14

Click here to load reader

Aula 2 Adm CientíFica

Embed Size (px)

Citation preview

Page 1: Aula 2 Adm CientíFica

Administração Científica

Msc. Adriana Vinholi Rampazo

Page 2: Aula 2 Adm CientíFica

Escola Clássica

ESTRUTURAL

RELACIONAL

AM

BIE

NT

E INT

ER

NO

Page 3: Aula 2 Adm CientíFica

Origens da Administração Científica

Séc. XVII – Descartes – predomínio da razão sobre o a tradição e os costumes.

Séc. XVIII – racionalismo atingiu seu apogeu. Até o séc. XX - Trabalho ainda não tinha sido afetado

pela racionalização. O pioneiros da racionalização do trabalho são os

fundadores da Escola de Administração Científica ou Escola Clássica.

Page 4: Aula 2 Adm CientíFica

Precursores da escola clássica

Taylor – Princípios de Administração Científica – 1906 – sistemas e métodos de racionalização do trabalho na linha de produção.

Mensuração dos tempos e movimentos. Controle dos empregados.

Henry Fayol – Administração Geral e Industrial – 1916 – voltado a definição das tarefas dos gerentes e executivos.

Criou as funções do administrador – Planejar; Organizar; Coordenar; Comandar; Controlar.

Page 5: Aula 2 Adm CientíFica

Idéias centrais do movimento

O homem é um ser eminentemente RACIONAL; Ao tomar uma decisão, ele conhece TODOS os cursos

de AÇÃO disponíveis e as CONSEQUÊNCIAS da opção por qualquer um deles;

Assim, pode escolher sempre a MELHOR ALTERNATIVA.

E MAXIMIZAR os resultados de sua decisão.

O ser humano era visto como PREVISÍVEL, cujo comportamento NÃO variava muito.

Page 6: Aula 2 Adm CientíFica

Idéias centrais do movimento Era fácil PREVER os problemas e como REAGIR a eles.

INCENTIVOS FINANCEIROS adequados, constante VIGILÂNCIA e TREINAMENTO eram ações consideradas suficientes para garantir BOA PRODUTIVIDADE.

Comportamento humano não era um problema em si comportamentos inadequados eram vistos como resultado de DEFEITOS na ESTRUTURA da organização ou de PROBLEMAS na sua IMPLEMENTAÇÃO.

Page 7: Aula 2 Adm CientíFica

Idéias centrais do movimento

Queda da PRODUTIVIDADE – buscava-se falhas na estrutura – o elemento humano não era considerado.

Qualquer problema poderia ser corrigido através do correto aperfeiçoamento das REGRAS e das ESTRUTURAS.

HOMO ECONOMICUS:- Ser humano era considerado previsível e controlável, egoísta e utilitarista (busca prazer, e a rejeição da dor – estes são seus únicos impulsos – Bentham) em seus propósitos.- Ser humano visto como otimizando suas ações após pesar todas as alternativas possíveis.- Racionalidade absoluta.- Incentivos monetários.

Page 8: Aula 2 Adm CientíFica

Idéias centrais do movimento Existe uma única maneira correta executar o trabalho. Como descobri-lo? Analisando o trabalho em suas diferentes fases e estudar os

movimentos necessários (estudo dos tempos e movimentos) à sua execução de modo a simplificá-los e reduzi-los ao mínimo – PRODUÇÃO- PADRÃO.

Existem pessoas ideais para cada tipo de trabalho – reduz-se a fadiga a um problema exclusivamente fisiológico.

Administradores e engenheiros estabelecem os movimentos e tempos-padrão, e aos operários caberá apenas executar – separação entre executores e planejadores.

Page 9: Aula 2 Adm CientíFica

Idéias centrais do movimento Como atingir os padrões da produção? Seleção, treinamento, controle e um sistema de

incentivos.

SELEÇÃO: busca do operário-padrão.

TREINAMENTO: simples – trabalho era padronizado.

CONTROLE: cerrado – controle por supervisão ao invés do por resultado – havia um só modo correto de fazer, o supervisor deveria acompanhar cada fase do trabalho do subordinado. Mas eles não acreditam no sistema de incentivos?

INCENTIVOS: decorrente dos pressupostos do homo economicu – Deve-se pagar mais àquele que produz mais – incentivo monetário.

Page 10: Aula 2 Adm CientíFica

Idéias centrais do movimento

Divisão do trabalho. Centralização das decisões. Poucos subordinados por gerentes (pequena amplitude

de controle). Impessoalidade nas decisões – não se leva em conta os

problemas de ordem pessoal. Busca de estruturas e sistemas perfeitos.

Page 11: Aula 2 Adm CientíFica

Um passo à proteção do trabalhador Separação entre planejadores e executores – certa

proteção ao trabalhador. Proteção paternalista baseada na idéia de que o operário

era incapaz de pensar por si próprio. A longo prazo corria-se o risco de alienar o trabalhador,

bloqueando seu desenvolvimento, sua autonomia e seu aprendizado.

A regulamentação das relações de trabalho e o estabelecimento de critérios de seleção e treinamento – igualdade burocrática.

Page 12: Aula 2 Adm CientíFica

Críticas Homo Economicus – a natureza humana é muito mais

complexa.

Única forma correta de se fazer um trabalho – leva a desumanização do trabalhador, além de não aumentar a produtividade a longo prazo - atitudes negativas com relação ao trabalho, à empresa e à administração.

Incentivos monetários – há outros fatores que motivam o indivíduo: prestígio, poder, aprovação do grupo, sentimento de auto-realização etc.

Controle por supervisão – os controles deveriam ser por resultados e os trabalhadores deveriam participar nas decisões que afetam seu trabalho.

Page 13: Aula 2 Adm CientíFica

Críticas Obediência estrita às normas – é uma ficção –

dissociação, separação entre as normas e as práticas administrativas – seguem as regras até certa medida, pois procuram um mínimo de autonomia em relação ao seu trabalho.

Ignorar o indivíduo.

Page 14: Aula 2 Adm CientíFica

Resumo

Movimento de Administração Científica

Concepção da

Organização

Relações Administra. -Empregados

Sistemas de Incentivos

Concepção da Natureza

HumanaResultados

Organização Formal

Identidade de Interesses

Incentivos Monetários

Homo Economicus

Máximos