Click here to load reader

Aula Concreto Preparo Transp Lanc Adens Cura

  • View
    224

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

aula preparo concreto

Text of Aula Concreto Preparo Transp Lanc Adens Cura

  • 25/02/2013

    1

    Engenharia Civil 4 Termo 1 Semestre 2013Professor: Mrcio de Mattos Fioroni

    Concreto Preparo, Transporte, Lanamento, Adensamento e Cura

    CONCRETO

    Definio

    Constituio

    Resistncia

    Preparo

    Transporte

    Lanamento

    Adensamento

    Cura

  • 25/02/2013

    2

    Definio

    O concreto ou o material mais utilizado na construo civil, composto por uma mistura de cimento Portland, agregados midos (areia e p de pedra), agregado grado (britas e seixos) e gua, alm de outros materiais eventuais, os aditivos (plastificante, retardador de pega) e as adies (metacaulim, cinza volante, pozolanas, cal, p de pedra).

    DefinioQuando armado com ferragens passivas, recebe o nome de

    concreto armado, e quando for armado com ferragens ativas recebe o nome de concreto protendido

  • 25/02/2013

    3

    ResistnciaSua resistncia e durabilidade depende da proporo entre

    os materiais que o constituem. A mistura entre os materiais constituintes chamada de dosagem ou trao. O tempo de cura ideal considerado de 28 dias.

    ConstituioA gua utilizada contribui para a reao qumica que transforma o

    cimento portland em uma pasta aglomerante. Se a quantidade de gua for muito pequena, a reao no ocorrer por completo e tambm a facilidade de se adaptar s formas ficar prejudicada, porm se a quantidade for superior a ideal, a resistncia diminuir em funo dos poros que ocorrero quando este excesso evaporar.

  • 25/02/2013

    4

    ConstituioA porosidade, por sua vez, tem influncia na impermeabilidade e,

    consequentemente, na durabilidade das estruturas confeccionadas em concreto. A proporo entre a gua e o cimento utilizados na mistura chamada de fator gua/cimento. As propores entre areia e brita na mistura tem influncia na facilidade de se adaptar s formas e na resistncia.

    Preparo

    a operao de fabricao do concreto:

    Mistura manual

    Mistura mecnica

  • 25/02/2013

    5

    Preparo Mistura manual NBR 6118 (NB 1-78):

    Em pequenos volumes

    Obras de pouca importncia

    Realizado em uma superfcie plana impermevel e resistente

    Ordem: agregados secos e cimento at obter-se uma cor

    uniforme e acrescenta-se gua aos poucos at obter-se uma

    massa uniforme

    No ser permitido amassar-se, de uma s vez, mais do que 100

    kg de cimento

    Preparo

    Mistura mecnica:

    Feita em betoneiras

    Volume da betoneira e da betonada. Volume

    da cuba (Vt) / Volume da mistura (Vm) /

    Volume de produo (Vp)

    Relaes mdias: (Vm/Vt = 0,7) / (Vp/Vm =

    0,65) / (Vp/Vt = 0,5)

    Classificao: 90% do numero de litros que

    elas sejam capazes de produzir (uma

    betoneira 350 produz 390 litros)

  • 25/02/2013

    6

    Preparo

    Mistura mecnica:

    Velocidade tima de mistura (N = 20/D), onde N = rotaes

    por minuto e D = diametro do tambor em metros

    Tempo de mistura: segundo a NBR 6118 (NB 1-78), (120*d), onde

    d = dimetro mximo da misturadora, para betoneiras inclinadas

    Ordem de colocao dos materiais na betoneira (betoneiras de

    carregamento manual): gua, agregado grado, cimento e

    agregado mido

    Transporte Depende do tipo, da localizao e do volume da obra e

    deve manter a homogeneidade do material, evitando a

    segregao. Classificao:

    Transporte horizontal

    Transporte inclinado

    Transporte vertical

    Bombas

    Caminhes betoneira

  • 25/02/2013

    7

    Transporte Transporte horizontal:

    Carrinho de mo de 1 roda

    (cap. 50 litros)

    Carrinho de mo de 2 rodas

    (cap. 160 litros)

    Pequenos veculos

    motorizados (at 1 m)

    Caminhes agitadores

    Vagonetas sobre trilhos

    Transporte

    Transporte inclinado:

    Calhas e chicanas

    Tapetes rolantes

  • 25/02/2013

    8

    Transporte Transporte vertical:

    Guinchos de descarga automtica

    ou no

    Guindastes equipados com

    caambas de descarga pelo fundo

    (sua capacidade pode variar de

    algumas centenas de litros at

    uma dezena de metros cbicos

    Queda livre (de 2,50 at 3,00

    metros)

    Transporte Bombas :

    Muito utilizado na construo

    de edifcios altos

    O dimetro interno do tubo

    dever ser, no mnimo, trs

    vezes o dimetro do agregado

    Tem capacidade de

    bombeamento horizontal de at

    300 metros

    Perde-se de 10 a 12 metros por

    curva de 90

  • 25/02/2013

    9

    Transporte Bombas :

    Perde-se cerca de 8 metros na

    horizontal por metro na vertical

    O volume mdio de 30 m/h,

    havendo equipamentos com

    capacidade para at 60 m/h

    Atualmente estes equipamentos

    so montados em veculos,

    tornando-os bastante prticos

    Transporte Bombas :

    O incio da operao deve ser com argamassa, a

    fim de lubrificar os tubos

    No final da jornada, deve-se limpar a tubulao

    com uma esfera de borracha

    Existe um fator gua/cimento ideal para

    bombeamento, onde abaixo deste o concreto

    provoca um atrito alto com a parede dos tubos

    e acima tambm, por exsudao

    Um concreto bombevel deve ter slump entre 6

    e 16 cm, dependendo do tipo de bombas

  • 25/02/2013

    10

    Lanamento

    Inclui trs operaes fundamentais:

    Preparao da superfcie (frma)

    Colocao do material transportado

    Maneira como deve ficar depositado

    Lanamento Tempo de lanamento:

    Deve ser lanado logo aps o amassamento

    Intervalo de at 1 hora

    Quando for preciso um tempo maior, dever ser empregado um retardador de

    pega e endurecimento

    Depois deste prazo o concreto perde trabalhabilidade e tem inicio as reaes

    qumicas entre a gua e o cimento, esquentando a massa

  • 25/02/2013

    11

    Lanamento Altura da queda:

    No poder ultrapassar 2,5 metros

    Quando a altura for superior, tomar

    medidas para evitar a segregao, como,

    por exemplo:

    - Abertura de janelas nas formas

    - Colocao de trombas no interior das

    formas

    - Emprego de argamassa de cimento na

    parte baixa da pea com a mesma

    resistncia do concreto empregado

    Lanamento

    Concreto submerso:

    O concreto dever ter, no mnimo de 350 kg de cimento por metro

    cbico

    Ser de consistncia plstica

    Ser levado dentro da gua por uma tubulao, mantendo-se a

    ponta do tubo dentro do concreto j lanado

  • 25/02/2013

    12

    Lanamento Concreto submerso (alguns processos clssicos):

    Avano em talude: quando a altura da gua relativamente pequena

    Baldes: devem ter fundos que se abrem, utilizados para grandes

    superfcies em profundidades superiores a 1 metro

    Lanamento Concreto submerso (alguns processos clssicos):

    Tremonha ou funil: para concretos em grandes massas, tem um raio

    de ao de 3 metros com tubos de 25 a 45 cm de dimetro

  • 25/02/2013

    13

    Lanamento

    Concreto submerso (alguns processos clssicos):

    Bentonita: coloca-se uma argila bastante fluida, com densidade entre a

    do concreto e a gua. Coloca-se o concreto sob a bentonita, como no

    processo do funil

    Concreto ensacado: quando h correntes e movimentao na gua,

    coloca-se o concreto em sacos de tecido permevel, como aniagem ou

    juta

    Lanamento

    Concreto submerso (alguns processos clssicos):

    Concreto injetado: colocao, na frma, de agregado grado com

    granulometria qualquer, desde que com mxima densidade. Em

    seguida injeta-se argamassa de baixo para cima atraves de tubos,

    bombeando-a at preencher os vazios do agregado. Tambm

    conhecido como PREPAKT, COLCRETE ou INTRACRETE

  • 25/02/2013

    14

    Lanamento Plano de concretagem:

    o estudo conjunto entre o projetista da estrutura, o engenheiro

    construtor e o engenheiro tecnologista, que estipula prazos e planos

    de retirada das formas, colocao de ferragem adicional nos locais de

    paragem foradada concretagem na estrutura, etc.

    -

    Exemplo: em um edifcio concreta-se primeiramente os pilares at o fundo das

    vigas para, depois colocar-se as armaduras das vigas e das lajes para a

    prxima etapa da concretagem

    Lanamento Juntas de dilatao e de

    retrao:

    Para prevenir ou limitar as

    tenses provenientes de

    variaes nas dimenses do

    concreto ou permitir a

    concretagem de grandes peas,

    mantendo o concreto

    impermevel a lquidos

  • 25/02/2013

    15

    Adensamento

    Para obteno do concreto compacto, com o mnimo de vazios,

    aps a colocao do concreto nas frmas, provocando a sada do

    ar, facilitando o arranjo interno dos agregados, melhorando o

    contato do concreto com as frmas e as ferragens. Pode ser feito

    de duas formas:

    - Adensamento manual

    - Adensamento mecnico

    Adensamento

    Adensamento manual:

    - Executado em concreto com slump entre 5 e 12 cm

    - Espessura mxima de 20 cm

    - Utilizado em obras de menor responsabilidade

  • 25/02/2013

    16

    Adensamento

    Adensamento mecnico (tipos de

    vibradores):

    - internos, como as agulhas

    vibrantes

    - Externos, como rguas de

    superfcies e mesas vibratrias

    - De frma, para pr moldados e

    vigas protendidas

    Adensamento

    Adensamento mecnico (algumas regras que devem ser

    observadas):

    - Introduzir e retirar a agulha lentamente, evitando a formao de

    cavidades inferiores