of 12/12
IX MOSTRA DE CIÊNCIAS E CRIATIVIDADE IX MOSTRA DE CIÊNCIAS E CRIATIVIDADE IX MOSTRA DE CIÊNCIAS E CRIATIVIDADE O MARAVILHOSO MUNDO DOS INSETOS O MARAVILHOSO MUNDO DOS INSETOS O MARAVILHOSO MUNDO DOS INSETOS

O MARAVILHOSO MUNDO DOS INSETOS

  • View
    3.539

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Trabalho apresentado por ocasião da IX Mostra de Ciências & Criatividade do CEMOL - Centro Educacional Monteiro Lobato - S.Gonçalo - RJ - Brasil, em outubro de 2005, pelos alunos da Turma 1.602 - 6-série, a saber:* HUGO RIBEIRO DA IGREJA* MATHEUS PINHEIRO PINTO* CAUÊ CEDAR BORGES SILVA REIS* DIOGO NAVARRO COSTA GUEDES* ALINE CARVALHO LAMANNA* RAIZA MARQUES SAMPAIO

Text of O MARAVILHOSO MUNDO DOS INSETOS

IX MOSTRA DE CINCIAS E CRIATIVIDADE IX MOSTRA DE CINCIAS E CRIATIVIDADE

O MARAVILHOSO MUNDO DOS INSETOS O MARAVILHOSO MUNDO DOS INSETOS

1- A Importncia dos Insetos na Natureza:No planeta Terra, de cada 100 espcies de animais 73 so Insetos. No planeta Terra, de cada 100 espcies de animais 73 so Insetos. Existem trs vezes mais espcies de insetos do que de todos os demais animais juntos. A cincia Existem trs vezes mais espcies de insetos do que de todos os demais animais juntos. A cincia identificou 800 mil espcies de insetos, classificados em 27 grupos que caracterizam sua diversidade. identificou 800 mil espcies de insetos, classificados em 27 grupos que caracterizam sua diversidade. Os insetos podem ser encontrados em quase todos os ecossistemas do planeta, mas s um pequeno Os insetos podem ser encontrados em quase todos os ecossistemas do planeta, mas s um pequeno nmero de espcies se adaptaram vida nos oceanos. nmero de espcies se adaptaram vida nos oceanos. A cincia que estuda os Insetos aa Entomologia. Atualmente, oo estudo dos insetos ganhou A cincia que estuda os Insetos Entomologia. Atualmente, estudo dos insetos ganhou propores muito importantes, havendo interesse de conhecer esses animais nas reas agrcola, propores muito importantes, havendo interesse de conhecer esses animais nas reas agrcola, florestal, veterinria, mdica, sanitria, forense, etc. florestal, veterinria, mdica, sanitria, forense, etc. Muitos insetos so considerados daninhos porque transmitem doenas (mosquitos, moscas), Muitos insetos so considerados daninhos porque transmitem doenas (mosquitos, moscas), danificam construes (cupins) ou destroem colheitas (gafanhotos, gorgulhos) eemuitos entomologistas danificam construes (cupins) ou destroem colheitas (gafanhotos, gorgulhos) muitos entomologistas se preocupam com vrias formas de lutar contra eles, por vezes usando inseticidas mas, cada vez se preocupam com vrias formas de lutar contra eles, por vezes usando inseticidas mas, cada vez mais, investigando mtodos Biolgicos. mais, investigando mtodos Biolgicos.

Foto 1: Escaravelho

Foto 2: Mosquito

Foto 3: Gafanhoto

1- A Importncia dos Insetos na Natureza (continuao): Apesar destes insetos prejudiciais terem mais ateno, aamaioria das espcies so benficas Apesar destes insetos prejudiciais terem mais ateno, maioria das espcies so benficas para oohomem ou para oomeio ambiente. Muitos ajudam na polinizao das plantas (como as para homem ou para meio ambiente. Muitos ajudam na polinizao das plantas (como as vespas, abelhas eeborboletas). A polinizao uma espcie de simbiose que d s plantas aa vespas, abelhas borboletas). A polinizao uma espcie de simbiose que d s plantas capacidade de se reproduzirem com mais eficincia, enquanto que os polinizadores ficam com capacidade de se reproduzirem com mais eficincia, enquanto que os polinizadores ficam com oonctar eeooplen. nctar plen. Alguns insetos tambm produzem substncias teis para oohomem, como ooMel, aaCera eeaa Alguns insetos tambm produzem substncias teis para homem, como Mel, Cera Seda. As abelhas eeos bichos-da-seda tm sido criados pelo homem h milhares de anos. Em Seda. As abelhas os bichos-da-seda tm sido criados pelo homem h milhares de anos. Em alguns lugares do mundo, os insetos so usados na alimentao humana, enquanto que alguns lugares do mundo, os insetos so usados na alimentao humana, enquanto que noutros so considerados tabu. As larvas da mosca domstica eram usadas para tratar feridas noutros so considerados tabu. As larvas da mosca domstica eram usadas para tratar feridas gangrenadas, uma vez que elas apenas consomem carne morta eeeste tipo de tratamento est gangrenadas, uma vez que elas apenas consomem carne morta este tipo de tratamento est aaganhar terreno atualmente em muitos hospitais. ganhar terreno atualmente em muitos hospitais. Alm disso, muitos insetos, como os escaravelhos, so detritvoros, alimentando-se de animais Alm disso, muitos insetos, como os escaravelhos, so detritvoros, alimentando-se de animais eeplantas mortas, fazendo oopapel de limpeza eede reciclagem. plantas mortas, fazendo papel de limpeza de reciclagem.

Foto 4: Mosca visitando flor

Foto 5: Formiga Sava

Foto 6: Abelha Domstica

2- Morfologia dos Insetos: O corpo dos Insetos divide-se em 03 partes: aaCABEA, ooTRAX eeooABDOME. ABDOME O corpo dos Insetos divide-se em 03 partes: CABEA CABEA, TRAX ABDOME. O Abdome ee aa parte final do corpo dos insetos, onde se encontra os rgos reprodutores, O Abdome parte final do corpo dos insetos, onde se encontra os rgos reprodutores, excretores eerespiratrio. E composto por vrios segmentos eena juno de um segmento eeoutro h excretores respiratrio. E composto por vrios segmentos na juno de um segmento outro h aberturas que permitem aarespirao do animal. Em insetos, como oovaga-lumes, h uma estrutura aberturas que permitem respirao do animal. Em insetos, como vaga-lumes, h uma estrutura celular, localizada no abdome, responsvel por sua luminescncia (luz fria), que tem como funo celular, localizada no abdome, responsvel por sua luminescncia (luz fria), que tem como funo atrair as fmeas para ooacasalamento. atrair as fmeas para acasalamento. O Trax eeaaparte intermediaria composta por 33segmentos, sendo que cada qual possui 01 par de O Trax parte intermediaria composta por segmentos, sendo que cada qual possui 01 par de patas. No Trax se localizam as asas dos insetos. patas. No Trax se localizam as asas dos insetos. A Cabea eeaaparte onde se encontra ooaparelho bucal, os olhos eeas antenas (responsveis pelas A Cabea parte onde se encontra aparelho bucal, os olhos as antenas (responsveis pelas funes de tato eeolfato). Os olhos so compostos, multifacetados, ooque resulta em um grande funes de tato olfato). Os olhos so compostos, multifacetados, que resulta em um grande campo de viso. campo de viso. Olho de Mosca - -os olhos da mosca tem mais de 6.000 elementos que possibilitam aaviso aa360. Olho de Mosca os olhos da mosca tem mais de 6.000 elementos que possibilitam viso 360. Os insetos pertencem aaclasse dos Artrpodes. Este termo refere-se as patas que nos insetos so Os insetos pertencem classe dosArtrpodes Este termo refere-se as patas que nos insetos so Artrpodes. articuladas ( (Artro=articulao ee Podos= pernas). articuladas Artro=articulao Podos= pernas).Trax Cabea

Abdome

Foto 7: Cabea e olhos de Liblula

Foto 8: Partes do corpo de Formiga Sava

3- Ciclo de Vida dos Insetos:De modo geral, os insetos passam por diferentes fases em seu ciclo de vida. De modo geral, os insetos passam por diferentes fases em seu ciclo de vida. Ao nascer de um Ovo, os insetos assumem aaforma de larvas, lagartas ou ninfas. Nessa fase juvenil, Ao nascer de um Ovo, os insetos assumem forma de larvas, lagartas ou ninfas. Nessa fase juvenil, oo maior objetivo do animal ee devorar oo Maximo de alimentos para aumentar oo seu tamanho ee maior objetivo do animal devorar Maximo de alimentos para aumentar seu tamanho desenvolver-se. desenvolver-se. Em algumas espcies de insetos existe uma fase intermediaria entre aaforma larval eeaaadulta. E aa Em algumas espcies de insetos existe uma fase intermediaria entre forma larval adulta. E fase de pupa ou ninfa, onde oo inseto encasula-se para que ocorram as mudanas morfolgicas ee fase de pupa ou ninfa, onde inseto encasula-se para que ocorram as mudanas morfolgicas fisiolgicas, originando um individuo adulto, dando assim por encerrado oo processo conhecido por fisiolgicas, originando um individuo adulto, dando assim por encerrado processo conhecido por Metamorfose. Metamorfose. Em outras espcies, aps aaecloso dos ovos, origina-se um individuo muito semelhante aa forma Em outras espcies, aps ecloso dos ovos, origina-se um individuo muito semelhante forma adulta, porem com caractersticas de imaturidade (no apresentam asas). So as Ninfas, que aps adulta, porem com caractersticas de imaturidade (no apresentam asas). So as Ninfas, que aps sucessivas trocas de roupas (ecdise) acabam transformando-se em individuo adulto. sucessivas trocas de roupas (ecdise) acabam transformando-se em individuo adulto. O Inseto Adulto tem como maior objetivo aareproduo, que, assim, reinicia oociclo de vida da espcie. O Inseto Adulto tem como maior objetivo reproduo, que, assim, reinicia ciclo de vida da espcie.

Foto 9: Ciclo de Vida e Metamorfose da Borboleta

Foto 10: Ciclo de vida do Mosquito

Foto 11: Ciclo de Vida da Mosca Domstica

4- A Organizao Social dos Insetos:organizadas que so por vezes consideradas superorganismos. organizadas que so por vezes consideradas superorganismos. As colmias normalmente esto divididas em castas, onde cada ser est devidamente adaptado para As colmias normalmente esto divididas em castas, onde cada ser est devidamente adaptado para exercer sua funo. Genericamente, as colmias esto divididas em trs castas: aacasta fmea da exercer sua funo. Genericamente, as colmias esto divididas em trs castas: casta fmea da Rainha; aacasta fmea das Operrias eeaacasta dos machos os Zanges. Rainha; casta fmea das Operrias casta dos machos os Zanges. A diferenciao entre as castas femininas dar-se- posteriormente fecundao, quando os A diferenciao entre as castas femininas dar-se- posteriormente fecundao, quando os indivduos j estiverem na fase larval. Nesta fase, aalarva fmea escolhida para ooposto de nova rainha indivduos j estiverem na fase larval. Nesta fase, larva fmea escolhida para posto de nova rainha receber um alimento especial, aa Gelia Real. As castas da Rainha ee dos Zanges tem funes receber um alimento especial, Gelia Real. As castas da Rainha dos Zanges tem funes restritas praticamente ao processo de reproduo. Na poca indicada, aa Rainha escolhe alguns restritas praticamente ao processo de reproduo. Na poca indicada, Rainha escolhe alguns Zanges para ooprocesso denominado pelos especialistas como Revoada Nupcial Zanges para processo denominado pelos especialistas como Revoada Nupcial Algumas espcies de insetos, como as formigas e as abelhas, vivem em sociedades to bem Algumas espcies de insetos, como as formigas e as abelhas, vivem em sociedades to bem

Foto 12: Abelha colhendo nctar de flor

Foto 13: Abelhas se comunicando na Colmia

Foto 14: Antena: orgo sensorial dos insetos

4- A Organizao Social dos Insetos (continuao): A casta das Operrias tem vrias funes como: A casta das Operrias tem vrias funes como: 1.Coleta de materiais para elaborao do mel ooplen eeoonctar, elementos que constituem oo 1.Coleta de materiais para elaborao do mel plen nctar, elementos que constituem mel, coletado pelas operrias; mel, coletado pelas operrias; 2. Produo de mel oo mel produzido aapartir da mistura de nctar, plen eesaliva. O material 2. Produo de mel mel produzido partir da mistura de nctar, plen saliva. O material misturado na boca das operrias eedepositado nos alvolos da colmia. misturado na boca das operrias depositado nos alvolos da colmia. 3.Produo da gelia real - -A gelia real produzida pelas operrias. Entretanto, aarainha oferece 3.Produo da gelia real A gelia real produzida pelas operrias. Entretanto, rainha oferece uma secreo mandibular s operrias que serve para inibir sua fabricao. medida que aa uma secreo mandibular s operrias que serve para inibir sua fabricao. medida que Rainha vai envelhecendo aasecreo dessa substncia inibidora da gelia real diminui, ooque leva Rainha vai envelhecendo secreo dessa substncia inibidora da gelia real diminui, que leva ao surgimento de uma larva moldada para rainha (sucessora do trono); ao surgimento de uma larva moldada para rainha (sucessora do trono); 4. Produo da cera aacera utilizada na arquitetura dos alvolos da colmia. 4. Produo da cera cera utilizada na arquitetura dos alvolos da colmia. 5.Proteo da colmia as operrias so as responsveis pela proteo da colmia de 5.Proteo da colmia as operrias so as responsveis pela proteo da colmia de predadores predadores As abelhas surpreendem pela organizao. Pesquisadores descobriram ooformidvel meio das As abelhas surpreendem pela organizao. Pesquisadores descobriram formidvel meio das abelhas se comunicarem, informando as colegas de colmia informaes sobre possveis fontes de abelhas se comunicarem, informando as colegas de colmia informaes sobre possveis fontes de alimentos. As abelhas do gnero Apis realizam uma verdadeira dana, demonstrando para alimentos. As abelhas do gnero Apis realizam uma verdadeira dana, demonstrando para companheiras aalocalizao da fonte de alimento. companheiras localizao da fonte de alimento.

Foto 15: Abelhas na Colmia

Foto 16: Formiga sava Operria

Foto 17: Comunidade de Cupins

5- teis ou Nocivos Muitos insetos so capazes de provocar pnico, fobia, nojo ee obsesso nas pessoas. Um caso Muitos insetos so capazes de provocar pnico, fobia, nojo obsesso nas pessoas. Um caso especial se d com as mulheres, quando se deparam com alguma Barata. especial se d com as mulheres, quando se deparam com alguma Barata. Apesar desse sentimento pelos insetos ser generalizado, muitas pessoas apreciam eeacham muito Apesar desse sentimento pelos insetos ser generalizado, muitas pessoas apreciam acham muito elegante trajar uma bela roupa de Seda - -um tecido fino eefamoso, fabricado aapartir do fio de uma elegante trajar uma bela roupa de Seda um tecido fino famoso, fabricado partir do fio de uma lagarta encasulada, pronta para concluir aasua Metamorfose. lagarta encasulada, pronta para concluir sua Metamorfose. Os insetos, sem excees, so fundamentais cadeia alimentar, da qual todos os seres vivos fazem Os insetos, sem excees, so fundamentais cadeia alimentar, da qual todos os seres vivos fazem parte, inclusive oohomem. Donos de uma capacidade extraordinria de multiplicao eede adaptao, os parte, inclusive homem. Donos de uma capacidade extraordinria de multiplicao de adaptao, os insetos fazem parte de diversos ambientes. Se por algum motivo esses ecossistemas ficam insetos fazem parte de diversos ambientes. Se por algum motivo esses ecossistemas ficam ecologicamente desequilibrados, os insetos se multiplicam demasiadamente, transformando-se em ecologicamente desequilibrados, os insetos se multiplicam demasiadamente, transformando-se em verdadeiras pragas, passando aa ser nocivos ao homem, nos lares, na agricultura, nos ambientes verdadeiras pragas, passando ser nocivos ao homem, nos lares, na agricultura, nos ambientes urbanos eerurais, etc. urbanos rurais, etc.

Ovo

Foto 18: Controle Biolgico de Pulgo por Joaninhas e Vespas

Foto 19: Barata em plena postura de ovo

5- teis ou Nocivos (continuao): Insetos so grandes competidores com os homens quando ooassunto alimento. Desde aacolheita Insetos so grandes competidores com os homens quando assunto alimento. Desde colheita dos gros at esses alimentos chegarem em nossas casas, muito perdido com as pragas. Esse tem dos gros at esses alimentos chegarem em nossas casas, muito perdido com as pragas. Esse tem sido oo grande desafio da agricultura mundial: oo controle de insetos pragas. As alternativas mais sido grande desafio da agricultura mundial: controle de insetos pragas. As alternativas mais promissoras apontam para oocontrole biolgico, que consiste em povoar um ambiente infestado por promissoras apontam para controle biolgico, que consiste em povoar um ambiente infestado por pragas com os seus inimigos naturais, restabelecendo assim ooequilbrio ecolgico. Como exemplo, pragas com os seus inimigos naturais, restabelecendo assim equilbrio ecolgico. Como exemplo, podemos citar oocontrole de pragas de Pulges atravs da introduo de Joaninhas. podemos citar controle de pragas de Pulges atravs da introduo de Joaninhas. Como tm grande atrao por cores ee odores, em sua busca pelo nctar os insetos acabam Como tm grande atrao por cores odores, em sua busca pelo nctar os insetos acabam auxiliando polinizao das flores, favorecendo fecundao eeproduo de frutas, principalmente.. auxiliando polinizao das flores, favorecendo fecundao produo de frutas, principalmente.. H casos onde os fruticultores colocam colmias de abelhas nos pomares para aumentar aaproduo ee H casos onde os fruticultores colocam colmias de abelhas nos pomares para aumentar produo aaqualidade das frutas produzidas. qualidade das frutas produzidas. Se raciocinarmos melhor poderemos compreender que os insetos so vtimas da injustia humana,, Se raciocinarmos melhor poderemos compreender que os insetos so vtimas da injustia humana,, podendo nos ajudar muito mais do que nos prejudicar. Para tanto, basta oohomem saber relacionar-se podendo nos ajudar muito mais do que nos prejudicar. Para tanto, basta homem saber relacionar-se com esses animais com sabedoria eeinteligncia. com esses animais com sabedoria inteligncia.

Foto 20: Pragas de Gros Armazenados

Foto 21: Vespa polinizando flor

Foto 22: Luminescncia do Vagalume para atrao da fmea

6- Doenas Transmitidas por Insetos aos Seres Humanos:No Brasil, das 03 principais doenas parasitrias, 02 so transmitidas ao homem atravs No Brasil, das 03 principais doenas parasitrias, 02 so transmitidas ao homem atravs de insetos. de insetos.

1. A Febre Amarela uma doena infecciosa aguda, de curta durao, de gravidade 1. A Febre Amarela uma doena infecciosa aguda, de curta durao, de gravidade varivel, causada por vrus eetransmitida por Mosquito do gnero Haemagogus infectado. varivel, causada por vrus transmitida por Mosquito do gnero Haemagogus infectado. 2. O Mal de Chagas uma doena crnica, que pode levar morte. O Percevejo 2. O Mal de Chagas uma doena crnica, que pode levar morte. O Percevejo hematfago, conhecido como Barbeiro oohspede do protozorio causador do Mal de hematfago, conhecido como Barbeiro hspede do protozorio causador do Mal de Chagas, ooTrypanosoma cruzi. noite, ele pica as vtimas eedeixa suas fezes ao lado da Chagas, Trypanosoma cruzi. noite, ele pica as vtimas deixa suas fezes ao lado da ferida. Ao coar, acontece aaforma de contaminao mais conhecida. Recentemente, no ferida. Ao coar, acontece forma de contaminao mais conhecida. Recentemente, no Estado de Santa Catarina, mais de 30 casos da doena foram confirmados, depois da Estado de Santa Catarina, mais de 30 casos da doena foram confirmados, depois da ingesto caldo de cana contaminado. ingesto caldo de cana contaminado.

Foto 23: Barbeiro em reas rurais

Foto 24: Percevejo Hematfago picando

6- Doenas Transmitidas por Insetos aos Seres Humanos (continuao): Os insetos tambm transmitem outras doenas parasitrias, igualmente importantes, dentre as Os insetos tambm transmitem outras doenas parasitrias, igualmente importantes, dentre as quais podemos citar: quais podemos citar: O Dengue uma doena infecciosa causada por um arbovrus, que ocorre principalmente em O Dengue uma doena infecciosa causada por um arbovrus, que ocorre principalmente em reas tropicais eesubtropicais do mundo, inclusive no Brasil. As epidemias geralmente ocorrem no reas tropicais subtropicais do mundo, inclusive no Brasil. As epidemias geralmente ocorrem no vero, durante os perodos chuvosos. O Dengue est se expandindo rapidamente, eeespera-se vero, durante os perodos chuvosos. O Dengue est se expandindo rapidamente, espera-se que nos prximos anos aa transmisso aumente por todas as reas tropicais do mundo. A que nos prximos anos transmisso aumente por todas as reas tropicais do mundo. A epidemia de Dengue tem ooMosquito Aedes aegypti como transmissor. epidemia de Dengue tem Mosquito Aedes aegypti como transmissor. As Moscas domsticas podem transmitir aaFebre Tifide. As Moscas domsticas podem transmitir FebreTifide Tifide. As Pulgas transmitem aaPeste Bubnica As Pulgas transmitem Peste Bubnica

Foto 25: Mosquito Aedes aegypti

Foto 26: Pulga

Foto 27: Mosca Domstica

7- Grupo de Trabalho: Alunos da 6 srie **Turma 1.602 Alunos da 6 srie Turma 1.6021. HUGO RIBEIRO DA IGREJA 1. HUGO RIBEIRO DA IGREJA 2. MATHEUS PINHEIRO PINTO 2. MATHEUS PINHEIRO PINTO 3. CAU CEDAR BORGES DA SILVA REIS 3. CAU CEDAR BORGES DA SILVA REIS 4. DIOGO NAVARRO COSTA GUEDES 4. DIOGO NAVARRO COSTA GUEDES 5. ALINE CARVALHO LAMANNA 5. ALINE CARVALHO LAMANNA 6. RAIZA MARQUES SAMPAIO 6. RAIZA MARQUES SAMPAIO

Outubro de 2005