Folheto Informativo

  • View
    219

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Folheto Informativo

Text of Folheto Informativo

  • FisiQuimicus Folheto informativo n 9Maio- Ano 1

    http://fisiquimicus.blogspot.com/

    Medicamentos no combate gripe

    rea de Projecto 12 Ano - A, C, D

    A gripe uma doena aguda do apa-relho respiratrio, transmissvel e causada por um vrus. No h tratamento especfico para a doena, no entanto existe um determi-nado tipo de medicamentos que habitual-mente prescrito para aliviar os seus sintomas e consequncias.

    Antitssicos

    Tal com

    o o prprio nome deixa a

    divinhar, os

    antitssicos, so medic

    amentos cuja principal

    funo reduzir a tosse

    . Tendo em conta o tipo

    de tosse, pode ser usado

    um antitssico puro ou

    expectorante.

    Alguns destes medi

    camentos podem acar-

    retar problemas do f

    oro gastrointestinais,

    diminuio dos reflexos,

    alergias ou impotn-

    cia.

    Princpio activo de alguns antitssi-

    cos...

    Acetilcistena

    Cloridrato de Bromexina

    Este tipo de frmacos no acon-selhado a doentes que tenham asma ou sofram de

    epilepsia. Por todos os efeitos indesejveis que podem acarretar, estes so medicamentos cujo uso repetido e continuado desaconselhado.

    So medicamentos que pod

    em ser encontrados sob a

    forma de com-

    primidos, cpsulas ou xaro

    pes.

  • Anti-inflamatrio

    Os anti-inflamatrios inte-

    gram um grupo variado de medicamentos

    que

    tm em comum a capacidade de controla

    r a

    inflamao, de analgesia e de combate hi

    per-

    termia (febre).

    O cido acetilsalcilico e o ibuprof

    eno,

    so apontados como exemplos deste tipo

    de

    frmacos, embora este ltimo no po

    ssua

    todas as caractersticas patentes num a

    nti-

    inflamatrio.

    Princpio activo de alguns

    antinflmatrios

    cido acetilsalcilico

    Ibuprofeno

    Diclofenaco

    Ainda que no causem dependncia ou depresso respiratria, os anti-inflamatrios no so desprovidos de efeitos adversos. Os efeitos colaterais mais comuns so de ordem gastrointestinal.

    Descongestion

    antes nasais

    So medi

    camentos que

    se apresent

    am sob a

    forma de got

    as, sprays ou

    geles e que co

    ntm ami-

    nas simpatic

    omimticas c

    uja funo

    provocar

    vasoconstri

    o e diminuio

    do fluxo san

    guneo na

    rea nasal, pro

    vocando assim

    a reduo d

    o edema

    que facilita a d

    renagem e au

    mento da ven

    tilao.

    Princpio activo de alguns antinflmatrios

    Efredina Cloreto de sdio

    Quando usado por longos perodos de tem-po pode causar a chamado rinite medicamento-sa. No deve ser administrado a crianas com menos de seis anos.

    Antivirais

    Os medicamentos antivirais, tal como o nome indica, atacam vrus, podendo actuar interferindo com qualquer dos pro-cessos pelos quais passa um vrus para se replicar (reproduo).

    Princpio activo de alguns antivirais

    Aciclovir

    Ribaviri-

  • Os Maus Hbitos

    Apesar de se ter assistido a uma maior instruo das pessoas ao longo dos tempos, a verdade que existem ainda na nossa regio muito hbitos que devem ser mudados. De um inqurito que aplicmos nossa comunidade escolar, conclumos o seguinte:

    A automedicao um mau hbito impreg-nado na sociedade e que agravado quando efectuada com antide-pressivos e antibiti-cos.

    Os inquiridos do sexo

    feminino e com maior grau de formao so quem consome o maior nmero de antide-pressivos.

    Com que medicamentos se costuma automedicar?

    Que tipo de medicamentos costuma consumir?

  • Visita de estudo ao Bial

    No passado dia 22 de Abril, os alunos das turmas A e C, do 12ano, realizaram uma visita de estudo aos laboratrios Bial (Maia), no mbito da rea Curricular no Disciplinar de rea de Projecto Qumica Apli-cada.

    Bial (Portela e C, S.A.) uma empresa do ramo farmacutico, fun-dada a 19 de Abril de 1924. A sede desta empresa que se encontra localizada no dis-trito do Porto compreende as seguintes instalaes: uma unidade industrial e um Centro de Investigao e Desenvolvimen-to. De referir que o grupo Bial possui ain-da uma sede em Bilbau onde est localiza-do um complexo industrial e um centro de I&D bem como em Madrid onde est cen-tralizada a rea administrativa.

    Das reas do Bial, a visita compreendeu as seguintes: Unidade Industrial seco onde se processa a produo de medica-

    mentos para os diferentes mercados onde o grupo Bial opera. Onde foi possvel observar todos os mecanismos necessrios para a produo quer de comprimidos quer de xaropes.

    Departamento de controlo da qualidade - onde garantida e testa-da a qualidade dos medicamentos.

    Armazm - onde so armazenados todos os produtos provenientes quer da empresa quer de outras entidades. O armazenamento realizado atravs de um processo eficientemente informatizado, com recurso a um transelevador.

  • rea de Projecto: Fsica Aplicada

    E passo a passose vai concretizando o nosso projecto...

  • Neste terceiro perodo entramos na ltima fase do nos-

    so projecto, ou seja, a construo da maqueta da Aldeia

    Ecolgica. A maqueta est a ser construda em rea de

    Projecto, na rea de Fsica Aplicada, por 2 grupos de alu-

    nos. Cada grupo ficou encarregado de 2 dos 4 mdulos

    que servem de base maqueta. Como se pode observar

    nas imagens cada par de mdulos tem uma casa, que foi

    construda por cada um dos grupos. Tal como se pode

    observar, as casas j esto perto da sua concluso, faltan-

    do apenas acabamentos elctricos, pinturas e jardim.

    Foi tambm durante o ms de Maio que recebemos o

    material elctrico e portanto, teremos que fazer as ltimas

    experincias finais para assegurar o seu bom funciona-

    mento. Houve tambm uma pequena produo em srie

    de ps para os aerogeradores, pintadas de branco metli-

    co tornando-se assim o mais realista possvel.

    E possvel consultar os nossos progressos e mais deta-

    lhes do projecto, em:

    http://www.fisiqenergy.wordpess.com/

    Alunos de Fsica Aplicada do 12D

  • O Airbag um componente de segurana que os carros possuem e

    funciona de forma simples: quando um carro sofre um grande impacto,

    vrios sensores dispostos em partes estratgicas do veculo (frontal,

    traseiro e lateral) so accionados, emitindo sinais para uma unidade de

    controle que identifica qual o sensor atingido e assim faz accionar o

    airbag mais adequado. Este dispositivo constitudo por pastilhas

    de azoto que so accionadas por uma descarga elctrica pela central

    electrnica dentro de um balo de ar muito resistente, que o prprio

    Airbag. Este, por sua vez, enche-se rapidamente amortecendo o choque

    do embate e evitando que o motorista e os passageiros sofram danos

    fsicos, principalmente no rosto, peito e coluna. Para evitar a asfixia, o

    Airbag vai perdendo presso aps o momento em que accionado.

    2 NaN3(s) 2 Na (s) + 3 N2 (g)

    2 KNO3 (s)+ 10 Na(s) K2O(s) + 5 Na2O(s) + N2 (g)

    Cursos EFA NS Curso A MANUEL RIBEIRO