JOVENS COMPARTILHAM OS RESULTADOS DAS SUAS .Ana Cristina Prazeres Mata Pires, Col©gio Estadual Edvaldo

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of JOVENS COMPARTILHAM OS RESULTADOS DAS SUAS .Ana Cristina Prazeres Mata Pires, Col©gio Estadual...

JOVENS COMPARTILHAM OS RESULTADOS DAS SUAS PESQUISAS NO 8 ENCONTRO DE JOVENS CIENTISTAS

No perodo entre os dias 21 e 24 de novembro de 2017 a Universidade Federal da Bahia (Ufba) recebe a 8 edio do Encontro de Jovens Cientistas (EJC),

evento promovido pelo Programa Social

de Educao, Vocao e Divulgao

Cientfica da Bahia. J consolidado no

estado da Bahia, o EJC apresenta como

temtica principal desta vez o Ano

Internacional do Turismo Sustentvel para

o Desenvolvimento, e traz universidade

jovens da educao bsica para

apresentarem seus trabalhos cientficos

desenvolvidos no mbito escolar.

Continuamos com a nossa meta: a Cincia

como Cultura, afirma Rejne Lira, profes-

sora da Ufba e coordenadora do Encontro.

Segundo a pesquisadora, apesar do cres-

cimento da extenso universitria nos

ltimos anos, dedicar eventos como esse

ao pblico jovem ainda inovador, mas

representado por um forte objetivo: que-

remos incentivar jovens cientistas a criar o

Apesar de consolidado na Bahia, o evento mantm o seu carter inovador e continua com a meta de promover a cincia como parte da cultura.

gosto por comunicar suas pesquisas para o

pblico em geral, explica.

Cerca de 480 inscritos de 26 diferentes

instituies participaro do evento ao lon-

go dos seus quatro dias. Para apresentao

dos 120 trabalhos submetidos, so quatro

diferentes categorias: Jovens Reprte-

res Cientficos, para a apresentao de

trabalhos em vdeo, Cincia Ldica, para

a apresentao de jogos, Vida de Jovem

Cientista, para a apresentao de comu-

nicaes orais e Gabinete de Curiosidades

Cientficas, para a apresentao de expe-

rimentos. Esta ltima categoria apresenta

uma inovao: os experimentos, que antes

eram apresentados em estandes, agora so

exibidos em vdeos previamente gravados

pelos prprios estudantes.

Tambm faz parte da programao o ciclo

de conferncias O Ser Humano da Cincia,

que este ano recebe o qumico Albertinho

Carvalho, pesquisador da rea de perma-

cultura na Fundao Jorge Duprat Figuei-

redo de Medicina e Segurana do Trabalho

(Fundacentro), e a biloga Favzia Freitas

Oliveira, professora da Ufba e pesquisa-

dora de entomologia forense. Alm disso,

ser realizada uma mesa redonda sobre

os impactos da iniciao cientfica na vida

de jovens pesquisadores e duas peas de

teatro. Para o primeiro dia de evento est

programado tambm o lanamento das

edies 9 e 10 da Revista Jovens Cientis-

tas, publicao de divulgao cientfica do

Programa promotor do Encontro.

Todos os trabalhos apresentados sero

analisados por avaliadores, que podem

fazer questionamentos aos autores. Os

trabalhos com melhor avaliao sero

agraciados no Prmio Jovem na Cincia

na cerimnia de encerramento do evento,

e os primeiros colocados podem ser con-

vidados para serem apresentados na Feira

Brasileira de Cincias e Engenharia (Febra-

ce/USP) e na Cincia Jovem, em Pernam-

buco. Todos os premiados tambm rece-

bem convite da Revista Jovens Cientistas

para publicao.

PERGAMINHO CIENTFICO Informativo Oficial do 8 Encontro de Jovens Cientistas. Programa Social de Educao, Vocao e Divulgao Cientfica da Bahia, Universidade Federal da Bahia. Endereo: Rua Baro de Jeremoabo, 147, Campus de Ondina, Instituto de Biologia. CEP 40.170-290, Salvador/BA. Telefone: (71) 3283-6564. E-MAIL: imprensajovenscientistas@gmail.com. BLOG: www.encontrodejovenscientistas.wordpress.com. COMISSO ORGANIZADORA: Rejne Maria Lira da Silva (coordenadora); Brbara Rosemar Nascimento de Arajo; Caio Vincius de Jesus Ferreira dos Santos; Graciele Oliveira; Jorge Lcio Rodrigues das Dores; Josefa Rosimere Lira da Silva; Rafaela Santos Chaves; Rosely Cristina Lira da Silva; Yukari Figueroa Mise. ASSESSORIA DE IMPRENSA: Mariana Rodrigues Sebastio de Almeida (Jornalista, DRT BA 4260). PROJETO GRFICO/DIAGRAMAO: Mariana Pimentel de Paula. Identidade Visual: Thais Mota.

EditorialEstimados Estudantes, Professores, Conferencistas, Pais e demais participantes,

Estamos vivendo uma crise sem precedentes na his-tria do nosso Pas e foi um grande esforo realizar este evento com e para vocs, mas conseguimos! No h recurso para a educao, para a Cincia, nem para a Tecnologia e por isso mesmo precisamos lutar!

Assim, que temos o prazer de dar as boas vindas, em Salvador da Bahia, a todos os participantes do Encon-tro de Jovens Cientistas (EJC), que est este ano na sua oitava edio.

Continuamos com a nossa meta: a Cincia como Cul-tura! A nossa principal produo , sem dvida, tes-temunhar o crescimento dos estudantes, que muitas vezes chegam tmidos e inseguros, mas com brilho nos olhos e aqui se transformam movidos pelo desejo pelo conhecimento. s/aos Professoras (es), Diretoras (es) e Coordenadoras (es) Pedaggicas (os) da Educao Bsica, Orientandas (os) da Graduao e da Ps-gra-duao, Estagirias (os) e Bolsistas, parceiras (os) nesta jornada, a minha justa homenagem por acreditarem e construrem este sonho conosco.

Este Encontro rene 488 participantes, de 26 Insti-tuies de Ensino pblico e privado: 15 de Salvador (BA), Universidade Federal da Bahia, Colgio Ana Te-reza, Colgio Antnio Vieira, Colgio Anglo-Brasileiro, Colgio Estadual Alfredo Magalhes, Colgio Estadual Ana Cristina Prazeres Mata Pires, Colgio Estadual Edvaldo Brando Correia, Colgio Estadual de Pau da Lima, Colgio Mdulo, Colgio Sartre COC Monet, Colgio Sophia, Escola Djalma Pessoa (SESI Servio Social da Indstria), Ncleo da Criana com Paralisia Cerebral, Sartre-SEB; 11 do interior da Bahia, Centtro de Educao Profissional em Servios e Processos Indus-triais (CEEP Irm Dulce) (Simes Filho), Colgio Santo Antnio de Jesus (Santo Antnio de Jesus), Escola Mu-nicipal Horcio de Matos, Escola Municipal Maria Isa-bel da Siveira, Escola Municipal Therezinha Guerra de Athayde Macedo e Centro Educacional Renato Pereira Viana (Lenis) e Sartre-SEB (Lauro de Freiras); alm das parcerias incrveis com a Associao dos Rema-nescentes do Quilombo de So Francisco do Paraguau (Cachoeira), Cooperativa CEPEL e Centro de Estudos Budistas Bodisatva (Santo Amaro) e Adriana Carib Nunes Marques (Cinco Realizaes e Consultoria) e Associao Gri Gros de Luz (Lenis), aos quais des-de j agradecemos por terem aceitado o convite para participar.

Este um Evento Cientfico, mas tambm Social Edu-cativo e Cidado. Aproveitem a Universidade Federal da Bahia, que abre as portas para ns com 71 anos de histria, orgulho de todos os que moram na cidade do Salvador da Bahia, bero da cincia e da cultura na Bahia.

Prof. Dr. Rejne Maria Lira-da-SilvaCoordenadora do 8 Encontro de Jovens Cientistas

E ste ano foi determinado pela Organizao das Na-es Unidas (ONU) como o Ano Internacional do Tu-rismo Sustentvel para o Desen-volvimento. Por que? Qual a im-portncia de discutir sobre este assunto em 2017?

Primeiro, preciso compreender que o turismo uma atividade que movimenta 10% de toda a economia mundial. J que um nmero significativo, a ONU en-tende que preciso promover dentro dessa atividade tursti-ca o dilogo intercultural. Isso significa promover um dilogo melhor entre povos de manei-ra que o mundo esteja atento ao patrimnio rico que existe graas s diferenas entre as vrias civilizaes. Ter essa compreenso vai ajudar todos os povos a apreciarem as dife-rentes caractersticas entre uns e outros e consequentemente a contribuir para a paz mundial.

Promover o turismo sustent-vel de forma concreta significa que as comunidades locais dos

lugares visitados sejam bene-ficiadas, e principalmente que toda atividade turstica seja feita de maneira que respeite a conservao do patrimnio. Alm de tudo isso, a ideia que turistas aprendam com a rique-za natural e a diversidade do patrimnio cultural de cada lu-gar, o que ajudar as indstrias culturais locais a encontrar no-vos pblicos e mercados para os seus bens e servios.

No ser muito melhor se o turismo ajudar a preservar ao invs de destruir o patrimnio do mundo? Por esse motivo importante discutir sobre o as-sunto nos tempos de hoje. O efeito resultante disso seria a diminuio de preconceitos, o direcionamento da atividade turstica como promotora do desenvolvimento sustentvel e os patrimnios materiais e ima-teriais das civilizaes sendo devidamente salvaguardados. Quer saber mais sobre as ini-ciativas da ONU? Acesse www.unesco.org e informe-se!

3

ENTREVISTA

Bacharel, mestre e doutor em Qumica pela Universidade Federal da Bahia, Albertinho Carvalho atuou por mais de 30 anos como tecnologista na Fundao Jorge Duprat Figueiredo de Medicina e Segurana do Trabalho (Fun-dacentro). Dentre as principais temticas de trabalho do pesquisador esto o desenvolvimento sustentvel e suas nuances, como a permacultura e a bioconstruo. Confira entrevista com o palestrante do Ciclo de Conferncias O Ser Humano da Cincia do 8 Encontro de Jovens Cientistas!

Como pesquisador o senhor caminhou por toda uma trajetria. Conte-nos como ela foi e por que decidiu dedicar parte dos seus estudos temtica do desenvolvimento sustentvel.

Me graduei em qumica e fiz o mestrado e o doutorado, sempre na UFBA... Me especializei em avaliaes atmosfricas de agentes qumi-cos em ambientes de trabalho e atuei, por 33 anos, no laboratrio qumico de higiene indus-trial da Fundacentro, um rgo do Ministrio do Trabalho voltado para estudos e pesquisas em Segurana e Sade do Trabalhador, onde me aposentei h dois anos.

A insustentabilidade dos processos de trabalho