IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO NO S‰CULO XIX.. Imperialismo

  • View
    250

  • Download
    6

Embed Size (px)

Text of IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO NO S‰CULO XIX.. Imperialismo

IMPERIALISMO NO SCULO XIX.

IMPERIALISMO E NEOCOLONIALISMO NO SCULO XIX.Imperialismo

O NeocolonialismoNo sculo XIX, as potncias capitalistas, como EUA, Europa e Japo, entraram em uma disputa por colnias ou reas de influncia na sia, frica, Amrica Latina e Oceania. Esse fenmeno chamado de imperialismo ou neocolonialismo (para diferenciar do colonialismo europeu dos sculos XVI e XVII).Imperialismo ou Neocolonialismo

Os europeus em uma nova onda de colonizao A revoluo industrial se expande por alguns pases da Europa e acaba gerando algumas consequncias (necessidades). O principais fatores do imperialismo praticado no sculo XIX pelas grades potncias foram:Busca por novas reas de investimento de capital ( $ )Mo de obra barata e fartaMercado consumidor para os produtos industrializadosMatria- prima barata/Fonte de energia Escoamento de um excedente populacionalA busca por mercados produtores de matrias-primas (carvo, ferro, cobre, etc.);CONTEXTOSegunda metade do sculo XIX quando a expanso dos pases europeus industrializados leva a partilha dos continentes africano e asitico;

Tambm EUA e Japo exercem atividades imperialistas em suas respectivas regies de influncia.

CAUSASNecessidade de controlar as regies produtoras de matria prima essencial para a indstria capitalista.Necessidade de remanejamento populacional, direcionar as populaes rurais para reas no europeiasConquista de pontos estratgicos de defesa das colnias j existentes. Tipos de controle: Colnias Domnio total do colonizador sobre o colonizado.Ex: ndia, Arglia, Congo e frica do Sul. Protetorados Envolve acordos com o pas dominado. Os governos so exercidos pelas elites locais, porm sofrem intensa influncia das potncias imperialistas que constroem, inclusive, bases militares nessas reas.Ex: Marrocos. reas de influncia No h um governo plenamente controlado pelas grandes potncias. H pouca ou nenhuma presena militar nessas reas.Ex: China e Japo.FORMAS DE DOMNIODIRETACom agentes metropolitanos ocupando os principais cargos governamentais.

Ex: Inglaterra na ndia.INDIRETAAliana com elites locais, mantendo uma aparente independncia poltica.

Ex: EUA na Amrica Central

Melhorias na produo de mercadorias e dinamizao dos transportes e comunicaesSegunda Revoluo IndustrialQual a importncia das inovaes tcnolgicas da Segunda Revoluo Industrial para as potncias europias no Sculo XIX

The casting of iron in blocks - Herman Heyenbrock [Domnio Pblico]Justificativa:Misso CivilizatriaDarwinismo Social

Tomai o fardo do Homem Branco -Envia teus melhores filhosVo, condenem seus filhos ao exlioPara servirem aos seus cativos;Para esperar, com arreiosCom agitadores e selvticosSeus cativos, servos obstinados,Metade demnio, metade criana. De que trata esse poema? O poeta britnico Rudyard Kipling, em 1899, publicou esse poema intitulado O fardo do homem branco, sobre a conquista dos Estados Unidos sobre as Filipinas. Apesar de seu poema alertar os perigos e os custos envolvidos na ao de conquista, tornava-a, ao mesmo tempo, um nobre empreendimento, sob o ponto de vista da misso civilizatria da raa branca. JUSTIFICATIVASMisso civilizadora:O literato ingls Rudyard Kipling (1865-1936) forneceu amplo material de apoio ao imperialismo de seu pas. Para ele a Inglaterra podia suportar como nenhuma outra nao o fardo do homem branco; em sua obra , The White mans burden, destaca o dever filantropia da ao colonizadora inglesa, como se constata nos versos:Assumi o fardo do homem branco, enviai os melhores dos vossos filhos! Condenai vossos filhos ao exlio para que sejam os servidores de seus cativos.

JUSTIFICATIVASDarwinismo social:Segundo Spencer, a Teoria da Evoluo de Darwin, podia ser perfeitamente aplicada evoluo da sociedade, assim como existia uma seleo natural entre as espcies, com o predomnio dos animais e plantas mais capazes, ela existia tambm na sociedade. A luta pela sobrevivncia entre os animais correspondia concorrncia capitalista; a seleo natural no era mais nada alm da livre troca dos produtos entre os homens; a sobrevivncia do mais capaz, do mais forte era demonstrada pela forma criativa dos gigantes da indstria, que engoliam os competidores mais fracos, em seu caminho para o enriquecimento.

A Gr-Bretanha foi a nao que mais se beneficiou com o imperialismo, chegando a ter sob seu domnio ( direto e indireto ) um tero do planeta. ( Imprio onde o Sol nunca se pe)A atividade imperialista foi justificada na poca, atravs de teorias e conceitos de que o europeu deveria levar os benefcios da civilizao aos povos atrasados.Dentro desta perspectiva o imperialismo aparecia como a realizao de nobres ideias morais, religiosos e humanitrios.O imperialismo na frica Conferncia de Berlim (1884-1885)Definia a partilha da frica em reas de domnio europeu.Alm disso, estabelecia: o estabelecimento de fronteiras artificiais; o livre comrcio na bacia do Congo e do Nger; regras e critrios para anexao de territrios. Ex: A posse de um territrio seria reconhecida mediante o estabelecimento de um protetorado ou de algum tipo de autoridade sobre ele.

CONFERNCIA DE BERLIM(1884 -1885)Objetivo:Elaborao de um conjunto de regras que dispusessem sobre a conquista da frica pelas potncias coloniais da forma mais ordenada possvel.Beneficiados: Inglaterra e Frana. (Maior porcentagem dos territrios) Mapa Cor de Rosa:Ultimato Britnico de 1890.

IMPRIOS NEOCOLONIAIS

Partilha da fricaA expanso tudo; se pudesse, anexaria os planetas. (Cecil Rhodes, ingls) A corrida imperialista teve incio com invaso francesa nos territrios da Arglia Tunsia e Marrocos. Quanto mais perto do Mar Mediterrneo garantiria a melhor sada dos produtos. Conferncia de Berlim (1885)- Partilha da frica

RESISTNCIA AO IMPERIALISMOGuerra dos Bores (1899-1902)Local: Colnia do Cabo (frica do Sul).Motivos: Atrito entre holandeses e alemes que viviam na regio de Joanesburgo. Aps a descoberta de ouro e diamantes na regio houve uma grande migrao para a rea. O forte interesse ingls na regio e a resistncia do africnderes faz o conflito eclodir.Conseqncias: Vitria inglesa e fundao da Unio Sul Africana no ano de 1910 sob controle britnico.Colonizao da sia

CHINA- Um caso particular

Guerra do pio Os comerciantes britnicos passaram a difundir o pio na China, para pagar com cargas de pio as cargas de ch e assim no ter de pagar o ch com dinheiro vivo. A Companhia Britnica das ndias Orientais mantinha intenso comrcio com os chineses, comprando ch e vendendo o pio trazido da ndia. A droga chegou a representar a metade das exportaes britnicas para a China. O primeiro decreto proibindo o consumo de pio datou de 1800, mas nunca chegou a ser respeitado. Em 1839, a droga ameaava seriamente no s as finanas do pas, como tambm a sade dos soldados. A corrupo crescia. A guerra ocorre nos dois anos seguintes com a vitria britnica .

RESISTNCIA AO IMPERIALISMOGuerra do pio (1841- 1842)Local: ChinaMotivos: A dominao inglesa sobre a produo do pio fora o mercado chins a absorver o produto. O vcio dissemina se entre a populao forando as autoridades chinesas a proibir o comrcio do pio e apreender a carga pertencente a Inglaterra. exigida pelos ingleses uma indenizao que no paga e assim ocorre o conflito.Conseqncias: Assinatura do TRATADO DE NANQUIM, que abria cinco portos chineses ao livre comrcio, abolia a fiscalizao chinesa e entregava a Ilha de Hong Kong a domnio ingls. Em 1860 assinado o TRATADO DE PEQUIM que abre mais sete portos ao comrcio internacional.Guerra dos Boxers (1900):Nacionalistas chineses X potncias estrangeiras (ING + FRA + EUA + RUS + ALE + JAP)*Consequncia: reconhecimento das concesses feitas anteriormente aos pases estrangeiros.

Tratado de Nanquim:Aps o fim da Guerra, a China foi obrigada a assinar um tratado que dividia a China em Zonas de Influncia Econmica, alm de conceder Hong Kong Inglaterra. Importante: A China no foi efetivamente colonizada, o que aconteceu foi o estabelecimento de privilgios econmicos para as grandes potncias europeias.

RESISTNCIA AO IMPERIALISMOGuerra dos Cipaios (1857-58)Local: ndiaMotivos: Aps 1848, os ingleses intensificaram o controle sobre a regio impondo uma administrao britnica. A crescente presena britnica desperta o nacionalismo na regio. A revolta sufocada violentamente pelos ingleses no ano de 1858.Conseqncias: Aps a revolta, a ndia passa a ser colnia britnica(DIPLOMACIA DO CANHO).

ERA MEIJI JAPOIsolado at 1542. A chegada da f crist leva cerca de 37 mil cristos japoneses a morte.(1616)Em 1648, o Japo fecha totalmente seus portos e passa a viver em um regime feudal. (feudalismo japons ou xogunato)Atravs da diplomacia do canho, os EUA abrem os portos japoneses em 1854.Ocidentalizao da cultura (militar). despertado um forte nacionalismo ps abertura dos portos.ERA MEIJI JAPOUnio de cls rivais ao xogunato envolta do Imperador.A vitria do imperador sobre o Xogum centraliza a poltica japonesa dando incio a partir de 1868 ao industrialismo e modernizao do Japo, conhecido como ERA MEIJI. Aps a rpida industrializao comea a poltica imperialista sobre a China, objetivando posse da Manchria.Em 1904 ocorre a GUERRA RUSSO-JAPONESA. Vitria japonesa e assinatura do TRATADO DE PORTSMOUTH.IMPERIALISMO ESTADUNIDENSE Doutrina Monroe em 1823. Corolrio Roosevelt ou Big Stick Policy(1901-09) (poltica do grande porrete): Interveno dos EUA nos pases da Amrica Latina.Guerra Hispano Americana (1898).Emenda Platt: D o direito de interveno estadunidense na Ilha de Cuba.Em 1898 anexa a ilha de Porto Rico. Obtm territrios no Pacfico como o Hawai.

IMPERIALISMO NORTE-AMERICANOAs naes recm independentes da Amrica do Sul e da Amrica Central tentavam se esquivar da dominao inglesa e acabavam contando com o apoio norte-americano. O que acabou resultando em uma dominao econmica durante todo o sculo XX.

COLORRIO ROOSEVELT

O presidente norte-americano The