Oxi acetileno

  • View
    38

  • Download
    5

Embed Size (px)

Text of Oxi acetileno

  1. 1. OXI-ACETILENICA 1
  2. 2. COMPONENTES 1-Bicos 2-Caneta 3-Mangueiras de alta presso; 4- Reguladores de presso; 5- Cilindros reservatrios de oxignio e acetileno. 6- culos, luvas, ect. (acessrios de segurana) 2
  3. 3. 3
  4. 4. 4
  5. 5. 5 (1)EspecificaodoCilindro:DOT 3AA2265 DOT:DepartmentofTransportation; 3AA:Tipodomaterialdocilindro;2265: pressodetrabalhoempsi; (2)Nmerodesriedocilindro; (3)Smboloderegistrodo proprietrio; (4)Datadefabricao(tambm denominadoprimeiradatadeteste hidrosttico); (5)IdentificaodoProprietrio; (6)Datadevalidadedoteste hidrostticoNota:estadatasignificaque ocilindronopodeserENCHIDOapsestadata.Autilizaoestliberada. (7)Etiquetasdeidentificaodocilindro; (8)Marcadeidentificaodaempresaqueinspecionouocilindro.
  6. 6. 6
  7. 7. 1 = Cilindro de Oxignio, 2 = Vlvulas de Segurana Anti-retrocesso de Chama para Regulador, 3 = Cilindro de Acetileno, 4 = Reguladores de Presso com Manmetros, 5 = Engates Rpidos das Mangueiras de Acetileno e de Oxignio, 6 = Mangueiras com Terminais de Conexo, 7 = Vlvulas de Segurana Anti-retrocesso da Chama para Punho, 8 = Vlvulas de Controle Manual da Chama, 9 = Punho com Misturador de Gases, 10 = Bico 7
  8. 8. REGULADORES DE PRESSO Um regulador de presso um dispositivo mecnico para manter automaticamente uma presso reduzida. Compem-se de cinco elementos principais, a saber: a) Um parafuso de ajuste da mola do diafragma de controle da presso. b) Uma mola que transmite a presso do parafuso. c) Um diafragma da vlvula reguladora. d) Uma vlvula com a sede e o respectivo disco. e) Dois manmetros que indicam, respectivamente, a presso do cilindro e de servio. 8
  9. 9. A operao do regulador feita apertando o parafuso de ajuste at obter-se a presso desejada, que ento mantida, no importando o volume de gs existente no cilindro respectivo. A leitura das presses feita nos respectivos manmetros, um indicando a presso do gs existente no cilindro e outro a presso do gs fornecido ao maarico. Para uma operao perfeita e para melhor conservao dos reguladores deve-se seguir duas regras principais: a) Desapertar completamente o parafuso de regulagem de presso antes de abrir a vlvula de descarga sbita e violenta possa prejudicar o delicado mecanismo da vlvula. b) Nunca usar leo ou graxa em nenhuma junta do equipamento de soldagem. 9
  10. 10. REGULAGEM DA CHAMA REGULAGEM BSICA: Deve-se abrir 1 a chave (1/4 de volta) do acetileno, logo abrimos divagar o acetileno (1/4 de volta), de maneira que a chama tenha 2 (duas) partes distintas: um cone branco brilhante, interno e uma zona envoltria exterior azul- violcea. A chama com excesso de acetileno apresentar 3 (trs) zonas, inserindo um cone intermedirio de cor esbranquiada. A chama com excesso de oxignio apresenta 2 (duas) zonas, mas diferentes porque o cone interno menor, afunilado, adquire uma tonalidade menos brilhante, fazendo um rudo caracterstico. 10
  11. 11. 11
  12. 12. 12 La zona A, e a caneta de onde saem os gases mesclados a uma certa velocidade, para ser queimados na sada. La zona B, a sada da caneta, em forma de cone de cor azul, chama base e aonde a mescla dos gases so esquentados at a temperatura de inflamao. La zona C, e uma zona muito fina aonde a temperatura aumenta bruscamente. Na zona D, e aonde os gases alcanam sua mxima temperatura, sendo esta zona a que se utiliza para a fuso dos metis na soldadura. La zona E, e a que determina a qualidade da chama, esta zona nos dir si a chama e redutora, oxidante o carburante. La zona F, e a zona que prolonga as zonas anteriores, e seu nome e penacho.
  13. 13. EQUIPAMENTOS DE SEGURANA Use culos de proteo apropriados contra fagulhas, escria e brilho da chama, durante todo o tempo; use luvas, mangotes, aventais e perneiras de proteo; conserve toda a roupa e equipamento de proteo individual livres de leo ou graxa. 13
  14. 14. PROCESSO DE CORTE O oxicorte um dos processos de corte que se fundamenta na eroso do material por meio da ao do calor (eroso trmica). Neste processo, a eroso trmica que vai promovendo o corte, surge de uma reao do oxignio com o metal a alta temperatura. 14
  15. 15. ETAPAS NO CORTE Para a realizao do corte, o metal deve ser aquecido at uma temperatura chamada temperatura de ignio. Em seguida, o metal exposto a um jato de oxignio puro que causa sua oxidao. Esta reao do oxignio com o metal produz uma quantidade de calor suficiente para fundir o xido formado, que arrastado pelo oxignio, promovendo assim a separao do material. 15
  16. 16. Para evitar acidentes e risco de incndio Nunca use leo ou graxa prximo aos equipamentos de oxignio; Conserve a chama ou fagulha longe dos cilindros e mangueiras; Mantenha materiais combustveis a uma distncia segura das reas em que esteja sendo executado o corte (distncia mnima: 10 m); Mantenha extintor de incndio na rea de trabalho, verificando sempre suas condies de uso; Mantenha a chave na vlvula do cilindro, para o caso de precisar ser fecha- do rapidamente; Nunca teste vazamentos de gs com uma chama. Use lquido apropriado para isso, ou mesmo, gua com sabo; terminado o trabalho, inspecione a rea quanto a possveis focos de incndio; Feche as vlvulas de todos os cilindros 16
  17. 17. Equipamentos do Processo de Corte 17
  18. 18. Acessrios para corte manual 18