of 49/49
Observe as imagens e responda. 1. Que mudanças ocorreram na produção do espaço urbano do lazer em diferentes escalas e tempos? 2. Que relações de poder estão implícitas na produção do espaço urbano, em especial no tocante ao lazer? 3. Que mudanças ocorreram na produção do espaço urbano no tocante ao lazer em diferentes escalas e tempos? 4. Que relações de poder estão implícitas na produção dos espaços ao lado no tocante ao lazer? 5. Observe as imagens e relacione as noções de território e territorialidade em situações que produzem a qualidade de vida na cidade: (1) Territórios de poder, (2) Territórios das instituições ou Territórios públicos (3) Territórios fora da lei. 6. Observe as imagens acima e comente a frase em destaque. Não deixe que a pobreza se transforme em paisagem.

Cronograma intervenção pip geografia7º ano menor

  • View
    3.237

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Cronograma intervenção pip geografia7º ano menor

  • 1. Observe as imagens e responda. 1. Que mudanas ocorreram na produo do espao urbano do lazer em diferentes escalas e tempos? 2. Que relaes de poder esto implcitas na produo do espao urbano, em especial no tocante ao lazer? 3. Que mudanas ocorreram na produo do espao urbano no tocante ao lazer em diferentes escalas e tempos? 4. Que relaes de poder esto implcitas na produo dos espaos ao lado no tocante ao lazer? 5. Observe as imagens e relacione as noes de territrio e territorialidade em situaes que produzem a qualidade de vida na cidade: (1) Territrios de poder, (2) Territrios das instituies ou Territrios pblicos (3) Territrios fora da lei. 6. Observe as imagens acima e comente a frase em destaque. No deixe que a pobreza se transforme em paisagem.
  • 2. PROCESSOS DE PRESERVAO E DEPREDAO DO TERRITRIO EXPRESSOS NA PAISAGEM. 7. Qual o papel das polticas pblicas na revitalizao dos territrios urbanos preservados e os depredados? 8. Voc acha que s o poder pblico responsvel pela preservao do territrio? Explique 9. Os territrios das Igrejas, as ciclovias, as vias pblicas (ruas) so usadas como territrio de lazer. O que voc acha que pode impedir que o uso desses territrios seja desfrutado plenamente? 10. Identifique na paisagem urbana os espaos de lazer da juventude e dos velhos. 11. Na paisagem urbana existem territorialidades construdas por sujeitos excludos do processo de produo. Que sujeitos so esses? Identifique-os nas imagens. Leitura do texto e problematizao: AS CONTRADIES NO USO DO TERRITRIO A sociedade demarca novas e antigas paisagens caracterizadas, pelo desenraizamento e pela excluso. Seus atores so os sem teto, os refugiados, os camels, as gangues, as prostitutas, os doentes, os pivetes, os mafiosos, os criminosos, os ladres, representando os desterritorializados. Esses grupos sobrevivem nas fronteiras da marginalidade articulam-se com os lugares, criam territorialidades clandestinas chamadas de reterritorializao. Eles se espacializam nos guetos, na rua, nos becos, nos asilos, nos hospitais, nos presdios, nas sarjetas, praas numa relao conflitante com os outros usurios/includos no espao. A mobilidade dos desterritorializados envolvem o espao e o tempo. O espao diurno preenchido pelo comrcio, servios, transportes e pela rotina do trabalho e das compras. O espao noturno ocupado por personagens que atuam na prostituio, em gangues, na mendicncia ou na busca do lazer noturno em bares e cafs. Assim a desterritorializao possibilita a reterritorializao do lugar. A paisagem excluda ganha visibilidade na desterritorializao dos acampamentos dos Sem Terra, no Brasil, dos refugiados balcnicos na Itlia, dos desempregados africanos, na Espanha, nos acampamentos provisrios dos ruandeses na Tanznia; dos palestinos, no Lbano; de curdos na Litunia; dos refugiados sudaneses no Qunia. Anlise do texto: 1- Quais sujeitos desterritorializados (sem territrio) so apresentados no texto? 2- Os grupos que sobrevivem nas fronteiras da marginalidade criam territorialidades clandestinas denominadas de reterritorializao Que espacialidades so criadas por esses sujeitos excludos?
  • 3. SEQUNCIA DIDTICA 1. Introduzir o tema (apenas diga sobre qual assunto sero os trabalhos das prximas aulas ) 2. Sondagem (apresente os conceitos importantes do tpico e sonde sobre o conhecimento prvio dos alunos) 3. Sistematizao: entregue o trabalho para que os alunos encontrem os conceitos importantes do tpico e relacione ao seu significado. Interpretao de textos e imagens sobre o tema. 4. Consolidao: Debate e produo de texto sobre o tema Como as pessoas produzem o seu espao? Como voc acha que se formam os territrios ilegais? Por que as pessoas ficam desterritorializadas? 4. Avaliao: Escrita ou oral (se for oral voc pode usar a dinmica da bolsinha: coloque as perguntas dentro da bolsinha e coloque msica, v parando a msica e o aluno que estiver com a bolsinha quando a msica para responde uma questo) Voc pode cantar...passa a bolsinha, bolsinha j passou quem ficar com a bolsinha coitadinho j danou. 5. Retomada
  • 4. Tema1:Cotidiano de Convivncia, Trabalho de Lazer Tpico 2 : Paisagens do cotidiano Habilidades: 1. Interpretar as paisagens urbanas em suas oportunidades de trabalho e lazer valendo-se de imagens/fotos de tempos diferentes 2. Reconhecer nos cotidianos da paisagem urbana o que a cultura e o trabalho conferiram como identidade de um lugar 3. Identificar como as pessoas tm acesso aos servios de infraestrutura, oportunidades de trabalho, de lazer associando-os aos direitos cidadania. A S S E T O R P R I M A R I O A S D F D A S D S A S D A S P A I S A G E M U R B A N A S D D D A S X C V Z X C B N B V I D A R U R A L F F S S A S D F G E S P A O P U B L I C O R D D A E E M P R E G O Z X G L O B A L I Z A A O S R Z X Z X V B N Z X Z U Z X C V A S D A R T P V D A S D X C X A S D A S D F G H J H F R A I S D E S I G U A L D A D E S O C I A L D A I A A S D F G H J K S O A S D F G F D C S B S O Z F A V E L A S S A T Z X A S D F A S S A A S Z X C X Z A S D A D E S E M P R E G O X L G I A S D F G A S D A A C Q E R T Y U T Q E H E N A S D F G S D F G F N S D F A S D F G H O M T A S D F G A Q U A L I D A D E D E V I D A D E Z X C V B Z X C V Z C E R T Y U I O Z X E O L A S D F Z X C S E T O R T E R C I A R I O C I A S D F G H E S P A C O P R I V A D O Z O O G Z X C V B N A D E S I G U A L D A D E X N T E A S D F G H A S D F E A S D A Z X C V C G I N Z S E T O R S E C U N D A R I O Z X C V W D T I N F R A E S T R U T U R A U R B A N A Q I E A S D F G H J K L Z I P A I S A G E M B W A S Q E R T Y U P E R I F E R I A A S D F N E N A S D F G H J K L Q I E R T Y U I O P A R O C C O N Q U I S T A S C I D A D A N I A S F A S D F M A S S I F I C A O A S D Z X C V Encontre no diagrama os Conceitos principais do Tpico 2 (Paisagens do Cotidiano) (1) PAISAGENS DO COTIDIANO (2) QUALIDADE DE VIDA (3) DESIGUALDADE SOCIAL (4) VIDA RURAL (5) TRABALHO (6) EMPREGO (7) DESEMPREGO (8) ESPAO PBLICO (9) ESPAO PRIVADO (10) FAVELAS (11) PERIFERIA (12) CONQUISTAS DE CIDADANIA (13) SETOR TERCIRIO (14) SETOR PRIMARIO (15) SETOR SECUNDARIO (16) SERVIOS INTELIGENTES (17) GLOBALIZAO (18) ONG (19) INFRAESTRUTURA URBANA (20) MASSIFICAO (21) PAISAGEM URBANA (22) REVOLUO TCNICO- CIENTFICA. (23) PAISAGEM RELACIONE AS PALAVRAS ACIMA COM O SEU SIGNIFICADO QUE EST APRESENTADO ABAIXO. (CONCEITOS PAISAGEM DO COTIDIANO) ( ) so as benfeitorias necessrias para melhorar a qualidades de vida urbana como energia eltrica, saneamento bsico, sistema virio, gua, servios sociais ( ) a influncia dos meios de comunicao rdio, TV, cinema, jornais, revistas, outdoors, propagandas sobre as pessoas ( ) qualquer atividade executada, remunerada ou no. ( ) tudo que se v no espao ( ) so situaes visveis do espao de vida de diferentes lugares todos os dias trabalhos, escolas parques, diverses, discotecas, bares, teatros etc. ( ) o mtodo usado para medir as condies de vida de um ser humano. Envolve o bem espiritual, fsico, mental, psicolgico e emocional e social (sade, educao, poder de compra, habitao, saneamento bsico) ( ) desencadeada pela m distribuio de renda em uma populao, onde se concentra a maioria dos recursos como riqueza, educao, sade e segurana nas mos de uma minoria rica. ( ) um tipo de trabalho remunerado, de vnculo permanente e formal com carteira assinada ( ) a paisagem que se v no campo e as manifestaes de vida e cultura nesse espao. ( ) pessoas profissionalmente inativas em determinada rea ( ) Pertencente ao povo, serve para uso de todos, como praas, parques, escolas, hospitais, etc. ( ) Exclusivo de certas pessoas que no pode ser usado por todos ( ) Aglomerao de casebres em certos pontos dos grandes centros urbanos, construdos toscamente e desprovidos de recursos higinicos; morada da parte mais pobre da populao. ( ) Lugar que fica nos arredores do centro, nos pases subdesenvolvidos so os bairros mais pobres. ( ) atividades de prestao de servio. ( ) atividades desenvolvidas pela indstria ( ) atividades desenvolvidas na agricultura e pecuria ( ) fazer valer seus direitos ( ) a paisagem que se v na cidade, como prdios, rodovias, viadutos. ( ) Organizao No Governamental que age em questes humanitrias ( ) servios mais rpidos e eficientes usando alta tecnologia e novos materiais resultantes dos avanos da Revoluo tcnico-cientfico-informacional, como internet, teleconferncia, pagamentos online, etc. ( ) consiste em mltiplas e rpidas interaes entre indivduos e empresas, ONG e Estados, facilitado pelas novas tecnologias, gerando novas realidades e alterando o curso do processo civilizatrio mundial e tornando as relaes comerciais e culturais entre os pases cada vez mais global. ( ) Ou 3 Revoluo Industrial, que ocorreu na segunda metade do sculo XX, quando a tecnologia de ponta e a robtica, aumenta o processo de produo nas indstrias provocando um enorme desemprego (substituio da mo de obra) e aumentando o lucro dos donos dos meios de produo e das grandes empresas. Est ligada informtica, robtica, telecomunicao, qumica, uso de novos materiais, biotecnologia, engenharia gentica, etc, essa revoluo um dos principais combustveis para o desenvolvimento do capitalismo moderno e especialmente do processo de globalizao
  • 5. 1. Quais oportunidades de trabalho so geradas no campo e na cidade? Cite 5 de cada espao. 2. Em que os servios de infraestrutura, as oportunidades de trabalho e de lazer se relacionam aos direitos cidadania? 3. Quais setores da economia so apresentados nas imagens abaixo? Exemplifique. 4. Quais servios podem ser chamados de inteligentes? 5.Quais diferentes formas de lazer podem acontecer na rea urbana e na rea rural? Cite 5 de cada espao.(Recorte e cole imagens) 6.Que relaes as populaes tradicionais tem com a preservao ao meio ambiente? 7.Relacione as populaes tradicionais Ribeirinhos Caiaras Quilombolas Quebradeiras de coco Indgenas 8 . Que relaes existem entre cultura e trabalho na identidade e preservao de um lugar?
  • 6. Observe a imagem e responda: Que setores da economia so retratados na imagem ao lado? 1. 2. 3. 4. 5. O nmero (1) um representa que fase da evoluo do trabalho? 1 2 3 4 5 Observe as imagens abaixo. Plano Piloto Congresso Nacional Esplanada dos ministrios Palcio do planalto 1.Essas imagens representam que cidade? 2. O que o plano Piloto? 3.Quem fundou essa cidade? 4. Que imagens representam respectivamente a. Executivo b. Legislativo c. Judicirio 5. O monumento Dois candangos uma homenagem a quem? Por qu? 6. Qual o objetivo da construo dessa cidade?Dois candangos Supremo tribunal Federal Monumento JK Centro de Belo Horizonte, planejado. 7. O que a construo do centro de BH tem em comum com a construo da cidade acima? A ________________________ na paisagem urbana, tecida no cotidiano, mostra a inter-relao entre os lugares e por um lado cria novas oportunidades de lazer e revitaliza a cultura, por outro transforma tudo em espao de consumo. Cria novos servios e comrcio, mas encolhe o trabalho. Moderniza os transportes, vias de circulao, infraestrutura urbana, servios de cultura, mas exclui os pobres. Gera os Sem moradia Sem transporte, Sem escolaridade, Sem trabalho Sem sade, etc. 8. Que palavra completa corretamente a lacuna acima (a) Revoluo Industrial (c) Globalizao (b) Desenvolvimento sustentvel (d) Desigualdade social
  • 7. (1) Setor Primrio- est relacionado a produo atravs da explorao de recursos da natureza: agricultura, minerao, pesca, pecuria, extrativismo vegetal e caa. Esse setor fornece matria-prima para a indstria de transformao. A produo e exportao de matrias-primas no geram muita riqueza para os pases com economias baseadas neste setor econmico. (2) Setor Secundrio- o setor da economia que transforma as matrias-primas (produzidas pelo setor primrio) em produtos industrializados (roupas, mquinas, automveis, alimentos industrializados, eletrnicos, casas, etc.). H conhecimentos tecnolgicos agregados aos produtos do setor. Pases desenvolvidos possuem base econmica concentrada nesse setor. A exportao destes produtos gera riqueza. (3) Setor Tercirio- relacionado aos servios. Os servios so produtos no meterias em que pessoas ou empresas prestam para satisfazer determinadas necessidades: comrcio, educao, sade, telecomunicaes, servios de informtica, seguros, transporte, limpeza, turismo, servios bancrios e administrativos, transportes, etc. Este setor marcante nos pases de alto grau de desenvolvimento econmico. Quanto mais rica uma regio, maior a presena de atividades do setor tercirio. Com o processo de globalizao o tercirio foi o setor da economia que mais se desenvolveu no mundo. Entram em destaque os servios inteligentes. 1. Numere as atividades a seguir de acordo com as informaes sobre os setores da economia listados acima. ( ) alfaiate ( ) apicultor ( ) balconista ( ) lavrador ( ) boia fria ( ) costureira ( ) bancrio ( ) mdico ( ) seringueiro ( ) telefonista ( ) metalrgico ( ) pedreiro ( ) faxineira ( ) contador ( ) mecnico ( ) mineiro ( ) gerente ( ) professor ( ) retireiro ( ) pescador ( ) aougueiro ( ) caminhoneiro ( ) montador de carros ( ) padeiro 2. Relacione as caractersticas acima aos setores da economia. ( ) explora recursos da natureza ( ) trabalhadores na agricultura ( ) trabalhadores na indstria ( ) trabalhadores na prestao de servios ( ) fornece matria prima para a indstria ( ) os pases que tem a maioria dos trabalhadores nesse setor so pobres. ( ) por causa da globalizao e dos servios inteligentes esse o setor que mais gera riqueza ( ) quanto mais rico o lugar mais trabalhadores so empregados nesse setor. ( ) exporta produtos industrializados e os pases ricos concentram a economia nesse setor. ( ) exporta matria prima e gera pouca riqueza 3. Considere os lugares de prestao de servios de cultura e lazer. Agncia de Turismo, teatro, museu, cinema, lan house, ciber caf, clubes, livrarias, banca de jornal, espaos de cultura organizados por bancos e outras empresas privadas ou prefeitura local. 2.1- Qual o significado desse espao de lazer e cultura para a cidade? 2.2- Quais eram os espaos de lazer e cultura na cidade h vinte anos? 2.3- Quais foram as mudanas? 2.4- O uso desses servios modifica a vida das pessoas? Promovem outros contatos com outras culturas? Como? 2.5- Que servios de lazer e cultura fazem falta na cidade? 4. Cite 2 servios que so usados no seu espao de vivncia referente a LAZER EDUCAO SADE BANCRIO INFRAESTRUTURA-URBANA TRANSPORTE ALIMENTAO 4.1. Que servios voc acha importante e que a sua cidade ainda no fornece? 4.2. Que servios so oferecidos em sua cidade hoje que no eram oferecidos na poca de seus pais? 4.3. Essas mudanas nos servios contriburam para a melhoria da qualidade de vida das pessoas? Como? 4.4. Que tipos de servios so mais utilizados pelos habitantes das cidades? 5. Cite 3 prestaes de servios mais antigos e 3 mais modernos ANTIGO MODERNO 6. - Produzir um texto coletivo da sala sobre o uso e consumo de servios na cidade. 7. DEBATE : A cultura e o trabalho conferiram uma identidade cidade ou ela se perdeu com o processo de globalizao mundial? A populao tem lutado por seus direitos qualidade de vida na cidade? O processo de globalizao e o uso de servios inteligentes ampliou a viso de mundo e a cultura? Como? H mais justia social nos lugares? Onde? De que forma? A globalizao ampliou o desemprego? Como? Quais as consequncias? Que lugares, regies, pases se beneficiaram com essas mudanas? Por que isso aconteceu? Os fluxos da globalizao dos servios esto presentes em sua cidade, no Brasil e no mundo? Como? A globalizao dos servios provocou uma homogeneizao e massificao da cultura nos lugares? H maior consumo de bens de servios na cidade? E no campo? Quais? Os denominados servios inteligentes esto presentes em sua cidade? Quais? Como atuam? A Globalizao facilita a expanso do turismo; a diversificao e consumo do lazer? Por que? Que confortos so propiciados pelas telecomunicaes? Qual o papel da TV e da mdia na globalizao? Que facilidades so propiciadas velocidade dos meios de transporte? Comente as contradies impostas ao espao da cidade pela globalizao: desemprego, ausncia de qualidade de vida para todos, ampliao dos excludos dos servios. Na vida das pessoas; a diversificao dos servios e oferta de emprego nas cidades;
  • 8. Diferenciar, conceitualmente, paisagem e espao geogrfico. 1- Observe a imagem e responda as questes abaixo: 1-- 2- 3- 1.1)Quais mudanas ocorreram no espao? 1.2)Caracterize espao rural e urbano. 1.3) Defina paisagem natural e paisagem cultural, observando a sequncia das imagens. Explicar o desemprego estrutural como decorrncia do desenvolvimento da sociedade urbano-industrial. Leia as informaes abaixo: Noes de trabalho, emprego e desemprego; Trabalho qualquer atividade executada, remunerada ou no. O emprego um tipo de trabalho remunerado, de vnculo permanente e formal, prestado a uma organizao ou pessoa (domstico). Ento emprego carteira assinada ou emprego pblico. Portanto, quem tem emprego trabalha mas nem sempre quem trabalha tem emprego (carteira assinada). 2. Numere de acordo com as informaes acima: (1) Trabalho (2) Emprego (3) desemprego ( ) limpo a casa para minha me. ( ) Meu pai funcionrio da prefeitura. ( ) Esse fenmeno social observado principalmente em pases subdesenvolvidos cujas economias no conseguem suprir o crescimento populacional. ... ( ) quando algum presta servio, de forma subordinada, pessoal, no-eventual e onerosa. ( ) Inclui o escravo, o servo, o arteso e o proletrio Patrimnios culturais e ambientais Bem, ou conjunto de bens culturais ou naturais, de valor reconhecido para determinada localidade, ou para a humanidade, e que, ao se tornar protegido, pelo tombamento, deve ser preservado para o usufruto de todos os cidados: Os bens culturais e naturais de valor universal excepcional, como as cidades de Ouro Preto, Olinda e o Parque Nacional do Iguau, so includos na Lista do Patrimnio Mundial da UNESCO; "A idia de posse coletiva como parte do exerccio da cidadania inspirou a utilizao do termo patrimnio para designar o conjunto de bens de valor cultural que passaram a ser propriedade da nao." (Maria Ceclia Londres Fonseca, O Patrimnio em Processo, p. 58). 3. Numere os patrimnios acima e depois os identifique pelo nome.: (1) Natural (2) cultural 4. Por que devemos preservar os patrimnios? 5. Para explicar a relao entre atmosfera, hidrosfera, biosfera e hidrosfera, numere as lacunas de acordo com os elementos da natureza (1) Biosfera (2) Litosfera (3) Atmosfera (4) Hidrosfera ( ) guas ( ) vida ( ) ar ( ) pedra ( ) gases que envolvem a terra. ( ) regies continentais ( ) rios, lagos e mares ( ) Terra e crosta terrestre. ( )conjunto de guas da Terra ( )conjunto de gases da Terra ( ) conjunto dos seres vivos da Terra e seus habitats. ( ) protege os organismos vivos dos raios ultravioleta ( ) cobre toda a superfcie da terra, desde o topo do Monte Everest at as profundezas das Fossas Marianas. ( ) constituda por rochas e solo ( ) conjunto dos slidos da Terra ( ) conjunto de todos ecossistemas da Terra. 2- Numere no desenho os elementos da natureza:
  • 9. Produza um texto com a sequncia acima. Em dupla, crie um dilogo apresentando as vantagens de se viver na cidade ou no campo. Cada um da dupla deve defender sua posio. Apresente o dilogo para a turma.
  • 10. Sequncia didtica Introduzir o tpico (Paisagem do cotidiano) apresentando os conceitos bsicos do tpico Sondar os conhecimentos prvios dos alunos sobre os temas que sero trabalhados. Sistematizao: Relacionar os significados aos conceitos importantes do tpico, interpretar imagens e textos sobre os temas do tpico. Consolidao: Produo de texto coletivo e debate sobre o tpico. Avaliao Se necessrio, retomada.
  • 11. Atividades um seguro social, mediante contribuies previdencirias, com a finalidade de prover subsistncia ao trabalhador, em caso de perda de sua capacidade laborativa. As polticas referentes a essa rea so executadas pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O conceito acima se refere a qual direito social? O que significa DIREITO CONSTITUCIONAL? Que conquista feminina aparece entre os direitos apresentados acima? Comente a frase Direitos sociais so aqueles que visam a garantir aos indivduos o exerccio e usufruto de direitos fundamentais, em condies de igualdade, para que todos tenham uma vida digna, por meio da proteo e garantias dadas pelo Estado Democrtico de Direito. Observe as imagens e responda: 5) Quais direitos sociais aparecem na imagem? 6) Voc acha que esses direitos so respeitados no Brasil? Comente. 7) Observe as imagens: Depois de muitas lutas o povo vai conseguindo seus direitos. A que direitos se referem as imagens ao lado? D sua opinio sobre a importncia da conquista desses direitos. 8)Trabalho extraclasse (em grupo, tirar fotos tipo iluso de tica sobre os direitos apresentados e expor na escola em um cartaz) TRABALHO MORADIA PROTEO INFNCIA EDUCA O SADE ASSISTENCIA AO DESAMPARADO ALIMENTAO PREVIDN CIA SOCIAL LAZER PROTEO MATERNIDADE SEGURANA
  • 12. Eixo Temtico I-Tema 1/ Habilidades: Conceituar cidadania e direitos sociais; Reconhecer na paisagem urbana e rural, a cultura, o trabalho e o lazer como identidade de um lugar e direitos cidadania. Ler e interpretar em mapas, dados e tabelas os avanos dos direitos sociais no Brasil e no mundo. Descritores:1,2,3,14,23(port) e 1,32(mat) Z Ramalho. T vendo aquele edifcio moo, ajudei a levantar foi um tempo de aflio eram quatro condues duas pra ir, duas pra voltar hoje depois dele pronto olho pra cima e fico tonto mas me vem um cidado e me diz desconfiado tu ta a admirado ou t querendo roubar? Meu domingo est perdido Vou pra casa entristecido D vontade de beber, E pra aumentar o meu tdio Eu nem posso olhar pro prdio Que eu ajudei a fazer T vendo aquele colgio moo? Eu tambm trabalhei l L eu quase me arrebento Pus a massa fiz cimento Ajudei a rebocar Minha filha inocente Vem pra mim toda contente Pai vou me matricular Mas me diz um cidado Criana de p no cho Aqui no pode estudar Essa dor doeu mais forte Por que que eu deixei o norte? Eu me pus a me dizer L a seca castigava Mais o pouco que eu plantava Tinha direito a comer T vendo aquela igreja moo? Onde o padre diz amm, Pus o sino e o badalo, Enchi minha mo de calo L eu trabalhei tambm L sim valeu a pena Tem quermesse, tem novena E o padre me deixa entrar, Foi l que Cristo me disse, Rapaz deixe de tolice No se deixe amedrontar. Fui eu quem criou a terra, Enchi o rio fiz a serra No deixei nada faltar. Hoje o homem criou asas E na maioria das casas Eu tambm no posso entrar. 1- Anlise da msica: a) Quais os versos que expressam o problema urbano de insegurana pblica e desconfiana nas pessoas? b) Em quais lugares o narrador da msica e sua filha no podem entrar? c) De acordo com a msica, por que pai e filha no podem frequentar esses lugares? d) Por que o cidado diz que a criana no pode estudar na escola? e) Em que momento o nordestino sente mais dor? f) O eu - lrico usa a linguagem do povo. Transcreva um verso que comprove essa fala. 2-Identifique no caa palavras abaixo os direitos humanos assegurados pela Constituio Federal: V L X D Q Q R T Y S S W P O I Z F W E E A E S D E R D B X V E R W G G Q F F O A E C H D R U U F D G H T R R D J F R R R G E H Y E A D S K A A Q A H F J B P A D N N Y S S J G K N A M D W G U C D A H L M O A E A K H I V I H J E J A S N Q S J O D F J K D Y M E M E L K A B G K L U J A D I R O R L N H L A K T O O T O L M R B U S L E A L M P B M C I I K M R A Y U P N T V O Q L K N I F H E D U C A A O G I C G B Y Q Q U C T W A V A N X N R T S I X Y R C D D E C J T U C K V E T V A E T V M O I X L N R Y F Z S B K Q O Z P V D U G I A I D L L A Z E R E J T T L S S O W P Z B F K E S Q S A P E M X J N R L R U D A W R C C D M G T J A 3-Faa um comentrio sobre o Artigo 1 dos Direitos Humanos: Artigo 1 Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razo e de conscincia, devem agir uns para com os outros em esprito de fraternidade. " 4-Leia atentamente a charge e responda a questo a seguir: A charge de Miguel Paiva faz uma crtica falta de respeito ao cidado e nos chama a ateno aos direitos Previstos na nossa Constituio. Enumere os direitos citados pelo autor. -
  • 13. Segregao o ato de segregar, de por de lado, de separar, isolar ou apartar. o processo de dissociao onde as pessoas perdem o contato fsico e social com outras pessoas. Essa separao ou distncia social e fsica oriunda de fatores biolgicos e sociais, como raa, riqueza, educao, religio, profisso, nacionalidade etc. Existem vrios tipos de segregao: etnias, nacionalidades, classes sociais, gnero, de estilo, religiosa. Segregao racial- uma poltica que objetiva separar da sociedade as minorias raciais ou um grupo tnico especfico. Os indivduos ficam restritos a uma regio delimitada e impedidos de usufruir dos seus direitos. Um dos maiores exemplos de segregao racial foi o Apartheid que ocorreu na frica do Sul, onde os negros eram discriminados e foram criadas leis para no frequentaram os mesmos ambientes que os brancos. Depois de sculos, sob a liderana de Nelson Mandela, a luta contra o apartheid foi vitoriosa. Outro exemplo de segregao racial aconteceu nos EUA onde caucasianos (brancos) e afro- americanos (negros) no conviviam. Os afrodescendentes no tinham os mesmo direitos dos brancos. Nos transportes, por exemplo, as pessoas negras tinham que se sentar obrigatoriamente na parte de trs do nibus. Apenas na dcada de 1960 aconteceram movimentos para o fim desse tipo de segregao. Enquanto a segregao racial em larga escala no mais ocorre no mundo ocidental, grupos menores de pessoas ainda raciocinam desta forma. Segregao religiosa pode acontecer quando governos colocam a predominncia de uma religio sobre a outra. Durante a Segunda Guerra Mundial, Adolf Hitler conduziu uma cruel segregao contra os judeus. Seu dio prevaleceu tanto sobre esta religio que pretendia seu extermnio. Atravs da histria, voc pode ver a intolerncia religiosa. Voc tambm pode perceb-la no extermnio dos apstolos cristos h quase dois mil anos atrs e hoje onde grande parte dos conflitos so por causa da intolerncia religiosa como caso do conflito entre Israel e Palestina (judeus e rabes muulmanos). Segregao de classe - Segundo Russell Long, professor de sociologia no Del Mar College, sua classe social influencia em suas chances de conseguir um bom emprego, plano de sade e completar a faculdade. Esse tipo de segregao acontece frequentemente na sociedade. A segregao onde a classe social refora a desigualdade separando os ricos dos pobres. Segregao de gnero - ocorre quando pessoas so simplesmente separadas por seu gnero. Por exemplo, mulheres nos EUA no possuam direito a voto at 1920, no Brasil s puderam votar em 1937. Esse tipo de segregao coloca um como sendo inferior a outro como o caso tambm dos homossexuais. A segregao espacial* e urbana quando as classes sociais ficam concentradas em determinadas regies ou bairros de uma cidade. Essa segregao ocorre em locais onde h uma grande diferena de renda entre os grupos, uns possuem todas as condies de moradia e servios, e outros no possuem nada parecido. H crticas a muitos governos devido a segregao, uma vez que os prprios geralmente priorizam os investimentos e melhorias em reas onde concentra-se a populao com maior renda, aumentando assim a segregao, e ignorando as partes mais pobres da cidade. Os condomnios fechados so um grande exemplo de segregao urbana, uma vez que as pessoas buscam por segurana e tranquilidade, fazendo com que elas vo para determinadas reas da cidade, e construindo muros para proteger as reas perigosas, aumentando ainda mais a segregao. *Segregao espacial - oposio entre o centro e a periferia; favelas e condomnios fechados. ATIVIDADES Que tipo(s) de segregao acontece(m) em cada quadrinho.
  • 14. 2. Interprete a charge acima, o que o Apartheid global? 3. Quais os dois tipos de segregao que so evidenciados na charge acima? 4. Que tipo de segregao evidenciado na charge acima? 5. A imagem acima mostra a segregao na frica do Sul e Entre rabes e Judeus. Explique cada uma. 6. Que tipo de segregao evidenciado na cena acima e em que contexto histrico aconteceu essa cena? 7. A imagem acima mostra um rabe e um judeu abraados. Explique por que essa cena pouco comum. Gente Fina Bruno Drummond Tipos de feminicdio 8. O que os textos acima tm em comum? a) Ambos demonstram a segregao de gnero b) Ambos demonstram a segregao atravs do desrespeito mulher c) Ambos demonstram a segregao atravs de assassinatos a homossexuais d) Ambos demonstram a segregao tnica. 9. Debata sobre os diversos tipos de segregao e depois produza um texto coletivo sobre as concluses a que chegaram.
  • 15. E.E.Dr JOAQUIM VILELA AVALIAO BIMESTRAL DATA:__/__/__ ALUNO (A):___________________________N___ SRIE: ________ PROFESSOR: _________________________ Tpico 3. Cidadania e direitos sociais Tpico 5. Segregao espacial Complementar: VI. Populaes tradicionais 1. Sobre a imagem ao lado podemos concluir que a) a populao brasileira enganada e no sabe lutar por seus direitos b) a populao brasileira no se interessa por politica e no sabe dos problemas sociais existentes c) as manifestaes brasileiras so compostas por vndalos que depredam o patrimnio pblico d) as manifestaes brasileiras so por melhores condies de vida e respeito aos direitos de todos. 2. O esquema ao lado representa a) os direitos das mulheres b) os direitos dos trabalhadores c) o estatuto da criana e adolescente d) os direitos humanos 3. A charge ao lado faz uma crtica (ao) desrespeito aos direitos sociais analfabetismo brasileiro falta de emprego desigualdade social 4. A charge ao lado faz uma crtica a)manipulao que a mdia faz desviando a ateno do brasileiros de problemas importantes e apresentando situaes fteis. b) a falta de interesse dos adultos sobre situaes de proteo ao meio ambiente c) a incapacidade dos adolescentes de fazer alguma coisa que proteja o meio ambiente d) a falta de dilogo entre pai e filho no que se refere a situaes de entretenimento. 5. A populao tradicional apresentada na imagem ao lado so os a) Babaueiros - Extrativistas que tm como base da subsistncia a explorao do babau (palmeira do Norte do Brasil); b) Caboclos - Mestios de negros e ndios que vivem em comunidades rurais; c) Caiaras - Mestios de ndios e portugueses, so pescadores tradicionais da faixa litornea brasileira (SP, RJ, PR); d) Ribeirinhos - Moram na beira de rios e praticam atividades de coleta, caa, pesca e alguma agricultura. Emprego e dignidade Sade de qualidade Abaixo a corrupo
  • 16. 6. As principais caractersticas das populaes tradicionais so a)preservao da cultura e uso sustentvel dos recursos naturais b)desenvolvimento local e modificao da cultura c) luta por incluso da populao a cultura urbana e comercio de artesanatos. d) disputa territorial com o homem branco e luta pela incluso social. 7. O cartaz ao lado representa a) a luta do povo negro, descendentes dos povos trazidos da frica para o Brasil e usados como escravos, pelo fim da discriminao racial. b)a luta do povo Quilombolas - Comunidades rurais negras, formadas por ex-escravos remanescentes dos quilombos, pela posse definitiva de seu territrio; c) a proibio de pessoas brancas de frequentarem terreiros onde so praticados os rituais negros; d) a falta de uma proteo a cultura negra no Brasil e a discriminao social e racial dos afrodescendentes. 8. Sobre a tabela ao lado a alternativa correta a) nos EUA, no houve escravido porque sempre foi um pais desenvolvido b) nos pases africanos no houve escravido, porque no escravizavam pessoas da mesma etnia. c) o Brasil foi o ltimo pas americano a libertar os escravos d) os pases da sia foram os primeiros a libertar os escravos. 9. O grfico acima mostra uma pesquisa feita para saber de quem a responsabilidade pelo fim da segregao racial. Diante do grfico podemos entender que as pessoas responderam que a) um problema de todos, governo e populao b) um problema que deve ser resolvido pelo governo c) no existe segregao racial no Brasil. d) as pessoas so responsveis pelo fim da discriminao racial. 10. Sobre o grfico ao lado pode-se concluir que a) as pessoas que mais sofreram discriminao foram as pobres e as religiosas b) as pessoas que mais sofreram discriminao foram as portadoras de necessidades especiais c) a maioria das pessoas disse que j sofreu algum tipo de discriminao d) no existe discriminao racial no Brasil. Gabarito. 1.d, 2.b, 3.a, 4. a, 5.c, 6.a, 7.b, 8.c, 9.d, 10. a
  • 17. PATRIMNIO E PRESERVAO (PIP 3 semana/07) A criao de uma mentalidade brasileira de preservao dos monumentos e dos stios histricos remonta aos anos de 1930, sob a inspirao do escritor Mrio de Andrade. Sob sua influncia, Getlio Vargas criou o Instituto do Patrimnio Histrico e Artstico Nacional IPHAN em 1932, responsvel pela proteo do patrimnio cultural do pas. O xodo rural dos anos 60/70, foi acompanhado de um perodo de crescimento urbano-industrial e desigualdade social nunca visto. Neste clima de conflito entre preservao e crescimento urbano, os estados e municpios foram convocados a participar do esforo de preservao patrimonial com a criao do IEPHA Instituto Estadual do Patrimnio Histrico e Artstico, como o IEPHA/MG. Os conflitos e contradies entre desenvolvimento e preservao de valores culturais/ ecolgicos, ameaas aos stios histricos e arqueolgicos era tambm um problema mundial. Em resposta, a UNESCO - rgo das Naes Unidas para a Cincia, a Educao e a Cultura -, criou a Conveno do Patrimnio Mundial. O Brasil tem 17 bens patrimoniais tombados pela UNESCO como Patrimnios da Humanidade. Os municpios e comunidades foram efetivamente convocados a participar da preservao patrimonial a partir da Constituio de 1988, como indica o Plano Diretor e de gesto da cidade. PATRIMNIOS BRASILEIROS TOMBADOS PELA UNESCO COMO PATRIMNIOS DA HUMANIDADE 1 - Parque Nacional do Ja - maior parque do mundo em floresta tropical mida e intacta. 2 - A cidade histrica de Ouro Preto, antiga capital das MG, tem origem na descoberta do ouro. Cidade est ligada Inconfidncia Mineira, movimento pela Independncia do Brasil. 3 - O centro histrico de Olinda. 4 - As runas jesutico-guaranis de So Miguel das Misses - RS, antiga regio espanhola, a Provncia Jesutica do Paraguai. 5 - O centro histrico de Salvador - Fundada por Thom de Souza 6 - O Santurio do Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas a obra-prima de Aleijadinho. 7 - Parque Nacional do Iguau - gua grande, em Guarani. 8 - Braslia (Plano Piloto) 9 - Parque Nacional Serra da Capivara - no Municpio de So Raimundo Nonato, PI, foi criado para preservar os vestgios da mais antiga ocupao humana da Amrica do Sul, h cerca de 50 mil anos. 10 - Centro Histrico de So Lus 11 - Diamantina - 12 - Pantanal Mato-grossense - a mais extensa rea mida contnua do planeta. 13 - Costa do Descobrimento - Reserva da Mata Atlntica com excepcional valor do ponto de vista da cincia e da preservao de ecossistema de interesse universal. 14 - Reserva Mata Atlntica - Depois de mais de 500 anos de ocupao, apenas uma rea de 7% da Mata Atlntica ainda permanece de p. 15 - Reservas do Cerrado - O Parque Nacional das Emas e o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, localizados no Estado de Gois. 16 - Centro Histrico de Gois - 17 - O arquiplago de Fernando de Noronha, em Pernambuco 1- Encontre no diagrama os patrimoniais brasileiros tombados pela UNESCO como patrimnios da humanidade P A R Q U E D O J A A S R T Y U I O P Q W E R O Q W E R T Y U I O O P D I A M A N T I N A A S D L S A P S A S A S A S A S D F G H J K L P P O I A A E P A R Q U E D O I G U A U A S A S A S N O S N R Q W E R T Y U I O P O I U Y T R E W Q A D L D T T C O S T A D O D E S C O B R I M E N T O A U A A T Y U U Y Y U I U O P O A S D F G H J K L L C N S O M I G U E L D A S M I S S E S Q S Q S I A S A S A S A H N O R O N E D O D N A N R E F Q T L A A A Z D F G H J K L I B V B N A S A Q A N Q L S S X P L A N O P I L O T O A S D F G H J Q A W V D A C L K J H G G H J H K I U O P Q W A S A L Q A F X V Z X Z V B V B N M N M O D A R R E C Q T W D G C B M A T O S I N H O S Z X Z X Z N M U A A Q O H V N A S D F G H J K L L L L S M D A R R J B M A S D F G H J K L A S D A F S T A Q K S E R R A D A C A P I V A R A A S D I A D A S A L B N A S D F G H J K L P O I Q W E O Q D M A A N M Z X C V O U R O P R E T O Z X Z G Z RESPONDA: 1-O que IPHAN? 2-Que presidente criou o IPHAN? Sob influncia de que escritor famoso? 3-O que IEPHA? 4-O que UNESCO?
  • 18. TPICO. 7 - TURISMO- Hab:7.2.Distinguir parmetros de turismo sustentvel e insustentvel, explicando os impactos em nvel sociocultural, socioambiental e socioeconmico. (PIP 4 semana/07) TURISMO SUSTENTVEL E INSUSTENTVEL Especulao imobiliria, turismo sexual, explorao da mo de obra nativa e degradao dos ecossistemas de trilhas e roteiros eco-tursticos caminham na contramo do turismo sustentvel. A harmonia, o equilbrio e a sustentabilidade na preservao das belezas e potencial natural destes roteiros dependentes de polticas de Governo, apoio dos empresrios e conscientizao da populao. A necessidade de uma gesto compartilhada entre Estado, comunidades e empresas pauta constante de ambientalistas que acompanham a degradao dessas riquezas brasileiras. A revoluo tecnolgica do mundo globalizado aumentou o fluxo de pessoas pela Terra. Conforme dados da Organizao Mundial do Turismo (OMT). Para especialistas da rea, o pas poderia aumentar essas receitas se os roteiros fossem mais atrativos e adequados ao desenho do cenrio sustentvel. Para ser classificado como sustentvel o destino turstico deve atender a requisitos de prticas polticas e aes que levem em conta, a comunidade local, observando preservao de ecossistemas, tradies e resgate das razes culturais, da identidade cultural do lugar, oportunidade de gerao de emprego e renda realmente inclusiva, e no maquiada com subempregos ou empregos temporrios, que s exploram, a mo de obra local e alimentam demandas estimuladas por pacotes e campanhas publicitrias que seduzem e encantam, sem o compromisso de garantir estruturas para o bem estar de quem chega e de quem recebe. Embora o Brasil esteja no topo dos pases mais biodiversos do mundo, estima-se que apenas 10% dos destinos tursticos brasileiros esto prximos de atender a todos os requisitos para serem considerados sustentveis. Segundo informaes do Conselho Nacional de Turismo, a Serra Gacha no Rio Grande do Sul, e Bonito no Mato Grosso do Sul, so os modelos mais prximos de prticas tursticas sustentveis. Um turismo verdadeiramente sustentvel usa tecnologias limpas e alternativas, preserva os ecossistemas e sua gesto compartilhada entre Estado, Empresas e Comunidade local. ATIVIDADES 1- De acordo com o texto de exemplo de turismo insustentvel. 2- Para que o turismo se torne sustentvel necessrio a participao de _________,___________________e____________. 3- Do que depende a manuteno da harmonia, o equilbrio e a sustentabilidade na preservao das belezas e potencial natural no turismo? 4- O que fez aumentar o fluxo de pessoas sobre a terra? 5- De acordo com o texto, como o Brasil poderia a receito com o turismo? 6- Quais so as duas definies de turismo sustentvel apresentadas no texto? 7- No Brasil, que lugares esto mais prximos de atender ao turismo sustentvel? 8- O turismo sustentvel e insustentvel, causam impactos em nvel sociocultural, socioambiental e socioeconmico. Relacione quanto ao turismo sustentvel. (1) Sociocultural (2) socioambiental (3) socioeconmico ( ) Gera emprego e renda, desenvolvimento e insero social da comunidade local ( ) Preserva os ecossistemas . Revitaliza, atravs da preservao, conservao e restaurao do patrimnio natural e cultural ( ) Resgata razes culturais da identidade cultural. Respeita as caractersticas culturais da populao e da arquitetura das construes, no distorcendo o seu significado artstico. Marque (1) para aspectos positivos do turismo e (2) para aspectos negativos ( )Criao de empregos ( ) Promoo dos produtos locais ( ) Investimento em infraestrutura ( ) Desenvolvimento da economia ( ) Destruio ambiental ( ) Turismo sexual ( ) Explorao da mo de obra nativa ( ) Degradao dos ecossistemas ( ) Preservao das belezas naturais ( ) Apoio dos empresrios ( ) Especulao imobiliria ( ) Isolamento da comunidade ( ) Emprego pouco qualificado e com baixa remunerao ( ) Emprego apenas sazonal ( ) Desenvolvimento econmico apenas dos empresrios ( ) Mudana de hbitos dos animais ( ) Doenas transmitidas de uma regio para outra ( )Conscientizao da populao ( ) Consumismo exagerado Relacione 7 problemas causados pelo turismo insustentvel. 1 2 3 4 5 6 7 ( ) consumismo exagerado ( ) impacto ambiental ( ) doenas transmitidas de uma regio para outra ( ) emprego sazonal ( ) falta de qualificao profissional ( ) isolamento da comunidade ( ) mudana de hbitos dos animais
  • 19. (Artigo de opinio) Turismo no Brasil (PIP 5 semana/07) O Turismo uma atividade pouco explorada diante do potencial que o Brasil apresenta. Eduardo de Freitas Graduado em Geografia Equipe Brasil Escola O Brasil detm um enorme potencial turstico em virtude das belas paisagens que possui. O Brasil um pas com enorme potencial turstico em razo da diversidade cultural e, principalmente, das belezas naturais do imenso territrio, mas esse potencial ainda no explorando em sua totalidade. O Brasil ocupa, na atividade turstica, apenas 1% do fluxo mundial, no entanto, isso tem mudado. Entre os anos de 1995 a 2000, houve um aumento significativo no nmero de turistas que vieram ao Brasil, mudando o ranking de 43o para 29o , sem contar o turismo interno que gera um fluxo aproximado de 26,6 milhes anualmente. Outra alterao nesse seguimento foi o aumento do nmero de brasileiros que fizeram turismo no exterior, o aumento do fluxo de brasileiros foi propiciado, principalmente, pela estabilidade econmica do pas, pelo baixo valor do dlar, isso no incio dos anos 90, porque depois o valor do dlar superou a moeda brasileira e determinou uma queda no fluxo de brasileiros para fora do pas. O turismo tem um altssimo potencial econmico, social, cultural e ambiental, esses itens so elementos extremamente ligados ao turismo, pois estabelecem reciprocidade entre os elementos. O turismo , principalmente, grande gerador de receita, social por gerar grande nmero de postos de trabalho direto e indireto; cultural, pois preserva a identidade do lugar, como monumentos histricos; e ambiental, por aliar renda e preservao, um exemplo disso o ecoturismo, que s existe com a preservao do meio ambiente. O turismo tem a capacidade de organizar o espao geogrfico, em face da necessidade de oferecer condies do andamento da atividade, como as infraestruturas necessrias: hotis, rodovias, meios de comunicao, entre outros. Em suma, o Brasil ainda tem muito que desenvolver, pois a indstria do turismo pode ser mais rentvel que o setor industrial e rural, alm de ser menos degradante. No mundo, esse uma nova tendncia econmica. 1. D6. Qual o gnero do texto acima? (R: Artigo de opinio) 2. D2. De acordo com o texto, por que o Brasil tem grande potencial turstico? R: Por que tem uma grande diversidade cultural, muitas belezas naturais e um imenso territrio, mas esse potencial ainda no explorando em sua totalidade 3. D2. De acordo com o texto por que houve um aumento no nmero de brasileiros que fizeram turismo no exterior? Esse aumento foi propiciado, principalmente, pela estabilidade econmica do pas, pelo baixo valor do dlar, isso no incio dos anos 90, porque depois o valor do dlar superou a moeda brasileira e determinou uma queda no fluxo de brasileiros para fora do pas. 4. D5. O que significa dizer que o turismo grande gerador de receita? (gera riqueza e lucro) 5. D2. De acordo com o texto, qual a importncia social do turismo? gerar grande nmero de postos de trabalho direto e indireto 6. D2. De acordo com o texto, qual a importncia cultural do turismo? importante porque preserva a identidade do lugar, como monumentos histricos; 7. D2. De acordo com o texto, o que torna o ecoturismo possvel? O ecoturismo s existe com a preservao do meio ambiente. 8. D5. Leia o texto e crie um significado para ecoturismo. 9. De acordo com o texto, quais so as infraestruturas necessrias para o bom andamento das atividades tursticas? Hotis, rodovias, meios de comunicao, entre outros. As informaes ao lado so de um turismo sustentvel. 10. Produza um texto coletivo sobre esse tipo de turismo.
  • 20. Habilidades: 8.1. Identificar e analisar a ao modeladora da cultura sobre a natureza do planeta 8.2. Explicar a sustentabilidade cultural a partir da tica do respeito diversidade de conhecimentos, tecnologias e prticas de adaptao do homem ao meio. 8.3. Analisar o cotidiano das comunidades tradicionais do Brasil referenciando-se na cultura do mundo vivido que orienta as relaes homem e natureza "CARTA DO CACIQUE SEATLE" (PIP 1 semana/08) 1. (...) Como podes comprar ou vender o cu, o calor da terra? Tal ideia -nos estranha. Ns no somos donos da pureza do ar ou do resplendor da gua. Como podes ento compr-los de ns?2. (...) Toda esta terra sagrada para o meu povo. Cada folha reluzente, todas as praias arenosas, cada vu de neblina nas florestas escuras, cada clareira e todos os insetos a zumbir so sagrados nas tradies e na conscincia do meu povo. 3. (...) o homem branco no compreende o nosso modo de viver. Para ele um torro de terra igual a outro. Porque ele um estranho que vem de noite e rouba da terra tudo quanto necessita. A terra no sua irm, mas sim sua inimiga, e depois de exauri-la, ele vai embora. Deixa para trs o tmulo dos seus pais, sem remorsos de conscincia. Rouba a terra dos seus filhos. Nada respeita. Esquece a sepultura dos antepassados e o direito dos filhos. Sua ganncia empobrecer a terra e vai deixar atrs de si os desertos. 4. (...) No se pode encontrar paz nas cidades do homem branco. (...) o barulho das cidades para mim uma afronta contra os ouvidos. 5. (...) O ar precioso para o homem vermelho. Porque todos os seres vivos respiram o mesmo ar - animais, rvores, homens. No parece que o homem branco se importe com o ar que respira. Como um moribundo ele insensvel ao seu cheiro. 6. (...) Se eu me decidir a aceitar, imporei uma condio. O homem branco deve tratar os animais como se fossem seus irmos. Sou um selvagem e no compreendo que possa ser certo de outra forma. Vi milhares de bises apodrecendo nas pradarias, abandonados pelo homem branco que os abatia a tiros disparados do trem. Sou um selvagem e no compreendo como o fumegante cavalo de ferro possa ser mais valioso do que um biso que ns, os ndios, matamos apenas para sustentar nossa prpria vida. 7. (...) O que o homem sem os animais? Se todos os animais acabassem, os homens morreriam de solido espiritual porque tudo quanto acontece aos animais pode tambm afetar os homens. Tudo est relacionado entre si. Tudo que fere a terra fere tambm os filhos da terra. 8. (...) causar dano a Terra demonstrar desprezo pelo seu criador. 9. (...) Talvez compreenderamos se conhecssemos com o que sonha o homem branco, se soubssemos quais as esperanas que transmite a seus filhos nas longas noites de inverno, quais as vises do futuro que oferece s suas mentes para que possam formar os desejos para o dia de amanh ATIVIDADES: 1-Por que na carta o ndio diz que no se pode comprar ou vender o cu ou o calor da terra? 2-Por que o ndio diz que o homem branco trata a terra como inimiga? 3-Por que o ndio diz que o homem branco rouba a terra de seus filhos? 4-Por que o ndio diz que nas cidades no se pode encontrar a paz? 5-Por que o ndio diz que o ar importante para o seu povo? 6-Que condio o ndio imporia ao homem branco se o aceitasse nas suas terras? 7-Por que o ndio diz que tudo que fere a terra tambm fere os filhos da terra? 8-Que conhecimento o ndio diz ter que ter sobre o homem para entender as razes que o levam a destruir a terra? POPULAES TRADICIONAIS so aqueles povos que, vivendo em reas perifricas nossa sociedade, em situao de relativo isolamento, construram formas de se relacionar entre si e com os seres e coisas da natureza muito diferentes das formas vigentes na nossa sociedade, preservando o meio ambiente e usando o de modo sustentvel.. AS POPULAES TRADICIONAIS BRASILEIRAS SO: Babaueiros - Extrativistas que tm como base da subsistncia a explorao do babau (palmeira do Norte do Brasil) Caboclos - Mestios de negros e ndios que vivem em comunidades rurais. Caiaras - Mestios de ndios e portugueses, so pescadores tradicionais da faixa litornea brasileira (SP, RJ, PR). Caipiras - Comunidades rurais formadas por pessoas que trabalham na roa. Quebradeiras de Coco - Mulheres extrativistas do MA, TO, PA e PI que coletam e quebram o coco da palmeira de babau, utilizado para a produo de leo e sabonete de coco. Quilombolas - Comunidades rurais negras, formadas por ex-escravos remanescentes dos quilombos. Ribeirinhos - Moram na beira de rios ou em regies de vrzea (reas de floresta que so periodicamente alagadas)e praticam atividades de coleta, caa, pesca e alguma agricultura. So conhecidos tambm como varzeiros Seringueiros Vivem da extrao do ltex, matria prima da borracha. Atuam nas chamadas Reservas Extrativistas (Resex). Sua luta tornou-se conhecida pela atuao de seus maiores lderes, Chico Mendes, assassinado em 1988. Relacione o povo a sua principal atividade ou caracterstica fsica (1)Babaueiros (2) Caboclos (3) Caiaras (4) Caipiras (5)Quebradeiras de Coco (6) Quilombolas (7) Ribeirinhos (8) Seringueiros ( ) Extraem o ltex ( ) ex-escravos remanescentes dos quilombos. ( ) Extrativistas do babau ( ) Mestios de negros e ndios ( ) pescadores do litornea de SP, RJ e PR. ( ) Moram na beira de rios ou vrzea, praticam coleta, caa, pesca. ( ) Mulheres que quebram o coco para fazer sabonete e leo. ( ) trabalham na roa. Identifique nas imagens elementos culturais que podem diferenciar os povos. (vestimenta, comida, religio, dana, msica, lindas, idioma, costumes)
  • 21. CULTURA (PIP 2 semana/08) A cultura o que caracteriza o ser humano e, como tal, constituda por componentes sociais, simblicos e materiais. Ela dinmica, evolui no tempo e se manifesta por meio de formas e processos espaciais. A dinmica inovadora de valores, os tipos de comportamentos e a renovao constante de tcnicas de interveno na natureza que fazem dela esse conjunto mutvel. Assim sendo, o mundo de significados e formas que transforma a natureza em cultura, atribuindo-lhe sentidos e significados diversos, est presente em todas as paisagens da Terra. Ela , portanto, uma chave para a compreenso das semelhanas e diferenas sociais. Margareth Mead, uma antroploga americana, afirmou que a cultura uma lente atravs da qual o homem enxerga a realidade. Com isto ela quis dizer que h uma multiplicidade de formas de ver o mundo, dependendo da maneira como se foi ensinado a v-lo e que isto no depende da cor da pele de uma pessoa, do lugar onde ela nasceu ou do clima onde vive. [...] A maneira como se percebe a natureza e se lhe atribui significados tambm cultural. Responda: 1- Quais so as duas definies de cultura apresentadas no texto? 2- O que faz a cultura mudar? 3. De acordo com o texto, porque existem diferentes formas de ver o mundo? 4. Qual o gnero do texto abaixo que est grifado? Qual a funo desse texto? No cartrio, o tabelio se dirige ao ndio: - Em que posso ajud-lo, senhor? - ndio querer mudar de nome. - Mas, senhor, os nomes indgenas so parte de suas razes culturais. Tem certeza de que deseja mud-lo? - Sim, ndio ter certeza. ndio no v mais sentido em ter esse nome... - Bom, sendo assim... Qual o seu nome? - Grande Nuvem Azul Que Leva Mensagem Para Outro Lado Da Montanha e Do Mundo. - E como o senhor deseja se chamar? - E-mail Observe as imagens e responda: As imagens devem evidenciar relaes, conflitos e problemas presentes em antigas e novas infraestruturas espaciais. O que deve ficar mostra a diversidade das relaes entre cultura e natureza no uso do territrio. 1. O que antigo e o que recente? 2. O que foi imposto pelo homem e o que foi dado pela natureza? 3. As mudanas nas culturas dos ndios apontam para a sustentabilidade ou para a insustentabilidade das relaes entre cultura e natureza? 4. Como a cultura tecnolgica do modelo de desenvolvimento vigente tem tratado a natureza? 5. Em que esse modelo ecologicamente incorreto? 6. Quais impactos as mudanas nos hbitos de consumo tem provocado nos hbitos culturais das sociedades tradicionais?
  • 22. RECORTE AS IMAGENS E AS INFORMAES SOBRE AS VEGETAES E COLE RELACIONANDO-AS(PIP 3 semana/08) BASTANTE VARIADA. COMPOSTA DE ESPCIES VEGETAIS DE FLORESTAS, CERRADOS E CAMPOS. SOFRE INUNDAES NA POCA DAS CHEIAS PELAS GUAS DO RIO PARAGUAI. A VEGETAO RASTEIRA QUE PREDOMINA PRINCIPALMENTE NO RIO GRANDE DO SUL, SENDO APROVEITADA PARA A CRIAO DE GADO. UMA VEGETAO QUE SE ADAPTA A SOLOS ALAGADOS. COMPE-SE DE ARBUSTOS MISTURADOS COM RAZES AREAS. NELA SE ENCONTRAM SIRIS, OSTRAS E CARANGUEJOS. RVORES POUCO ELEVADAS, DE TRONCO RETORCIDO E FOLHAS GROSSAS, Como UMA VEGETAO RALA E RASTEIRA. SUAS REAS VM SENDO UTILIZADAS PARA A AGRICULTURA (CAF, SOJA E MILHO) E PASTAGENS FORMADA DE ARBUSTOS QUE SE ENTRELAAM COM VARIEDADE DE CACTOS E OUTRAS PLANTAS ESPINHENTAS. ENCONTRADA NAS REGIES ONDE CHOVE POUCO E O CLIMA SECO. UMA FLORESTA FORMADA POR PALMEIRAS, PREDOMINANDO O BABAU E A CARNABA. DESSAS RVORES EXTRAI-SE MATRIA PRIMA PARA PRODUZIR LEO, CERA, SABO, FIBRAS, ETC. ENCONTRADA AO LONGO DA COSTA, NAS PLANCIES DO LITORAL, ONDE OS TERRENOS SO RICOS EM SAL. COMPOSTA PRINCIPALMENTE POR UMA VEGETAO RASTEIRA E PALMEIRAS. A MAIOR FLORESTA EQUATORIAL DO PLANETA. FORMADA POR VRIOS TIPOS DE RVORES DE COPAS LARGAS E TRONCOS GROSSOS. ELA SE LOCALIZA NA REGIO NORTE. FORMADA QUASE TOTALMENTE POR UMA NICA ESPCIE DE RVORE: O PINHEIRO-DO-PARAN. DESSAS RVORES RETIRADA A CELULOSE, PARA A FABRICAO DO PAPEL. (REGIO SUL) ACOMPANHA O LITORAL E J FOI BASTANTE DEVASTADA PELO HOMEM PARA A EXTRAO DE MADEIRA E DE CARVO. ESSA DEVASTAO COMEOU COM A CHEGADA DOS PORTUGUESES AO BRASIL.
  • 23. RECORTE AS IMAGENS E COLE DE ACORDO COM O CLIMA. CLIMAEQUATORIAL:AS TEMPERATURASSO ALTAS,ISTO,FAZCALOR ECHOVEDURANTETODO ANO CLIMATROPICAL: PREDOMINANAMAIOR PARTEDOBRASIL.UMA PARTEDOANO CHUVOSAEOUTRA SECA.NOLITORALFAZ CALORECHOVEMAIS. CLIMASEMIRIDO:AS TEMPERATURASSO ELEVADAS,MASH LUGARESEMQUENO CHOVE.ASECAFAZOS RIOSSECAREM. CLIMATROPICALDE ALTITUDE:PRPRIODAS REGIESMAISELEVADAS, ONDEFAZMAISFRIO. UMAVARIAODOCLIMA TROPICAL. CLIMASUBTROPICAL:AS TEMPERATURASSOAS MAISBAIXASDOPAS.NO INVERNO,CHEGAACAIR NEVE. RECORTE AS IMAGENS E COLE DE ACORDO COM O CLIMA. CLIMAEQUATORIAL:AS TEMPERATURASSO ALTAS,ISTO,FAZ CALORECHOVE DURANTETODOANO CLIMATROPICAL: PREDOMINANAMAIOR PARTEDOBRASIL.UMA PARTEDOANO CHUVOSAEOUTRA SECA.NOLITORALFAZ CALORECHOVEMAIS. CLIMASEMIRIDO:AS TEMPERATURASSO ELEVADAS,MASH LUGARESEMQUENO CHOVE.ASECAFAZOS RIOSSECAREM. CLIMATROPICALDE ALTITUDE:PRPRIO DASREGIESMAIS ELEVADAS,ONDEFAZ MAISFRIO.UMA VARIAODOCLIMA TROPICAL. CLIMASUBTROPICAL:AS TEMPERATURASSOAS MAISBAIXASDOPAS.NO INVERNO,CHEGAACAIR NEVE.
  • 24. (PIP 4 semana/08) Imagina como seria se a Chapeuzinho Vermelho fosse levar comida para a vovozinha por uma floresta sem rvores, seria possvel existir floresta sem rvores? No so as rvores que fazem as florestas? seria difcil imaginar a Chapeuzinho Vermelho sem a floresta, no teria onde se esconder do lobo mau, isso se existisse lobo para contar a histria, pois sem floresta provavelmente o lobo no existiria, estaria em extino, no teria como contar essa histria para as crianas, deixaramos de encantar as crianas com as histrias lindas que existem sobre florestas. Elas no saberiam o quanto as rvores so importantes para a vida dos seres vivos. Se pudermos nos conscientizar que o desmatamento provoca muitas coisas ruins, como, as mudanas climticas e extino de animais. O homem para satisfazer sua ambio acaba desmatando para obter mais pastos, lugares onde possam colocar seu gado para lucrar cada vez mais, aumentando tambm sua rea de plantio, esquecendo que isso pode futuramente prejudic-lo, pois reflete no clima. Existem tambm os que derrubam as rvores para poder traficar madeiras, ao invs de usar reas de reflorestamento onde se pode retirar a madeira e plantar outras no lugar. O que ser das crianas, que futuro elas tero, se a todo cada momento tem rvores sendo derrubadas, matas sendo queimadas? Se no preservarmos as crianas de hoje no tero muito que contar para seus filhos no futuro, alm de que seus pais e avs acabaram com o que de mais belo tinham para lhe mostrarem, que o mundo no teria mais a beleza da natureza, que so as rvores e os animais. Quando se planta uma rvore gratificante saber que ao crescer pode nos recompensar com sua sombra, folhas, frutos e alimento. Aps a leitura do texto e anlise da charge responda: 1- O assunto abordado no texto : ( ) A devastao e destruio da natureza causada pelo homem. ( ) A preservao dos recursos naturais. ( ) Chapeuzinho Vermelho na floresta. 2. No contexto apresentado, justifique a ideia de que provavelmente o lobo no existiria. 3. De acordo cm o texto quais so as consequncias do desmatamento? 4- Qual a mensagem que o Greenpeace procurou transmitir atravs da sua charge? 5. Quais so as consequncias do desmatamento ilegal? 6. Quando o desmatamento legal? 7. possvel ter um pas sem desmatamento? 8. Cite os motivos que levam devastao? 9. Com base no texto defina reflorestamento: 10. O que a charge ao lado tem em comum com a charge acima? 11. D19- Em que espao acontece o fatos? 12. D19- Que relao existe entre os personagens das charges no contexto apresentado? 13. D19- Os personagens so reais ou inventados? 14. D19. Que fato gerou o enredo do texto?
  • 25. SOCIODIVERSIDADE - A DIVERSIDADE CULTURAL NO BRASIL (PIP 1 semana/09) Apesar do processo de globalizao, que busca a mundializao do espao geogrfico tentando, atravs dos meios de comunicao, criar uma sociedade homognea aspectos locais continuam fortemente presentes. A cultura um desses aspectos: vrias comunidades continuam mantendo seus costumes e tradies. O Brasil, por apresentar uma grande dimenso territorial, possui uma vasta diversidade cultural. Os colonizadores europeus, a populao indgena e os escravos africanos foram os primeiros responsveis pela disseminao cultural no Brasil. Em seguida, os imigrantes italianos, japoneses, alemes, rabes, entre outros, contriburam para a diversidade cultural do Brasil. Aspectos como a culinria, danas, religio, so elementos que integram a cultura de um povo. As regies brasileiras apresentam diferentes peculiaridades culturais. No NORDESTE, a cultura representada atravs de danas e festas como o bumba meu boi, maracatu, caboclinhos, carnaval, ciranda, reisado, frevo, cavalhada e capoeira. A culinria tpica representada pelo sarapatel, buchada de bode, peixes e frutos do mar, arroz doce, bolo de fub cozido, bolo de massa de mandioca, broa de milho verde, pamonha, cocada, tapioca, p de moleque, entre tantos outros. A cultura nordestina tambm est presente no artesanato de rendas. O CENTRO-OESTE brasileiro tem sua cultura representada pelas cavalhadas e procisso do fogaru, no estado de Gois; e o cururu em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A culinria de origem indgena e recebe forte influncia da culinria mineira e paulista. Os pratos principais so: galinhada com pequi e guariroba, pamonha, angu, cultural, os peixes do Pantanal como o pintado, pacu e dourado. Cavalhadas em Pirenpolis (GO) As representaes culturais no NORTE do Brasil esto nas festas populares como o crio de Nazar e festival de Parintins, a maior festa do boi-bumb do pas. A culinria apresenta uma grande herana indgena, baseada na mandioca e em peixes. Pratos como o tacac, pirarucu de casaca, pato no tucupi, picadinho de jacar e mozarela de bfala so muito populares. As frutas tpicas so: cupuau, bacuri, aa, graviola, buriti. Festival de Parintins No SUDESTE, vrias festas populares de cunho religioso so celebradas no interior da regio. Festa do divino, festejos da pscoa e dos santos padroeiros, com destaque para a peregrinao a Aparecida (SP), congada, cavalhadas em Minas Gerais, bumba meu boi, carnaval e peo de boiadeiro. A culinria muito diversificada, os principais pratos so: queijo minas, po de queijo, feijo tropeiro, tutu de feijo, moqueca capixaba, feijoada, farofa, piro, etc. O SUL apresenta aspectos culturais dos imigrantes portugueses, espanhis e, principalmente, alemes e italianos. Algumas cidades ainda celebram as tradies dos antepassados em festas tpicas, como a festa da uva (cultura italiana) e a oktoberfest (cultura alem), o fandango de influncia portuguesa e espanhola, pau de fita e congada. Na culinria esto presentes: churrasco, chimarro, camaro, piro de peixe, marreco assado, barreado (cozido de carne em uma panela de barro) e vinho. Atividades 1- De acordo com o texto, por que o Brasil tem uma grande diversidade cultural? 2- De acordo com o texto, quem foram os primeiros responsveis pela disseminao cultural no Brasil? 3- De acordo com o texto, quais imigrantes contriburam para a diversidade cultural do Brasil? 4- De acordo com o texto, quais elementos integram a cultura de um povo? 5- Enumere (1) Cultura do Nordeste (2) Cultura do Sul (3) Cultura do Sudeste (4) Cultura do Centro Oeste (5) Cultura do Norte ( ) A culinria herana indgena, baseada na mandioca e em peixes. ( ) A cultura culinria tem influencia africana buchada de bode, bolo de fub, cocada, tapioca, p de moleque. ( ) A oktoberfest a festa da cerveja. ( ) As cavalhadas e procisso do fogaru so as representaes culturais mais populares ( ) As festas mais populares so crio de Nazar e festival de Parintins ( ) As festas mais populares so maracatu, caboclinhos, carnaval de Olinda, reisado, frevo e capoeira. ( ) Celebram as tradies dos antepassados em festas tpicas, como a festa da uva (cultura italiana) e a oktoberfest (cultura alem) ( ) cupuau, bacuri, aa, graviola, buriti so frutas que revelam a cultura dos povos da floresta. ( ) Essa regio famosa pelas mulheres rendeiras ( ) Festas religiosas e peregrinao a Aparecida (SP) so tpicas dessa regio. ( ) O churrasco e o chimarro so marcas registrada dessa regio. ( ) O barreado uma das comidas mais tradicionais. ( ) O carnaval e a festa do peo de boiadeiro so as festas mais populares e tradicionais. ( ) O fandango, pau de fita e congada so danas tpicas dessa regio. ( ) O Festival de Parintins, no Amazonas a maior festa do boi-bumb do pas. ( ) O queijo, o po de queijo, o tutu de feijo e a feijoada, so tpicos dessa regio. ( ) Os peixes do pantanal (pacu, pintado e dourado) mostram a culinria da regio. ( ) populao formada principalmente por imigrantes alemes e italianos. ( ) tacac, picadinho de jacar e mozarela de bfala so pratos tpicos
  • 26. SEMINRIO DE TEXTOS: SOCIODIVERSIDADE: (PIP 2 semana/09) Texto 1- SOCIODIVERSIDADE - Ao longo dos seus 500 anos de histria, o Brasil vem se constituindo como um complexo mosaico tnico. No perodo colonial, a pirmide social tinha em seu topo os grandes proprietrios de terras e os ricos comerciantes de origem portuguesa; no outro extremo, o escravo indgena e, posteriormente, o africano. Entre os dois, situavam-se o pequeno agricultor, o ex-escravo alforriado, os mestios, os artesos que viviam de ocupaes diversas. No final do sculo XIX e no sculo XX chegaram os imigrantes europeus no-portugueses e os asiticos. Embora todos sejam brasileiros, as razes histricas do preconceito e da discriminao em relao ao ndio e aos afrodescendentes permanecem na atualidade. Conhecemos muito pouco sobre os povos indgenas e quilombolas, sobre seus direitos constitucionais e a valorizao e proteo nossa sociodiversidade. preciso que se d voz ao passado que se faz o presente em sua herana cultural, reconhecer como justas e participar de suas lutas pela defesa da dignidade e da liberdade e aprender a valorizar a sociodiversidade como riqueza do patrimnio histrico-cultural brasileiro, no como mais um dos nossos problemas sociais. Segundo estimativas existiam mais de 1000 etnias quando da chegada dos portugueses, restando hoje em torno de 206. Alm de mais de 170 lnguas nativas. Hoje, somente a metade dos idiomas so objeto de pesquisa por parte de linguistas e antroplogos. Os museus indgenas e a literatura publicada so raros. Com pouca expresso no cenrio cultural e poltico nacional, somando-se condio de monolngues e com tradies orais de comunicao, so muitas as dificuldades que esses povos enfrentam na sua relao com o mundo dos no-ndios. Texto 2- A vida do povo patax contada por Kanatyo Patax Para ns, pataxs, em primeiro lugar a terra. Os nossos filhos vo sempre para a cidade estudar, trabalhar. Eles devem permanecer na terra. Como a terra, temos vrios saberes a desenvolver e algumas coisas para o desenvolvimento das cidades. Atravs do meio ambiente podemos fazer um trabalho importante dentro da terra. Acho importante estudar medicina indgena, os saberes da cincia do nosso povo e saber tirar o recurso dali para garantir a sobrevivncia do povo. Ter ele tambm, ali, o seu meio de vida. O esprito do povo est ligado terra, poesia, msica e isto muito importante como complemento da educao. As crianas podem vir e mostrar o valor destas coisas futuramente. O jeito de ensinar tambm importante, isto faz a gente pensar na continuao do curso. Hoje difcil voc ver um ndio antroplogo, ns precisamos disso a. Estes cursos devem ter um jeito de ensino com a alma do ndio. Outra coisa importante o jeito da alma do povo, esta energia que vem de longe. O que est no universo? Saber lidar com o mundo l de cima. L, o cu tambm pertence a ns. Um estudo para a integrao da cultura, religio, filosofia... Saber lidar com estes caminhos, projetos de preservao da terra, identificar os principais problemas. Parque Estadual do Rio Doce,1999. Texto 3- Histria de vida dos xacriabs: o resgate das lnguas nativas Alguns indgenas, como os pataxs, os krenaks, os xacriabs, por exemplo, tm trabalhado para recuperar suas lnguas nativas. Gostaria de comear falando sobre esta questo da gente ter perdido o idioma. Aqui no parque perguntei para Ana Flvia porque o xacriab deixou de falar no idioma. Eu pensava de achar um livro... e me mandou fazer uma pesquisa em vrios livros que falavam da vida dos Xacriabs h muitos anos atrs. Vinha da Bahia de Gois e na poca da invaso a igreja catlica introduziu em 1728 o documento de doao da terra. Reuniu os ndios ali, para ficar s naquele lugar, e eles eram proibidos de falar a lngua, eram forados a falar em portugus, iam ter de acompanhar religio catlica e iam fazer tudo que era o costume. As crianas aprendiam desta maneira e foi perdendo.... Se nossos antepassados foram forados a no fazer as danas, as pinturas, a falar na lngua, nada que era da cultura deles. Fui conversar com minha me se ela saberia explicar, ela disse que no sabia, e tambm no podia teimar que eles at matavam. A eu fui entender toda a verdade que est registrada na memria dos mais velhos. Professor xacriab. Parque Estadual do Rio Doce, 1999. 1. Preencha a pirmide abaixo conforme descrito no texto 1. 2. De acordo com o texto 1, por que se deve valorizar a sociodiversidade. 3. Preencha os espaos abaixo com o nmero de etnias e lnguas nativas que existiam quando os portugueses chegaram aqui e hoje. 4. De acordo com o texto que etnias sofreram mais preconceito ao longo da historia? 5. Retire do texto trs etnias indgenas. 6. De acordo com o texto 3, por que os Xacriabs perderam seu idioma? 7. O que os trs textos tm em comum? 8. De acordo com o texto 2, por que os estudos so importantes para os ndios e como esse ensinamento deve ser. 9. De acordo com os textos, coloque V ou F ( ) A literatura publicada pelos ndios rara porque tm um domnio precrio do idioma portugus. ( ) Os ndios tm pouca participao no cenrio cultural e poltico nacional. ( ) As tradies indgenas ainda so passadas oralmente para seus descendentes. ( ) O que os indgenas mais valorizam a terra. ( ) Os pataxs, os krenaks, os xacriabs so etnias indgenas diferentes ( ) Os ndios no acham importante estudar ( ) Os filhos dos ndios nunca se misturam com os estudantes da cidade. ( ) Os indgenas foram forados a aceitar a religio, o idioma e os costumes dos portugueses e proibidos de agir conforme sua prpria cultura.
  • 27. ATIVIDADE COM A MSICA_ 1-Aquarela Brasileira / Interprete: Martinho da Vila Vejam essa maravilha de cenrio: um episdio relicrio, Que o artista, num sonho genial Escolheu para este carnaval. E o asfalto como passarela Ser a tela do Brasil em forma de aquarela. Caminhando pelas cercanias do Amazonas Conheci vastos seringais. No Par, a ilha de Maraj E a velha cabana do Timb. Caminhando ainda um pouco mais Deparei com lindos coqueirais. Estava no Cear, terra de irapu, De Iracema e Tup E fiquei radiante de alegria Quando cheguei na Bahia... Bahia de Castro Alves, do acaraj, Das noites de magia do Candombl. Depois de atravessar as matas do Ipu Assisti em Pernambuco A festa do frevo e do maracatu. Braslia tem o seu destaque Na arte, na beleza, arquitetura. Feitio de garoa pela serra! So Paulo engrandece a nossa terra! Do leste, por todo o Centro- Oeste, Tudo belo e tem lindo matiz. No Rio dos sambas e batucadas, Dos malandros e mulatas De requebros febris. Brasil, essas nossas verdes matas, Cachoeiras e cascatas de colorido sutil E este lindo cu azul de anil Emoldura em aquarela o meu Brasil. 2-Aquarela do Brasil / Ary Barroso Brasil! Meu Brasil brasileiro Meu mulato inzoneiro Vou cantar-te nos meus versos O Brasil, samba que d Bamboleio, que faz gingar O Brasil, do meu amor Terra de Nosso Senhor Brasil! Pr mim! Pra mim, pra mim Ah! abre a cortina do passado Tira a me preta do cerrado Bota o rei congo no congado Brasil! Pr mim! Pra mim, pra mim! Deixa cantar de novo o trovador A merencria luz da lua Toda cano do meu amor Quero ver a s dona caminhando Pelos sales arrastando O seu vestido rendado Brasil! Pra mim, pra mim, Brasil! Brasil! Terra boa e gostosa Da morena sestrosa De olhar indiferente O Brasil, samba que d bamboleio que faz gingar O Brasil, do meu amor Terra de Nosso Senhor Brasil!, Pra mim, pra mim, pra mim O esse coqueiro que d coco Onde eu amarro a minha rede Nas noites claras de luar Brasil!, Pra mim, pra mim, pra mim. Ah! e estas fontes murmurantes Aonde eu mato a minha sede E onde a lua vem brincar Ah! esse Brasil lindo e trigueiro o meu Brasil brasileiro Terra de samba e pandeiro Brasil! Pra mim, pra mim! Brasil! Brasil! Pra mim, Brasil!, Brasil! ATIVIDADE A finalidade destes poemas : a- argumentar sobre o Brasil b- descrever o Brasil c-informar sobre o Brasil d- trabalhar sobre o Brasil 2. ANALISE DA LETRA DA MSICA AQUARELA BRASILEIRA" a. Qual o tema central das msicas(poemas)? b. O que o Brasil para os compositores? c. Copie o trecho em que Ary Barroso retrata o amor pelo Brasil. d. O que o compositor quis caracterizar no Brasil atravs da msica? e. As festas e danas populares representam a sociodiversidade cultural do Brasil, copie as que foram citadas nos textos? f. Pesquise as palavras sublinhadas nas letras das msicas. g. Quais etnias brasileiras so citadas no textos? h. As msicas acima retratam o amor a Ptria, mas esses so outros tempos. O que comum ser cantado nas msicas brasileiras hoje? i. Copie um verso de cada msica que retrata a religiosidade brasileira. 3. TRABALHANDO COM O MAPA DO BRASIL a. Pinte no mapa os estados citados na letra da msica 1. b. Identifique a quais regies pertencem os estados citados na letra da msica. c. Dos estados citados na letra da msica 1, algum faz parte da regio em que voc vive? Qual? d. O que o compositor fala na letra da msica referente a regio em que voc vive? Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural do Ministrio da Cultura (SID/MinC), o Programa Identidade e Diversidade Cultural: Brasil Plural foi criado em 2003, atuou para a valorizao e garantia dos direitos de grupos culturais caracterizados por gnero, orientao sexual, etnia, necessidades especiais e tradio popular. O Programa definiu metas de desenvolvimento tendo como foco o estmulo aceitao das diferenas, principalmente com relao aos segmentos mais vulnerveis da sociedade, posicionados abaixo da linha de pobreza e nocontemplados pelas polticas pblicas. De 2004 a 2007, o Programa agiu para a promoo da cidadania e fortalecimento da democracia, tendo como desafio a valorizao das expresses culturais nacionais e regionais e garantir o acesso a apoio e financiamento e igualdade de gnero, raa e etnia e garantia dos direitos humanos. Hoje, o trabalho da SID abarca as culturas indgenas, ciganas e populares; a capoeira; o movimento hip hop; a diversidade etria; os grupos LGBT (lsbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais); os portadores de deficincias mentais e fsicas; as comunidades quilombolas e ribeirinhas; os povos de terreiros; os imigrantes e os trabalhadores rurais. RESPONDA: 1. Para que foi criada a SID? 2. Hoje, que minorias socioculturais so assistidas pela SID? 3. Crie um caa palavras com destaque para as minorias socioculturais brasileiras. 4. No grfico acima, que 3 segmentos socioculturais recebem mais investimentos do Ministrio da Cultura? 5. Por que o Ministrio da Cultura financia as aes desses grupos?
  • 28. (PIP 3 e 4 semana/09) 9.1. Compreender o conceito de sociodiversidade das paisagens, identificando-o em sua espacialidade municipal e regional. 9.2. Identificar, analisar e avaliar o impacto das transformaes culturais nas sociedades tradicionais provocadas pela mudana nos hbitos de consumo. 9.3. Identificar em mapas, grficos e fotos a populao brasileira e mundial, em seu crescimento, tendncias e distribuio. Observe o mapa abaixo, colora os biomas de acordo com as informaes dadas. E responda as questes que seguem: LISTA DOS PARQUES NACIONAIS 1- Domnio Amaznico: 3- Domnio Cerrado: 4- Domnio Caatingas: 2- Domnio Mares de Morros: 4e8- Faixas de Transio: 6e7 Araucria e campos PN Serra do Divisor; PN Viru; PN da Amaznia, PN do Ja, PN Cabo Orange; PN Pico da Neblina; PN Monte Roraima; PN Serra da Mocidade. PN Grande Serto Veredas; PN Braslia; PN Chapada dos Guimares; PN das Emas: PN Chapada dos Veadeiros; PN Serra das Confuses; PN Serra da Canastra. PN Serra da Capivara; PN Sete Cidades; PN Ubajara. PN Monte Pascoal; PN Chapada Diamantina; PN do Capara; PN Serra dos rgos; PN Itatiaia; PN Serra da Bocaina; PN da Tijuca; PN Serra do Cip; PN do Pantanal Mato- Grossense; PN Lenis Maranhenses. Atividades: 1- Faa a legenda no quadro acima- colora das mesmas cores o mapa ao lado. 2- Observe o mapa acima e diga um estado para cada vegetao ao lado. 2- Quais as duas vegetaes principais de MG. 3- Quais as duas principais vegetaes da regio Sul. 1-Bioma Amaznia chove muito e o clima quente. Maior reserva de diversidade biolgica do mundo, maior bioma brasileiro, ocupa quase metade do territrio. A bacia amaznica abriga a maior rede hidrogrfica do planeta. 60% da bacia amaznica se encontra no territrio Brasil , ocupa AC, AM, AP, PA e RR, RO,MT,MA,TO. 2-Bioma Mata Atlntica ocupa toda a faixa continental atlntica leste brasileira e se estende para o interior no Sudeste e Sul do Pas, ocupa - ES, RJ e SC, PR, alm de outras11 da U.F. 3- Bioma Caatinga seco, tpico do clima semi-rido do serto nordestino, se estende pelo CE ,BA , PB,PE, PI , RN, AL e SE. 4 4- Bioma Cerrado segundo bioma do Brasil em extenso, que se estende desde o litoral maranhense at o Centro-Oeste, ocupa o DF, GO, MA, MS, MG e TO, alm de de outros seis estados. 5 5- BiomaPantanal maior superfcie inundvel interiorana do mundo - 6- Bioma Pampa restrito ao RSl, um conjunto de vegetao de campo em relevo de plancie. 1-Identifique o ttulo do mapa. 2-Identifique os biomas no territrio brasileiro em ordem de extenso. 3- Estabelea a relao entre vegetao, clima, hidrografia nas regies do Equador. 4- Quais so as caractersticas do Bioma Amaznico? 5- Qual o principal Bioma de MG? 6- Qual a principal caracterstica do Bioma de caatinga? Leia o texto abaixo e responda as questes abaixo sobre os biomas. O Brasil, no chegou ao sculo XXI como um dos lugares mais megadiversos do planeta por milagre. Isso aconteceu porque prticas tradicionais compatveis com o ambiente, adotadas por povos e populaes que habitam h muito o territrio preservaram. Mas o mesmo ser humano que mostra ser possvel conviver em harmonia com a natureza, tambm comanda a destruio e pe em risco, atravs dos mtodos dominantes de produo atual , a possibilidade de melhorar as condies de vida e o futuro do pas. Embora a importncia da biodiversidade brasileira seja reconhecida, s 4% do territrio brasileiro so reas protegidas fechadas, enquanto a mdia mundial de 5%. E os ambientes esto em constante processo de degradao: nos ltimos 2 anos , a Amaznia teve uma rea desmatada de 50mil km dos quais 25% sem nenhuma utilizao econmica; do Cerrado, que contm 1/3 da biodiversidade brasileira , restam menos de 5% de fragmentos com possibilidade de sobrevivncia, da Mata Atlntica, sobram menos de 8%; na Caatinga, 10% do solo est em processo de desertificao; o Pantanal enfrenta problemas graves; assim como a Zona Costeira ( destruio de mangues, poluio da gua, espcies pesqueiras ameaadas etc); e o Pampa, sofre com o avano das monoculturas agrcolas. O avano da degradao, alm de comprometer a biodiversidade, afeta tambm as populaes que vivem nesses ambientes. ALMANAQUE BRASIL SOCIOAMBIENTAL. Brasil. SP:ISA, 2004, p.54- 8 8 8 8
  • 29. RESPONDA: 1-) Qual a importncia da sustentabilidade cultural a partir do respeito diversidade de conhecimentos e prticas das populaes tradicionais, que vivem nesses ambientes? 2-) O que o ser humano que comanda a destruio pe em risco? 3-)Qual e a mdia mundial e a mdia brasileira de reas de biodiversidade protegidas fechadas? 4-) Porque os ambientes esto em constante processo de degradao: 5-) Quanto % ainda resta da Mata atlntica? RELACIONE: (1)Bioma Amaznia (2)Bioma Mata Atlntica (3)Bioma Caatinga (4)Bioma Cerrado (5)Bioma Pantanal (6)Bioma Pampa ( ) Maior rede hidrogrfica(bacia rio) do planeta ( ) Bioma definido pela chuva e calor. ( ) Maior superfcie inundvel do mundo ( ) Tem esse nome por causa do oceano Atlntico. ( ) Ocupa AC, AP,AM,PA,RR,RO,MT,MA,TO ( ) Maior bioma brasileiro em extenso e ocupa quase metade do territrio nacional. ( ) Maior reserva de diversidade biolgica do mundo. ( ) vegetao de campo. ( ) S tem no RS ( ) Bioma de MG ( ) ocupa - ES, RJ,S C, PR. ( ) tpico do clima semi-rido ( ) Tem cerca de 1/5 do volume de gua doce do mundo. ( ) o bioma mais seco. ( ) 2 bioma do Brasil em extenso ( ) Fica no serto nordestino ( ) S resta 8% dessa vegetao 9.1. Compreender o conceito de sociodiversidade das paisagens, identificando-o em sua espacialidade. Observe os conceitos e relacione com as imagens abaixo. 1- Sociedade sustentvel: ocorrer quando os povos sociais caminharem de forma integrada e solidria na concretizao da qualidade de vida com justia social, construindo relaes mais saudveis com o meio ambiente, pautadas, no s pela perspectiva de explorao de riquezas, mas pela responsabilidade em relao sua conservao. 2- Sociodiversidade - expressa a diversidade cultural, lingustica, tnica de uma sociedade ou pas em suas regies. , inovadora de valores, comportamentos, tcnicas de interveno na natureza. Refere-se a novas formas de ver e viver no planeta. representada por prticas, valores, hbitos de uma dada sociedade. 3- Biodiversidade est presente em todas as paisagens da Terra. Um mundo de significados e formas transforma a natureza em cultura, atribuindo-lhe sentidos diversos. 4- Cultura: Expressa a diversidade cultural, lingustica, tnica de uma sociedade ou pas em suas regies plurais e contraditrias. 5- Sustentabilidade : Garantia da continuidade de um processo de desenvolvimento sustentvel na perspectiva da preservao ambiental e justia social. 6- Natureza: a comunidade total de organismos, num ambiente fsico -qumico no qual vivem.. Esta composta por seres vivos e pelo meio fsico. 7- Ecossistema: Corresponde ao conjunto de fauna e flora de uma regio. 8- Bioma : conjunto de ecossistemas terrestres com tipos semelhantes de vegetao. So 7 biomas no Brasil: Amaznia, Cerrado, Caatinga, Mata Atlntica, Pampa, Pantanal, Zona Costeira
  • 30. 9.3. Identificar em grficos e fotos a populao brasileira e mundial, em seu crescimento, tendncias e distribuio. 1 2 3 4. Crescimento populacional 2010 5 Responda: 1-Sabendo que o IBGE fez a soma da populao parda e preta e considerou como negra, O que demonstra o grfico 1? 2- Em que ano a populao negra ultrapassou a branca, no Brasil (1)? 3- Quais cores so apresentadas no grfico 1? 4- De acordo com o grfico 2, qual era o nmero da populao brasileira em 2010. Que fatores voc acha que so responsveis pelo crescimento da populao? 5- De acordo com o grfico 3, qual a faixa etria da maioria da populao brasileira? 6- De acordo com o grfico 4, que continente apresenta o maior crescimento populacional? Que 3 pases mais contribuem para esse crescimento? E que fatores contribuem para isso? 7- Observando o grfico 5, que fatores so responsveis pelo crescimento da populao? E a partir de que acontecimentos a populao comeou a aumentar mais rapidamente? Identifique-os respectivamente.
  • 31. E.E.Dr JOAQUIM VILELA AVALIAO DE GEOGRAFIA ALUNO (A):____________________________________N___ PROFESSOR: ____________ BOA PROVA!!! Tpico 7. Turismo Tpico 8. Cultura e natureza Tpico 9. Sociodiversidade Complementar: X. Patrimnio e preservao 1. Sobre o mapa ao lado pode concluir que a) as pessoas no gostam de visitar lugares onde aconteceram catstrofes. b) as pessoas s fazem turismo nos lugares onde no acontecem catstrofes ambientais. c) os lugares onde aconteceram catstrofes ambientais viraram pontos tursticos. d) 18000 pessoas visitam as ruinas causadas pelo tsunami no Japo todos os anos. Voc usa mangueira para lavar a calada? 2. Sobre o grfico pode-se concluir que a) mais da metade da populao usa a mangueira para lavar a calada. b) menos de da populao usa mangueira para lavar a calada. c) quase metade da populao usa mangueira para lavar a calada. d) ningum lava calada usando mangueira reas naturais protegidas (reserva natural). 3. Sobre o grfico pode-se concluir que a) os pampas tm a menor rea de vegetao protegida. b) mais da metade da floresta Amaznica rea protegida. c)a vegetao do pantanal tem a menor rea de proteo ambiental d) a mata Atlntica tem a menor rea protegida. Efeito Estufa Ranking Internacional 4. Sobre o grfico pode-se concluir que a) os pases que mais contribuem para o aumento do efeito de estufa so EUA e China, por causa da sua alta industrializao. b) Canad o pais que menos contribui para o efeito estufa. d) O Brasil no est entre os maiores causadores do aumento do efeito estufa. d) o Japo o segundo pais que mais contribui para o aumento do efeito estufa, por causa da sua alta industrializao. 5. Sobre o grfico pode-se concluir que a) a Europa o continente que mais possui recursos hdricos renovveis. b) a Amrica do Sul o continente que mais possui recursos hdricos renovveis. a) a Oceania o continente que mais possui recursos hdricos renovveis. a) a Amrica do Norte o continente que mais possui recursos hdricos renovveis. Gazes que mais poluem o meio ambiente. 6. Sobre o grfico pode- se concluir que a) o gs que mais polui o meio ambiente o Oznio b) o gs que mais polui o meio ambiente o CO2 a) o gs que mais polui o meio ambiente o metano a) o gs que mais polui o meio ambiente o CFC 7. Sobre o grfico pode- se concluir que a) mais da metade dos entrevistados j foi vitima de preconceito racial. b) mais da metade dos entrevistados no sofreram preconceito racial. c) no Brasil no existe discriminao racial. d) mais da metade dos entrevistados no sabem o que preconceito racial.
  • 32. 8. De acordo com o grfico e com a soma do IBGE, que considera negros toda a populao de pardos e negros, pode-se concluir que a) mais da metade da populao brasileira branca. b) mais da metade da populao brasileira negra. c) mais da metade da populao brasileira parda d) mais da metade da populao brasileira amarela 9. Sobre o grfico pode-se concluir que a falta de locais pblicos para lazer acontece por causa a) do pouco interesse dos polticos. b) do pouco interesse da populao. c) pelo vandalismo nos espaos pblicos. d) falta de investimento privado. 10. Sobre o grfico pode-se concluir que o maior produtor de caf mundial a) o Vietn. b) o Mxico. c) a Indonsia. d) o Brasil. 11. Sobre o grfico pode-se concluir que o maior produtor de petrleo mundial a) a Europa. b) a frica. c) o Oriente mdio d) o Brasil. 12. Sobre o grfico pode-se concluir que o maior produtor de eucalipto atualmente a) o Brasil.. b) o Uruguai c) o Chile . d) a Indonsia 13. Sobre o grfico pode-se concluir que a) a cenoura tem pouca contaminao por agrotxicos. b) o pepino e o alimento com mais agrotxicos c) o morango e o pimento so os alimentos mais contaminados por agrotxicos. d) o pimento tem pouco agrotxico. 14. Sobre o grfico pode-se concluir que a) mesmo com a reciclagem o nmero de latas no meio ambiente aumentou. b) com a reciclagem o numero de latas no ambiente vem diminuindo c) com a reciclagem no existe mais lata jogada no ambiente. d) todas as latas usadas so jogadas no ambiente.
  • 33. 15. O grfico apresenta o quanto de gua potvel necessrio para produzir itens do nosso dia-a-dia. Quais so os produtos que mais gastam g