of 39/39
1 O Uso do Pretérito Perfeito e Imperfeito por Aprendentes de Português Língua Segunda Paulo Osório 1 Doutor em Linguística Portuguesa Professor Auxiliar da Universidade da Beira Interior Fátima Fradique Mestre em Letras O presente texto, para além de equacionar epistemologicamente o conceito de Português Língua Segunda (por oposição ao de Português Língua Materna e de Língua Estrangeira), pretende ainda: (i) analisar os valores do Pretérito Perfeito e Imperfeito; (ii) avaliar os usos, por aprendentes de Português Língua Segunda, do Pretérito Perfeito e Imperfeito; (iii) diagnosticar, através de trabalho de campo, as principais dificuldades reveladas por este tipo de falantes. Pelo facto de se tornar útil, nesta investigação, o esclarecimento dos diferentes contornos que a designação “PL2” pode assumir, aliás nem sempre consensuais na comunidade científica, optámos por fazer preceder ao ponto 1. do trabalho, um outro item (ponto 0.), a fim de esclarecermos, de forma mais esclarecedora, o campo de análise que integra esta investigação. O uso do Pretérito é um dos campos gramaticais reveladores de inúmeras dificuldades sentidas por um público desta natureza. 1 [email protected]; tlm: 919731253. Os autores concedem autorização para publicar o seu trabalho na revista Linguanet, mantendo-se seu o copyright.

O uso do pretérito perfeito e imperfeito por aprendentes de

  • View
    220

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of O uso do pretérito perfeito e imperfeito por aprendentes de

  • 1

    O Uso do Pretrito Perfeito e Imperfeito por Aprendentes de Portugus Lngua

    Segunda

    Paulo Osrio1

    Doutor em Lingustica Portuguesa

    Professor Auxiliar da Universidade da Beira Interior

    Ftima Fradique

    Mestre em Letras

    O presente texto, para alm de equacionar epistemologicamente o conceito de

    Portugus Lngua Segunda (por oposio ao de Portugus Lngua Materna e de Lngua

    Estrangeira), pretende ainda: (i) analisar os valores do Pretrito Perfeito e Imperfeito;

    (ii) avaliar os usos, por aprendentes de Portugus Lngua Segunda, do Pretrito Perfeito

    e Imperfeito; (iii) diagnosticar, atravs de trabalho de campo, as principais dificuldades

    reveladas por este tipo de falantes.

    Pelo facto de se tornar til, nesta investigao, o esclarecimento dos diferentes

    contornos que a designao PL2 pode assumir, alis nem sempre consensuais na

    comunidade cientfica, optmos por fazer preceder ao ponto 1. do trabalho, um outro

    item (ponto 0.), a fim de esclarecermos, de forma mais esclarecedora, o campo de

    anlise que integra esta investigao. O uso do Pretrito um dos campos gramaticais

    reveladores de inmeras dificuldades sentidas por um pblico desta natureza.

    1 [email protected]; tlm: 919731253. Os autores concedem autorizao para publicar o seu trabalho na revista Linguanet, mantendo-se seu o copyright.

  • 2

    0. Breve Introduo ao Conceito de Lngua Segunda

    Langue seconde est la langue dont lusage est acquis une tape de la vie ultrieure lapprentissage de la langue premire, maternelle.

    Dubois et alii (1994: 417)

    Os conceitos de Lngua Segunda (L2) e de Lngua Estrangeira (LE), muitas das

    vezes, so objecto de algumas confuses conceptuais, apresentando, todavia, diferenas

    significativas entre si. An (1999) define L2 como uma lngua de natureza no materna

    (sendo aqui que se aproxima de LE), mas com um estatuto particular que a distancia da

    LE. O estatuto de que dispe , basicamente, o reconhecimento enquanto lngua oficial

    em pases bilingues ou plurilingues, onde as Lnguas Maternas ainda no esto

    completamente definidas ou ser uma das lnguas oficiais em pases multilingues. , sem

    dvida, ao nvel do seu estatuto que L2 e LE se separam: L2 a lngua oficial e escolar

    e LE reside no espao de sala de aula, sendo, deste modo, objecto de instruo formal.

    No entanto, h outros aspectos a ter em considerao, como o contexto de imerso

    lingustica e as motivaes e finalidades de aprendizagem de cada uma das lnguas.

    Com o objectivo de delimitar estes dois conceitos, Ellis (1994) apresenta dois

    parmetros para os distinguir: um de carcter cronolgico, que assenta em critrios

    psicolingusticos, relacionado com a ordem pela qual a lngua adquirida, sendo a L2

    adquirida em segundo lugar (aps a Materna); e, outro, de carcter institucional,

    baseado em critrios sociolingusticos, relacionado, assim, com as funes sociais que a

    lngua possui no interior de um pas. Baquer (1998) atribui L2 um carcter

    institucional (reconhecimento como lngua oficial por um pas ou Estado), scio-

    cultural (lngua socialmente aceite) e tcnico (tem um estatuto, funes e critrios

    sociolgicos prprios). So quatro as funes atribudas pelo autor L2: uma funo

    verncula (utilizao da lngua como primeira lngua), uma funo veicular (utilizao

    da lngua como meio de comunicao do quotidiano), uma funo nacionalizadora

    (utilizao como lngua de unificao territorial por um determinado pas ou Estado) e

    uma funo mtica (parte simblica da lngua, por ser utilizada na sua forma oral e

    escrita como meio de acesso a todo o tipo de informao, sendo, ainda, factor

    condicionante de progresso da comunidade). So, igualmente, quatro os critrios

    sociolgicos atribudos pelo autor L2: o modo de aquisio (familiar e/ou escolar), o

    grau de mestria (frequncia de utilizao e variedade dos registos, nveis de lngua

  • 3

    utilizados), valor simblico (identificao com a lngua na perspectiva do falante) e o

    contexto (regularidade ou intensidade da imerso lingustica).

    Ellis (1994) afasta-se de An (1999) ao considerar que L2 qualquer lngua

    adquirida depois da Lngua Materna, podendo ser entendida como L2 uma segunda,

    terceira ou quarta lnguas adquiridas (podendo essa lngua ser falada no pas do falante

    ou, simplesmente, aprendida na escola). Segundo o autor, L2 designa apenas o meio

    pelo qual se aprende uma outra lngua que no a Materna, seja dentro ou fora da Escola.

    Opinio semelhante tem Richards (1987, citado por Leiria, 1999), quando refere que L2

    um termo cada vez mais utilizado em Lingustica Aplicada para designar a

    aprendizagem de qualquer lngua depois da primeira adquirida, independentemente do

    estatuto dessa lngua em relao ao aprendente ou ao pas onde ensinada.

    An (1999) refere o estatuto da lngua como um elemento distintivo entre L2 e

    LE. No entanto, apresenta outros factores que contribuem para esse distanciamento, tais

    como a imerso lingustica, o contexto, motivaes diversas e finalidades de

    aprendizagem da lngua, estreitando o espao entre L2 e Lngua Materna. A aquisio

    de uma L2 processa-se de forma natural, porque o falante est inserido em contexto de

    imerso lingustica.

    Stern (1983, citado por Leiria, 1999: 1) salienta que o termo LS classifica a

    aprendizagem e o uso de uma lngua no-nativa dentro de fronteiras territoriais em que

    ela tem uma funo reconhecida. L2 , com frequncia, uma lngua oficial, necessria

    para a participao do indivduo na vida poltica e econmica do Estado. , tambm,

    normalmente, a lngua ou uma das lnguas da escola. Crystal (1997), semelhana de

    Stern, refere que L2 uma lngua no nativa, sendo usada para fins de comunicao,

    como por exemplo, pelo governo ou na escola.

    J Bussman (1996) define L2 como aquela que reconhecida num pas ou num

    Estado e que usada apenas por um grupo de falantes, como o catalo, o basco e o

    galego em Espanha. Por seu lado, Klein (1989) define L2 como a que, tal como a

    Lngua Materna, utilizada como meio de comunicao e adquirida no meio em que

    falada. No entanto, Leiria (2005) associa L2 a uma Lngua No Materna dentro dos

    limites territoriais em que ela no tem funo reconhecida, como o caso de algumas

    lnguas oficiais em frica.

  • 4

    1. O Pretrito: Breves Consideraes Tericas

    O Pretrito Imperfeito do Indicativo expressa o passado inacabado, um processo

    anterior ao momento em que se fala, mas que se prolongou, ou ainda, se prolonga num

    facto habitual. Por isso, chama-se a este tempo verbal de Pretrito Imperfeito, pois no

    se refere a um tempo situado perfeitamente num contexto de passado. Emprega-se o

    Pretrito Imperfeito do Indicativo para assinalar um facto passado contnuo, permanente

    ou habitual, ou casual (costumar+infinitivo); um facto passado, mas de incerta

    localizao no tempo (situar vagamente no tempo, contos e fbulas - Era uma vez);

    um facto presente em relao a outro passado, indicando a simultaneidade de ambos os

    factos (estar a+infinitivo). O Pretrito Imperfeito pode usar-se, tambm, para exprimir

    delicadeza e atenuar um pedido, em vez do Presente do Indicativo (Queria um ch, por

    favor); e em vez do modo condicional (Futuro do Pretrito), para exprimir um facto que

    seria consequncia de outro, mas que no se verificou (Se ela tivesse dinheiro,

    comprava um carro).

    Para referir duas aces de realizao diferente, uma pontual e outra de realizao

    prolongada, mas ambas passadas, habitual usar-se estar a+infinitivo ou o verbo

    principal na aco prolongada (para reforar essa aco) e o Pretrito Perfeito Simples

    na aco pontual. Entre estas duas aces usa-se quando para marcar a entrada da

    pontualidade (Eu estava a fazer limpeza quando ca. / Eu fazia limpeza quando ca.).

    Esta estrutura usada para marcar a diferena entre o passado de realizao prolongada

    e o passado pontual: () ca (aco pontual) acontece depois de Eu estava a fazer

    limpeza (aco de realizao prolongada, que estava a acontecer e no acabou). Para

    referir aces simultneas no passado usa-se, tambm, enquanto para ligar duas ou mais

    oraes: Enquanto ela fazia limpeza o marido fez o jantar e ps a mesa. Neste caso,

    durante o perodo em que Ela fazia limpeza (aco de realizao prolongada), o marido

    realizou duas aces pontuais fez o jantar e ps a mesa. Estas aces aconteceram todas

    ao mesmo tempo, mas umas so pontuais e a outra uma aco de realizao mais

    prolongada.

    Para exprimir o passado durativo (aspecto durativo) usam-se formas adverbiais de

    tempo como antigamente, dantes, antes, noutros tempos para marcar o passado

  • 5

    longnquo (Antigamente, as pessoas lavavam a roupa mo.). Nesta frase, a narrao

    de acontecimentos que se realizaram no passado ope-se realidade no presente.

    Para referir o passado com frequncia habitual (aspecto frequentativo) usam-se

    formas adverbiais de tempo como sempre, nunca, todos os dias, todas as semanas,

    frequentemente, que marcam a frequncia das aces no passado (Quando era mais

    jovem, lia todos os dias.).

    O Pretrito Perfeito Simples indica um facto j ocorrido, concludo. Da o nome de

    pretrito (do latim praeteritum passado, que j no existe) perfeito (do latim

    perfectum terminado, acabado, concludo), referindo-se a um facto que se situa

    perfeitamente no passado (aspecto perfectivo). Assim, este tempo verbal traduz um acto

    anterior ao momento presente, um facto passado pontual e no habitual, indicando uma

    aco definida no tempo, consumada por completo e de carcter momentneo. um

    pretrito absoluto, sem continuao no presente. Exprime, sobretudo, a consequncia

    presente da aco.

    Emprega-se o Pretrito Perfeito do Indicativo para assinalar um facto j ocorrido ou

    concludo, antes do momento do acto de fala (Acabei de ler o livro.). Este tempo verbal

    acompanhado por alguns adverbiais de tempo como ontem, anteontem, na semana

    passada, h uma semana, h quinze dias, h duas semanas, no ano passado, h um ano,

    no ms passado, h um ms, entre outros. O valor transmitido pelo Pretrito Perfeito

    Simples pode ser alterado pela associao de adverbiais de tempo, como ainda no

    (Ainda no comi.). Neste caso, a aco ainda no se realizou, mas h uma inteno de

    realizao futura. O Pretrito Perfeito Simples do Indicativo pode, ainda, referir um

    facto passado imediatamente antes (ou a seguir) de outro tambm passado, empregando-

    se com oraes temporais introduzidas por logo que, mal, ou expresses sinnimas.

    Comrie e Langacker (1976, 1987, citados por Jacinto, 2007) referem que o Pretrito

    Perfeito Composto, denominado por Barbosa (1821) de presente perfeito relativo e

    por Constncio (1832) e Silva Dias (1905) de pretrito indefinido uma construo

    prpria do Portugus cuja especificidade ser imperfectiva. , segundo Santos (1991,

    citada por Jacinto, 2007), uma espcie de passado at ao (momento) presente, que

    constitui um processo em curso, denotando uma sucesso de momentos repetidos, cuja

    continuidade pode ou no realizar-se, visto que no h um limite definido que indique o

    termo da aco.

  • 6

    Na mesma linha de pensamento, Oliveira (2003, citada por Jacinto, 2007) refere que

    este tempo no marca perfectividade mas uma durao2, que, sem dvida, se inicia no

    passado, mas se estende at ao momento presente, sendo-lhe associado um valor

    iterativo, que desaparece quando o ponto de referncia temporal no o do momento da

    enunciao (Quando o Manuel ligar, j o Pedro tem tudo estudado.), quando o modo do

    auxiliar no o indicativo (No me surpreende que ele tenha ficado em casa.) e quando

    refere o contexto de uma predicao estativa (Ele tem sido feliz.). Jacinto (2007) infere

    que o valor de iteratividade do Pretrito Perfeito Composto se deve vagueza inerente

    duratividade caracterstica do verbo auxiliar ter.3 Peres (1996) discorda, atribuindo a

    este tempo verbal dois valores: um valor durativo (ao qual correspondem predicaes

    estativas, com valor de anterioridade (sobreposio) - A Maria tem estado doente.) e um

    valor iterativo (ao qual correspondem predicaes no estativas, com valor de

    anterioridade e iteratividade O Pedro tem estudado bastante.).

    O Pretrito Perfeito, ainda que em casos muito restritos, pode, segundo Peres,

    apresentar um valor no iterativo, com caractersticas perfectivas, como na expresso

    Tenho dito!

    Santos (1999) apresenta trs classes aspectuais de base do Portugus: Estados,

    Eventos e Propriedades. Quando o Pretrito Perfeito Composto aplicado a um Estado

    (Adoro estudar.) mantm o seu estatuto (Tenho estado a estudar.); se aplicado a um

    Evento (O Pedro saiu.), torna-se indefinido (O Pedro tem sado.) e se aplicado s

    Propriedades (Sou Professora. / O Joo simptico.) transformam-se em estados

    temporrios (Tenho sido professora.) ou em sequncias de acontecimentos (O Joo tem

    sido simptico.).

    O Pretrito Perfeito Composto usado para indicar uma aco que comeou num

    momento passado, que se prolonga at ao momento presente e que, ainda, no acabou.

    Neste caso, pode usar-se como marca de incio da aco no passado adverbiais de tempo

    como ultimamente, nos ltimos tempos, nas ltimas semanas, nos ltimos meses, nos

    ltimos dias ou at desde que + frase no pretrito perfeito simples (Ultimamente, ele

    tem ido piscina. / Desde que reprovou, tem estudado mais.). Na primeira frase, o

    advrbio Ultimamente marca o tempo da aco. Neste caso, a noo temporal vaga e

    sabe-se apenas que j comeou, mas no se sabe quando e sabe-se, tambm, que a aco

    est a decorrer no presente. A segunda frase tem como referncia temporal Desde

    2 Consultado a 15 de Maro de 2008 em htp://www.clul.ul.ptartigosjacinto_joana.pdf 3 Consultado a 15 de Maro de 2008 em htp://www.clul.ul.ptartigosjacinto_joana.pdf

  • 7

    que+frase no Pretrito Perfeito Simples do Indicativo para marcar o incio de aco

    prolongada e no concluda.

    Em portugus, usa-se o Pretrito Perfeito Composto do Indicativo para factos

    durativos que, acontecidos no passado, se vo repetindo at ao presente (Tenho escrito

    muito nas ltimas semanas.). Quando se diz tenho escrito, isso significa que j se

    escreveu mais do que uma vez. Se dito escrevi, tal uso poderia significar que s se fez

    uma vez, pois o Pretrito Perfeito do Indicativo representa aces completamente

    realizadas ( o presente perfectivo do passado, no sentido de que perfeito tem como

    significado acabado). H situaes em que o Pretrito Perfeito Composto exprime uma

    aco concluda (Tenho dito!).

    2. Constituio e Caracterizao da Amostra dos Textos de Aprendentes de L2

    objectivo deste estudo fazer uma anlise, sumria, do uso do Pretrito Perfeito

    Simples, do Pretrito Perfeito Composto e do Pretrito Imperfeito por aprendentes de

    Portugus L2 em contexto de imerso lingustica. Neste sentido, foram inquiridos 38

    alunos: 29 alunos, do sexo feminino e masculino, estudantes dos cursos de Portugus

    Lngua Estrangeira da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, de nacionalidade

    chinesa, japonesa, polaca, eslovena, eslovaca, checa, alem, francesa, belga, italiana e

    espanhola, com idades compreendidas entre os 18 e os 26 anos, cuja permanncia em

    Portugal vai dos 3 aos 7 meses; 2 alunos, do sexo feminino, da Escola Secundria de

    Portalegre de nacionalidade romena (residente em Portugal h 10 meses) e brasileira

    (residente em Portugal h 4 anos e 6 meses) com 15 e 16 anos, respectivamente; 2

    alunos, do sexo masculino, da Escola Secundria de Arouca, distrito de Aveiro, de

    nacionalidade francesa, residentes em Portugal h 6 meses, com 15 e 16 anos,

    respectivamente e, ainda, 5 alunos, do sexo masculino, da Escola Bsica 2 e 3 ciclos

    da Serra da Gardunha, no Fundo, de nacionalidade francesa, ucraniana e brasileira,

    com idades compreendidas entre os 13 e os 15 anos, com permanncia em Portugal dos

    10 meses aos 3 anos.

    Foi solicitado aos aprendentes de Portugus L2 que realizassem os exerccios

    que se encontram em anexo, orientando-os para o uso das formas do passado (pretrito

    perfeito e pretrito imperfeito, respectivamente), com recurso aos verbos contar, relatar

  • 8

    e descrever para os exerccios de expresso escrita e aos advrbios de tempo e

    expresses adverbiais de tempo no exerccio de preenchimento de espaos.

    Posteriormente, com o objectivo de verificarmos a correcta/ incorrecta aplicao nos

    domnios morfolgico, sintctico, semntico e ortogrfico das formas verbais em estudo

    pelos aprendentes de Portugus L2 foi feito um levantamento exaustivo das mesmas e,

    com base na teoria aspectual de Smith (1991), identificaram-se as respectivas categorias

    aspectuais, com base nos traos temporais que as caracterizam: Estados (estticos,

    durativos e atlicos) que denotam uma eventualidade que ocorre num perodo nico,

    indiferenciado, mantendo-se por um intervalo de tempo sem limites iniciais ou finais,

    sem actividade fsica ou mental e sem estrutura interna; Actividades (dinmicos,

    durativos e atlicos) que denotam uma eventualidade que no se compe de um perodo

    nico, indiferenciado e possui estrutura interna, envolvendo actividade fsica e mental, e

    com um limite final arbitrrio; Accomplishments (dinmicos, durativos e tlicos

    constitudos por fases sucessivas e com consequncias), implicando um processo

    (dinamicidade e duratividade) com resultado ou mudana de estado (telicidade), e com

    um limite final intrnseco; Semelfactivos (dinmicos, instantneos e atlicos) que

    denotam eventualidades momentneas como os Achievements, no apresentando

    resultados como os Estados e as Actividades e Achievements (dinmicos, instantneos e

    atlicos) que so eventualidades dissociadas de qualquer processo (um nico estgio),

    implicando mudana de estado.

    3. Usos do Pretrito Perfeito por Aprendentes de Portugus L2

    3.1. Formas de Pretrito Perfeito Correctamente Aplicadas Morfolgica,

    Sintctica, Semntica e Ortograficamente

    Verbo Pretrito

    Perfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Acabei Acabei por celebrar o fim de ano em Sevilha. Actividade

    () acabou por se aleijar. Achievement

    () acabou por ficar com a cara presa na lata. Achievement

    Acabar

    acabou

    () o polcia acabou por escorregar. Achievement

    Acompanhar acompanhou () o meu irmo no o acompanhou () Estado

  • 9

    Acontecer aconteceu () tudo isso aconteceu h muito tempo () Actividade

    Adorar adorei () adorei a mistura de cores. Estado

    Afastar-se afastei-me () sem querer afastei-me um pouco. Actividade

    2 OCORRNCIAS (OC.) - () a velhota

    agradeceu s crianas.

    Actividade Agradecer agradeceu

    () ela agradeceu-lhes a ajuda () Actividade

    () ajudaram-na a descer () Accomplishment ajudaram

    () os midos ajudaram a pessoa a descer () Accomplishment

    Ajudar

    Ajudou 2 (OC.) - () o dono ajudou-o a tirar a lata () Accomplishment

    andou () outro andou mais frente () Actividade Andar

    andmos () andmos uns dez minutos () Actividade

    apanhmos No dia seguinte, apanhmos um bote () Achievement Apanhar

    apanhei () apanhei um escaldo () Accomplishment

    Aparecer apareceu () um homem apareceu () Semelfactivo

    apercebi-me () apercebi-me que () era o sol. Actividade

    O co apercebeu-se de um caixote do lixo aberto. Actividade

    Aperceber-se apercebeu-se

    () o dono apercebeu-se da asneira. Actividade

    Apressar-se apressou-se () apressou-se a encontrar o seu dono. Accomplishment

    Assumir assumi () assumi o trabalho de escrever as letras () Achievement

    avisou O Joo avisou () Accomplishment Avisar

    avisaram () avisaram-na que era perigoso () Accomplishment

    Avistar avistou () avistou um caixote () Accomplishment

    Brincar brinquei () brinquei na praia () Actividade

    Caber coube Ana coube levar a idosa a descer a escada. Accomplishment

    6 (OC.) - () o polcia caiu. Semelfactivo

    () a mulher caiu ao mar. Semelfactivo

    () o polcia caiu na escada. Semelfactivo

    Cair

    caiu

    () o polcia caiu com a cara [no cho]. Semelfactivo

    Caminhar caminhei () caminhei, caminhei () Actividade

    Chamar chamaram () os meninos chamaram a ateno dela () Actividade

    () cheguei a casa () Accomplishment cheguei

    () cheguei a Portalegre () Accomplishment

    6 (OC.) - () chegou uma velha () Accomplishment chegou

    () chegou o dia da partida () Accomplishment

    2 (OC.) - () chegmos ao destino () Accomplishment

    Chegar

    chegmos

    () chegmos ao parque de estacionamento () Accomplishment

    Chorar chorei (...) chorei () Semelfactivo

    Colocar colocou () colocou o focinho dentro do caixote () Achievement

  • 10

    () comeou a procurar comida () Actividade

    () comeou a dar pequenos gritos () Actividade

    () comeou a agit-la () [a lata]. Actividade

    () a melodia () comeou a entoar () Actividade

    2 (OC.) - ()comeou a remexer nos caixotes do

    lixo.

    Actividade

    () comeou a ladrar () Actividade

    Comear

    comeou

    () o co comeou a investigar () Actividade

    Comer comi () comi um bolo () Accomplishment

    Cometer cometi () cometi o primeiro erro () Actividade

    () comprei dois e a minha amiga tambm () Semelfactivo comprei

    () comprei uma nazarena () Semelfactivo

    Comprar

    comprmos () comprmos umas bebidas frescas () Semelfactivo

    Conduzir conduzimos () conduzimos direco ao Algarve () Actividade

    () conheci () os outros seis eslovenos () Actividade Conhecer conheci

    () conheci muitas pessoas () Actividade

    consegui () no consegui compreender tudo () Actividade

    () a minha famlia no conseguiu dormir (...) Actividade

    Conseguir

    conseguiu

    4 (OC.) - () no conseguiu ()[tirar a lata] Accomplishment

    () corri () Actividade

    2 (OC.) - () correu at ao seu dono () Actividade

    () correu para perto de Tintim. Actividade

    () correu para o rapaz () Actividade

    4 (OC.) - () o polcia correu atrs deles. Actividade

    Correr

    corri

    correu () correu rpido () Actividade

    A senhora deu-lhes dois bombons. Achievement

    O seu mestre deu-lhe um sermo. Accomplishment

    3 (OC.) - () deu-lhes dinheiro () Achievement

    3 (OC.) - () a mulher deu-lhes uma moeda () Achievement

    Dar

    deu

    () ontem, deu luz sete crias () Accomplishment

    () decidiu meter a cabea no caixote () Accomplishment

    O co decidiu procurar algo para comer. Accomplishment

    () decidiu ir passear () Accomplishment

    decidiu

    () decidiu parar () Accomplishment

    () decidimos passar o Sbado na praia () Actividade

    () decidimos ir praia () Accomplishment

    () decidimos viajar () Accomplishment

    decidimos

    () decidimos comprar um biquni () Accomplishment

    Decidir

    decidiram 2 (OC.) Eles decidiram entornar o leo na Accomplishment

  • 11

    escada.

    deitaram A Ana e o Joo deitaram os papeis () no cho. Semelfactivo Deitar

    deitei-me () deitei-me na minha toalha () Actividade

    Deixar deixou A viagem no deixou de ser interessante. Estado

    desceu 2 (OC.) - () desceu ()[o primeiro degrau] Actividade Descer

    desceram 2 (OC.) - Os dois rapazes e a velha desceram as

    escadas.

    Accomplishment

    () disseram que havia leo na escada () Actividade Dizer disseram

    () disseram lhe para no andar () Actividade

    () dormimos no comboio () Actividade Dormir dormimos

    dormiram Eles no dormiram noite () Actividade

    encontrei () encontrei-os sem querer () Achievement

    () encontrou alguma coisa no caixote do lixo. Accomplishment

    Milou encontrou uma caixa do lixo () Accomplishment

    encontrou

    () no encontrou nada () Actividade

    Encontrar

    encontraram () encontraram um caixote do lixo () Accomplishment

    Escapar escaparam () eles escaparam pela escada () Actividade

    Escorregar escorregou () ele escorregou () Achievement

    Escrever escrevemos () escrevemos muitas vezes () Actividade

    Esperar esperaram () esperaram () Actividade

    Espreitar espreitei () espreitei pela janela () Actividade

    Esquecer-se esqueceu-se () esqueceu-se do leo posto na escada () Actividade

    Experimentar experimentou () experimentou muitas maneiras () Accomplishment

    explicou () o capito explicou muitas coisas () Actividade Explicar

    explicaram 6 (OC.) - ()[eles] explicaram velha () Actividade

    Falar falmos () falmos ingls () Semelfactivo

    Falecer faleceu () o episdio mais triste () quando o meu pai

    faleceu.

    Estado

    Falhar falhou () porm, falhou () Semelfactivo

    () fiz Erasmus () Actividade fiz

    No ano passado, fiz um estgio em Minich. Actividade

    fez () fez muito barulho () Actividade

    fizemos () fizemos o cruzeiro () Actividade

    Fazer

    fizeram () eles fizeram batota () Actividade

    2 (OC.) - () fiquei muito contente () Actividade

    () fiquei na praia mais de trs horas () Actividade

    () fiquei um bocadinho desiludida () Actividade

    fiquei

    () fiquei muito surpreendida () Actividade

    ficou 4 (OC.) - () o dono ficou zangado com ele () Actividade

  • 12

    2 (OC.) - () a velha ficou satisfeita () Actividade

    2 (OC.) - () ficou muito nervoso () Actividade

    () a jaula ficou na sala () Actividade

    () ela ficou imvel () Actividade

    2 (OC.) - () a lata ficou presa na sua boca () Actividade

    () ficou com a sua cabea presa numa lata () Actividade

    () ficmos amigos () Actividade ficmos

    () ficmos perto das praias () Actividade

    Ficar

    ficaram (2 X) 3 (OC.) - () os rapazes ficaram assustados () Actividade

    Fugir fugiram 3 (OC.) - () [eles] fugiram () Actividade

    Gostar gostmos () gostmos muito da praia () Estado

    gritei () gritei () Semelfactivo Gritar

    gritaram 3 (OC.) - () os dois rapazes gritaram velhota

    ()

    Actividade

    Impedir impediram A Ana e o Joo impediram-na [de descer] () Actividade

    Insistir insistiu () ela insistiu em comer uma comida leve () Actividade

    Instalar-se instalmo-nos () instalmo-nos () Actividade

    4 (OC.) - () fui praia () Actividade

    () fui de Praga para Berlim () Actividade

    Fui de avio para Lisboa. Actividade

    () fui fazer surf () Actividade

    () fui para casa () Actividade

    () fui aos EUA () Actividade

    () fui ilha do Hawai () Actividade

    () fui passar o fim de semana ao Algarve () Actividade

    () fui ao estrangeiro () Actividade

    () fui com a agncia eslovena () Actividade

    () fui ao encontro desse objecto () Actividade

    () fui a La Boule () Actividade

    fui

    2 (OC.) - () fui com a minha famlia () Actividade

    foi () foi ver se encontrava um osso () Actividade

    () fomos gua () Actividade

    () fomos novamente gua () Accomplishment

    () fomos no nosso carro () Actividade

    Ir

    fomos

    () fomos fazer compras no mercado de Loul. Actividade

    () o meu irmo levou dois hamsters para casa. Actividade

    () um menino levou-a de mo dada () Actividade

    () um dos rapazes levou a velhota () Actividade

    Levar

    levou

    () o meu pai me levou para a residncia () Actividade

  • 13

    levmos () levmos as flores preparadas () Actividade

    Marcar marcou () episdio () marcou a minha vida () Estado

    Meter meteu 2 (OC.) - () ele meteu o rosto no caixote () Achievement

    nadei () no nadei () Estado Nadar

    nadou () nadou muito () Actividade

    Notar notei () notei que estava bastante movimentada () Achievement

    ofereceu () ofereceu-lhe dois () Actividade Oferecer

    ofereceram 2 (OC.) () ofereceram ajuda () Actividade

    Olhar olhou O Bolo olhou para os caixotes do lixo () Semelfactivo

    Ouvir ouvimos () ouvimos msica () Actividade

    Pagar pagmos () pagmos () Achievement

    5 (OC.) () o co parou () Semelfactivo Parar parou

    () parou sem o Joo perceber () Semelfactivo

    Participar participei () participei num curso de Lngua Inglesa. Actividade

    passei () passei o Natal () Actividade

    3 (OC.) () [uma velha] passou () Actividade passou

    () o rapaz passou com o seu co () Actividade

    passou-se () o dia passou-se como um dia normal () Estado

    passmos () passmos pelos Alpes () Actividade

    Passar

    Passar-se

    passaram 2 (OC.) () eles passaram frente de um

    caixote.

    Actividade

    Passear passemos () tambm passemos na praia () Actividade

    pedi () pedi ao meu pai para comprar () Actividade

    () pediu-lhe que arrancasse a lata () Actividade

    () pediu ao Pedro para o ajudar () Actividade

    Pedir

    pediu

    () pediu ajuda a Tintim () Actividade

    Pegar pegmos () pegmos nos sacos () Semelfactivo

    Pensar pensou () o velhote pensou um pouco () Actividade

    () ela no percebeu () Actividade Perceber percebeu

    () o velhote percebeu que tinha sido enganado. Actividade

    Perseguir perseguiu () o agente perseguiu-os () Actividade

    puseram 8 (OC.) () puseram leo na escada () Actividade Pr

    Pr-se ps-se () ps-se [ procura] () Actividade

    Premiar premiou () a idosa premiou-os com uma moeda () Actividade

    () ele procurou o dono () Actividade

    () procurou o osso () Actividade

    () no procurou nada () Estado

    Procurar

    procurou

    () procurou alguma coisa para comer () Actividade

    Ralhar ralhou () o Antnio ralhou com ele () Actividade

  • 14

    () ralhou com o co () Actividade

    Receber receberam () receberam a pea () Semelfactivo

    Reparar reparou 2 (OC.) - () o polcia reparou [na atitude] () Actividade

    Repreender repreendeu ()[o polcia] repreendeu-os() Actividade

    Resolver resolveu () resolveu ir ter com o Tintim () Actividade

    Resultar resultou () no resultou () Accomplishment

    Revelar revelou () o que se revelou eficaz () Actividade

    Saber soube () um polcia soube () Actividade

    Sair sa Por duas vezes, sa do metro na estao errada. Accomplishment

    saltou () o co saltou () Semelfactivo Saltar

    saltaram () eles saltaram de repente () Semelfactivo

    () a velha seguiu o seu caminho () Actividade Seguir seguiu

    () o polcia seguiu-o () Actividade

    Sentar-se sentaram-se 3 (OC.) () sentaram-se ao p da escada () Semelfactivo

    () o ultimo programa foi o canto de todos os

    estudantes ()

    Estado

    () o momento foi significativo () Estado

    () o meu destino foi Inglaterra () Estado

    () foi a primeira vez () Estado

    () foi um dia muito diferente dos do Japo. Estado

    () foi em Abril () Estado

    () foi num dia de Vero () Estado

    () este [pr-do-sol] foi simplesmente fantstico. Estado

    A viagem foi um episdio que no vou esquecer. Estado

    A praia mais bonita que vimos foi Arrifana. Estado

    foi

    A coisa mais divertida foi que s levmos uma

    tenda.

    Estado

    As seguintes semanas, foram as melhores da vida. Estado

    () conheci vrias pessoas () foram duas

    raparigas espanholas ()

    Estado

    Ser

    foram

    () todas as tentativas () foram ineficazes. Estado

    subiu () o velhote subiu as escadas () Actividade Subir

    subiram 3 (OC.) () subiram as escadas rapidamente

    ()

    Actividade

    Telefonar telefonei () telefonei ao meu amigo () Actividade

    5 (OC.) () tentou tirar a lata () Accomplishment

    () tentou arranc-la () Accomplishment

    Tentar tentou

    () tentou comer a restante comida () Accomplishment

    Ter tive () no tive animal de estimao () Estado

  • 15

    () tive oportunidade de ver alguns pases () Estado

    teve () teve a ideia de pedir ao dono () Actividade

    tirou () o dono tirou-lhe a lata [do focinho] () Achievement Tirar

    tirmos () tirmos fotografias () Semelfactivo

    () s tomei banho no mar () Actividade Tomar tomei

    () tomei um caf () Actividade

    () vi [o pr-do-sol] () Actividade

    () vi o mar () Actividade

    2 (OC.) () vi muitas pessoas () Actividade

    () vi paisagens muito bonitas () Actividade

    () uma parte do caminho vi s auto-estrada () Actividade

    () vi muitos vendedores () Actividade

    () vi muitos turistas () Actividade

    () vi muitas coisas interessantes () Actividade

    () vi muitos animais () Actividade

    vi

    () vi a minha colega de quarto() Semelfactivo

    2 (OC.) () viu um caixote do lixo () Semelfactivo

    3 (OC.) - () o policia viu toda a cena () Actividade

    viu

    () o dono viu-o perturbado () Actividade

    vimos () vimos muitas pessoas () Actividade

    Ver

    viram () eles viram aquele polcia () Actividade

    Vestir vestimos () vestimos uma capa amarela () Actividade

    Viajar viajmos () viajmos de comboio () Actividade

    Voltar voltmos () voltmos nossa toalha () Actividade

    Zangar-se zangou-se () a minha irm zangou-se com ele () Actividade

    3.2. Formas de Pretrito Perfeito Incorrectamente Aplicadas Morfologicamente

    Verbo Pretrito

    Perfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Andar andou (PI) () um rapaz jovem andava a passear () Actividade

    Ajustar-se ajustou-se (PI ) () a lata ajustava-se ao seu nariz () Estado

    apanhou(PMQPpass.) () j tinha sido apanhado em vrias

    armadilhas.

    Accomplishment

    Apanhar

    apanharam (PI ) () muitas pessoas apanhavam sol () Actividade

    Aproveitar aproveitaram (PI) () as raparigas aproveitavam o sol () Actividade

    Brincar brincaram (PI ) A Ana e o Joo brincavam no jardim () Actividade

    Cair cai (PP) () esse homem caiu () Semelfactivo

  • 16

    Chegar Chegou(1p.SING.) Eu cheguei a Portugal () Accomplishment

    Colocar colocou (PMQP) () algum tinha colocado(colocara) o leo. Actividade

    conseguiu (PI) () no conseguia tirar a lata () Actividade

    conseguiram (P) Como que muitas pessoas conseguem ficar

    ali.

    Estado

    Conseguir

    consegui (3p.SING.) () o co no conseguiu [tirar a boca da lata]. Actividade

    Construir construram (PI) () as crianas construam castelos de areia. Accomplishment

    Continuar continuou (PI) O Antnio continuava a andar () Actividade

    Costumar costumou (PI) O Antnio costumava levar o seu co () Actividade

    Deitar deitaram (PI) Muitas pessoas deitavam-se em cima da areia. Actividade

    Deixar deixou (PI) () o motorista no me deixava dormir () Actividade

    Encontrar encontrou(1p.SING.) () as casas que eu encontrei () Accomplishment

    Erguer ergueu (INF.) () assim que ficou preso, experimentou

    muitas maneiras como erguer a cabea ()

    Semelfactivo

    estive (PI) () porque estava com a minha famlia. Estado Estar

    esteve (PI) () ele estava com fome () Estado

    () que os outros faziam () Actividade Fazer fizeram (PI)

    () muitas pessoas faziam surf () Actividade

    () o seu nariz ficou preso na lata () Actividade fiquei(3p.SING)

    () o policia ficou zangado () Actividade

    Ficar

    ficou (1pPL.) () agora s ficmos a minha me e eu. Estado

    Gostar gostmos (PI) () gostvamos de olhar os vizinhos () Estado

    Haver houve (PI) () ainda no havia muitos turistas () Estado

    Imaginar imaginmos (PI) s vezes, imaginvamos que () Actividade

    () eu fui praia () Actividade Ir foi (1p.SING.)

    () eu fui passar as frias com os meus pais. Actividade

    Jogar jogaram (PI) (...) os rapazes jogavam futebol () Actividade

    Lembrar-se lembrei-me (P) Lembro-me que () Actividade

    Levantar-se levanto-me (PP) Levantei-me cedo () Actividade

    Mandar mandou (plural) () os meus pais mandaram devolver os

    animais.

    Actividade

    Organizar organizaram (PI) () organizavam diferentes jogos () Actividade

    passou (PI) () ele no sabia o que se passava () Estado Passar

    passaram (SING.) () j passou muito tempo () Actividade

    passeei (PI) () quando passeava na praia () Actividade

    passeou (PI) () quando passeava com o seu co () Actividade

    Passear

    passearam (PI) () passeavam pela cidade () Actividade

    Pr pus (3p.SING.) () ps a boca dentro da embalagem () Semelfactivo

    Precisar precismos (PI) () imaginvamos que precisvamos de Actividade

  • 17

    culos()

    Pretender pretendeu (PI ) () para procurar o que pretendia. Estado

    () o policia queria apanh-los () Estado

    2 (OC.) () queria descer as escadas () Estado

    () queria procurar o osso () Estado

    Quis (PI)

    () queria provar a conserva () Estado

    Querer

    quiseram (PI) Dois rapazes queriam fazer uma brincadeira

    ()

    Estado

    () ele no sabia o que se passava () Estado soube (PI)

    () no sabia que estava cheia de leo () Estado

    Saber

    souberam (PI) () os dois amigos no sabiam o que fazer () Estado

    Saltar saltou (INF.) () como () saltar () Semelfactivo

    Sentar-se sentaram (REF. ) Eles sentaram-se ao lado das escadas () Semelfactivo

    Sentir-se Sentiu (REF.) () sentiu-se tonto () Estado

    fui (P) s vezes, vou a Carcavelos () Actividade

    2 (OC.) - () no era a primeira vez () Actividade

    () a cor do mar era mais azul () Estado

    () a praia no era muito bonita () Estado

    foi (PI)

    () era muito pequena. Estado

    Ser

    foi (PI passivo) A cano era constituda por () Estado

    tiveram (PI) () tinham de resolver um novo caso () Estado

    () Struppi teve a ideia de () Actividade

    Ter

    tive (3p.SING.)

    () o co teve de procurar Tim () Actividade

    tenta (PP ) () tentou apanh-los () Actividade Tentar

    tentei (3p. SING.) () o co tentou experimentar os restos de

    comida.

    Actividade

    Ver vi (3 p. SING.) () o cachorro viu os caixotes do lixo () Semelfactivo

    vem (PP) () um homem veio a correr atrs dos midos. Actividade Vir

    vieram (1p.SING.) () veio uma senhora velha () Actividade

    3.3. Formas de Pretrito Perfeito Incorrectamente Aplicadas Semanticamente

    Verbo Pretrito

    Perfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Apanhar apanhou () ele enfiou uma lata no nariz () Achievement

    Bloquear bloqueou () enfiou-o dentro de uma lata () Achievement

    Caminhar caminharam () eles encaminharam-na () Actividade

  • 18

    Deitar deitaram () puseram leo nas escadas () Actividade

    () apercebeu-se que o seu focinho estava numa

    lata ()

    Actividade

    () ao passar viu dois caixotes do lixo () Semelfactivo

    () encontrou um lixo () Accomplishment

    () encontrou uma lata () Accomplishment

    Descobrir

    descobriu

    () encontrou uma lata de conserva () Accomplishment

    Encontrar encontrei () conheci uma rapariga espanhola () Actividade

    Entregar entregou () como recompensa ofereceu uma moeda () Actividade

    () o policia no teve sucesso () Actividade Estar esteve

    () ficou chateado com Struppi () Estado

    () o co enfiou a lata no focinho () Achievement Ficar ficou

    () enfiou uma caixa de metal na cabea () Achievement

    Fugir fugiu () ele correu atrs dos rapazes () Actividade

    Mexer mexeu () o co meteu o seu focinho no caixote do lixo. Achievement

    Obter obtiveram () por isso ganharam dinheiro () Actividade

    Poder pde () o co no conseguiu retirar a cabea da caixa. Actividade

    Realizar realizaram () aperceberam-se que podiam matar algum . Actividade

    Sair saiu () o barco foi at um lugar muito longe () Actividade

    fui () fiquei muito contente () Estado Ser

    foi () a professora ficou muito preocupada () Estado

    Surgir surgiu () ele enfiou a cabea na lata () Achievement

    Tentar tentou () experimentou os restos de comida () Actividade

    Ter tive () fiz um curso de surf () Actividade

    Tirar tirei () apanhei muitas conchas () Actividade

    Tomar tommos o

    almoo

    () almomos () Actividade

    Tornar tornei () voltei a ser uma boa aluna () Estado

    3.4. Formas de Pretrito Perfeito Incorrectamente Aplicadas Ortograficamente

    Verbo Pretrito

    Perfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Aceitar acetou () a velhota aceitou a ajuda () Actividade

    Alugar alugei () aluguei com amigos um carro () Actividade

    Chegar chegamos () chegmos praia do futuro () Accomplishment

    Conseguir coseguiram () os meninos conseguiram escapar () Actividade

  • 19

    consegiu () no conseguiu lamber () Actividade

    conseguio () no conseguiu libertar-se () Actividade

    Decidir decideu () o co decidiu espreitar Actividade

    Despedir-se se despedeu () ela despediu-se de mim () Actividade

    Encontrar encontremos () encontrmos um aviso () Semelfactivo

    Escorregar escouregou () infelizmente, escorregou () Semelfactivo

    Ficar fiquou () ela ficou muito agradecida () Estado

    figiram () os dois fugiram facilmente () Actividade Fugir

    fuguiram () eles fugiram () Actividade

    Olhar olho () olhou para mim () Actividade

    Parar paramos () parmos para bronzear () Semelfactivo

    Perseguir persegiu () o policia perseguiu-os () Actividade

    Procurar procorou () procurou durante algum tempo () Actividade

    Proteger proteju () a sua saia protegeu-a () Actividade

    Suportar sportei () no suportei ficar mais a () Estado

    tentamos () tentmos comportar-nos na praia () Actividade

    tento () tentou tir-la () Actividade

    Tentar

    intentou () o co tentou libertar-se. Actividade

    Tirar tiramos () tirmos muitas fotos () Semelfactivo

    Ver vio Milou mal viu um caixote do lixo, aproximou-se. Semelfactivo

    Visitar visitamos () a praia mais bonita que visitmos no

    caminho ()

    Actividade

    3.5. Formas de Pretrito Perfeito Incorrectamente Aplicadas Semntica e

    Ortograficamente

    Verbo Pretrito

    Perfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Botar brotaram () eles puseram leo na escada. Actividade

    Descobriu descobriou () o co encontrou um caixote do lixo () Accomplishment

    romper rompiu () o vizinho partiu a perna () Semelfactivo

  • 20

    3.6. Formas de Pretrito Perfeito incorrectamente aplicadas semntica e

    morfologicamente

    Verbo Pretrito

    Perfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Ser foram (PI) () restos () que estavam na lata () Estado

    3.7. Anlise dos Dados

    Aps o levantamento das formas utilizadas nos textos redigidos pelos

    aprendentes de L2, verificou-se uma grande variedade na utilizao de formas verbais.

    de referir que 4 dos aprendentes inquiridos, apesar das orientaes fornecidas, no

    aplicaram as formas solicitadas, mas sim o Presente do Indicativo. Das 460 formas de

    Pretrito Perfeito aplicadas, 129 foram empregues erradamente, o que equivale a 28%.

    Os erros mais frequentes foram nos domnios morfolgico (55,8%) () sentiu tonto

    () em vez de () sentiu-se tonto (), () vieram uma senhora velha () em vez de

    () veio uma senhora velha () e () foi muito pequena () em vez de () era muito

    pequena; semntico (25,5%) () ele surgiu a cabea na lata () em vez de () ele

    enfiou a cabea na lata () e () tentou os restos de comida () em vez de ()

    experimentou os restos de comida () e ortogrfico (21,7%) () o polcia persegiu-os

    () em vez de () o polcia perseguiu-os () e () procorou durante algum tempo

    () em vez de () procurou durante algum tempo ().

    O Pretrito Perfeito foi empregue para designar um facto j ocorrido, concludo

    (aspecto perfectivo), traduzindo um acto anterior ao momento presente, um facto

    passado pontual e no habitual, indicando uma aco definida no tempo, consumada por

    completo e de carcter momentneo (() tirmos muitas fotos ()). Verifica-se que

    este tempo verbal acompanhado por alguns adverbiais de tempo como h muito tempo

    (() tudo isso aconteceu h muito tempo ()), ontem (() ontem, deu luz sete crias.)

    no dia seguinte (No dia seguinte, apanhmos um bote ()), no ano passado (No ano

    passado, fiz um estgio em Munich.), semana seguinte (() as seguintes semanas,

    foram as melhores da vida.) e muito tempo (() j passou muito tempo ()). O valor

    transmitido pelo Pretrito Perfeito , tambm, alterado pela associao de adverbiais de

    tempo, como ainda no (() ainda no havia muitos turistas ()), referindo uma aco

  • 21

    que ainda no se realizou, mas h uma inteno de realizao futura. Algumas formas

    do Pretrito Perfeito Simples do Indicativo usadas referem um facto passado

    imediatamente antes (ou a seguir) de outro tambm passado, empregues com oraes

    temporais introduzidas por mal (Milou mal viu um caixote do lixo, aproximou-se ()),

    quando (() o episdio mais triste () quando o meu pai faleceu.) e assim que

    (()assim que ficou preso, experimentou muitas maneiras como erguer a cabea

    ()).

    A maioria das formas verbais utilizadas inserem-se na Categoria Aspectual

    Actividades com as especificaes dinmico, durativo e atlico, apresentando os traos

    temporais de dinamicidade, duratividade e atelicidade (() o Antnio ralhou com ele

    (), () o polcia seguiu-o (), () o velhote subiu as escadas (), entre outros).

    4. Usos do Pretrito Perfeito por Aprendentes de Portugus L2

    4.1. Formas de Pretrito Imperfeito Correctamente Aplicadas Morfolgica,

    Sintctica, Semntica e Ortograficamente

    Verbo Pretrito

    Imperfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Abarrotar abarrotavam () os bares () abarrotavam de gente () Estado

    Acabar acabasse () [queria] que esse pesadelo acabasse () Estado

    () achava que isso ia acontecer um dia () Actividade Achar achava

    () achava que eles a tinham ajudado () Actividade

    Andar andava () andava s cambalhotas () Actividade

    Arrancar arrancasse () pediu-lhe que arrancasse a lata () Estado

    Bailar bailava () pelo ar bailava um cheiro de camaro () Estado

    Brilhar brilhava () o sol brilhava () Estado

    Brincar brincavam () os outros brincavam () Actividade

    Chamar chamava () com o seu co que se chamava Bobi. Estado

    Cheirar cheirava () uma caixa pequena que cheirava muito mal () Estado

    Colocar colocava ( ) enquanto colocava o meu novo biquni () Actividade

    Conhecer conhecia () toda a gente nos conhecia () Estado

    Conseguir conseguia () na semana seguinte, no conseguia sentar-me () Actividade

    Continuar continuasse () embora o dono continuasse a andar () Actividade

    Costumar costumava () o Pedro costumava passear na rua () Actividade

  • 22

    Dava () dava gua na boca () Actividade Dar

    davam () davam um passeio () Actividade

    Deitar deitavam-se () algumas pessoas deitavam-se na praia () Actividade

    Encontrar encontrava () foi ver se encontrava um osso () Actividade

    Escorregar escorregava () [se descesse a escada] escorregava () Estado

    () o policia estava a persegui-los () Actividade

    () j estava a ficar com medo() Estado

    () no sabia onde estava situada () Estado

    () o co estava procura de comida () Actividade

    () estava bastante movimentada () Estado

    () estava um dia lindo l fora () Estado

    () o Tintim estava a andar na rua () Actividade

    () estava quase queimada () Actividade

    () estava irritada () Estado

    () o seu focinho estava inserido numa lata () Estado

    2 (OC.) - () estava cheia de leo () Estado

    () estava em 43 lugar () Estado

    () estava a dormir () Actividade

    () estava extremamente cansada () Estado

    () ela estava no topo das escadas () Estado

    () a praia estava cheia () Estado

    () estava a apanhar sol () Actividade

    () a gua estava fria () Estado

    () estava todos os dias na praia () Estado

    () o tempo estava muito quente () Estado

    estava

    () o jovem estava a andar com o seu co () Actividade

    () estvamos despachados () Estado

    () estvamos juntos fora das aulas () Estado

    () estvamos muito divertidas () Estado

    estvamos

    () estvamos a gostar do passeio () Estado

    () duas crianas estavam a pr leo no cho () Actividade

    () estavam a jogar basquetebol () Actividade

    Estar

    estavam

    () estavam espera de algum () Actividade

    Falar falavam () vrios turistas () falavam ingls () Actividade

    Fazia () fazia muito calor em Lisboa () Estado Fazer

    fizesse () fizesse o que fizesse () Actividade

    Ficar ficava (estado) () ficava furioso () Estado

    Gostar gostava () no gostava muito da praia () Estado

    () havia vrias barracas de gelados () Estado

  • 23

    () havia vrios vendedores ambulantes () Estado

    () havia vrios turistas () Estado

    () havia uma lata () Estado

    () havia muitos jogadores () Estado

    () havia muitas lojas de biqunis () Estado

    2 (OC.) - () havia leo na escada () Estado

    () havia 45 alunos () Estado

    () havia praia muito bonita () Estado

    () onde no havia leo () Estado

    () l havia ossos () Estado

    () havia um crculo metlico () Estado

    () no havia muita gente () Estado

    Havia

    () havia uma festa com tasquinhas e msica. Estado

    Haver

    houvesse () ele pensava que houvesse um osso ali () Actividade

    Importar Importava () eu no me importava adaptar-me a ela () Estado

    () amanh, o contexto ia ser diferente () Estado

    () pensava que ia encontrar um osso () Actividade

    () ia farmcia frequentemente () Actividade

    Ir

    ia

    () isso ia acontecer um dia () Actividade

    () cidade () diferente de onde eu morava () Actividade Morar morava

    () as pessoas () moravam l nas frias () Actividade

    Morrer morria () morria () Actividade

    Nadar nadavam () outros nadavam () Actividade

    Organizar organizava () organizava aquele tipo de cursos () Actividade

    () parecia um paraso () Estado Parecer parecia

    () a praia () no parecia natural () Estado

    Passear passeava () Tintim passeava com o seu co () Actividade

    () pensava que l havia ossos () Actividade

    2 (OC.) - () pensava que houvesse um osso ali () Actividade

    () pensava que ia encontrar um osso () Actividade

    Pensar pensava

    () s pensava no osso () Actividade

    () no me podia queixar do sitio () Actividade

    () podia escorregar () Actividade

    Poder podia

    () podia cair () Actividade

    Precisar precisava () pensando que no precisava pr protector solar. Estado

    Preocupar-se preocupava-se () o meu pai preocupava-se muito () Estado

    Pretender pretendia () pretendia transmitir a mensagem () Estado

    Prometer prometia () o sol prometia um dia e tanto () Estado

    Querer quisesse Quem no quisesse jogar () Estado

  • 24

    () ela queria comer grande almoo mais tarde () Estado

    () no queria ir-me embora () Estado

    queria

    () queria dar um pontap aos rapazes () Estado

    queriam () no queriam que fosse a velha a cair () Estado

    Remexer remexia () sempre remexia nos caixotes do lixo () Actividade

    Repetir repetisse () que provavelmente repetisse o ano acadmico () Estado

    () no sabia nadar () Estado

    () sabia muito bem nadar () Estado

    () no sabia falar a lngua espanhola () Estado

    () no sabia onde estava () Estado

    Saber

    sabia

    () no sabia dos meus colegas () Estado

    Seguir seguia () o co branco seguia o dono () Actividade

    () era um comilo () Estado

    () era possvel escorregar com facilidade() Estado

    () era preguiosa () Estado

    2 (OC.) - () era pequena () Estado

    () era a primeira amiga estrangeira () Estado

    () era muito interessante () Estado

    2 (OC.) - () o sol era muito forte () Estado

    () o mar era to bonito () Estado

    () era capaz de morrer () Estado

    () era a mais nova () Estado

    2 (OC.) - () era curioso () Estado

    () era daqueles dias que () Estado

    () era bem cedo() Estado

    () era alvo de curiosidade () Estado

    () era s o sol a bater () Estado

    era

    A minha () preocupao era encontrar o grupo () Estado

    Eles eram mentirosos () Estado

    () eram mais rpidos () Estado

    eram

    () as ondas eram pequenas () Estado

    Ser

    fosse () no queriam que fosse a velha a cair () Estado

    Situar situava () situava-se longe no monte () Estado

    Tentar tentava Tintim tentava tirar a lata agarrada ao co () Actividade

    () tinha muitos turistas () Estado

    () tinha medo () Estado

    () tinha dificuldades em dormir () Estado

    tinha

    () tinha 10 anos () Estado

  • 25

    () sempre tinha opo de correr () Estado

    tinham () os midos tinham tentaes ms () Estado

    Ter

    tivesse () se no tivesse cuidado () Estado

    Usar usasse () por mais fora que usasse () Estado

    Vender vendiam () vendedores ambulantes () vendiam tralhas () Actividade

    4.2. Formas de Pretrito Imperfeito Incorrectamente Aplicadas Morfologicamente

    Verbo Pretrito

    Imperfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Andar andava (PL.) () eles andavam na rua () Actividade

    Apetecer apetece (PI) () era daqueles dias que s apetecia comer gelados. Estado

    Chegar chegue (PIC) () esperaram at que chegasse () Actividade

    Comear comeava (PP) () comecei a esforar-me no estudo () Actividade

    Deixar Deixava (PIC.) () deixasse este hbito () Actividade

    Descrever descrevia (PL.) () vrias msicas () descreviam a vida escolar() Actividade

    Entender-se entendemo-nos

    (PI)

    () entendamo-nos bem uma com a outra () Actividade

    Esperar esperavam (PP) 2 (OC.) - () esperaram pelo policia () Actividade

    Falar falamos (PI) () falvamos sobre () Actividade

    Fazer fazia (PIC) () que nunca fizesse isso () Estado

    Ficar ficava (PP) () fiquei muito desesperada () Estado

    Gostar gostava (PP) () gostei muito de nadar () Estado

    Haver h (PI) () queria ver o que havia no caixote () Estado

    () achavam que a velha ia escorregar e ia morrer. Actividade Ir vai (PI)

    () achavam que a velha ia cair nas escadas () Actividade

    Juntar-se juntavam (REF.) () as multides juntavam-se em frente s lojas () Actividade

    Nadar nadava (INF.) () no havia muita gente a nadar () Estado

    passava (PP ) () com quem sempre passei o meu tempo () Actividade Passar

    passavam (PP) () passaram por alguns caixotes do lixo () Actividade

    pode (PI) () no podia descer as escadas () Estado Poder

    podia (PIC) () que se pudesse comer () Estado

    Precisar precisava (PP) () mas no precisei de repetir () Estado

    () a forma mais eficaz era comer um gelado () Estado (PI)

    () o co era muito guloso () Estado

    era (P) () claro que o meu pai ficava furioso () Estado

    Ser

    era (PP) Durante a viagem foi muito divertido [imitar] () Estado

  • 26

    () sempre tive a pele branquinha () Estado Ter tinha (PP)

    () teve alguns problemas () Estado

    Ver via (PP) () vi muitos castelos de areia () Actividade

    Vir vir (PIC) () eles esperaram que algum viesse () Actividade

    4.3. Formas de Pretrito Imperfeito Incorrectamente Aplicadas Semanticamente

    Verbo Pretrito

    Imperfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Chegar chegavam () de onde vinham (emanavam) cheiros de carne. Actividade

    () a comida que estava no fundo da caixa () Estado Ficar ficava

    () dentro havia um osso () Estado

    Rodear rodeava () o policia vigiava sempre as escadas () Actividade

    Seguir seguisse () se descesse essa escada escorregava() Actividade

    () estava um dia muito quente () Estado

    () o cu estava limpo nesse dia () Estado

    () o tempo estava ptimo () Estado

    () estava um lindo dia de Agosto () Estado

    () estava em Portugal. Estado

    () o dia estava bom () Estado

    era

    () muitos turistas estavam queimados () Estado

    Ser

    fosse () parecia chuva () Estado

    4.4. Formas de Pretrito Imperfeito Incorrectamente Aplicadas Morfolgica e

    Semanticamente

    Verbo Pretrito

    Imperfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Estar estavam (PP ) () depois de ter acabado, ficaram contentes () Estado

    Ser so (PI - estavam) () os rapazes estavam assustados () Estado

    4.5. Formas de Pretrito Imperfeito Incorrectamente Aplicadas Morfolgica e

    Ortograficamente

  • 27

    Verbo Pretrito

    Imperfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Deitar-se deitavamo-nos

    (PP)

    () deitmo-nos na praia por mais de uma hora () Actividade

    Demorar demorrava () no demorou muito tempo () Actividade

    4.6. Formas de Pretrito Imperfeito Incorrectamente Aplicadas Ortograficamente

    Verbo Pretrito

    Imperfeito

    Frase Categoria

    Aspectual

    Andar Andiam Tintim e Milou andavam na rua () Actividade

    Atrair atraia () havia algo que me atraa () Estado

    () as suas tentativas no davam nada () Estado Dar davo

    () os seus esforos no davam nada () Estado

    Estar estavo (estavam) () estavam a passear () Actividade

    Gostar Gostvamos () gostvamos muito de brincar juntos () Estado

    queriamos () dificuldades em falar sobre o que queramos () Estado Querer

    Quissesse () embora no quisesse um escaldo () Estado

    4.7. Anlise dos Dados

    Aps o levantamento das formas utilizadas nos textos pelos aprendentes,

    verificou-se uma grande variedade na utilizao de formas verbais. de referir que 4

    dos aprendentes inquiridos, apesar das orientaes fornecidas, no aplicaram as formas

    solicitadas, mas sim o Presente do Indicativo. Das 195 formas de Pretrito Imperfeito

    aplicadas, 59 foram empregues erradamente, o que equivale a 30,2%. Os erros mais

    frequentes foram no domnio morfolgico (57,6%) () achavam que a velha vai

    escorregar e vai morrer. () em vez de () achavam que a velha ia escorregar e ia

    morrer. () (uso do Presente do Indicativo em vez do Pretrito Imperfeito do

    Indicativo) e () sempre tinha a pele branquinha () em vez de () sempre tive a pele

    branquinha () (uso do Pretrito Imperfeito do Indicativo em vez do Pretrito Perfeito

  • 28

    do Indicativo); semntico (25,4%) () dentro ficava um osso () em vez de ()

    dentro havia um osso () e () o policia rodeava sempre as escadas () em vez de

    () o policia vigiava sempre as escadas () e ortogrfico (16,9%) () estavo a

    passear () em vez de () estavam a passear () e () gostavamos muito de brincar

    juntos () em vez de () gostvamos muito de brincar juntos ().

    Empregou-se o Pretrito Imperfeito do Indicativo para assinalar um facto

    passado contnuo, permanente ou habitual, ou casual (costumar+infinitivo - () o

    Pedro costumava passear na rua ()); um facto presente em relao a outro passado,

    indicando a simultaneidade de ambos os factos (estar a+infinitivo - () o policia estava

    a persegui-los (), () j estava a ficar com medo (), () o jovem estava a andar

    com o seu co (), () estava a apanhar sol (), () estava a dormir (), () o

    Tintim estava a andar na rua (). O Pretrito Imperfeito usou-se, tambm, em vez do

    modo condicional (Futuro do Pretrito), para exprimir um facto que seria consequncia

    de outro, mas que no se verificou (() se descesse essa escada escorregava()).

    A maioria das formas verbais utilizadas insere-se na Categoria Aspectual Estado

    com as especificaes esttico, durativo e atlico, apresentando os traos temporais de

    estaticidade, duratividade e atelicidade (() gostvamos muito de brincar juntos (),

    () dificuldades em falar sobre o que queramos ()), entre outros) e Actividade com

    as especificaes dinmico, durativo e atlico, apresentando os traos temporais de

    dinamicidade, duratividade e atelicidade (() embora o dono continuasse a andar (),

    () o Pedro costumava passear na rua (), entre outros), uma vez que o Pretrito

    Imperfeito apresenta momentos de pausa e uma durao na aco que, ainda que

    pertena ao passado, tem prolongamento no tempo presente.

    H verbos que condicionam a presena da categoria Aspectual Estado, como os

    verbos copulativos ser, estar, continuar, parecer, ficar, tornar-se (() ficava furioso

    (), () muitos turistas estavam queimados (), ()parecia chuva (), entre outros),

    verbos que exprimem sentimentos como gostar, amar, adorar, desejar, preferir, querer

    (() adorei a mistura de cores, () ela queria comer grande almoo mais tarde (),

    () gostvamos muito de brincar juntos () e verbos com a especificao esttico e

    caracterizados pelo trao estaticidade como ter (() os midos tinham tentaes ms

    ()) e haver (() havia praia muito bonita ()).

  • 29

    Das 655 formas de Pretrito aplicadas, 188 foram empregues erradamente, o que

    equivale a 28,7%, sendo os erros mais frequentes, nos domnios morfolgico (56,3%),

    semntico (25,5%) e ortogrfico (20,2%).

    No exerccio de completamento de espaos verificou-se exactamente a mesma

    situao: erros de concordncia em nmero e concordncia temporal. Os aprendentes de

    L2 inquiridos apresentaram algumas dificuldades na identificao das sequncias

    narrativas/ descritivas, no distinguindo os momentos de avano/pausa,

    respectivamente.

    Foi solicitado aos aprendentes a realizao de um dos exerccios seguintes:

    A-

    Quando era (ser) mais nova ia (ir) muito praia, pois tinha (ter) mais tempo. Depois dos dezoito anos, arranjei (arranjar) emprego,

    porque precisava (precisar) de ganhar dinheiro. Mais tarde, como tinha (ter) dinheiro, comprei (comprar) um carro e fiz (fazer) um

    emprstimo para comprar casa. Tudo parecia (parecer) perfeito: tinha (ter) emprego, casa e carro e fazia (fazer) amigos com

    facilidade.

    Neste exerccio era necessrio que os aprendentes aplicassem 8 formas no

    Pretrito Imperfeito e 3 no Pretrito Perfeito, uma vez que o texto ,

    predominantemente, descritivo. Este exerccio foi realizado por 23 alunos, o que

    implicava a utilizao de 184 formas no Pretrito Imperfeito e 69 no Pretrito Perfeito.

    Das 184 formas de Pretrito Imperfeito, 78 foram empregues erradamente (67-

    concordncia temporal e 11- concordncia em nmero) o que equivale a 42,3%. Das 69

    formas de Pretrito Perfeito, 25 foram aplicadas erradamente (18 concordncia

    temporal e 7 concordncia em nmero), o que equivale a 36,2%.

    B- Antigamente, eu ia (ir) bastante ao cinema. Era (ser) fascinante. Um dia, o meu irmo mais novo pediu (pedir) para ir comigo e eu aceitei (aceitar). Quando ns chegmos (chegar) e entrmos (entrar) na sala, ele estava (estar) encantado com tudo o que via (ver) sua volta. Depois do filme, regressmos (regressar) a casa e, como estvamos (estar) com fome, procurmos (procurar) na cozinha, mas no havia (haver) nenhuma comida. Estava (estar) tudo muito arrumadinho. Era (ser) preciso preparar o jantar!

    Neste exerccio era necessrio que os aprendentes aplicassem 8 formas no

    Pretrito Imperfeito e 6 no Pretrito Perfeito, uma vez que o texto , simultaneamente,

  • 30

    descritivo e narrativo. Este exerccio foi realizado por 15 alunos, o que implicava a

    utilizao de 120 formas no Pretrito Imperfeito e 90 no Pretrito Perfeito. Das 210

    formas de Pretrito Imperfeito, 34 foram empregues erradamente (29- concordncia

    temporal, 2- concordncia em nmero e 3 no domnio ortogrfico) o que equivale a

    49,2%. Das 69 formas de Pretrito Perfeito, 16 foram aplicadas erradamente (2

    concordncia temporal, 3 concordncia em nmero e 11 no domnio ortogrfico), o

    que equivale a 23,1%.

    Verificou-se o uso do Presente, Pretrito Perfeito e Futuro do Indicativo pelo

    Pretrito Imperfeito e o Pretrito Imperfeito e Futuro do Indicativo pelo Pretrito

    Perfeito.

    Nos textos analisados foram encontrados alguns erros de sintaxe, mas, no sendo

    o objectivo deste estudo, foram deixados para um segundo plano. Foram, igualmente,

    identificados vrios erros de morfologia (concordncia em gnero e em nmero), mas

    foi dada especial ateno aos erros na aplicao dos tempos verbais em estudo. No

    entanto, de um modo geral, no se verificou uma grande divergncia entre os erros

    cometidos por estes aprendentes (de L2) e alunos de Portugus Lngua Materna

    (constitumos, assim, um grupo de controlo para validar a comparao de dados), que

    cometem, igualmente, erros similares ao nvel da sintaxe, morfologia e ortografia.

    5. Breves Notas Conclusivas

    O domnio de outras lnguas, que no a Materna, comeou a ser valorizado e,

    com o avano dos tempos, por razes polticas, econmicas e sociais, surgiu a

    necessidade da aprendizagem de outras lnguas. No processo de aprendizagem de uma

    lngua, seja materna, segunda ou estrangeira, as diferenas entre os tempos verbais,

    nomeadamente os que aqui tratmos, constitui um aspecto gramatical de vital

    importncia.

    De forma a permitir o estudo desta questo foi solicitada a colaborao de

    aprendentes de vrias lnguas (japons, chins, cantons, belga, francs, castelhano,

    alemo, italiano, brasileiro, checo, eslovaco, esloveno, romeno, polaco e ucraniano)

  • 31

    para quem o Portugus lngua segunda, o que permitiu tirar algumas concluses. Aps

    o levantamento das formas utilizadas nos textos pelos aprendentes, verificou-se uma

    grande variedade na utilizao de formas verbais. A maioria dos erros verificados foi no

    domnio morfolgico (concordncia temporal e concordncia em nmero) em que os

    aprendentes apresentaram algumas dificuldades na identificao das sequncias

    narrativas/ descritivas, no distinguindo os momentos de avano/pausa,

    respectivamente. Usaram, arbitrariamente, muitas das vezes, o Pretrito Perfeito e o

    Pretrito Imperfeito. O Pretrito Perfeito foi empregue para designar um facto j

    ocorrido, concludo (aspecto perfectivo), traduzindo um acto anterior ao momento

    presente, um facto passado pontual e no habitual, indicando uma aco definida no

    tempo, consumada por completo e de carcter momentneo. Verificou-se que este

    tempo verbal acompanhado por alguns adverbiais de tempo como h muito, ontem, no

    dia seguinte, no ano passado, semana seguinte e muito tempo. O valor transmitido pelo

    Pretrito Perfeito , tambm, alterado pela associao de adverbiais de tempo, como

    ainda no, referindo uma aco que ainda no se realizou, mas h uma inteno de

    realizao futura. Algumas formas do Pretrito Perfeito Simples do Indicativo usadas

    referem um facto passado imediatamente antes (ou a seguir) a outro tambm passado,

    empregues com oraes temporais introduzidas por mal, quando e assim que.

    Empregou-se o Pretrito Imperfeito do Indicativo para assinalar um facto

    passado contnuo, permanente ou habitual, ou casual (costumar+infinitivo); um facto

    presente em relao a outro passado, indicando a simultaneidade de ambos os factos

    (estar a+infinitivo). O Pretrito Imperfeito usou-se, tambm, em vez do modo

    condicional (Futuro do Pretrito), para exprimir um facto que seria consequncia de

    outro, mas que no se verificou.

    A maioria das formas verbais utilizadas insere-se na Categoria Aspectual Estado

    com as especificaes esttico, durativo e atlico, apresentando os traos temporais de

    estaticidade, duratividade, atelicidade e actividade com as especificaes dinmico,

    durativo e atlico, apresentando os traos temporais de dinamicidade, duratividade e

    atelicidade. A predominncia da Categoria Aspectual Estado nas formas verbais do

    Pretrito Imperfeito justifica-se pelas caractersticas inerentes a este tempo verbal:

    exprime momentos de pausa e uma durao na aco que ainda que pertena ao

    passado, tem prolongamento no tempo presente.

  • 32

    H, ainda, verbos que condicionam a presena da categoria Aspectual Estado,

    como os verbos copulativos ser, estar, continuar, parecer, ficar, tornar-se, verbos que

    exprimem sentimentos como gostar, amar, adorar, desejar, preferir, querer e verbos

    com a especificao esttico e caracterizados pelo trao estaticidade como ter e haver.

    BIBLIOGRAFIA

    ALMEIDA, J. (1973) Introduo ao estudo das perfrases verbais de

    infinitivo. So Paulo, Saraiva.

    AN, M. H (1999) Da lngua Materna Lngua Segunda. In: Noesis, n

    51, Lisboa, pp. 14-16.

    AN, M. H. (1990) Expresso do tempo e do aspecto: ensino aprendizagem

    do portugus, lngua materna. Aveiro, Universidade de Aveiro, Departamento de

    Didctica e Tecnologia Educativa. (Dissertao de Doutoramento).

    ANDRADE, L. E. da S. (2006) O aspecto em portugus. Consultado a 15 de

    Janeiro de 2008 em http://recantodasletras.uol.com.br/arquivos/255152.doc

    ARCHAMBAULT, J.-P. (2002) Ordinateurs et apprentissages, efficacit et

    darwinisme pdagogique.(EPI). In: Mdialog, n 43, pp. 52-55. Consultado a 30 de

    Dezembro de 2007 em http://www.epi.asso.fr/revue/articles/a0210a.htm

    BAQUER, B. (1998) Franais langue trangre, franais langue seconde et

    enseignement du franais aux enfants de migrants nouvellement arrivs en France. In:

    La Lettre du CEFISEM, 5. Consultado a 09 de Dezembro de 2007 em http://carec.ac-

    bordeaux.fr/casnav/Baquer.htm

    BARRETO, P. (2007) Aspecto e comprometimento: Nota sobre antropologia

    e gramtica. Consultado a 15 de Janeiro de 2008 em

    http://www.hottopos.comvidetur28paulobarreto.htm

    BARROS, L. (1974) Aspecto e tempo na flexo do verbo portugus. Niteri,

    Universidade Federal Fluminense.

    BARROS, L. M. M. (1981) Princpios e mtodos estruturais aplicados ao

    sistema verbal do portugus. Rio de Janeiro, Faculdade de Letras da UFRJ.

    CASANOVA, I. (1985) O aspecto verbal. Um estudo contrastivo ingls-

    portugus. Lisboa, Faculdade de Letras. (Dissertao de Mestrado).

  • 33

    CASANOVA, I. (2006) Lingustica contrastiva. O ensino da lngua inglesa.

    Lisboa, Universidade Catlica Editora.

    COSTA, S. (1997) - O aspecto em portugus. So Paulo, Contexto, 2 ed..

    CRYSTAL, D. (1997) - The Cambridge encyclopaedia of language. Cambridge,

    Cambridge University Press.

    CUMMNINS, J. Lngua me das crianas bilingues: Porque importante para

    a educao? Consultado a 08 de Dezembro de 2007 em

    www.bilinguismo.org/ensaios.php

    CUNHA, T. (1997) Diferenas na expresso do aspecto e alterao do valor

    aspectual anlise contrastiva entre o alemo e o portugus. In: Polifonia. Lisboa,

    Edies Colibri, n 1, pp. 123-132.

    CUQ, J. P. (2003) - Dictionnaire de didactique du franais langue trangre et

    Seconde. Paris, Asdifle.

    CUQ, J. P. e GRUCA, I. (2002) - Cours de didactique du franais langue

    trangre et seconde. Grenoble, PUG.

    ELLIS, R. (1990) Instructed second language acquisition: learning in the

    classroom. Oxford, Basil Blackwell.

    ELLIS, R. (1994) The second language acquisition. Clevedon, Multilingual

    Matters Ltd.

    FREITAS, L. (2006) Ensino de Lnguas Estrangeiras para formao

    profissional: contribuio da abordagem ergolgica e do dialogismo. Consultado a 21

    de Dezembro de 2007 em http://pucsp.br/pas/lael/intercambio/pdf/freitas.pdf

    GALISSON, R., COSTE, D. (1983) Dicionrio de didctica das lnguas.

    Coimbra, Almedina.

    HLIBOWICKA-WEGLARZ, B. Recursos morfolgicos de integrao

    aspectual na Lngua Portuguesa. In: Acta Universitatis Palackianae Olomucensis.

    Consultado a 15 de Janeiro de 2008 em

    http://publib.upol.cz/~obd/fulltext/Romanica7/Romanica7-15.pdf

    JACINTO, J. (2007) O Pretrito Perfeito Composto: de onde vem a

    temporaridade?. In: Comemoraes dos 75 anos do CLUL Sesso de Estudantes, 5

    de Novembro de 2007. Consultado a 15 de Maro de 2008 em

    http://www.clul.ul.ptartigosjacinto_joana.pdf

    KLEIN, L. (1989) Lacquisition de langue trangre. Paris, Armand Colin.

  • 34

    KRASHEN, S. (1973) Lateralization, language learning and the critical

    period: some new evidence. In: Language learning, 23, pp. 63-74.

    KRASHEN, S. (1981) Second language acquisition and second language

    learning. Consultado a 12 de Dezembro de 2007 em

    http://www.sdkrashen.com/SL_Acquisition_and_Learning/index.htm

    KRASHEN, S. (1982) Principles and practices in second language

    acquisition. New York, Pergamon.

    LEIRIA, I. et alii (2005) Portugus lngua No Materna no currculo

    nacional. Consultado a 09 de Dezembro de 2007 em http://www.dgidc.min-

    edu.pt/DN7/PERFISLINGUISTICOS.pdf

    LEIRIA, I. (1999) Portugal Lngua Segunda e Lngua Estrangeira:

    investigao e ensino. Consultado a 09 de Dezembro de 2007 em http://www.instituto-

    camoes.pt/cvc/idiomatico/03/portuguesLSeLE.pdf

    LITTLEWOOD, W. (1984) Foreign and second language learning; language

    acquisition research and its implications for the classroom. Cambridge, Cambridge

    University Press.

    MACALANE, G. (2002) Anlise Comparativa do Aspecto em Portugus

    Europeu e nas Lnguas Bantu. Consultado a 20 de Fevereiro de 2008 em

    http://web.educom.pt~pr2002pdlinguas_bantu.pdf

    MANGENOT, F. (1996) Outils textuels pour l'apprentissage de l'criture en

    L1 et en L2. In: Pratiques discursives et acquisition des langues trangres (Universit

    de Franche-Comt, 1998). Actes du Xe colloque international FOCAL, Besanon.

    Consultado a 30 de Dezembro de 2007 em http://w3.u-

    grenoble3.fr/espace_pedagogique/focal.htm

    MILLS, R. e MILLS, J. (1993) - Bilingualism in the primary school. London,

    Routledge.

    MOENS, M. (1987) Tense aspect and temporal reference. Edinburgh,

    University of Edinburgh.

    OLIVEIRA, F. (1994) Algumas particularidades do aspecto em portugus.

    In: DUARTE, I e LEIRIA, I (orgs) Actas do congresso internacional sobre o

    portugus. Lisboa, Colibri e A.P.L., vol. II, pp. 151-190.

    OLIVEIRA, F. (2003) Tempo e aspecto. In: MATEUS, M. H. M. et alii -

    Gramtica da lngua portuguesa. Lisboa, Caminho, pp. 128-177.

  • 35

    PERES, J. (1996) Sobre a semntica das construes perfectivas do

    portugus. In: DUARTE, I. e LEIRIA, I. Congresso internacional sobre o portugus.

    Lisboa, Colibri, vol. II.

    RINGBOM, H. (1987) - The role of the first language in the foreign language

    learning. Clevedon, Multilingual Matters.

    SANTOS, D. (1991) Sobre a classificao aspectual dos verbos portugueses.

    In: Actas do VII Encontro da Associao Portuguesa Lingustica. Lisboa, APL, pp.

    380-401.

    SCHMIDT, R. e LACAZ-RUIZ, R. O uso de provrbios, mximas e

    expresses populares no ensino de ingls. Consultado a 26 de Dezembro de 2007 em

    http://www.hottopos.com.br/videtur12/proverin.htm

    SIM-SIM, I. et alii (1997) A lngua materna na educao bsica. Lisboa,

    Ministrio da Educao, DEB.

    SIM-SIM, I. (1995) Desenvolver a linguagem, aprender a lngua. In: Novas

    Metodologias em educao. Porto, Porto Editora, pp 199-226.

    SIM-SIM, I. (1998) Desenvolvimento da linguagem. Lisboa, Universidade

    Aberta.

    SMITH, C. (1991) The parameter of aspect. Dordrecht, Kluwer Academic

    Publishers.

    SOARES, M. (1987) A semntica do aspecto verbal em russo e em portugus.

    Rio de Janeiro, Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

    TLASKAL, Jr. (1983) Observaes sobre tempos e modos em portugus..

    In: CAVALHO, J. H. e SCHMIDT-RADEFELDT, J. (1984) - Estudos da lngua

    portuguesa. Col. Lingustica 1. Coimbra, Coimbra Editora, pp. 237-255

    TOMATIS, A. (1991) Todos nascemos poliglotas. Lisboa, Instituto Piaget.

    VERKUYL, H. (1972) On the compositional nature of aspects. Reidel,

    Dordrecht.

    VERKUYL, H. (1989) Aspectual Classes and Aspectual Composition. In:

    Linguistics and Philosophy, n 1, vol. 12, pp. 39-94.

    VERKUYL, H. (1993) A theory of aspectuality: the interaction between

    temporal and atemporal structure. Cambridge, Cambridge University Press.

  • 36

    ANEXOS

    TESTE 1

    Identificao:

    Sexo: ________________________ Idade: ________________

    Nacionalidade: _______________ Lngua Materna: __________________

    Tempo de residncia em Portugal: _________________________________

    Local onde reside: _______________________________________________

    1- Todos ns j tivemos episdios na nossa vida que nos marcaram, episdios engraados, episdios tristes, viagens Conta um desses episdios da tua vida. 2- Completa os espaos em branco, utilizando o verbo indicado no tempo adequado. Antigamente, eu _______________ (ir) bastante ao cinema. ________ (ser) fascinante. Um dia, o meu irmo mais novo ___________ (pedir) para ir comigo e eu _________ (aceitar). Quando ns _______________ (chegar) e __________ (entrar) na sala, ele _________ (estar) encantado com tudo o que ________ (ver) sua volta. Depois do filme, ______________ (regressar) a casa e, como ________________ (estar) com fome, ______________ (procurar) na cozinha, mas no _______________ (haver) nenhuma comida. _______________ (estar) tudo muito arrumadinho. _______________ (ser) preciso preparar o jantar!

    3- Elabora um pequeno texto, onde relates/descrevas (no passado) as imagens que te so

    apresentadas.

  • 37

    TOME/JANRY, Le Petit Spirou Noublie pas ta capuche !, n6, p.44. Dupuis, 1996

  • 38

    TESTE 2

    Identificao:

    Sexo: ________________________ Idade: _________________

    Nacionalidade: _______________ Lngua Materna: ___________________

    Tempo de residncia em Portugal: __________________________________

    Local de residncia: _______________________________________________

    1- Faz o relato de uma das tuas idas praia nas frias de Vero e descreve tudo o que viste. 2- Completa os espaos em branco, utilizando o verbo indicado no tempo adequado. Quando __________ (ser) mais nova __________ (ir) muito praia, pois ____________ (ter) mais tempo. Depois dos dezoito anos, ______________ (arranjar) emprego, porque __________ (precisar) de ganhar dinheiro. Mais tarde, como ___________ (ter) dinheiro, ________________ (comprar) um carro e ____________ (fazer) um emprstimo para comprar casa. Tudo ________________ (parecer) perfeito: _________ (ter) emprego, casa e carro e __________ (fazer) amigos com facilidade. 3- Elabora um pequeno texto, onde relates/descrevas (no passado) as imagens que te so

    apresentadas.

  • 39

    HERG, As Aventuras de Tintim O Caranguejo das Tenazes de Ouro, p.1. Difuso Verbo, 2000