of 15 /15
ERA COLONIAL ERA COLONIAL ERA NACIONAL ERA NACIONAL Arcadis m o (Set e centismo) Barroco (Seisc e ntismo ) Literat ura de i nforma ç ão Pré-mod ernismo Romantismo Romanti s mo Realism o -Natur a lismo Parnasi a nismo Simboli s mo 1ª gera ç ão mod ernista 2ª geração mod e rnista 3ª gera ção mod e rnista Literat u ra con t emporâ nea ROMANTISMO ROMANTISMO Prof. Valéria Prof. Valéria

ERA COLONIAL ERA NACIONAL Arcadismo (Setecentismo) Barroco (Seiscentismo) Literatura de informação Pré-modernismo Romantismo Realismo-Naturalismo Parnasianismo

Embed Size (px)

Text of ERA COLONIAL ERA NACIONAL Arcadismo (Setecentismo) Barroco (Seiscentismo) Literatura de informação...

  • Slide 1
  • ERA COLONIAL ERA NACIONAL Arcadismo (Setecentismo) Barroco (Seiscentismo) Literatura de informao Pr-modernismo Romantismo Realismo-Naturalismo Parnasianismo Simbolismo 1 gerao modernista 2 gerao modernista3 gerao modernista Literatura contempornea ROMANTISMO Prof. Valria
  • Slide 2
  • Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881 Momento histrico: Guerras napolenicas (desdobramento da Revoluo Francesa). O legado da 1 Revoluo Industrial. O liberalismo francs. A vinda da famlia real portuguesa para o Brasil. O perodo Joanino (1808-1821). A Independncia (1822).
  • Slide 3
  • Aspectos centrais: Liberdade de criao e de expresso a liberdade de pensamento e de criao faz do romntico um opositor natural do Classicismo e do Neoclassicismo (Arcadismo). Sentimentalismo supervalorizao do amor o corao a medida mais exata da existncia; o amor o valor supremo da vida. Idealizao a fuga da realidade vai se manifestar ora pela criao de um mundo ideal (cenrios maravilhosos, exticos e luxuosos), ora pela morte. Agradar ao pblico - a literatura romntica reflete o gosto burgus da poca, pblico consumidor-leitor das obras. Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881
  • Slide 4
  • Aspectos centrais: Forte nacionalismo valorizao do passado histrico, da cor local, orgulho pela ptria (ufanismo). Culto natureza a natureza extica, exuberante e riqussima, vista como inspirao, motivo de orgulho, refgio onde o poeta busca conforto e identidade, espelho que reflete o estado da alma do artista. A todos esses sentimentos acrescenta-se a religiosidade, que v a natureza como expresso da fora divina. Indianismo o indgena a figura idealizada do heri nacional: valoroso, nobre, defensor e servidor da mulher amada, que o torna um personagem mtico, com caractersticas do heri branco, de cavaleiro medieval. Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881
  • Slide 5
  • Prosa romntica: Os romances romnticos brasileiros tiveram grande aceitao pelo pblico burgus poca. Caractersticas: Estrutura folhetinesca Maniquesmo: o triunfo do bem e a punio do mal, com inteno moralizante. Literatura de cor local, que procurava detalhar os costumes da poca. Comunho entre a natureza e os sentimentos dos personagens. Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881
  • Slide 6
  • Caractersticas: Personagens lineares (comportamento previsvel) Os protagonistas normalmente so dotados de todas as virtudes fsicas e morais, e os antagonistas so claramente caracterizados como tais. Obedincia seguinte dinmica do amor: Happy End Normalmente, as histrias apresentam Happy End ou um final trgico. Prosa romntica Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881 homem mulher intrigas separao Casal reconciliado
  • Slide 7
  • Prosa romntica: Podemos dividir os romances romnticos em: Urbanos (citadinos ou de costumes) Regionalistas Indianistas Histricos A ao retrata a vida na corte (cidade do Rio de Janeiro) ou adjacncias A ao retrata a vida rural O ndio aparece como protagonista, em seu estado primitivo A ao se ambienta num passado remoto Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881
  • Slide 8
  • Principais autores e obras: Teixeira e Sousa 1 Romance romntico brasileiro: O filho do pescador. Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881
  • Slide 9
  • Principais autores e obras: Joaquim Manuel de Macedo Autor popular Enredos fceis, cenas previsveis, final feliz, trunfo do amor Descreve costumes da sociedade da poca Linguagem simples A moreninha Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881
  • Slide 10
  • Principais autores e obras: Visconde de Taunay Visconde de Taunay Escritor regionalista. Escreveu: A retirada de Laguna, Inocncia Manuel Antnio de Almeida Manuel Antnio de Almeida nica obra: Memrias de um sargento de milcias. Franklin Tvora Franklin Tvora Regionalista nordestino. Opositor de Jos de Alencar. O Cabeleira. Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881
  • Slide 11
  • Principais autores e obras: Bernardo Guimares Bernardo Guimares Criador do romance regionalista. Escreveu: O seminarista (final trgico) A escrava Isaura (final feliz) Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881
  • Slide 12
  • Jos de Alencar 1829, 7 anos depois da Independncia, em Mecejana, no Cear. Filho de ex-padre, que se tornou presidente da Provncia do Cear e Senador do Imprio, Alencar se transfere, com a famlia, aos 9 anos para o RJ. Aos 15 anos, matricula-se nos cursos preparatrios Faculdade de Direito de So Paulo, quando leu o recm publicado romance A Moreninha, cujo sucesso o influenciou na deciso de se tornar romancista. Comea Direito em So Paulo, mas, em 1848, transfere-se para a Faculdade de Direito de Olinda, em Pernambuco. L, na velha biblioteca do Mosteiro de So Bento, encontra a literatura dos antigos cronistas coloniais, como Gabriel Soares de Sousa e Pero Magalhes Gandavo.
  • Slide 13
  • Mais tarde, Alencar ainda se recorda da emoo que foram essas leituras:Uma coisa vaga e indecisa, que devia parecer-se com o primeiro broto do Guarani ou de Iracema, flutuava-me na fantasia. Devorando as pginas dos alfarrbios de notcias coloniais, buscava com sofreguido um tema para o meu romance; ou pelo menos um protagonista, uma cena e uma poca. Forma-se e exerce a profisso. Em 1854, comea a escrever uma seo diria no Correio Mercantil, intitulada Ao Correr da Pena, em que comenta os mais variados assuntos da vida do Rio de Janeiro e do pas. Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881
  • Slide 14
  • Principais autores e obras: Jos de Alencar Consolidador do Romance brasileiro. Valorizava a ptria. Escreveu em todas as modalidades da prosa romntica. Carrega suas obras de adjetivos e de descries pitorescas. Enredos fceis, cenas previsveis, final feliz, trunfo do amor Romances urbanos: Diva, Lucola, Senhora. Romances indianistas: O Guarani, Ubirajara, Iracema. Romances regionalistas: O tronco do Ip, O sertanejo, O gacho. Romances histricos: A guerra dos Mascates, As minas de prata. Era Nacional - ROMANTISMO 1836 - 1881
  • Slide 15
  • ROMANTISMO Prof. Valria