of 15 /15
2690 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpósio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexões COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul RESUMO São aqui abordados alguns aspectos da participação do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul no projeto Rhinos are Coming, uma rica parceria entre quatro escolas de arte. A partir da proximidade das celebrações dos 500 anos do rinoceronte de Dürer, a Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa propôs o projeto que, contando também com a participação da Akademia Sztuk Pieknych, em Lodz, Polônia, e a Michaelis School of Fine Art, University of Cape Town, África do Sul, buscou apresentar e confrontar experiências destas instituições na produção de gravuras e instalações gráficas na contemporaneidade. PALAVRAS-CHAVE Ganda; Dürer; gravura; instalação; arte contemporânea. SOMMAIRE Ici sont discutés certains aspects de la participation de l'Instituto de Artes de l'Universidade Federal de Rio Grande do Sul dans le projet Rhinos are coming projet, un partenariat entre quatre écoles d'art. À la proximité des célébrations du 500e anniversaire du rhinocéros de Dürer, l a Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa a proposé le projet, comptant également avec la participation de Akademia Sztuk Pieknych à Lodz, en Pologne, et la Michaelis School of Fine Art, Université de Cape Town, Afrique du Sud, qui a cherché à présenter et de confronter les expériences de ces institutions dans la gravure et installations graphiques de nos jours. MOTS-CLÉS Ganda; Dürer; gravure; installation; art contemporain.

COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE …anpap.org.br/anais/2015/simposios/s4/maristela_salvatori.pdf · Gravura em metal e técnica mista, 30 x 39 cm Fotografia: F. Zago/Studio

Embed Size (px)

Text of COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE...

2690 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul

RESUMO So aqui abordados alguns aspectos da participao do Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul no projeto Rhinos are Coming, uma rica parceria entre quatro escolas de arte. A partir da proximidade das celebraes dos 500 anos do rinoceronte de Drer, a Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa props o projeto que, contando tambm com a participao da Akademia Sztuk Pieknych, em Lodz, Polnia, e a Michaelis School of Fine Art, University of Cape Town, frica do Sul, buscou apresentar e confrontar experincias destas instituies na produo de gravuras e instalaes grficas na contemporaneidade. PALAVRAS-CHAVE Ganda; Drer; gravura; instalao; arte contempornea. SOMMAIRE

Ici sont discuts certains aspects de la participation de l'Instituto de Artes de l'Universidade Federal de Rio Grande do Sul dans le projet Rhinos are coming projet, un partenariat entre quatre coles d'art. la proximit des clbrations du 500e anniversaire du rhinocros de Drer, l a Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa a propos le projet, comptant galement avec la participation de Akademia Sztuk Pieknych Lodz, en Pologne, et la Michaelis School of Fine Art, Universit de Cape Town, Afrique du Sud, qui a cherch prsenter et de confronter les expriences de ces institutions dans la gravure et installations graphiques de nos jours. MOTS-CLS

Ganda; Drer; gravure; installation; art contemporain.

2691 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

Rhinos are coming celebrou de forma antecipada as comemoraes dos 500 anos

do rinoceronte de Albrecht Drer que, imortalizado em xilogravura, tornou-se uma

das imagens mais emblemticas na histria da cultura e das artes grficas.

O convite para realizar uma curadoria junto ao projeto, proposto pela Faculdade de

Belas-Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL), decorreu do estreitamento de laos

com pesquisadores desta instituio. Sua concepo, estrutura e funcionamento

tiveram aspectos semelhantes ao projeto The Rape of Europe1, desenvolvido um

ano antes. Com coordenao central da FBAUL, reuniu artistas pesquisadores de

diferentes instituies de ensino de artes para realizarem curadorias locais em torno

de um eixo comum com vistas realizao de exposies concomitantes e

seminrios com a participao de acadmicos de cada instituio.

Quatro escolas de arte participaram do Projeto, alm da propositora, Faculdade de

Belas-Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL), o Instituto de Artes da

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (IA/UFRGS), em Porto Alegre, a

Akademia Sztuk Pieknych, em Lodz, Polnia, e a Michaelis School of Fine Art,

University of Cape Town, frica do Sul.2

Em cada pas professores e estudantes, vinculados s instituies, elaboraram

gravuras e instalaes grficas a partir das referncias histricas do rinoceronte

gravado em xilogravura por Albrecht Drer. Tratando-se de obras mltiplas,

exemplares dos trabalhos produzidos foram expostos simultaneamente em Lisboa,

Lodz, Cidade do Cabo3 e Porto Alegre. Em paralelo, previu-se, e foram a realizados,

seminrios internacionais com artistas e pesquisadores das instituies parceiras,

em Lisboa e em Porto Alegre.

No escopo do projeto ainda foi previsto que, aps as exposies, os exemplares

expostos em cada pas passariam a fazer parte do Acervo Artstico da instituio de

ensino participante4. Finalmente, uma publicao foi editada incluindo reproduo de

todas as obras e textos de pesquisadores de cada escola.5

Um rinoceronte e muitas histrias

A oferta de animais exticos como presentes diplomticos decorreu da ocupao

portuguesa na ndia. O rinoceronte Ganda, como ficou conhecido6, aportou em

2692 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

Lisboa como presente diplomtico do sulto indiano Muzafar II ao rei portugus Dom

Manuel I, pouco antes disto, o rei havia presenteado o Papa Leo X com numerosos

animais procedentes das colnias portuguesas, dentre os quais destacou-se o

elefante albino Hanno.7 Conforme Francisco Marshall: Desta embaixada advieram

muitos benefcios diplomticos para Portugal. Igualmente, a presena de Hanno em

Roma gerou fecunda iconografia no mesmo gnero do rinoceronte, teratolgico, no

qual confundem-se relato, fantasia e retrato.8

A chegada de Ganda Europa, portanto, veio a somar-se aos efeitos causados por

seus antecessores, trazidos um ano antes e que, ainda segundo Marshall,

cooperavam na composio do mesmo imaginrio, a histria de animais

extraordinrios no continente europeu, derivada de mitos, bestirios e relatos

variados.9

H relatos de que houve em Lisboa a expectativa que Ganda protagonizasse um

esperado confronto contra elefantes10 no Terreiro do Pao da Ribeira, porm a

prometida batalha no teria ocorrido, visto que os elefantes fugiram. Aps esta luta

frustrada Ganda teria sido embarcado para Roma como presente do monarca

portugus ao Papa Leo X.

De acordo com Jorge Nascimento Rodrigues e Tessaleno Devezas,11 o destino e fim

de Ganda permanecem incertos, mas a histria mais provvel seria de que o

paquiderme no teria chegado vivo em Roma devido a um naufrgio no

Mediterrneo. Se Ganda, o animal, desapareceu sem rastro certo, a representao

de rinoceronte, gravado em madeira por Drer, permanece como um dos smbolos

mais marcantes da histria da reprodutibilidade.

2693 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

A gravura de Drer, 1515, no British Museum

Fonte: http://www.rhinoresourcecenter.com/pictures/o/1218990307/Durers-rhino-1515.jpg

Precedida por um desenho, esta imagem de fora extraordinria, teria sido

construda por Drer a partir de fontes literrias, relatos e imaginao. Como aponta

Francisco Marshall, o texto que consta na gravura de Drer, incomum em sua obra,

baseado no verbete rinoceronte da Histria Natural de Plnio o velho (VIII, 29).

No entanto, ainda segundo Marshall, sintetizou o fascnio pelo monstruoso extico e

a curiosidade cientfica, o que deu ilustrao de Ganda impacto cultural com

imagem pseudo-naturalista.12

A participao da UFRGS no projeto Rhinos Are Coming

Conforme o convite recebido, cada curador-artista participava do projeto como

artista expositor, e deveria convidar, alm de um outro colega, professor-artista, oito

estudantes vinculados instituio. A curadoria feita em Porto Alegre fez um

pequeno recorte, entre estudantes de graduao e ps-graduao, num amplo

universo de jovens talentosos.

2694 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

Aps estudos iconolgicos preliminares e leituras de textos histricos e

contemporneos, o grupo trabalhou alguns meses na preparao das obras que

apresentaram formas e abordagens bastante diferenciadas.

Angela Venturella Alves

Portugal e o Rinoceronte, 2014 Impresso digital e placa recortada,

36 x 50 cm Fotografia: F. Zago/Studio Z

Helena Kanaan AD.rhinos.HK, 2014

Serigrafia e litografia, 56 x 76,5 cm

Fotografia: F. Zago/Studio Z

A professora convidada, Helena Kanaan, especialmente vinculada prtica da

litografia, nos ltimos anos, tem se dedicado ao cruzamento de diferentes meios e

tomou como principal motivao o carter de enunciao presente na ideia do

projeto. No anncio dos 500 anos da chegada de Ganda, Lisboa o receber,

novamente, mas desta vez pela reinterpretao de artistas de 4 cantos do mundo.

Assim, seu trabalho AD.rhinos.HK configura-se semelhana de um pster, nele

vrias tcnicas se cruzam e constituem esta imagem que, segundo suas palavras,

mantm elementos da gravura tradicional, mas se desloca, se repete e se mistura,

numa condio do impresso como imagem hbrida.13

Na imagem, conforme Helena,

Os tipos revelam letras desde o gtico antigo s criaes feitas para o computador, indicando datas e locais onde se podero apreciar os rinocerontes deste evento. A reprografia permite que o mesmo rinoceronte de Drer, animal forte e pr-histrico, tenha sua imagem transferida para a pedra litogrfica, matriz pesada e com origens

2695 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

muito antigas no ciclo evolutivo do planeta, figurando com interferncias sutis, na imagem hoje. As fotografias colhidas em passeios por Lisboa, foram digitalizadas e impressas em transparncias criando os layouts para a serigrafia, reproduzindo estampas dos muros de azulejos e caladas. Arte, rua, pster, imagem-anncio.

Angela Venturella Alves, formada em Odontologia e estudante concluindo a

graduao em Artes Visuais, desenvolveu o tema em muitos trabalhos, utilizando

tcnicas de gravura em metal, timbragem, chine coll e impresso digital. O trabalho

apresentado na exposio, Portugal e o Rinoceronte, realizado em impresso digital

e com matriz recortada. Conforme suas palavras, buscou

homenagear a corte do Rei D. Manuel I, que ousou trazer um Rinoceronte para a Europa, ... fazendo com que Portugal permanecesse em grande destaque, tal o furor causado pelo enorme e pitoresco exemplar at ento nunca visto;

e que possibilitou a Drer copiar suas linhas numa xilogravura, permitindo que o magnfico

animal fosse conhecido por todo o mundo!

Maristela Salvatori Anunciao, 2014

Gravura em metal e tcnica mista, 30 x 39 cm

Fotografia: F. Zago/Studio Z

Vitor Cauduro Matesco Rhinopropeller, 2014

Xilogravura, 70 x 50 cm

Fotografia: F. Zago/Studio Z

Em minha prtica artstica, frequentemente, elaboro em desenho ou gravura

espaos arquitetnicos ficcionais. Entre as associaes feitas ao pensar sobre o

projeto, algumas se impuseram. Primeiramente o estranhamento face ao

desconhecido, as fantasias e os medos dos navegantes a partir deste confronto as

riquezas a conquistar, mas, tambm, os monstros a enfrentar. Aqui, Anunciao

2696 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

refere-se expectativa pela chegada de Ganda.

A torre de Belm, representando simbolicamente um lugar de partida para estes

desafios e conquistas, definiu o rumo do trabalho. Seu espao interno apresentado

em penumbras onde habitam formas difusas e fantasmagricas - um fantasma alado

envolvem uma embarcao, e tambm a pesada silhueta do imponente e misterioso

animal prmio dos bravos aventureiros!

Vitor Cauduro Matesco, que recentemente concluiu a graduao, sempre teve muito

contato com animais, tendo um olhar quase cientfico ao abord-los em desenho,

pintura ou gravura, apresentando-os com grande riqueza de detalhes. Se no

esconde sua admirao pelas tradicionais pinturas de pssaros e flores de mestres

japoneses [Kacho-e], por outro lado, para gravar suas matrizes, com frequncia,

emprega ferramentas como retficas, assim como tambm utiliza cores bastante

vibrantes em suas impresses, numa frutfera mistura de recursos e referncias.

Para realizar Rhino propeller14, Vitor utilizou um nico bloco ensaiando sua

impresso repetida em diferentes posies at chegar ao formato em cruz ou hlice,

qual associou a ideia de bons ventos que impulsionam a navegao martima.

Ventos que possibilitaram a descoberta de novos mundos e o transporte de animais

do seu habitat para a coleo de reis e chefes da Igreja. Podendo-se tambm

pensar que representam os quatro pases que integraram o projeto.

David Ceccon

De Exilio (On Exile), 2014 Gravura em metal e tcnica mista,

37 x 27cm Fotografia: F. Zago/Studio Z

Roseli Nery Bem-Vindo, 2014

Impresso digital e gravura em relevo, 39 x 59 cm

Fotografia: F. Zago/Studio Z

2697 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

Formado em Letras e tambm estudante da graduao em Artes Visuais, David

Ceccon, ao refletir sobre a histria de Ganda, interessou-se pela questo das

viagens foradas, pensou no s nos animais exticos mas tambm no trfico de

escravos [...], nas ditaduras militares e nos governos extremistas, que muitas vezes

foram pessoas a deixar seus pases por questes polticas, ...ou onde soldados

vo lutar por sua ptria [...] sem saber se voltaro ou de pessoas que fogem de

guerras. Desta forma, no trabalho De Exilio, ttulo que faz referncia obra literria

de Plutarco, explora, segundo seu prprio depoimento, o sentimento de trnsito, de

xodo, de pertencimento ou no-pertencimento, de perda da identidade e da

familiaridade, de se tornar um outro, ou seja, desbravar as sensaes interiores

provocadas pelo exlio. O percurso de Ganda pelo mar at a Europa e sua

posterior morte [...] como uma metfora desses xodos forados, e um movimento

sem retorno.

J a doutoranda em Poticas Visuais e, tambm professora da Universidade Federal

de Rio Grande, Roseli Nery, tem uma produo que emerge no universo do

tridimensional. Com diminutos utenslios obtidos em lojas de aviamentos ou

ferragens ou esquecidos pela casa, cria pequenos e inusitados objetos ou ganha o

espao, ampliando dimenses, como na obra Agulhas por um fio. No ltimo ano tem,

tambm, empregado a fotografia como possibilidade potica.

Para este projeto Roseli concebeu Bem-Vindo, uma impresso digital, como uma

saudao a esta visita to esperada, e que marca a histria de Portugal e suas

relaes com a ndia atravs deste animal diplomtico. Quase 500 anos aps

celebramos a surpresa de sua aparncia extica. Conforme seu relato, o trabalho

Bem-Vindo apresenta de maneira simblica o desejo e o prazer de seu retorno e

registra sua presena atravs de sua marca, sua impresso digital.

Roseli encontrava-se em Lisboa no momento da exposio, realizando seu

Programa de Doutorado Sanduche, assim como a tambm doutoranda Flavya

Mutran, que desenvolve um trabalho fotogrfico em estreito dilogo com novas

mdias e redes sociais, a exemplo da srie Egoshots, tendo mais recentemente se

voltado a decodificao da imagem fotogrfica em diferentes verses numricas de

arquivo digital que passam a constituir objetos, como na srie Raster.

2698 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

Alice Porto

Era assim, 2014 Serigrafia, 30 x 42 cm

Fotografia: F. Zago/Studio Z

Flavya Mutran Origanda, 2014

Impresso digital e dobradura, 43 x 25 x 15 cm

Fotografia: F. Zago/Studio Z

Para realizar seu trabalho Origanda15 alis, curioso notar que duas artistas do

projeto realizaram obras com este mesmo nome, utilizando princpios de origami ,

Flavya pensou no contraponto palavra x imagem que envolve alguns aspectos da

criao da famosa gravura que Albrecht Drer fez sem nunca ter [de fato] visto um

rinoceronte. Trata-se de um origami composto por cinco peas relativamente

simples, cada uma delas em papel vegetal estampado digitalmente com os nomes

das cidades e personagens que protagonizaram direta ou indiretamente a trajetria

intercontinental de Ganda, da ndia Europa.

Segundo suas palavras,

Se as sutilezas de esboos e cartas serviram imaginao de artistas como Drer numa era pr-fotogrfica, as instrues e diagramas dos origamis provocam exerccios memria, o elogio matemtica, a geometria e ao raciocnio lgico. A abstrao aqui torna-se o atributo principal do campo das invisibilidades e da livre imaginao. As dobraduras remetem portabilidade dos mapas, das cartas dos viajantes

rumo ao incerto, aos segredos e acordos diplomticos oficializados em trmites

burocrticos, mas [tambm] s memrias afetivas e brincadeiras infantis.

Alice Porto, que recentemente concluiu sua dissertao de Mestrado, tem um

vnculo muito forte com o desenho, os fanzines, msicas e referncias da

contracultura. Para realizar Era assim, primeiramente, buscou cruzar aspectos deste

2699 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

Rinoceronte imaginado distncia com a fauna autctone do Brasil, como a

capivara, at chegar forma final onde, segundo seu depoimento,

busca questionar a comunicao e seus rudos, a partir da histria do rinoceronte de Drer. No caminho percorrido da descrio imagem existe uma trilha de perdas e ganhos, que se d em um dilogo entre imaginao e as brechas, ausncias ou ambiguidades da linguagem. A mmica, uma das primeiras formas de comunicao que aprendemos, uma ao esboada: delineia brevemente uma inteno de mostrar algo. Contornos das mos servem como linhas, numa ao muito parecida com o desenhar, porm com limitaes...

A tambm doutoranda em Poticas Visuais, e professora da Universidade Federal

de Pelotas, Mrcia Sousa tem especial interesse na pesquisa, assim como, na

produo de livros de artista e, nesses, a palavra encontra-se amalgamada

imagem. Em suas ltimas pesquisas, observa paisagens vegetais em

transformao, brotaes espontneas em construes abandonadas (Casa que

brota) e realizando ainda interferncias grficas nessas.

Mrcia Sousa

Frgil perenidade, 2014 Serigrafia, 36 x 42 cm

Fotografia: F. Zago/Studio Z

Louise Kanefuku Borboleta Monarca (Danausplexippus), 2014

Gravura em metal, 2014 45,7 cm x 20 cm

Fotografia: F. Zago/Studio Z

2700 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

Para conceber seu trabalho, Mrcia focou os artistas viajantes que integraram

expedies ao novo mundo registrando formas vegetais e animais ainda ignoradas

(pelo velho continente). Apresenta aqui uma espcie inventada, estabelecendo um

dilogo com o gesto de Albrecht Drer ao registrar meticulosamente as plantas que

observava, originando assim uma taxonomia vegetal peculiar, centrada na

percepo da beleza em sua fragilidade e efemeridade. Conforme seu depoimento,

frgil perenidade traz um desejo de reteno dessa beleza transitria, um desejo de preservar o inexistente, o nfimo, aquilo que quase no pode ser visto ou tocado... Linhas vertidas pela natureza em sementes, folhas, ramos, casulos em sua breve vida... Algo que permanea ainda que precariamente... O perene que se abriga no efmero.

Finalmente, a graduanda Louise Kanefuku que utiliza frequentemente sua prpria

imagem e algumas referncias culturais do Japo e tem uma produo intensa em

desenho e gravura que emprega recursos da fotografia. Seu trabalho Borboleta

Monarca (Danaus plexippus) parte do olhar ao que surpreende. Ao pensar sobre o

percurso de Ganda e seu impacto no imaginrio europeu lembrou de seu prprio pai

que, ao viajar do Brasil para o Japo, tentou levar de presente para os seus colegas

executivos japoneses uma caixa de borboletas com diferentes espcies [borboletas]

brasileiras, conforme suas memrias, seu pai no conseguiu autorizao para

embarcar com as borboletas, mas o fato lhe marcou, tendo achado muito curioso

uma pessoa to sria quanto seu pai quisesse levar borboletas para os seus

colegas, [...] igualmente sisudos.

Louise ponderou que os animais que se tornam, aos olhos dos humanos smbolos

de pases. As borboletas, planas e coloridas, so [seriam] como pequenas

bandeiras mesmo to diferente dos pesados e resistentes rinocerontes que

impressionam pela presena opressora, a borboleta atrai, at mesmo executivos

sisudos, pela sua beleza e delicadeza.

Ela ainda ressalta o fato da Borboleta Monarca ser uma espcie que habita as

Amricas e que, Curiosamente, h indcios de que, recentemente, ela tenha

comeado a colonizar o sul de Portugal, ao contrrio do que teria acontecido na

[nossa] histria.

2701 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

A experincia de compartilhamentos em gravura

Este projeto, iniciado em 2013, implicou em exposies simultneas em trs

cidades16 em novembro de 2014: em Porto Alegre no Centro Cultural CEEE Erico

Verissimo (CCCEV), em Lodz, Polnia, na Galeria Kobro, da Akademia Sztuk

Piknych, e em Lisboa, Portugal, na Torre de Belm, no Goethe Institut e na Galeria

da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, e uma exposio na

Cidade do Cabo, frica do Sul, no Centre for African Studies Gallery (CAS),

University of Cape Town, de abril a maio de 2015.

Alm da realizao de exposies ocorridas em quatro cantos do mundo, os

trabalhos produzidos, logo aps as exposies, foram incorporados aos acervos

artsticos das instituies participantes do projeto, fato que representa uma

perspectiva de riqussimo intercmbio cultural com possibilidades de novos

desdobramentos para todos os participantes e para as quatro escolas e cidades

envolvidas.

Detalhe de exposio no Centre for African Studies Gallery (CAS), University of Cape

Town, frica do Sul

Detalhe da exposio na Galeria Kobro, Akademia Sztuk Piknych, d, Polnia

2702 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

Detalhe de exposio na Torre de Belm,

Lisboa, Portugal Detalhe de exposio no CCCEV,

Porto Alegre, Brasil

Envolveu estudantes e professores destas instituies de ensino na criao de

gravuras e instalaes grficas que revisitaram este cone da cultura ocidental, o

rinoceronte de Drer. Contraps e apresentou, lado a lado, produes realizadas em

contextos e culturas muito diferentes e, sobretudo, apresentou algumas

possibilidades da gravura na contemporaneidade.

Alguns artistas focaram sua ateno sobre a especulao, tal qual teria ocorrido na

expectativa da chegada de Ganda Europa, colocaram-se na posio de tentar dar

forma ao fantstico, ao imaginado. Em comum, todos partilharam o esprito de

alegria e de celebrao, celebrao da aventura e tambm dos receios, da vertigem

e do fascnio frente ao desconhecido.

Em paralelo produo de obras e exposies, pesquisadores das instituies,

tanto artistas como tericos, participaram de Seminrios Internacionais que

ocorreram ao longo das exposies, um em Lisboa, outro em Porto Alegre17.

Reflexes destes pesquisadores, assim como reprodues das obras expostas,

foram editadas na publicao Rhinos are Coming.18

O projeto, em sua complexidade e riqueza, promoveu discusses contemporneas

sobre o campo da gravura, ressignificando a icnica figura do rinoceronte de Drer

em antecipao s celebraes dos 500 anos desta imagem seminal na histria da

reprodutibilidade e, atravs de suas possibilidades tcnicas, simbolicamente,

encurtou nossas imensas distncias temporais, fsicas e culturais.

2703 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

Notas

1 Parceria entre Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL), Portugal, a organizadora, Faculty

of Visual Arts and Design at the HKU, Uthrecht, Holanda, Facultat de Belles Arts de la Universitat de Barcelona, Espanha, Akademia Sztuk Pieknych, Lodzi, Polnia, e Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (IA/UFRGS), onde artistas vinculados s mesmas realizaram obras de gravura e/ou instalaes grficas a partir do mito de criao do continente europeu.

2 Sob a coordenao geral de Jos Quaresma, da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa

(FBAUL), Portugal, que fez tambm a curadoria da equipe portuguesa, o projeto, alm de mim, ainda contou com a curadoria dos professores Alicja Matziack, da Akademia Sztuk Pieknych, e Fritha Langerman, da Michaelis School of Fine Art.

3 Finalmente, em virtude de uma longa greve nos correios da frica do Sul, que reteve a maioria dos trabalhos

participantes em sua alfndega, a exposio na cidade do Cabo foi realizada de abril a maio de 2015.

4 O grupo de obras exposto em Porto Alegre foi doado ao Acervo Artstico do Instituto de Artes da Universidade

Federal do Rio Grande do Sul, assim como o grupo de obras exposto em Lisboa foi doado ao Acervo Artstico da Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, tal qual o grupo de obras exposto em Lodz foi doado ao Acervo Artstico da Akademia Sztuk Pieknych, Polnia, e o grupo de obras exposto na Cidade do Cabo foi doado ao Acervo Artstico da a Michaelis School of Fine Art, University of Cape Town, frica do Sul.

5 Rhinos are Coming: Simultaneous Exhibitions of Printmaking & Printmaking Installation, 2014 / ISBN 978-989-

8771-04-9 / 192 pp. disponvel em https://docs.google.com/file/d/0B7cSz9PPzh2YeDJqeENwQjdPaTA/edit e em http://www.fba.ul.pt/publicacoes/rhinos-are-coming/

6 O animal teria chegado Lisboa acompanhado de seu cuidador indiano. Ganda seria corruptela da palavra

gandara, rinoceronte em snscrito, que teria sido equivocadamente tomada como nome do animal aportado em Lisboa.

7 Chamado de Annone por Jorge Nascimento Rodrigues eTessaleno Devezas no livro Salomo. O Elefante

Diplomata.

8 MARSHALL, Francisco. A iconologia do Rinoceronte de Drer. In:QUARESMA, 2014, p. 86.

9 Op. Cit., p. 88.

10 Seus supostos inimigos naturais.

11 RODRIGUES, Jorge Nascimento; DEVEZAS, Tessaleno. Salomo. O Elefante Diplomata. Lisboa: Centro

Atlntico, 2008.

12 MARSHALL, Op. Cit., p. 92.

13 Todos os depoimentos citados neste texto foram recebidos, por escrito, em maio de 2014.

14 Imagem utilizada na capa da publicao do projeto e nos convites portugueses.

15 curioso notar que duas artistas do projeto realizaram obras com este mesmo nome, utilizando princpios de

origami.

16 Em virtude de uma longa greve nos correios da frica do Sul, que reteve a maioria dos trabalhos participantes

em sua alfndega, a exposio na cidade do Cabo foi postergada para 2015.

17 O Seminrio Rhinos are coming, em Porto Alegre, ocorreu no CCCEV e contou com suporte da CAPES e da

PROPESQ/UFRGS.

18 Como j citado, com organizao de Jos Quaresma, Lisboa: FBAUL, 2014. Disponvel em

https://docs.google.com/file/d/0B7cSz9PPzh2YeDJqeENwQjdPaTA/edit e em http://www.fba.ul.pt/publicacoes/rhinos-are-coming/

Referncias

Depoimentos dos artistas brasileiros participantes do projeto autora, por e-mail, em maio de 2014.

QUARESMA, J. (org.) Rhinos are Coming. Lisboa: FBAUL, 2014.

https://docs.google.com/file/d/0B7cSz9PPzh2YeDJqeENwQjdPaTA/edithttp://www.fba.ul.pt/publicacoes/rhinos-are-coming/https://docs.google.com/file/d/0B7cSz9PPzh2YeDJqeENwQjdPaTA/edithttp://www.fba.ul.pt/publicacoes/rhinos-are-coming/

2704 COMPARTILHAMENTOS EM GRAVURA: O INSTITUTO DE ARTES DA UFRGS NO PROJETO RHINOS ARE COMING

Maristela Salvatori / Universidade Federal do Rio Grande do Sul Simpsio 4 Compartilhamentos na gravura: redes e conexes

RODRIGUES, Jorge Nascimento; DEVEZAS, Tessaleno. Salomo. O Elefante Diplomata. Lisboa: Centro Atlntico, 2008.

Maristela Salvatori Doutora em Artes e Cincia das Artes por Paris I (2002), Estgio Snior/CAPES, Universit Laval, Canad.Professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuando nos cursos de Artes Visuais, Graduao e Ps-Graduao, tendo sido Coordenadora do PPGAV/IA/UFRGS. Artista Residente na Cit Internationale des Arts, Paris e no Centro Frans Masereel, Kasterlee. Membro da ANPAP e do Conselho Editorial das Revistas Estdio, Gama e Cromo, da FBAUL.