Estudo Radiologico Pelve e Quadril

  • View
    247

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Estudo Radiologico Pelve e Quadril

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    1/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    2/48

    Movimentos permitidos: mobilidadebidimensional e rotao de uns poucos

    milmetros em conjunto com a

    deformao da pelve quando na

    sustentao de carga

    Snfise pbica

    Classificao: snfise

    Sobotta, 1993

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    3/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    4/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    5/48

    Classificao: articulao plana

    (deslizamentos bilaterais: diartrodial)

    Movimentos permitidos: mobilidade

    bidimensional e rotao de uns poucos

    milmetros em conjunto com adeformao da pelve quando na

    sustentao de carga

    Sacro-ilaca

    Sobotta, 1993

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    6/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    7/48

    ESTUDO PLVICO O cngulo do membro inferior formado pelos dois

    ossos do quadril. O cngulo unido na frente (snfise pbica) mas

    separado atrs (pelo sacro).

    O cngulo do membro inferior e o sacro formam apelve ssea.

    O membro inferior especializado para:

    Sustentao do peso do corpo Controle gravitacional do corpo

    Locomoo

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    8/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    9/48

    LOCALIZAO DA CABEA E COLO DO FMUR

    1 : Desenhar uma linha imaginria1 2 entre dois pontos de reparo,a EIAS e a snfise pbica. A cabeado fmur esta aproximadamente

    4cm ( 2 dedos) abaixo dessa linha.O meio do colo do fmur est cercade 6 cm ( 3 ou 4 dedos abaixo).2: 2,5 cm medial EIAS no nvel da

    margem proximal ou superior dasnfise pblica.

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    10/48

    FEMININA X MASCULINA A forma geral da pelve feminina varia suficientemente da

    pelve masculina para capacitar a discriminao entre elas

    em imagens radiogrficas da pelve. Em geral,a pelvefeminina mais larga, com os lios mais alargados e maisrasos da parte anterior para a posterior. A pelvemasculina mais estreita, mais profunda e menosalargada. Na aparncia global em uma viso frontal, a

    pelve feminina mais larga. Logo, a primeira diferenaentre a pelve masculina e a feminina a diferena naforma geral global da pelve como um todo.Uma segundadiferena importante o ngulo do arco pbico, formado

    pelos ramos inferiores do pbis logo abaixo da snfisepbica. Na mulher, esse ngulo usualmente obtuso oumaior de 90, enquanto no homem o arco pbicousualmente forma um ngulo agudo, menor de 90.

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    11/48

    FEMININA X MASCULINA

    A terceira diferena a forma da entrada ou abertura

    superior. A entrada da pelve feminina usualmente maislarga e mais circular, enquanto no homem ela usualmente mais estreita e com um formato maissemelhante a um corao. A forma geral da pelve variaconsideravelmente de um indivduo para outro, de modoque a pelve de uma mulher esbelta pode ser semelhantea uma pelve masculina. Em geral, no entanto, as

    diferenas so usualmente bvias o suficiente, de modoque o sexo do paciente pode ser determinado por umaimagem radiogrfica da pelve.

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    12/48

    F

    M

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    13/48

    EFEITO DA ROTAO DOS PS DO QUADRIL

    . ROTAO MEDIAL DE 15 A 20 ( POSIO DESEJADA PARA VISUALIZAR PELVE EQUADRIL)

    EIXO LONGITUDINAIS DOS PS COM ROTAO INTERNA DE 15 20;CABEA DOS COLOS FMORAIS EM PERFIL;INCIDNCIA CORRETA EM AP DOS COLOS FMORAIS;TROCANTERES NO VISVEIS OU LIGEIRAMENTE VISVEIS EM ALGUNSPACIENTE;

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    14/48

    ROTAO EXTERNA

    EFEITO DA ROTAO DOS PS DO QUADRIL

    EIXOS LONGITUDINAIS DOS PS LIGEIRAMENTE AFASTADOSLATERALMENTE POR IGUAL;COLOS FMORAIS GRANDEMENTE ENCURTADOS;TROCANTERES MENRES VISVEIS LATERALMENTE.

    EFEITO DA ROTAO DOS PS DO QUADRIL

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    15/48

    EFEITO DA ROTAO DOS PS DO QUADRIL

    ROTAO TPICA DE FRATURA DE QUADRIL:

    EIXO LONGITUDINAL DO P ESQUERDO RODADOLATERALMENTE, E DO P DIREITO EM VERTICAL;TROCANTER MENOR DO MEMBRO ESQUERDO MAISVISVEL E REA DO COLO ENCURTADA.

    ( )

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    16/48

    PELVE AP (BACIA) Posio do Paciente:Deitado sobre a mesa em decbito

    dorsal, com o corpo reto e membros superiores ao lado docorpo;

    Posio da Parte:Alinhar a linha mdio sagital com alinhamdia da mesa, pedir para o paciente que faa uma

    rotao medial dos membros inferiores de 15 20; Raio Central:perpendicular incidindo entre a EIAS e

    snfise pbica;

    Filme:35x43 e/ou 35x35 em transversal;

    DFoFi:100 cm;

    Indicaes:Fraturas e luxaes das articulaes

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    17/48

    PELVE AP ( BACIA)

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    18/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    19/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    20/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    21/48

    PELVE IN LETSADA

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    22/48

    PELVE IN-LETSADA Posio do Paciente:Deitado sobre a mesa em decbito

    dorsal, e membros superiores ao lado do corpo, e inferioresestendidos;

    Posio da Parte:Alinhar a linha mdio sagital com a linhamdia da mesa, observar cuidadosamente para que nohaja rotao da pelve;

    Raio Central:Angulado de 20 35 para homens e 30 45para mulheres, incidindo margem superior da snfise pbicaou trocanteres maiores;

    Filme:35x43 e/ou 35x35 transversal; DFoFi:100 cm;

    Indicaes:traumas e luxaes dos ossos pbicos eisquiticos.

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    23/48

    MTODO DE TAYLOR

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    24/48

    PELVE ENTRADA OUT LET

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    25/48

    PELVE ENTRADA OUT-LET Posio do Paciente:Deitado sobre a mesa em decbito

    dorsal, com os membros superiores ao lado do corpo emembros inferiores estendidos;

    Posio da Parte:Alinhar a linha mdio sagital com a linhamdia da mesa, observar cuidadosamente para que no

    haja rotao da pelve; Raio Central:angulado 40 caudal, incidindo no ponto

    mdio da EIAS;

    Filme:35x 43 e/ou 35x35 em transversal; DFoFI:100 cm;

    Indicaes:Traumatismo plvico e luxao posterior doanel plvico.

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    26/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    27/48

    MTODO DE JUDET

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    28/48

    MTODO DE JUDETPOSTERIOR OBLQUA( ACETBULO)

    Posio do Paciente:Deitado sobre a mesa em decbito

    dorsal, em projeo AP; Posio da Parte:Alinhar a linha mdio sagital do quadril

    de interesse com a linha mdia da mesa, fazer uma oblquade 45 em relao ao lado afetado sendo inferiormente ou

    posteriormente; Raio Central:Perpendicular, incidindo no meio da

    articulao coxofemoral;

    Filme:24x30 longitudinal,com sua metade posicionada emrelao ao RC;

    DFoFi:100 cm;

    Indicaes:Traumas e luxaes de encaixe de cabea de

    fmur e acetbulo.

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    29/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    30/48

    AP DE QUADRIL DIR/ESQ

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    31/48

    AP DE QUADRIL DIR/ESQ Posio do Paciente:Deitado sobre a mesa em decbito

    dorsal, membros superiores ao lado do corpo e inferiores

    estendidos; Posio da Parte:Alinhar a linha mdio sagital do quadril

    de interesse com a linha mdia da mesa, observar para queno haja rotao da pelve faa uma rotao interna de 15 20 da perna de interesse;

    Raio Central:Perpendicular, incidindo na articulaocoxofemoral;

    Filme:24x30 em longitudinal seu meio em relao ao RC; DFoFi:100 cm; Indicaes:Este exame ps operatrio e/ou de

    acompanhamento para avaliar fraturas 1/3 proximal dofmur e encaixe de acetbulo(coxofemoral).

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    32/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    33/48

    MTODO DE DANELIUS MILLER

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    34/48

    MTODO DE DANELIUS-MILLERAXIAL INFERO SUPERIOR(TRAUMA)

    Posio do Paciente:Deitado sobre a mesa em decbito

    dorsal esta incidncia pode ser feito na maca; Posio da Parte:Pedir para o paciente que flexione e

    levante a perna oposta ao ponto que a coxa esteja verticalfora do campo de colimao;

    Raio Central:Axiolateral, em sentido da articulaocoxofemoral, infero-superior;

    Filme:24x30 em transversal, posicionado a parte superiordo quadril;

    DFoFi:100 cm;

    Indicaes:Exame realizado em caso de poli-trauma ecentros cirrgicos para avaliar fraturas e luxaes.

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    35/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    36/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    37/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    38/48

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    39/48

    MTODO DE CLEMENTS NAKAYAMA

  • 8/10/2019 Estudo Radiologico Pelve e Quadril

    40/48

    MTODO DE CLEMENTS NAKAYAMAAXIOLATERAL MODIF