Click here to load reader

Mais Preza - Correio Do Povo

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Correio Do Povo, Mais Preza

Text of Mais Preza - Correio Do Povo

  • 4 4#

    Qual a moda 2012

    A jornalista e consultora de estilo Ana Fritsch explica que os adultos do futuro no vo ter algo como tal coisa 2012. Pra ela, esse tipo de pensamento j era. No que no tenhamos uma identidade, que somos muitas e ao mesmo tempo. Os estudiosos ainda esto tentando entender este fenmeno, mas acho que a evoluo da tecnologia e a agilidade da Internet so os responsveis por essa mistura. A consultora explica ainda que os blogs de moda contribuem para essa liberdade no vestir. Eles tm disseminado a individualidade e incentivado a criao de looks mais prprios.

    Foto

    s P

    edro

    Rev

    illi

    on

    Crianada nascendo conectada e fotos com tratamento de aplicativo que oferece filtros de mquinas antigas: tecnologia avanada pra usar e abusar do vintage. Quer saber como foi reuniur toda essa gurizada? Confere os bastidores l no blog: maispreza.com.br

    c o m p o r t a m e n t o m s i c a c u l t u r a i n t e r n e t c a r r e i r a c i n e m a m o d a a g i t o

    PORTO ALEGRE,SEXTA-FEIRA,18 de maiode 2012

    Susi [email protected]

    Fotos com filtro dos anos 70 so mais bonitas. Ter uma geladeira antiga, daquelas tipo frigidaire que certamente sua av ti-nha em casa, agora cool. Ouvir vinil nun-ca foi to moderno. Essas afirmaes so reflexos de uma realidade que se vive hoje, agora, nesse momento. Se apropriar de es-tticas e invenes existentes h dcadas o retrato de 2012.

    Tudo que j existiu, que foi moderno e teve seus momentos ureos na poca de nossos pais, hoje parece definir a cara dessa gerao, que vive em uma dcada em que a tecnologia desponta e multiplica recursos para se... voltar no tempo? Sim. Seja pela nostalgia de se viver parte de uma era que foi muito especial ou por ser a traduo do processo multiculturalista fortalecido, usar e abusar do antigo no falta de identida-de, pelo contrrio, tem se tornado uma das maiores caractersticas de agora.

    Para a professora e antroploga da ESPM/RS, Rosana Pinheiro Machado, essa gerao heterognea, fruto de um pro-cesso diversificado, de mltiplas culturas, onde o nico fator comum a tecnologia. Nunca se teve tantos grupos diferentes, tantas possibilidades, e isso contraria toda questo que o mundo homogneo, expli-ca. Partindo desse cenrio, uma tendncia genuna e oriunda dessa movimentao a de segmentao das marcas que, com a proliferao de nichos, tendem a se dedicar cada vez mais a tribos especficas. Estamos num perodo cada vez mais de grupos que se destacam pela diversidade, destaca.

    O que vai deixar aquela saudadeQue todo mundo t na onda retr evidente. Agora vocs j pararam para pensar o que usamos

    e abusamos hoje e pode deixar aquela saudade no corao? certo que alguma ferramenta que hoje sucesso como o Instagram, o Facebook, o Twitter, o Pinterest, no futuro, esteja desativada. Voltar a us-la num futuro distante vai ter um impacto semelhante como tive ao usar o mIRC, acredita Tiago. Ele tambm aposta nos memes da Internet (fenmenos que se popularizam rpido na Web), e no auto-tune, o recurso que usado por cantores para corrigir a melodia, e que virou sucesso ao ser usado em vdeos com pessoas que no so artistas.

    NAMORO na coluna do AlfP

    G.2 O BAIRRISTA

    fala sobre o InterPG.

    3 APLICATIVOS de pegao P

    G.4

    Ah, a nostalgia....

    Reviver um pouco o que marcou uma poca no passado legal, e muito! No tem como fugir disso e a tecnologia dando respaldo, com uma memria que no se tinha h algumas dcadas, acaba sendo o motor da histria recontada. Para o diretor da escola de atividades criativas Perestroi-ka, Tiago Mattos, algumas ferramentas de hoje fatalmente sero supervalorizadas mais adiante, aps deixarem de existir, tal qual j acontece com certas redes sociais. Logo que a Internet comercial chegou ao Brasil, no meio da dcada de 90, se popula-rizou um programa de bate-papo chamado mIRC. Ele teve uma certa relevncia, mas depois ficou para trs com a chegada de novas plataformas, como o ICQ e o MSN. H pouco tempo, reativaram o mIRC e todos os usurios daquela poca sentiram uma sen-sao legal de voltar no tempo. Mesmo que a ferramenta no seja l a melhor do mun-do, o legal experiment-la da maneira que era, conta. Esse comportamento natural, alicerado pelos recursos que se tem atual-mente, s tende a se proliferar. E, ao contr-rio do que se pode deduzir, no configuram pura falta de criatividade. Acredito que essa dcada extremamente criativa. Cria-tividade conectar dois (ou mais) pontos j existentes e encontrar uma terceira leitura e, com a Internet, isso ficou muito mais f-cil, defende Tiago.

    2012mostra a tua cara

    Leia mais na pgina 2

    MsicaPara Marcelo Conter, pesquisador da relao entre msica e tecnologias digitais, a msica

    da nossa poca est viciada em olhar para o prprio passado. Por isso, esse perodo de agora no deve emplacar um estilo musical que o marque, como o grunge e o eurodance na dcada de 90, por exemplo. Conter explica que isso no significa falta de criatividade e que as bandas de hoje so to criativas quanto as anteriores.

  • 2 S e x t a - f e i r a , 1 8 d e m a i o d e 2 0 1 2D

    ivul

    ga

    o/CP

    Factum realiza Escola Aberta

    Amanh , a Factum vai estar de portas abertas pra todo mundo que estiver a fim de dar um up no currculo atravs de oficinas e palestras. Alm de receber estudantes, a faculdade espera a comunidade em geral com verificao de presso arterial gratuita e uma conversa sobre reciclagem e descarte correto de resduos. A programao se inicia s 9h e as inscries podem ser feitas pelo telefone (51) 3212 7600. Confira a programao completa no site escolafactum.com.br.

    Semana Acadmica da Fabico

    Palestras, oficinas e apresentao de trabalhos vo fazer a cabea do povo da Fabico na Semana Acadmica que acontece entre os dias 21 e 25. As inscries devem ser feitas no Diretrio Acadmico por R$ 10 + 1kg de alimento no perecvel para alunos da faculdade e por R$ 15 + o alimento para estudantes de fora da Fabico. Oficina de Photoshop e Cinedebate so algumas das atraes que acontecem das 9h s 22h todos os dias. Informaes: ufrgs.br/fabico.

    Namoros quase casamentoDia desses li um post da Paulinha Pinto

    (no omaluquinho.com.br) sobre relaciona-mentos. No texto, ela diz que os namoros de hoje em dia esto muito srios, que as des-confianas e as cobranas so excessivas, que o encanto da conquista pouco a pouco est se perdendo. Fiquei pensando nisso e cheguei a uma concluso: hoje em dia to difcil encontrar algum, que quando a gen-te encontra quer acorrentar mesmo. J disse isso por aqui, tenho a sensao de que os jo-vens (no geral) esto vivendo o Carnaval 365 dias por ano. uma pegao generalizada nas noites. uma srie de namoros termi-nando. T rolando um arer e ningum me avisou, isso?

    A questo que as mudanas de com-portamento da nossa gerao esto crian-do novas regras para os relacionamentos. Quando no tinha celular, devia ser muito mais fcil namorar. Quando no existiam as redes sociais, era muito mais fcil ter sauda-de. As tecnologias (embora eu as ame) esto, aos poucos, diminuindo cada vez mais as ex-perincias fsicas e isso est refletindo nos namoros. Hoje, o acesso a outras pessoas muito maior, a lei da concorrncia. Vamos voltar MUITO pouco tempo. 2002, apenas dez anos atrs. Saa no sbado, conhecia uma guria na balada, trocava telefone (se ela me desse). Talvez fosse ligar pra ela l na sema-na convidando ela pra fazer algo. Mas se eu sair amanh e conhecer uma guria, mesmo que ela no me diga o seu contato, eu vou encontr-la no Facebook, adicionar e, prova-velmente, vou puxar assunto no domingo. A primeira opo muito mais charmosa e romntica, mas sinto inform-los: j era!

    At as traies eram mais romnticas para serem descobertas (uma coisa mais tango argentino, sabe?). Hoje em dia, uma boa pesquisa nas redes sociais te d direi-tinho o caminho que teu namorado (a) fez. Todo esse controle que temos uns sobre os outros aumentou (e muito) as cobranas e, talvez a intensidade dos namoros aumente para no deixar brecha. Num certo momen-to a Paulinha diz no post: O salto do namo-ro pro casamento t quase inexistente. E, se quer saber, exatamente isso que faz a maioria dos namoros fracassar. Calma. No vamos pr tudo no mesmo pote e bater com liquidificador. O que faz um namoro fracas-sar no saber lidar com todas essas mudan-as e, na verdade ningum, tem culpa, tudo muito novo.

    Sou um romntico dessa vida e no vou desistir de acreditar sempre. Para mim, o grande problema que a gente tem mania de enquadrar tudo. Se fica muito junto grude. Se fica muito separado porque no d bola. Quer saber? Cada um de um jeito. Cada relacionamento deve seguir o que o corao dos dois diz. Vamos deixar os filtros, os esteritipos e tudo que nos cerca e viver o amor? Seria lindo, embora difcil.

    Falamos!

    Esse texto foi originalmente publicado no blog de Guilherme Alf (guilhermealf.com.br) e o seu contedo de responsabilidade do autor.

    Guilherme [email protected]

    Vinil Vinil cool. Segundo pesquisa da empresa Nielsen Soundscape, a venda de discos de vinil cresceu 14% no mundo em 2010. Edies de discos novos, como o N na Orelha, do rapper Criolo, mostram que o formato est longe de desaparecer e tomou flego.

    O que era antigo era mais legal

    legal s porque antigo?

    ouA retromania nada mais do que a apropriao de uma esttica retr, vintage, do que j foi sucesso no passado. O termo foi batizado pelo jornalista americano Simon Reynolds, que afirma que nunca houve uma sociedade na histria humana to obcecada com os artefatos culturais de seu passado imediato como a nossa. E, pasmem, um dos principais aliados dessa realidade a Internet, onde temos milhares de discos, vdeos e textos disponveis, alm da capacidade de armazenar nosso passado imediato como

    nunca antes. A pergunta que fica: ser que isso bom?

Search related