecimento;analisar e planejar projetos didticos e sequncias didticas para turmas de alfabetizao, assim como prever atividades permanentes integrando diferentes componentes curriculares e atividades voltadas para o desenvolvimento da oralidade, leitura e escrita;conhecer os recursos didticos distribudos pelo Ministrio da Educao e planejar projetos e sequncias didticas em que tais materiais sejam usados;compreender a importncia da avaliao no ciclo de alfabetizao.

  • Finalidade maior das iniciativas do MECRelaes entre apropriao do Sistema de Escrita Alfabtica e letramento nas diferentes reas do ConhecimentoIvane Pedrosa de Souza

  • RELEVNCIA E PRIORIDADECom a implantao do Ensino Fundamental de nove anos, tais discusses acerca das Diretrizes Curriculares Nacionais se reascendem e

    ASSUMEM

  • Um olhar sobre a escola

  • O QUE ?PARA QUE SERVE? A QUEM SE DESTINA?

    COMO SE CONSTRI?

    COMO SE IMPLEMENTA?

    DISCUSSO: CURRCULO

  • Documento: Indagaes sobre o currculo[...]os currculos no so contedos prontos a serem passados aos alunos. So uma construo e seleo de conhecimentos e prticas produzidas em contextos concretos e em dinmicas sociais, polticas e culturais, intelectuais e pedaggicas. Conhecimentos e prticas expostos s novas dinmicas e reinterpretadas em cada contexto histrico. As indagaes revelam que h entendimento de que os currculos so orientados pela dinmica da Sociedade. Cabe ns, como profissionais da Educao, encontrar respostas. (LIMA, 2007, p.9)

  • CURRCULO E DESENVOLVIMENTO HUMANOO EDUCADOR NECESSITA ADEQUAR A PRTICA PEDAGGICA S POSSIBILIDADES DE DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM DOS EDUCANDOS.

    [...] A escola um espao de ampliao da experincia humana, devendo, para tanto, no se limitar s experincias cotidianas da criana e trazendo, necessariamente Conhecimentos novos, metodologias e reas de conhecimento contemporneas. (p.19)

  • Nem toda proposta ou inteno em sala de aula promovem aprendizagem.

  • QUAL O DESAFIO QUANTO LEITURA E ESCRITA?

  • SABERES COMO OBJETOS DE ENSINO...em relao ao projeto curricular, que o mesmo se constitua num documento cuja proposta deixe claro para a escola o seu papel no sentido de contribuir para que os objetos de ensino-aprendizagem sejam os mais fiis possveis forma como funcionam socialmente fora da escola.

  • QUAIS PONTOS PRECISAMOS REFLETIR? Segundo Lerner (2002), o objeto de ensino, ao ser apresentado, deve ser fiel ao saber ou prtica social que se pretende comunicar, devendo-se partir do pressuposto de que o aprendiz se Constitui num participante ativo e capaz de atribuir ao saber uma pauta, um sentido pessoal.

  • Para Chevallard (1997), alguns pontos precisam ser refletidos quando necessrio decidir sobre quais so os contedos que devem ser ensinados, quais devem ser priorizados.

    Reconstruo do objeto implicando na passagem de saberes cientificamente produzidos ou de prticas socialmente realizadas para os objetos ou prticas a ensinar

  • Ao selecionar contedos a serem ensinados imprescindvel uma vigilncia para que seja evitado um distanciamento entre o objeto de ensino e o objeto social de referncia, bem como pensar-se numa hierarquizao, o que deve ser considerado prioritrio ou enfatizado no mbito do objeto de ensino.

  • Prticas sociais de leitura eescrita Quando o foco de ensino a leitura e a escrita, tomando-se por base que a educao obrigatria formar cidados da cultura escrita, faz-se necessrio propiciar condies para que as crianas tornem-se leitoras e capazes de produzir textos.Discusso: Definir o objeto de ensino Referncia

  • Qual o foco do trabalho pedaggico do professor?

  • Considerando-se essas novas perspectivas na rea do ensino, bem como a incluso da criana de seis anos no Ensino fundamental de nove anos?Que desafios ele encontra, atualmente, em sua atividade de planejamento da prtica pedaggica a partir dos pressupostos hoje enfatizados e que devem nortear a sua prtica?Que viso de criana e que compreenso acerca de como ela adquire conhecimentos e percebe omundo, o motiva e influencia na escolha de contedos, integrao entre os mesmos e metodologias/estratgias de ensino a serem adotadas?

  • ARTICULAO ORIGINADA DE REAIS NECESSIDADES

    TOMADA DE CONSCINCIA

    COMPREENSO ACERCA DA NATUREZA E COMPLEXIDADE DAS INTERAES DAS QUAIS O ALUNO PARTICIPA DENTRO E FORA DA ESCOLA

    DESAFIO DO DOCENTE

    PARAMETROS CONDIZENTES

    NOVA REALIDADE

    EM BUSCA

    ARTICULAO

    DIVERSAS REAS DO CONHECIMENTO

    EM CONSONNCIA

    ROTINA PEDAGGICAQUE CONTEMPLE DIFERENTES EIXOS DO COMPONENTE CURRICULAR LNGUA PORTUGUESA

  • importante articular o que as crianas sabem em relao s diferentes reas do currculo (Cincias Sociais, Cincias Naturais, Noes Lgico-Matemticas e Linguagens) e isto leva, segundo Corsino (2007), a uma organizao pedaggica que deve ser flexvel, aberta ao novo e ao imprevisvel.

  • O desafio do alfabetizar letrando est postoPensar temas e contedos, definir metodologias relacionadas s diversas reas do conhecimento, articulando-as e pondo em destaque o papel dos diversos eixos da lngua: anlise lingustica, oralidade, leitura e escrita, numa perspectiva de letramento, constituem-se, ento, num grande desafio ao professor.

  • IMPORTANTE...Segundo Soares (2003), alfabetizao eletramento so processos distintos, de natureza essencialmente diferente, mas so interdependentes e indissociveis: os dois processos podem e devem ocorrer simultaneamente.

    Que as crianas participem de experincias variadas envolvendo a leitura e a escrita, por meio da Diversidade de gneros textuais e que paralelamente desenvolvam as capacidades exigidas para uma compreenso e apropriao do SEA.

  • Organizao do trabalho pedaggicopor projetos didticos Maria Helena Santos DubeuxRosinalda Teles

  • Conceituando Projeto... [...] conjuntos de atividades que trabalham com conhecimentos especficos, construdos a partir de um dos eixos de trabalho que se organizam ao redor de um problema para resolver um produto final que se quer obter. (p. 57, v. 1) Referencial Curricular para Educao Infantil (1998)

  • O que visa um projeto? Levar a criana a ser protagonista, investigadora, capaz de descobrir significados de novas relaes e de perceber os poderes dos seus pensamentos por meio da sntese de diversas linguagens, expressivas, comunicativas e cognitivas.

  • Os projetos de um modo geral...aprofundam contedos de estudo que comeam com uma ideia e so desenvolvidos durante um perodo, envolvendo situaes concretas que levam a reflexes resultantes destas.considera-se que um bom projeto aquele que possibilita s crianas interagirem entre elas, discutindo, decidindo, dialogando, resolvendo conflitos e estabelecendo regras e metas.

  • Selva e Coutinho(2006):Independentemente da(s) reas de conhecimento que venha(m) a ser prioritariamente enfocadas(s) no projeto (Cincias Naturais, Artes, Histria, Lngua Portuguesa, etc.), a leitura de textos de diferentes gneros est frequentemente presente em projetos didticos de qualquer natureza. (p. 117)

  • Planejamento e Prticaessa modalidade de organizao do trabalho pedaggico prev um produto final, com objetivos claros, dimensionamento no tempo, diviso de tarefas e, por fim, a avaliao final em funo do que se pretendia. Tudo isso feito de forma compartilhada e com cada estudante tendo autonomia pessoal e responsabilidade coletiva para o desenvolvimento do projeto. (p. 119)

  • Projeto:Os nomes e perfis de animais de estimaoOs alunos fizeram comentrios sobre os animais de que mais gostavam e aproveitando essa mobilizao o professor discutiu a ideia de se fazer um trabalho sobre animais de estimao e produzir poemas sobre esses animais. As crianas participaram do trabalho em todas as suas etapas, opinando e avaliando continuamente.

  • Contedos das aulas - os direitos de aprendizagem Lngua PortuguesaAps as leituras, o professor refletiu sobre os elementos textuais, como ttulo e autoria e sobre os contedos de ambos os textos, sendo os alunos indagados se conheciam e como eram os respectivos animais. A partir de figuras da zebra e do gato, os alunos foram elencando as caractersticas dos animais, distinguindo o que peculiar entre aqueles que vivem nas casas.

  • Aula 1:Eixo da leitura - Direito de aprendizagemAo final, foi organizado um quadro contendo as informaes fornecidas pelos alunos sobre seus animais de estimao:Concluda essa atividade, o professor solicitou como tarefa de casa que os alunos:perguntassem aos seus pais ou demais parentes se eles j criaram animais de estimao e quais eram esses animais;

    b) pedissem para um adulto relatar uma histria envolvendo um animal de estimao.

  • AULA 2O conjunto das informaes sobre os trs animais foram elencadas numa tabela:Nessa segunda aula, a partir da tarefa de casa, os contedos das discusses foram ampliados e relacionados com novas fontes de informaes.

  • AULA 3Retomada dos nomes dos animais trabalhados na aula anterior, sendo realizada a votao do nome de um animal como sugesto para a criao coletiva de um poema:O gato foi relido para que os alunos identificassem as rimas. Depois, as palavras com rimas foram anotadas no quadro, como: seguro e muro, opinio e cho etc.

  • AULA 4:O Cachorro TobiLeituraAnlise da disposio dos versos no cartaz,chamando ateno para o ttulo e autoria do texto;DITADO DE PALAVRAS QUE RIMAMESCRITA DE PALAVRAS NO QUADROContagem das letras e slabasrimas das palavras e solicitado que os alunos dissessem outras palavras que rimassem

  • Aula 5:Grficos - Material dourado

  • Aula 6:Construo de tabelas

  • OBSERVAMOS...uso da habilidade de compreenso de textos escritos de um gnero especfico textos cientficos lidos pelo professor para atender ao propsito comunicativo de organizao de informaes a serem compartilhadas na escola.

  • Aula 7:Produo coletiva de um poema sobre um dos animais tratadosna aula anterior, iniciada com uma votao para escolha do animal, nome e ttulo.Anlise fonolgica, com contagem de letras e slabas, comparao do nmero de letras e slabas entre as palavras e semelhanas de sons finais.

  • Aula 8Foram retomadas informaes das tabelas e grficos construdos em aulas anteriores(2, 5 e 6), expostos na parede da sala. Discutidos esses contedos, foram produzidos poemas, em duplas. Cada dupla escreveu sobre seu animal de estimao.

    Durante a produo dos poemas o professor orientou os alunos sobre o contedo que poderiam tratar nos textos, bem como tirou dvidas sobre a escrita de determinada palavra.

    Reviso auxiliada pelo professor

  • Aula 9:Prazer e adequaoAs crianas complementaram o trabalho de poemas produzidos na aula anterior, assinando e ilustrando com desenhos representativos.Cada produo ficou composta por 3 folhas, uma do poema e duas com as ilustraes, uma de cada elemento da dupla.

  • CULMINNCIA DO PROJETOForam lidos os dados das tabelas e grficos, contendo: a) os animais de estimao levantados (cachorro, cavalo, gato e rato); b) os nomes dados aos animais; c) o perfil dos animais, considerando-se caractersticas fsicas, tipo de alimentao e cuidados

    o projeto integrou diferentes Componentes curriculares, tendo como foco um produto final claro (exposio sobre animais de estimao). Como qualquer bom trabalho em sala de aula, pode inspirar novas experincias, tais como as indicadas no pargrafo anterior.

  • Organizao do trabalho pedaggicopor sequncias didticasUma diferena bsica entre o projeto didtico e a sequncia didtica que no projeto didtico o planejamento, monitoramento e avaliao de todo o processo se d de forma compartilhada, ou seja, as crianas participam da organizao geral do trabalho de modo mais direto.

  • A estrutura de base de uma sequncia didtica obedece a um esquema em que so distintos os seguintes componentes de forma sequenciada: apresentao da situao; produo inicial; mdulo 1, mdulo 2, mdulo n; produo final.

  • Trs questes no encaminhamento do trabalho:

  • CONHECENDO AVESApresentao da capa do livroAutor da obra, explorando a partir do ttulo e da ilustraoRoda de leitura

    Questionamentos:Quem conhece alguma ave aqui citada? Quem conhece outras aves que no esto no livro? Qual a ave que voc mais gostou? Por qu? Vocs gostariam de saber mais sobre estas aves? Que coisas vocs gostariam de aprender sobre elas?

  • Curiosidades...

  • O interessante, durante essa sequncia didtica, foram as reflexes dos alunos sobre os conhecimentos adquiridos.

    Eles realmente gostaram e houve vrios questionamentos, como: A galinha uma ave, mas no voa, voa?

    A ema to grande, mas no sabe voar! O urubu s se alimenta de coisas nojentas. Por que tem aves que voam e aves que no voam?

    Por que a coruja fica acordada durante a noite? Se papagaio fala, por que a arara no fala? Como que o tucano come com um bico to grande?

  • Consideraes...A motivao das crianas e o nvel de envolvimento das mesmas, no conjunto das atividades realizadas com uma integrao entre os diferentes eixos da lngua, contriburam para a forma significativa como a aprendizagem ocorreu.