biomagnetismo MUDRAS

  • View
    225

  • Download
    49

Embed Size (px)

Text of biomagnetismo MUDRAS

  • 2009

    Ariane Luciano Paulino

    Padmi Ncleo de Yoga e Arte

    23/02/2009

    Biomagnetismo e Mudrs Teraputicos

  • SSUUMMRRIIOO

    Biomagnetismo...........................................................................................................................3

    Histria do biomagnetismo......................................................................................................3

    Campos magnticos no ser humano.......................................................................................4

    Tecnologia ..............................................................................................................................5

    Mudrs........................................................................................................................................6

    Prtica dos mudrs .................................................................................................................7

    Mudrs teraputicos..............................................................................................................10

    Caso de uso..........................................................................................................................16

    Anexos......................................................................................... Erro! Indicador no definido.

    Bibliografia................................................................................................................................21

  • Biomagnetismo

    Histria do biomagnetismo

    Na Grcia antiga o pastor de ovelhas Magnes, percebeu que os pregos de suas sandlias e-

    ram atradas por uma rocha devido a alguma fora desconhecida. Essa rocha passou a ser cha-

    mada como Magnes e hoje conhecida como Magnetita. Magnes utilizou pedaos pequenos

    dessa rocha em suas sandlias de modo que caminha-se longas distncias sem se cansar. SAL-

    GADO [2007].

    O professor Adilson de Oliveira do Departamento de Fsica da Universidade Federal de So

    Carlos, h evidncias de que os chineses, h cerca de 3.500 anos, descobriram que uma agulha

    sobre um determinado tipo de material, quando deixado livre, sempre apontaria para uma direo

    particular (a direo Norte-Sul), que hoje conhecemos por bssola. MANFRINATO [2007].

    Os povos antigos rabes, chineses, egpcios, usavam mas para efeitos curativos. Geomnti-

    cos chineses registraram efeitos sutis sobre o campo magntico da terra sobre a sade das pes-

    soas, utilizando bssolas sensveis para monitorar as condies geomagnticas, no primeiro s-

    culo depois de Cristo. O mdico persa Ali Abbas usava o magnetismo para tratamento de es-

    pasmos e gota. GERBER [2002].

    Sabemos que na Segunda Guerra Mundial, pombos foram utilizados como mensageiros, por

    sua capacidade de voar acima das linhas dos campos magnticos da terra; campo geomagntico

    e desse modo conseguir se orientar por elas de forma a retornar a seu local de partida. Mas alm

    dos pombos, as borboletas, as abelhas, moscas, golfinhos, baleias e tartarugas tambm utilizam

    o campo geomagntico para se orientarem, criando uma nova rea de estudo que a Magnetobio-

    logia. MANFRINATO [2007].

    Biomagnetismo a cincia que estuda os campos magnticos gerados pelo nosso corpo.

    No um fenmeno que ocorre somente na natureza, tambm ocorre com os seres humanos.

    SALGADO [2008].

  • Campos magnticos no ser humano

    Com o avano das pesquisas possibilitou o estudo de como esses campos magnticos so

    gerados no corpo humano.

    O crebro gera constantemente correntes eltricas. Alguns rgos, como o estmago e o co-

    rao geram seu campo magntico atravs da contrao.

    O corao Gera seu campo no momento de bombear o sangue para o corpo e o estmago no

    momento da digesto. A contrao produz uma corrente que gera um campo magntico e esse

    fato conhecido como a Lei de Ampre 1.(Figura1).

    Os rgos apresentam diferentes graus de magnetismo. O corao, o bao e o fgado apre-

    sentam o paramagnetismo 2, que um fato que ocorre constantemente em todo o nosso corpo.

    J o fgado como contm ferritina, quando ocorre o paramagnetismo os ons de ferro tende a se

    alinhar e reforar o campo. Temos substncias diamagnticas , ou seja, gera um campo magn-

    tico em oposio ao campo aplicado, repelindo-o e isso ocorre pela maior parte dos tecidos de

    nosso corpo que possui gua em abundncia. Temos tambm ferromagnetismo, ou seja, que se

    orientam na direo do campo aplicado, ou seja, a atrao dos matrias que contm ferro(dos

    ons de ferro na mesma direo). MANFRINATO [2007].

    O professor Oswaldo Baffa, da Universidade de So Paulo, campus Ribeiro Preto As mol-

    culas de hemoglobina do sangue tm tomos de ferro. Diversas enzimas possuem metais no seu

    centro ativo para fazer a catlise e, portanto, possuem ferro e mangans. Assim sendo, o nosso

    corpo possui partculas magnticas. MANFRINATO [2007].

    Temos mais de 23 elementos qumicos em nosso corpo. (Figura 3). Sendo o Oxignio faz

    parte da gua e das molculas orgnicas(carbono e hidrognio), como tambm necessrio para

    a respirao celular, produz trifosfato de adenosina, substncia rica em energia; O Carbono

    encontrado em toda molcula orgnica; O Hidrognio faz parte da gua e de todas as molculas

    orgnicas. O Nitrognio componente de protenas e cidos nuclicos. O Potssio o ction

    mais abundante dentro da clula, importante na conduo de impulsos nervosos e na contrao

    muscular. A falta ou excesso pode fazer o corao parar. O Cobre antioxidante, compe diver-

    1 A Lei de Ampre a lei que relaciona o campo magntico sobre um lao com a corrente eltrica

    que passa atravs do lao. WIKIPDIA[2008]

    2 uma forma de magnetismo que s ocorre quando um campo magntico externo aplicado. WI-

    KIPDIA[2008]

  • sas enzimas que ajudam na produo da energia celular, na formao de tecidoos conectivos e

    na produo de melanina.

    O Florprotege os dentes.

    O Sdio controla o volume do sangue que circula no organismo, como tambm, para a con-

    duo de impulsos nervosos e contrao muscular.

    O Clciocontribui para a rigidez dos ossos e dentes, necessrio para a coagulao sangu-

    nea e contrao muscular.

    O Mangans antioxidante, ativa enzimas que metabolizam os carboidratos, aminocidos e

    colesterol, como tambm na formao de cartilagem e ossos.

    O Molibdnio auxilia em vrias reaes no organismo como no metabolismo de aminocidos

    e toxinas, como tambm na formao de cido rico, sua eliminao pela urina e bile.

    O Selnio antioxidante e participa da sntese de hormnios tireoidianos.

    O Ferro antioxidante, envolvido no transporte de oxignio para a clula, transporte de el-

    trons para a energia e sntese de DNA.

    O Zinco participa do metabolismo de aproximadamente cem enzimas importante para o

    crescimento, a imunidade do organismo, na reproduo, na funo neurolgica.

    O Fsforo fundamental para o desempenho celular, como produzir e estocar energia. Junto

    com o clcio forma ossos e dentes. O Cobalto compe a vitamina B12, formadora das clulas

    vermelhas do sangue.

    O Enxofre elimina metais pesados como mercrio e o chumbo.

    O Cromo potencializa a insulina, evitando o acmulo de acar no sangue.

    O Magnsio ajuda na produo de energia, sntese do DNA, RNA e protenas e transporte de

    ferro para a membrana celular.

    O Cloro neutraliza os fludos. O Iodo fundamental nos hormnios tireoidianos, que so res-

    ponsveis pelo crescimento, metabolismo, funo reprodutiva. O Alumnio, Boro, Estanho, Silcio

    e Vandio so encontrados em doses mnimas mas fundamentais para o equilbrio do organismo.

    Tecnologia

    Hoje em dia temos: Eletrocardiograma mede os impulsos eltricos do corao, o eletroencefa-

    lograma mede a corrente eltrica do crebro. O SQUID (Dispositivo Supercondutor de Inferncia

    Quntica) que mede o campo magntico em volta do corpo, ou, o corao do feto dentro da barri-

    ga da me, como tambm tem outras aplicaes como medir de ondas gravitacionais e etc. Te-

    mos tambm, o Vegatest que foi desenvolvido na Alemanha e regulado em alta sensibilidade,

  • utilizando pontos do EAV3, para determinar o mais apropriado medicamento homeoptico, alm

    de diagnosticar o nvel energtico dos rgos.(Figura 2) MANFRINATO [2007].

    MMUUDDRRSS

    Mudrs so selos, gestos, uma palavra snscrita, derivada das razes mud significa encan-

    to e rati dar, Dora.

    Os mudrs so utilizados para despertar e harmonizar a energia que circulam nos chakras.

    Hastas mudrs so mudrs com as mos. Sendo que cada dedo tem sua representatividade, co-

    mo tambm possuem terminaes nervosas e so canais de energia.

    Yogi Kumar um senhor que ensina yoga e Mudrs de cura. Pratica mais de 20 Mudrs por

    dia e cr que pode curar qualquer doena por meio dos Mudrs. De acordo com Rajendar os Mu-

    drs podem melhorar o corpo; proporcionar paz, como tambm alvio instantneo de muitas do-

    enas; pode curar indisposies de ouvido at ataque cardaco. MENEN [2007].

    As mos possuem uma linguagem universal. Mos que estendem em concha para pedir e se

    deslocam convexas para dar e que se fecha para guardar o que no pode ser revelado. Como

    tambm, Dar uma mo prestar ajuda; Estar em boas mos entregar algum a confiana de

    outrem; Ficar na mo ser enganado; Dar a mo a palmatria admitir que errou e o que

    Feito com mos de mestre fazer com habilidade. Bem as mos so objetos da filosofia, da

    poesia, prosa. O orador romano Sneca disse: Uma mo lava a outra ao se referir ao ato de

    s