Click here to load reader

Cleber Dias da Costa Neto O CURRÍCULO DO CURSO DE 09_Cleber Dias da Costa Neto.pdf · PDF file Orientador: Prof. Victor Augusto Giraldo Rio de Janeiro Dezembro de 2019 . 2 Cleber

  • View
    14

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Cleber Dias da Costa Neto O CURRÍCULO DO CURSO DE 09_Cleber Dias da Costa...

  • Cleber Dias da Costa Neto

    O CURRÍCULO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE

    PROFESSORES DE MATEMÁTICA DA UFRJ: NARRATIVAS

    POSSÍVEIS

    Texto da Tese de Doutorado

    Apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Ensino e História da Matemática e da Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro como requisito para obtenção do título de Doutor em Ensino de Matemática.

    Orientador: Prof. Victor Augusto Giraldo

    Rio de Janeiro

    Dezembro de 2019

  • 2

    Cleber Dias da Costa Neto

    O CURRÍCULO DO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE

    PROFESSORES DE MATEMÁTICA DA UFRJ: NARRATIVAS

    POSSÍVEIS

    Tese apresentada como requisito para obtenção do grau de Doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Matemática da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

    Prof. Victor Augusto Giraldo Orientador

    Instituto de Matemática – UFRJ

    Prof. Rozana Gomes de Abreu Colégio de Aplicação - UFRJ

    Prof. Carmen Teresa Gabriel Le Ravallec Faculdade de Educação - UFRJ

    Prof. Andréia Maria Pereira de Oliveira Faculdade de Educação - UFBA

    Prof. Thiago Pedro Pinto Instituto de Matemática – UFMS

    Membros suplentes:

    Prof. Agnaldo da Conceição Esquincalha Instituto de Matemática – UFRJ

  • 3

    Cleber Dias da Costa Neto

  • 4

    Cleber Dias da Costa Neto

  • 5

    AGRADECIMENTOS

    À minha família, especialmente aos meus pais, Berenice e Cleber (in memoriam), e

    irmãos, pelo apoio dedicado ao longo da minha trajetória. As dificuldades enfrentadas por

    eles não foram poucas.

    Ao professor e amigo Victor Giraldo, pela orientação e paciência que ultrapassam a

    confecção deste trabalho. Sua parceria foi imprescindível para chegar até aqui e será

    muito importante em meus trabalhos futuros. Ainda vamos fazer muita balbúrdia

    acadêmica por aí.

    À Renata, minha companheira, que esteve ao meu lado durante os momentos mais críticos

    da minha trajetória profissional e acadêmica, me motivando sempre. Nossas conversas

    nos bares ou em casa sobre temas acadêmicos e políticos contribuíram bastante para

    minhas reflexões.

    À Universidade Federal do Rio de Janeiro, minha alma mater, literalmente, por ter me

    alimentado academicamente e politicamente durante graduação, mestrado e doutorado. E

    também por ter me proporcionado períodos de afastamento das atividades profissionais

    no Colégio de Aplicação da UFRJ para dedicação exclusiva à confecção desta tese.

    Aos professores e técnicos do Colégio de Aplicação da UFRJ, em especial à equipe de

    professores de matemática, pela cooperação e parceria profissional.

    A todos os meus queridos amigos, pelo incentivo, pelo companheirismo e pelas

    conversas. Destaco aqui Renan e Thiago como representantes dessas amizades que, por

    vezes, ultrapassam o simples apreço entre pessoas, configurando-se em relações fraternas

    que perduram mesmo à distância.

    A todos aqueles que contribuíram para a realização deste trabalho, em especial os

    docentes entrevistados, os participantes da roda de conversa, os membros do grupo de

    pesquisa LaPraME e Elena Nardi, pesquisadora que colaborou com parte desta pesquisa.

  • 6

    Aos membros das bancas de qualificação e de defesa desta tese, pelas valorosas e

    imprescindíveis observações e indicações.

    E aos militantes, agentes públicos e especialistas que possibilitaram que políticas públicas

    voltadas para a democratização do acesso à educação fossem implementadas,

    possibilitando que pessoas com origem semelhante à minha, provenientes do subúrbio,

    de famílias pobres, pretos e pardos, pudessem acessar o ensino superior e até se tornarem

    mestres e doutores.

  • 7

    RESUMO

    Esta tese tem como objetivo investigar o currículo do curso de formação inicial de

    professores de matemática do Instituto de Matemática da Universidade Federal do

    Rio de Janeiro (IM-UFRJ), a partir do debate teórico em formação de professores e

    currículo. Tal investigação se dá a partir do terreno institucional e político em que

    sucessivas versões curriculares foram concebidas, implantadas e experenciadas por

    sujeitos que compõem a comunidade acadêmica do curso de Licenciatura em

    Matemática da UFRJ. Mais especificamente, nossa pesquisa de doutorado investiga

    essa questão dos pontos de vista: (i) da instituição e seus documentos oficiais; (ii)

    dos docentes do curso como atores que participaram diretamente da construção

    dessas versões curriculares; e (iii) dos estudantes e egressos do curso, cuja formação

    profissional ocorreu nesse contexto, como constituídos pelo currículo e possíveis

    participantes da construção do mesmo. Utilizamos, para isso, perspectivas teóricas

    no campo da Educação, que influenciam trabalhos na área de Educação

    Matemática. Esse debate teórico sustentou nossa produção e análise de resultados,

    assim como nossas inferências no percurso da pesquisa, mas só foi possível de ser

    realizado devido às articulações com teorias de currículo, que contribuíram para

    situar a discussão em um cenário complexo e não dicotômico.

    PALAVRAS-CHAVE

    Formação de Professores de Matemática; Currículo; Narrativas.

  • 8

    ABSTRACT

    This thesis aims to investigate the curriculum of the pre-service mathematics

    teachers undergraduate course of the Institute of Mathematics of the Federal

    University of Rio de Janeiro (IM-UFRJ), from the theoretical debate on teachers

    education and curriculum. Such investigation is situated on the institutional and

    political terrain in which successive curricular versions were conceived,

    implemented and experienced by subjects who make part of the academic

    community of the undergraduate course. More specifically, our doctoral research

    investigates this issue from the perspective of: (i) the institution and its official

    documents; (ii) the lecturers of the course as actors who influenced these curriculum

    versions; and (iii) the students and graduates of the course, whose professional

    education occurred in this context, as influenced by and possible influencers of the

    curriculum. For this purpose, we use theoretical perspectives in the field of

    Education, which have influenced works in the area of Mathematics Education.

    This theoretical debate supported our production and analysis of results, as well as

    our inferences in the research, but it was only possible due to the influences of

    curriculum theories, which contributed to situate the discussion in a complex and

    non-dichotomic landscape.

    KEYWORDS

    Mathematics Teacher Training; Curriculum; Narratives.

  • 9

    LISTA DE FIGURAS E TABELAS

    CAPÍTULO 1 – INTRODUÇÃO

    Figura 1 – Classificações dos formatos de dissertações e teses.........................................52

    CAPÍTULO 2 – Artigo 1 – Do 3 + 1 à prática como componente curricular: uma

    narrativa possível sobre o currículo da formação inicial de professores de

    matemática da UFRJ

    Tabela 1 – Mudanças na grade curricular da Licenciatura em Matemática da UFRJ em

    1988.................................................................................................................................68

    Tabela 2 - Disciplinas e requisitos obrigatórios do curso de Licenciatura em Matemática

    da UFRJ...........................................................................................................................73

    Tabela 3 – Blocos curriculares da Licenciatura em Matemática da UFRJ a partir de

    1993.................................................................................................................................74

    CAPÍTULO 3 – Artigo 2 – Experiências e disputas no território da formação inicial

    de professores de matemática: uma narrativa (im)possível

    Tabela 1 – Questões do roteiro das entrevistas...............................................................96

    Tabela 2 – Episódios.......................................................................................................99

    CAPÍTULO 4 – Artigo 3 – Diálogos sobre o currículo da formação inicial de

    professores de matemática: narrativas discentes

    Tabela 1 – Dados gerais sobre os participantes da roda de conversa...............................130

    Tabela 2 – Questões do roteiro da roda de conversa.......................................................131

  • 10

    SUMÁRIO

    CAPÍTULO 1 – INTRODUÇÃO ................................................................................ 12

    1.1. Motivações, Trajetórias Pessoais e de Pesquisa .............................................................................. 14

    1.1.1. Cleber Neto: entre brechas e oportunidades .......................................................................

Search related