Folheto MAR‡O
Folheto MAR‡O

Folheto MAR‡O

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Folheto MAR‡O

  • so luiz teatro municipal 1 MARportuGal, meu remorsoA pArtir de textos de AlexAndre oneill

    5 A 14 MAR

    Do naturalde W. G. sebAld

    6 E 7PERA

    esterde Antnio leAl MoreirA

    10 E 11 MAR

    peas FrescasescolA superior de MsicA de lisboA

    13 A 15

    pinHo VarGas, Frente e VersoorquestrA MetropolitAnAorquestrA de JAzz do Hot club

    19 A 25 MAR

    o peQueno eYolFde Henry ibsen

    18 A 22 MAR

    as Quatro estaesde Antonio ViVAldiAlis ubbo enseMble

    J

    os

    fr

    Ad

    e

    19 A 25 MAR

    o peQueno eYolFdE hEnRik ibsEn

    27 A 29 MAR

    13 Festa Do Jazz Do so luizA fEstA do jAzz PoRtugus

    lVA

    ro

    ro

    sen

    do

  • tEAtRo PERA

    so luiz teatro municipalrua antnio maria cardoso, 38; 1200-027 lisboatel: 213 257 640; info@teatrosaoluiz.pt

    consulte www.teatrosaoluiz.pt bilhetes venda em www.teatrosaoluiz.pt,

    www.bilheteiraonline.pt e aderentes; bilheteira das 13h s 20h; tel: 213 257 650;

    bilheteira@teatrosaoluiz.pt

    bilhEtEs A 5PARA MEnoREs dE 30 Anos.

    5MEnoREs dE

    30 Anos

    visitas guiadas7 mar e 4 abr

    s 11h00

    25 fev a 1 mar

    portuGal, meu remorsoa partir de textos de alexandre oneillcriao e interpretao: ana nave e Joo reis

    Quarta a sbado s 21h00; domingo s 17h30Sala PrinciPal; m/1212 a 15 (com descontos 5 a 10,50)

    5 a 14 mar

    Do natural de w.g. sebalddireco: miguel loureiro

    Quinta a sbado s 19h00Jardim de inverno; claSSificao a definir 12 (com descontos 5 a 8,40)

    Um espectculo que desafia trs vozes, trs actores para os trs poemas em prosa que formam Do Natural. Um texto que retrata a dimenso do humano, no con-fronto com a natureza a terra, o mar e os astros.Trs personagens cronologicamente desfasadas entre si esto apenas ligadas pelo que o autor chama de luz e demncia do natural, no fundo mais no ser que um questionar da melancolia e da memria ou esqueci-mento perante a efemeridade da vida.

    concepo e direco: miguel loureiroassistncia: Sara Graaimagem: Hibou Gris (Helena nogueira-Silva)desenho de luz: daniel Worm dassumpoSonoplastia: Tiago martinsinterpretao: francisco Goulo, Gonalo ferreira de almeida e miguel loureiro

    co-produo: 3/Quartos e So luiz Teatro municipal

    6 e 7 mar

    esterde antnio leal moreira, diogo dias melgs e sara ross (1989)estdio de pera daescola superior de msica de lisboa

    sexta e sbado s 21h00Sala PrinciPal; m/6em iTaliano leGendado em PorTUGUS12 a 15 (com descontos 5 a 10,50)Para celebrar de forma tradicional a festa judica de Purim, o coro decide mostrar a histria bblica de ester, e escolhe a verso tal como foi apresentada por 5 grandes solistas na corte da rainha d. maria em 1786. Segundo esta histria, ester a rainha escolhida pelo rei assuero sem saber que a mesma judia. ao longo da pea o povo de israel canta a lamentao de Jeremias na verso polifnica e magnfica de melgs.

    composio: antnio leal moreira, diogo dias melgs e Sara rosslibreto: Gaetano martinellidireco musical: Jan Wierzbadireco teatral: luca apreadireco artstica, edio e preparao musical: nicholas mcnairdireco do coro: clara alcobia coelhoSolistas: manuel Brs da costa, carolina figueiredo, Patrycja Gabrel, Pedro cachado, rita marques coro do estdio de pera da escola Superior de msica de lisboa orquestra do estdio de pera da escola Superior de msica de lisboaespao cnico: luca aprea e Stefano riva figurinos: antnio Jos Tenentedesenho de luz e direco tcnica: miguel cruzTraduo: Joo Paulo esteves da Silva

    apoio: Teatro nacional de So carlos e Teatro nacional d. maria ii, antena 2

    co-produo: escola Superior de msica de lisboa e So luiz Teatro municipal

    20 a 26 mar

    entrelinHasde tiago rodrigues e tnan Quito

    sexta a Quinta s 19h00foyer do 1 Balco; m/1210 (com descontos 5 a 7)

    Tiago rodrigues j escreveu vrias vezes para Tnan Quito. agora, tinha que lhe escrever um mon-logo mas, por motivos misteriosos, falhou todos os prazos. foi ento que uma srie de acidentes, to reais quanto literrios, deu origem a entrelinhas, um espec-tculo onde se explica porque que o espectculo que estava previsto no aconteceu. retrato da longa e enigmtica relao entre o autor e o actor, esta pea uma picareta a esburacar o muro que divide a realidade da fico.com uma inter-pretao que lhe valeu a nomeao para o Prmio de melhor actor do ano pela revista Time out, Tnan Quito vem ter com o pblico ao foyer, o lugar onde se espera pelo incio dos espectculos. Porqueentrelinhastambm sobre isso: o que esperamos do teatro.co-criao: Tiago rodrigues e Tnan QuitoTexto: Tiago rodriguesinterpretao: Tnan Quitoconceito de cenrio, luzes e figurino: magda Bizarro, Tiago rodrigues e Tnan QuitoProduo executiva e imagem: magda Bizarroassistncia de produo: rita mendesapoio tcnico: amarlis felizes

    Produo: mundo Perfeito

    19 a 25 mar

    o peQueno eYolFde henrik ibsendrama musicalencenao: manuel wiborg

    Quinta a Quarta s 21h00Sala PrinciPal; m/1212 a 15 (com descontos 5 a 10,50)

    neste espectculo a tragdia da morte de um filho pe em causa o relacionamento de um casal, abordan-do temas como a culpa, a responsabilidade humana e a possibilidade de redeno das personagens. mediante a no realizao individual, o casal deposita os seus sonhos e expectativas na vida do frgil filho. com o terrvel acidente, sofrem ambos, pai e me pela perda do filho e, a certa altura, resolvem retomar sua vida de forma inteiramente nova, juntos. este O Pequeno Eyolf um drama em trs actos e pertence ltima fase de ibsen, considerada pelos crticos como simbolistae mais madura.

    entre o mundo de ibsen e o nosso a msica e o som dos homens tomaram lugar em todos os espaos, envolvendo-nos em todos os gestos. como viver, amar ou fazer o luto rodeado por ininterruptos estmulos sonoros? Situaes e palavras so permanentemente contaminadas por entidades sonoras, musicais, pul-santes, em constante realimentao: a msica tornou--se o nosso cenrio, no h apenas natureza, interior e exterior diluem-se, tudo tocado por msica e som, a morte de um filho, o desgaste do desejo, tudo.

    Texto: Henrik ibsenTraduo: ftima Saadi e Karl erik Schllhammer encenao: manuel Wiborgcenografia e figurinos: lus mourodesenho de luz: Jorge ribeiromsica e direco musical: lus Trigo de Sousafotografia: lvaro rosendodireco de produo: manuel Wiborginterpretao: antnio filipe, carlos antnio, catarina Wallenstein e rita loureiro

    apoio: liceu camesProduo: So luiz Teatro municipal

    10 e 11 mar

    peas Frescas 2015escola superior de msica de lisboa

    tera e Quarta a partir das 18h30TeaTro-eSTdio mrio vieGaS; m/6entrada livre

    criado em 2002 pelo professor lus Tinoco e dirigido desde 2011 pelo professor Srgio azevedo com o apoio de uma task-force composta por alunos volunt-rios, o projecto Peas frescas um laboratrio que permite aos alunos da escola Superior de msica de lisboa experimentar o resultado das suas criaes musicais. Peas frescas vem criar e estabelecer novos dilogos entre criadores e divulgadores da msica e aqueles que a do a conhecer ao pblico. aposta forte essencial para uma formao artstica que se pretende dinmica e completa.

    co-apresentao: escola Superior de msica de lisboa e So luiz Teatro municipal

    27 a 29 mar

    13 Festa Do Jazz Do so luiza festa do Jazz portugusdireco artstica: carlos martins

    sexta das 21h30 s 02h00sbado e domingo das 14h30 s 02h00Sala PrinciPal, Jardim de inverno e TeaTro-eSTdio mrio vieGaS; m/6 passe 1 dia: 15; passe 2 dias: 25; passe 3 dias: 30; passe Jnior/dia (at 18 anos): 7,5

    organizao:associao Sons da lusofoniadireco artstica:carlos martinsdireco de produo:lus Hilrioco-Produo:associao Sons da lusofonia e So luiz Teatro municipal

    toda a programao em: www.sonsdalusofonia.com

    26 mar, Quinta

    antes Da Festa concerto + filmecinema idealentrada livre

    22h00 concerto no Salo ideal: Pedro Branco TrioPedro Branco guitarrademian cabaud contrabaixomarcos cavaleiro bateria00h00 filme Lets Get Lost, de Bruce Weber (1988)Um documentrio sobre a turbulenta vida do trompetista chet Baker.

    31 mar e 1 abr

    ciclo exploratrio De msica traDicionaltera e Quarta a partir das 21h00Jardim de inverno; m/67 sem descontos

    o ciclo exploratrio de msica Tradicional rene seis projectos musicais recentes inspirados nas razes tra-dicionais da msica portuguesa.

    31 mar, tera21h00: Tanira (lisboa | folk/ rock)21h45: lus Peixoto (coimbra | folk/ electrnica)22h15: charanga (PT/ espanha | folk/ electrnica)1 abr, Quarta21h00: orblua (algarve | folk)22h00: P na Terra (Porto | folk Tradicional)23h30: dj antnio Pires

    co-apresentao: ocarina music e So luiz Teatro municipal

    MsicA

    MsicA

    13 a 15 mar

    pinHo VarGas, Frente e VersoorQuestra metropolitana de lisboa e orQuestra de Jazz do hot club

    sexta e sbado s 21h00; domingo s 17h30Sala PrinciPal; m/612 a 15 (com descontos 5 a 10,50)

    antnio Pinho vargas um msico e compositor de grande diversidade e coerncia, qualidades que o acompanham no seu percurso que tem atravessado diferentes estilos e geraes. eminente professor e ensasta, podemos ainda associar a sua obra ao jazz, ao rock e at s bandas sonoras de filmes premiados. neste concerto a orquestra metropolitana de lisboa e a orquestra de Jazz do Hot club trazem ao palco do So luiz a obra de Pinho vargas, nas suas diversas facetas.

    narrador: marcello Urgeghemaestro orquestra metropolitana de lisboa: Wolfgang lischkemaestro orquestra de Jazz do Hot clube: lus cunha

    co-produo: orquestra metropolitana de lisboa, Hot club de Portugal e So luiz Teatro municipal

    lVA

    ro

    ro

    sen

    do

    M

    iGu

    el M

    An

    so

    H

    ibo

    u G

    ris

    18 a 22 mar

    as Quatro estaes De antonio ViValDialis ubbo ensemble