of 17/17
Língua Portuguesa - Revisão Gramatical Aula 1 1 Língua Portuguesa – Revisão Gramatical Adriana Manolio [email protected] Aula 1 Objetivo do curso • Revisar tópicos gramaticais, aplicados à redação oficial, com foco nas dificuldades mais frequentes no uso das regras da norma-padrão da língua portuguesa. Conteúdo programático 1ª aula – Norma-padrão Acordo ortográfico (principais alterações) 2ª aula Pronomes (relativo, demonstrativo e de tratamento) Colocação pronominal. 3ª aula Verbo (flexão do infinitivo, gerúndio, particípio duplo e conjugação de certos verbos). – Acentuação. Conteúdo programático 4ª aula Concordância verbal e nominal 5ª aula Regência verbal e nominal (principais casos) – Crase 6ª aula Pontuação (dois-pontos, aspas, parênteses, colchetes, travessão, ponto e vírgula, vírgula) Conteúdo programático 7ª aula Remissão a texto legal Padronização de grafia (numerais, datas, hora, maiúsculas, abreviaturas, símbolos, siglas) Emprego de certas palavras e expressões (uso recomendável ou a evitar) 8ª aula Uso do porquê Problemas de construção de frases Avaliação individual Avaliação • Exercícios em sala de aula. • Participação e presença. • Avaliação final.

Língua Portuguesa Revisão Gramatical - TCM/SP - · PDF file•Exercícios em sala de aula. ... Mitos sobre o Acordo • ... sílabas diferentes 57 Acentuação

  • View
    217

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Língua Portuguesa Revisão Gramatical - TCM/SP - · PDF...

  • Lngua Portuguesa - Reviso Gramatical Aula 1

    1

    Lngua Portuguesa Reviso Gramatical

    Adriana Manolio

    [email protected]

    Aula 1

    Objetivo do curso

    Revisar tpicos gramaticais, aplicados redao oficial, com foco nas dificuldades mais frequentes no uso das regras da norma-padro da lngua portuguesa.

    Contedo programtico

    1 aula

    Norma-padro

    Acordo ortogrfico (principais alteraes)

    2 aula Pronomes (relativo, demonstrativo e de tratamento)

    Colocao pronominal.

    3 aula Verbo (flexo do infinitivo, gerndio, particpio

    duplo e conjugao de certos verbos).

    Acentuao.

    Contedo programtico

    4 aula

    Concordncia verbal e nominal

    5 aula

    Regncia verbal e nominal (principais casos)

    Crase

    6 aula

    Pontuao (dois-pontos, aspas, parnteses, colchetes, travesso, ponto e vrgula, vrgula)

    Contedo programtico

    7 aula

    Remisso a texto legal

    Padronizao de grafia (numerais, datas, hora, maisculas, abreviaturas, smbolos, siglas)

    Emprego de certas palavras e expresses (uso recomendvel ou a evitar)

    8 aula Uso do porqu

    Problemas de construo de frases

    Avaliao individual

    Avaliao

    Exerccios em sala de aula.

    Participao e presena.

    Avaliao final.

  • Lngua Portuguesa - Reviso Gramatical Aula 1

    2

    Nota e frequncia

    Nota mnima: 5,0

    Frequncia obrigatria: 75%

    =

    2 faltas

    Objetivos desta aula

    1. Norma-padro

    O que norma-padro?

    2. Reforma ortogrfica

    Qual o contexto da mudana?

    Quais as principais alteraes na ortografia?

    Norma-padro

    Gramtica normativa

    X

    Uso dos falantes

    Analisando um caso...

    O pedido do requerente no se enquadra na Lei 11.614/94, exerccio de 2009, posto que o requerente possui mais de um imvel no municpio de So Paulo.

    Posto que

    Gramtica normativa = EMBORA

    Posto que as chuvas tenham atrasado as obras, a data da inaugurao no foi adiada.

    Uso corrente = PORQUE

    O que norma-padro?

    Conjunto de hbitos lingusticos vigentes no lugar ou na classe mais prestigiosa do pas.

    A norma uma fora conservadora na linguagem, mas no impede a evoluo lingustica, que est na essncia do dinamismo da lngua.

    CMARA, Matoso. Dicionrio de lingustica, 1978.

  • Lngua Portuguesa - Reviso Gramatical Aula 1

    3

    O que norma-padro?

    Quem decide o que

    a norma-padro?

    Analisando outro caso...

    a Presidente

    ou

    a Presidenta

    Divergncias...

    Bechara / Luft Em portugus, as duas formas esto corretas,

    mas a feminina a mais usada. (Bechara, 1 nov. 2010)

    Aulete / Napoleo / OESP Substantivo de 2 gneros terminados em nte

    no apresentam variao na terminao.

    Substantivo de 2 gneros

    Sob uma s forma, designam os indivduos dos dois sexos.

    So masculinos ou femininos.

    Distinguimos o gnero pelo artigo ou adjetivo que os acompanham.

    A PRESIDENTE

    O PRESIDENTE

    CEGALLA. Domingos P. Novssima Gramtica da Lngua Portuguesa.

    Rocha Lima

    A fora do uso j consagrou as formas flexionadas:

    infanta

    parenta

    presidenta

    Vocabulrio Ortogrfico da Lngua Portuguesa Volp

    PRESIDENTA s.f.

    PRESIDENTE s.m. s.2g.

  • Lngua Portuguesa - Reviso Gramatical Aula 1

    4

    Machado de Assis

    CAPTULO LXXX / DE SECRETRIO

    [...]

    Na verdade, um presidente, uma presidenta, um secretrio, era resolver as coisas de um modo administrativo.

    Memrias Pstumas de Brs Cubas

    19

    Concluso...

    a Presidente

    e

    a Presidenta

    Lei n 12.605, de 3 de abril de 2012

    Determina o emprego obrigatrio da flexo de gnero para nomear profisso ou grau em diplomas.

    21

    A PRESIDENTA DA REPBLICA Fao saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: [...]

    Lei n 12.605, de 3 de abril de 2012

    22

    Art. 1o As instituies de ensino pblicas e privadas expediro diplomas e certificados com a flexo de gnero correspondente ao sexo da pessoa diplomada, ao designar a profisso e o grau obtido.

    Lei n 12.605, de 3 de abril de 2012

    23

    Bacharel em Letras

    ou

    Bacharela em Letras

    Um ltimo caso!

    paralmpico

    ou

    paraolmpico

  • Lngua Portuguesa - Reviso Gramatical Aula 1

    5

    Volp

    paraolimpada s.f.

    paraolmpico adj.

    25

    FSP

    A formao de "paraolmpico" semelhante de termos como "gastroenterite ", "hidroeltrico", das quais existem formas variantes, em que se suprime a vogal final do primeiro elemento, mas nunca a vogal inicial do segundo elemento: "gastrenterite", "hidreltrico". CIPRO NETO, Pasquale. Paralmpico? Haja bobagem e submisso!. Folha de S. Paulo, 6 set. 2012.

    26

    FSP

    Parece que o Comit Paralmpico Brasileiro adotou a forma paralmpico para se aproximar da grafia do nome do comit internacional (paralympic).CIPRO NETO, Pasquale. Paralmpico? Haja bobagem e submisso!. Folha de S. Paulo, 6 set. 2012.

    27

    Uso da lngua

    O senhor da lngua o uso.

    O dicionrio o cartrio da lngua.

    O dicionrio no deve determinar o que pode ou no pode ser usado; deve registrar o que usado e indicar em que caso ocorre o uso.

    CIPRO NETO, Pasquale. Haddad e o adquam. Folha de S. Paulo, 1 nov. 2012.

    28

    Posto que

    Dicionrio Houaiss

    o emprego de p. que como causal, corrente no Brasil, rejeitado pelos gramticos

    Linguagem burocrtica

    O padro culto nos atos e comunicaes oficiais no implica que se consagre a utilizao de uma forma de linguagem burocrtica =

    linguagem rebuscada;

    expresses e clichs burocrticos;

    formas arcaicas de construo de frases.

  • Lngua Portuguesa - Reviso Gramatical Aula 1

    6

    Acordo Ortogrfico da Lngua Portuguesa

    Principais mudanas na ortografia

    Por que fazer o Acordo?

    Portugus convivia com duas ortografias reguladas por lei: uma brasileira e outra lusitana.

    A duplicidade de ortografia tem razes histricas profundas.

    1911 1 grande reforma ortogrfica, adotada em Portugal e no extensiva ao Brasil.

    32

    Cronograma

    1990 Elaborado o texto do Acordo Ortogrfico da Lngua Portuguesa.

    1995 Brasil ratifica o texto.

    2008 Portugal ratifica o Acordo.

    2008 Decreto 6.583 determinou a implementao do Acordo a partir de 1 jan. 2009.

    33

    Perodo de transio

    No Brasil, o Decreto 7.875, de 27.12.12 :

    Alterou o perodo de transio.

    At 31 de dezembro de 2015.

    Em Portugal, o Acordo entrou em vigor em 13.5.2009.

    O perodo de transio de 6 anosterminou em 12.5.2015.

    34

    Sobre o Acordo

    No se trata de uma unificao da lngua, mas da ortografia.

    [...] a ortografia o conjunto de convenes que regula a representao dos sons da fala na escrita, o conjunto de regras que determina como se escrevem as palavras.

    35

    FIORIN, Jos Luiz. Acordo tem valor simblico e alcance poltico. Folha de S. Paulo, 1 jan. 2009.

    Ofcio emitido em 1919

    Ao passar s mos de V.Ex. o inclusorequerimento do Sr. Luiz Moreira, serventedeste Gymnasio, cumpre-me dar as seguintesinformaes: o referido funccionario esteverealmente attacado de grippe; por sercontractado no tem ordenado e sim somenteuma gratificao de 100$000 mensaes [...]

    Attenciosas Saudaes

    36

    http://www.arquivoestado.sp.gov.br/viver/poder.php

  • Lngua Portuguesa - Reviso Gramatical Aula 1

    7

    Sistema lingustico

    Ortografia

    Fontica

    MorfologiaSintaxe

    Lexicologia

    Estilstica

    37

    Mitos sobre o Acordo

    [...] a reforma tmida, seria necessrio fazer uma mudana ortogrfica profunda.

    [...] no se trata de uma reforma ortogrfica, mas de um acordo de unificao ortogrfica. Por isso, ela incide apenas sobre os aspectos divergentes das duas ortografias.

    38

    FIORIN, Jos Luiz. Acordo tem valor simblico e alcance poltico. Folha de S. Paulo, 1 jan. 2009.

    Mitos sobre o Acordo

    Diz-se que no houve de fato uma unificao, porque se aceita o princpio da dupla grafia em alguns casos: por exemplo, econmico/ econmico; facto/ fato.

    Essa afirmao um erro porque as duas grafias passam a ser corretas em todos os pases lusfonos.

    39

    FIORIN, Jos Luiz. Acordo tem valor simblico e alcance poltico. Folha de S. Paulo, 1 jan. 2009.

    Questes crticas

    A lei ainda no foi regulamentada em Portugal.

    Pontos obscuros no texto do Acordo.

    Ausncia de vocabulrio ortogrfico comum da lngua portuguesa.

    40

    Portugal

    Resoluo de 9 de dezembro 2010 determinou a aplicao do Acordo Ortogrfico: no sistema educativo no ano letivo de 2011/2012;

    no Governo e na publicao do Dirio da Repblica a partir de 1 de janeiro de 2012 .

    Adotou o Vocabulrio Ortogrfico do Portugus desenvolvido pelo Instituto de Lingustica Terica e Computacional.

    41

    Portugal

    www.portaldalinguaportuguesa.org

    42

    http://www.portaldalinguaportuguesa.org/

  • Lngua Portuguesa - Reviso Gramatical Aula 1

    8

    VOP e um exemplo do desacordo

    43

    VOP e um exemplo do desacordo

    44

    co-herdeiro

    Volp On-line

    www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=23

    Volp On-line

    coerdeiro

    Vocabulrio Ortogrfico Comum da Lngua Portuguesa VOC

    voc.cplp.org/index.php?action=von&csl=all

    47

    Principais mudanas ortogrficas

    http://www.academia.org.br/abl/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=23http://voc.cplp.org/index.php?action=von&csl=all

  • Lngua Portuguesa - Reviso Gramatical