Click here to load reader

Cordados. Características presentes em todos os cordados: - Notocorda; -Fendas na faringe; -Tubo nervoso dorsal; -Cauda pós anal

  • View
    140

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Cordados. Características presentes em todos os cordados: - Notocorda; -Fendas na faringe; -Tubo...

  • Slide 1
  • Cordados
  • Slide 2
  • Caractersticas presentes em todos os cordados: - Notocorda; -Fendas na faringe; -Tubo nervoso dorsal; -Cauda ps anal.
  • Slide 3
  • Filo dos cordados Craniados Acrnios Cefalocordados Tunicatos gnatos Gnatostomados PeixesTetrpodes
  • Slide 4
  • Cefalocordados O anfioxo um cordado tpico. Pode nadar mas geralmente permanece fixo no fundo arenoso. O corpo suportado pela notocorda, possui inmeras fendas na faringe, a parte anterior do tubo neural no se diferencia em encfalo. Nada atravs de rpidas ondulaes laterais do corpo, tem a musculatura disposta em metmeros, a cauda ps anal atua como rgo propulsor. Obtm seu alimento por filtrao da gua. A faringe retm partculas de alimento, alm de efetuar as trocas gasosas, mas sua superfcie permevel do corpo mais importante nessas trocas.
  • Slide 5
  • Slide 6
  • Slide 7
  • Urocordados ou Tunicatos A larva da ascdia tem forma aproximada de um girino, a notocorda e a maior extenso do cordo nervoso dorsal situam-se na cauda propulsora, a qual reabsorvida. O adulto possui apenas um gnglio nervoso. As fendas na faringe persistem, quando adultas as ascdias so ssseis e tm o corpo envolvido por uma tnica de material semelhante celulose
  • Slide 8
  • Slide 9
  • Vertebrados ou Craniados A notocorda envolvida ou substituda por peas cartilaginosas ou sseas chamadas vrtebras (forma a coluna vertebral) O tubo neural dorsal diferencia-se no encfalo e na medula espinhal. Corpo construdo segundo um plano metamrico. Fgado e pncreas sempre presente. Trocas gasosas podem ocorrer atravs da pele, brnquias ou pulmes. Sistema circulatrio fechado, onde o sangue (contm hemoglobina) circula por vasos impulsionado pelo batimento do corao muscular (2, 3 ou 4 cavidades).
  • Slide 10
  • Podem excretar amnia, uria, cido rico, etc. Essa excreo sempre feita atravs de rins. O sistema nervoso formado pelo encfalo, envolvido pelo crnio, pela medula, envolvida pela coluna vertebral e por muitos nervos perifricos. A reproduo exclusivamente sexuada.
  • Slide 11
  • gnatos So as lamprias e as feiticeiras. Tm pele escorregadia, sem escamas. No possuem mandbula, por isso a boca tem um aspecto circular, sempre aberta. Possuem de 6 a 14 fendas branquiais e no apresentam nadadeiras pares. A maioria das lamprias vive em gua doce. Tm como principal suporte do corpo a notocorda, mas j mostram um crnio cartilaginoso e arcos cartilaginosos dispostos sobre o tubo nervoso e apoiados na notocorda. Dentes crneos - sugar sangue e pedaos de tecidos de peixes. Secretam anticoagulante.
  • Slide 12
  • Os ovos ficam depositados no fundo das correntes de gua doce. A fecundao externa e os adultos morrem aps a eliminao dos gametas. O estgio larval dura de 5 a 6 anos. As feiticeiras so exclusivamente marinhas alimentando-se de peixes mortos ou feridos e invertebrados de corpo mole.
  • Slide 13
  • Os peixes Adaptaes: - A forma do corpo facilita a locomoo na gua, a pele apresenta grande quantidade de glndulas mucosas, o muco os protege contra ectoparasitos e diminui o atrito. O empuxo da gua garante um suporte considervel. Musculatura segmentada, permitindo a realizao de ondulaes para nadar. As nadadeiras conferem estabilidade e possibilidade de manobras. Os peixes cartilaginosos possuem grande quantidade de leo no fgado, reduzindo sua densidade corporal. Os peixes sseos possuem a bexiga natatria.
  • Slide 14
  • Ela faz com que a densidade desses peixes se aproxime com a da gua, de modo que permaneam estveis sem grande esforo muscular. A parede da vescula vascularizada. - A viso dos peixes limitada. O olfato um dos sentidos mais importantes. O ouvido interno encontra- se bem desenvolvido e muito til para a percepo de equilbrio. Possuem a linha lateral, uma seqncia de orifcios na superfcie do corpo, em comunicao com um canal longitudinal subcutneo na parede do qual h botes sensoriais ligados a um nervo lateral que se dirige ao encfalo. Com a linha lateral os peixes so capazes de perceber vibraes na gua. Alguns possuem ampolas eletroreceptoras, que permitem detectar fontes de corrente eltrica fraca.
  • Slide 15
  • No so capazes de manter constante a temperatura do corpo (pecilotermos ou heterotermos). Mantm a temperatura constante por meios comportamentais. Tm o metabolismo baixo.
  • Slide 16
  • Peixes cartilaginosos (condrctes) Tubares, caes e raias apresentam esqueleto cartilaginoso (leve - flutuao). Nadadeiras peitorais e plvicas aos pares, dosais e caudal mpares. A pele pode apresentar minsculas escamas (placides). Possuem boca ventral, narinas bem desenvolvidas, 5 pares de fendas branquiais. Para a respirao a gua pode entrar pela boca ou por orifcios situados atrs dos olhos chamados espirculos, em comunicao com a faringe. Cavidade cloacal situada entre as nadadeiras plvicas. Nos tubares e arraias as nadadeiras possuem clsperes para a transferncia de esperma para a fmea.
  • Slide 17
  • Os ovos so envolvidos por uma cpsuloa crnea protetora. Podem ser ovparos, ovovivparos ou vivparos aplacentais.
  • Slide 18
  • Slide 19
  • Peixes sseos (Ostectes) Endoesqueleto predominantemente sseo. Nadadeiras peitorais e plvicas aos pares e dorsal, caudal e anal mpares. Escamas (ciclides ou ctenides) de origem drmica. H peixes sem escamas (peixes-de- couro). Possuem cromatforos, capazes de se contrair ou expandir provocando mudana de cor. A boca encontra-se numa posio terminal. Na respirao a gua entra exclusivamente por ela e abandona a faringe atravs de 4 pares de fendas branquiais (cobertas pelo oprculo).
  • Slide 20
  • Existem peixes pulmonados que podem tirar oxignio diretamente do ar, quando esse gs se torna escasso na gua. Tm um orifcio anal e uma papila urogenital. A fecundao quase sempre externa, mas h casos de fecundao interna; nesses casos podem ser ovparos ou ovovivparos e o desenvolvimento ser indireto com larvas (alevinos).
  • Slide 21
  • Fim