of 20/20
AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DOS CERRADOS: UM ESTUDO DE CASO NO COLÉGIO ALEXANDRE LEAL COSTA, NO OESTE DA BAHIA 1 SOCIAL REPRESENTATIONS OF SAVANNAH: ONE CASE STUDY RESEARCH SCHOOL ALEXANDRE LEAL COSTA IN WEST BAHIA REPRESENTACIONES SOCIALES DE LA SABANA: UN ESTÚDIO DE CASO DE LA ESCUELA SECUNDARIA ALEXANDRE LEAL COSTA OESTE BAHÍA Valney Dias Rigonato - Universidade Federal da Bahia - Barreiras - Bahia - Brasil [email protected] Resumo Este texto apresenta os resultados das reflexões realizadas a partir das representações sociais – desenhos e escritas – oriundas do Projeto de Intervenção Pedagógica: Pesquisa-Ação (PIP-PA), desenvolvido na disciplina de Estágio Supervisionado em Geografia: “As representações sociais dos Cerrados do oeste da Bahia”. A pesquisa foi desenvolvida com os estudantes do 1º ano do Ensino Médio do Colégio Alexandre Leal Costa, na cidade de Barreiras (BA), em 2011. A metodologia baseou-se nos princípios da Geografia Escolar apoiada pelos procedimentos metodológicos da Pesquisa-Ação, os quais buscam intervir na realidade pesquisada. Além disso, utilizou-se o recurso audiovisual enquanto procedimento metodológico. As representações sociais dos Cerrados, pelos estudantes, se definem em três tipos: cerrados desumanizados, uso e ocupação estereotipados e cenários futuros: desertificação e urbanização. Palavras-chave: representações sociais, cerrados, Geografia Escolar. Abstract This paper presents the results of the reflections made on the basis of social representations – drawings and written – coming from the Pedagogical Intervention Project: Action Research (IPP-PA) developed in the discipline of Supervised Internship in Geography, “Social representations of the West Cerrados Bahia. “The research was conducted with students in 1st year high school Alexandre Leal Costa in the town of Barreiras (BA), in 2011. The methodology was based on the principles of Geography School supported by the methodological procedures of Action-Research which seek to intervene in the reality studied. Also, used the audiovisual resource as a methodological procedure. Social representations of Savannah by the students are defined in three types: Cerrados dehumanized, use and occupation stereotyped and future scenarios: desertification and urbanization. Keywords: social representations, cerrados, Geography School. Resumen Este artículo presenta los resultados de las reflexiones hechas sobre la base de las representaciones sociales, dibujos y escritos – que viene del Proyecto de Intervención Pedagógica: Investigación-Acción (IPP-PA), desarrollado en la disciplina de prácticas supervisadas en Geografía, “Representaciones sociales de la Cerrados Oeste Bahía “. La investigación se realizó con los alumnos en 1 o año de la escuela secundaria Alexandre Leal Costa en la ciudad de Barreiras (BA), en el año 2011. La metodología se basó en los principios de la Escuela de Geografía apoyados por los procedimientos metodológicos de la investigación-acción que tratan de intervenir en la realidad estudiada. Además, se emplearon el atractivo visual de audio como un procedimento metodológico. Las representaciones sociales de los estudiantes de la sabana se definen en tres tipos: Cerrados deshumanizados, el uso y la ocupación estereotipados y escenarios futuro: la desertificación y la urbanización. Palabras clave: representaciones sociales, cerrados, Escuela Geografía. ISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goiânia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013

AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DOS CERRADOS: UM ESTUDO DE … · escritas – oriundas do Projeto de Intervenção Pedagógica: Pesquisa-Ação (PIP-PA), desenvolvido na disciplina de

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DOS CERRADOS: UM ESTUDO DE … · escritas – oriundas do Projeto de...

  • AS REPRESENTAES SOCIAIS DOS CERRADOS: UM ESTUDO DE CASO NO COLGIO ALEXANDRE LEAL COSTA, NO OESTE DA BAHIA1

    SOCIAL REPRESENTATIONS OF SAVANNAH: ONE CASE STUDY RESEARCH SCHOOL ALEXANDRE LEAL COSTA IN WEST BAHIA

    REPRESENTACIONES SOCIALES DE LA SABANA: UN ESTDIO DE CASO DE LA ESCUELA SECUNDARIA ALEXANDRE LEAL COSTA OESTE BAHA

    Valney Dias Rigonato - Universidade Federal da Bahia - Barreiras - Bahia - Brasil [email protected]

    ResumoEste texto apresenta os resultados das reflexes realizadas a partir das representaes sociais desenhos e escritas oriundas do Projeto de Interveno Pedaggica: Pesquisa-Ao (PIP-PA), desenvolvido na disciplina de Estgio Supervisionado em Geografia: As representaes sociais dos Cerrados do oeste da Bahia. A pesquisa foi desenvolvida com os estudantes do 1 ano do Ensino Mdio do Colgio Alexandre Leal Costa, na cidade de Barreiras (BA), em 2011. A metodologia baseou-se nos princpios da Geografia Escolar apoiada pelos procedimentos metodolgicos da Pesquisa-Ao, os quais buscam intervir na realidade pesquisada. Alm disso, utilizou-se o recurso audiovisual enquanto procedimento metodolgico. As representaes sociais dos Cerrados, pelos estudantes, se definem em trs tipos: cerrados desumanizados, uso e ocupao estereotipados e cenrios futuros: desertificao e urbanizao. Palavras-chave: representaes sociais, cerrados, Geografia Escolar.

    AbstractThis paper presents the results of the reflections made on the basis of social representations drawings and written coming from the Pedagogical Intervention Project: Action Research (IPP-PA) developed in the discipline of Supervised Internship in Geography, Social representations of the West Cerrados Bahia. The research was conducted with students in 1st year high school Alexandre Leal Costa in the town of Barreiras (BA), in 2011. The methodology was based on the principles of Geography School supported by the methodological procedures of Action-Research which seek to intervene in the reality studied. Also, used the audiovisual resource as a methodological procedure. Social representations of Savannah by the students are defined in three types: Cerrados dehumanized, use and occupation stereotyped and future scenarios: desertification and urbanization.Keywords: social representations, cerrados, Geography School.

    ResumenEste artculo presenta los resultados de las reflexiones hechas sobre la base de las representaciones sociales, dibujos y escritos que viene del Proyecto de Intervencin Pedaggica: Investigacin-Accin (IPP-PA), desarrollado en la disciplina de prcticas supervisadas en Geografa, Representaciones sociales de la Cerrados Oeste Baha . La investigacin se realiz con los alumnos en 1o ao de la escuela secundaria Alexandre Leal Costa en la ciudad de Barreiras (BA), en el ao 2011. La metodologa se bas en los principios de la Escuela de Geografa apoyados por los procedimientos metodolgicos de la investigacin-accin que tratan de intervenir en la realidad estudiada. Adems, se emplearon el atractivo visual de audio como un procedimento metodolgico. Las representaciones sociales de los estudiantes de la sabana se definen en tres tipos: Cerrados deshumanizados, el uso y la ocupacin estereotipados y escenarios futuro: la desertificacin y la urbanizacin.Palabras clave: representaciones sociales, cerrados, Escuela Geografa.

    ISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goinia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013

  • 240BGG As representaes sociais dos Cerrados: um estudo de caso no Colgio Alexandre Leal Costa...Valney Dias RigonatoIntroduo

    Antes de tecer minhas consideraes sobre as representaes dos Cerrados, preciso esclarecer ao leitor que optarei neste texto pelo uso do termo no plural. Tal escolha refere-se ao esforo de (des)construir a sin-gularidade do discurso cientfico moderno, que usualmente caracteriza as pores naturais do planeta Terra de forma homognea e generalista. Utiliza-se, ento, o termo Cerrados2 na perspectiva de valorizao geoeco-lgica, social, cultural e poltica desse domnio, assim como entende Aziz Nacib AbSaber (2003).

    Nas ltimas dcadas houve uma revalorizao das reas de Cerra-dos. Os Cerrados passam de terras inspitas para terras de celeiro produ-tivo. Para isso, ocorreram o emprego de novas tecnologias na produo agrcola e o processo de urbanizao e industrializao (agronegcio). Houve metamorfoses tanto nos elementos ecolgicos dos Cerrados como no estilo e no modo de vida das populaes tradicionais, pequenos agri-cultores, quilombolas, posseiros e outros grupos.

    Os Cerrados baianos foram simplificados em prol do agronegcio.3

    reas ricas em biodiversidade. Biodiversidade pouco conhecida pela cin-cia moderna. Conhecimento que poderia ter agregado valor sem a neces-sidade do desmatamento e das queimadas para o desenvolvimento da chamada modernizao da agricultura. O Ministrio do Meio Ambiente (Brasil, 2012) classificou os vinte municpios com os maiores ndices de desmatamento das reas de Cerrado, no perodo de 2002 a 2008. Destes, seis municpios do Estado da Bahia (1 lugar - Formosa do Rio Preto; 2 lugar - So Desidrio; 3 - Correntina; 9 - Jaborandi; 14 - Barreiras; e 17 - Riacho das Neves) destacam-se com os maiores ndices de desmatamento das reas de Cerrados (Figura 1).

    Como se v, o muncipio de Barreiras, no qual a pesquisa foi de-senvolvida, encontra-se com muitas reas suprimidas. Cabe destacar que desde o sculo XIX os primeiros ocupantes desse muncipio j desenvol-viam a pecuria extensiva e agricultura de subsistncia. Alm disso, o municpio teve o leite de mangaba como um dos principais produtos eco-nmicos no incio do sculo passado. A partir da dcada de 1960, foi palco da especulao de terras, as quais, com incentivo de polticas pblicas, fo-ram ocupadas, desmatadas para o plantio de monoculturas de soja, milho, arroz e, mais recentemente, de algodo, tornando-se palco da expanso

  • 241 BGGISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goinia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013Artigoda fronteira agrcola e, mormente, de todas as atividades do agronegcio. Essa ocupao vem provocando a perda significativa da biodiversidade do muncipio e dos demais muncipios do Oeste da Bahia.

    Figura 1 - Mapa do bioma Cerrado Extremo Oeste baiano (2009)

    Para Albagli (1998, p.66), a perda da biodiversidade tem correspon-dncia com a significativa perda da diversidade sociocultural. J na abor-dagem de Haesbaert (1995), esse fenmeno nos cerrados nordestinos se realiza pela reterritorializao gacha e des-territorializao das po-pulaes locais das reas de Cerrados. Ebulies que possivelmente me-tamorfosearam as representaes sociais dos habitantes desse municpio, sobretudo dos estudantes.

    Com isso, tanto as universidades como as escolas reproduziram representaes sociais construdas a partir do mito da neutralidade cientfica e da natureza infinita (Diegues, 1996). Esse ltimo mito foi

  • 242BGG As representaes sociais dos Cerrados: um estudo de caso no Colgio Alexandre Leal Costa...Valney Dias Rigonatodivulgado pelos livros didticos de Geografia e de Cincias, nos quais a natureza (Cerrados) e seus elementos do meio ecolgico (como gua, solo, vegetao) foram considerados infinitos. Nesse sentido, so usados e ocupados sem preocupao de preservao para as geraes do presente e para as futuras geraes. Cabe aqui ressaltar que na Conferncia Interna-cional Rio 92 tais representaes sociais foram debatidas luz da educa-o ambiental no territrio brasileiro.

    A metodologia utilizada nesta pesquisa foi estruturada a partir dos princpios tericos da Geografia Escolar e da metodologia de pesquisa--ao. Para Thiollent (2008), na pesquisa-ao os pesquisadores desempe-nham um papel ativo no equacionamento dos problemas encontrados, no acompanhamento e na avaliao das aes desencadeadas em funo dos problemas. Sem dvida, a pesquisa-ao exige uma relao participativa entre pesquisadores e pessoas da situao investigada. Os problemas de aceitao dos pesquisadores no meio pesquisado precisam ser resolvidos no decurso da pesquisa. No caso deste trabalho, durante o Estgio Super-visionado. Entretanto, s a participao do pesquisador no qualifica a especificidade da pesquisa-ao, que consiste em organizar a investigao em torno da concepo, do desenrolar e da avaliao de uma ao plane-jada (Thiollent, 2008, p. 15).

    Com base nesses princpios, organizou-se o desenvolvimento do Es-tgio Supervisionado em Geografia, com o Projeto de Interveno Pedag-gica: Pesquisa-Ao (PIP-PA), no qual se buscou nas aes e na relao entre investigador e investigado a identificao e (re)valorizao das re-presentaes sociais dos Cerrados pelos protagonistas do espao escolar em questo, em especial, os estudantes. Nesse ensejo, cabe apontar que o universo pesquisado somou 73 estudantes antes, durante e depois do desenvolvimento do Projeto de Interveno Pedaggica: Pesquisa-Ao (PIP-PA), e durante o desenvolvimento da disciplina Didtica e Prxis Pe-daggica: Estgio IV, enquanto atividade curricular de formao do curso de licenciatura em Geografia do Instituto de Cincias Ambientais e Desen-volvimento Sustentvel ICADS/UFBA, sob minha orientao. Cabe aqui frisar que a maioria desses estudantes (futuros professores de Geografia) so oriundos de famlias com baixo poder aquisitivo, filhos de camponeses desapropriados, afrodescendentes, que tm o curso como uma das nicas oportunidades de transformao de suas condies de vida.

  • 243 BGGISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goinia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013ArtigoUtilizou-se tambm bibliografia especfica sobre as representaes

    sociais, tais como: Moscovici (2003), Lefebvre (2006), Kozel (2008), Mo-reira (2010) que discutem as representaes sociais no campo episte-molgico utilizadas na leitura geogrfica. J no plano mais ontolgico, buscou-se dialogar com Cavalcanti (1998), Almeida (2003, 2005, 2008), Serpa (2007), Moreira (2010), entre outros que discutem as represen-taes sociais tanto relacionadas com os cerrados, quanto com a rea do ensino de Geografia. Entretanto, so poucas as pesquisas que buscaram e/ou buscam identificar as representaes sociais dos estudantes nas reas de fronteira do agronegcio, em reas dos Cerrados baianos, sobretudo aquelas que procuram discutir as perspectivas futuras do processo de uso e ocupao dos Cerrados.

    Dessa forma, acredita-se que essa pesquisa significativa pela con-textualizao no espao escolar das transformaes do processo de uso e ocupao das reas de Cerrados. Significativa tambm para debater, luz da cincia geogrfica escolar contempornea, as representaes sociais dos estudantes sobre a relao espao e tempo passado, presente e futuro dos Cerrados baianos, no oeste da Bahia, neste incio do sculo XXI.

    As representaes sociais na Geografia Escolar

    Nas ltimas dcadas, as representaes sociais so pesquisadas no campo simblico e subjetivo da cincia contempornea. Essa tendncia compartilha, em parte, com mudanas epistemolgicas inseridas na ci-ncia geogrfica, sobretudo aquelas ligadas geografia humanstica. Le-febvre (2006), em seu livro A produo do espao, colabora ao dizer que as representaes sociais so construdas na prpria produo do espao, e distingue a diferena entre espao de representao e representao do espao. Alm disso, assegura que as representaes do espao teriam assim um alcance considervel e uma influncia especfica na produo do espao (2006, p. 71).

    Tal abordagem pode proporcionar aos profissionais da Geografia Escolar oportunidade de contextualizar a produo do espao nas reas de Cerrados. E essa disciplina pode contextualizar as prticas espaciais na escola, para que os seus protagonistas, sobretudo os estudantes, pos-sam conceber o complexo jogo de relaes sociais e espaciais vividas nos diversos lugares geogrficos. E que as representaes sociais dos Cerrados

  • 244BGG As representaes sociais dos Cerrados: um estudo de caso no Colgio Alexandre Leal Costa...Valney Dias Rigonatopossam revelar no s as caractersticas do espao absoluto, mas revelar o jogo de simbolismos, de ideologias, de poder real e imaginrio que cons-tituem esses espaos.

    Como se v, a base de sustentao das representaes sociais est alocada na superestrutura e, mormente, de forma direta ou indiretamente, com as foras produtivas do espao geogrfico nos Cerrados brasileiros. Entretanto, as representaes sociais das coisas e de algum realizam-se na infraestrutura, no amlgama das relaes sociais, da produo do es-pao vivido pelas pessoas e grupos.

    Nesse contexto, a escola compreendida enquanto simulacro do espao e tempo vivido no processo de (re)produo do espao geogrfico dos Cerrados baianos. Para Kozel (2002), essa vertente de anlise entende que as representaes sociais envolvem

    o comportamento humano, tendo como premissa que este adquiri-do por meio de experincias (temporal, espacial e social), existindo uma relao direta e indireta entre essas representaes e as aes humanas, ou seja, entre as representaes e o imaginrio, revolu-cionando a gnese do conhecimento, permitindo compreender a diversidade inerente s prticas sociais, s mentalidades e aos vivi-dos. (Kozel, 2002, p. 22)

    Como bem aponta a autora, as representaes sociais podem auxi-liar no s para elucidar o mundo vivido pelos estudantes, mas tambm para identificar as possibilidades imaginrias dentro das prticas sociais vividas. Assim, importante que os estudantes percebam que seu espao vivido repleto de interesses e significados, os quais so revelados na produo do espao geogrfico dos Cerrados e, mormente, em suas repre-sentaes sociais.

    A escrita, o discurso e os desenhos so formas de expresso das representaes sociais dos estudantes no espao escolar. O professor de Geografia pode utiliz-las para o desenvolvimento de habilidades e com-petncias do conhecimento escolar. Mas para isso preciso, no mnimo, contextualizar o processo de uso e ocupao dos Cerrados, os grupos so-ciais e a diversidade cultural que os constituem.

    Straforini (2004) sintetiza ao afirmar:

    O papel da Educao e, dentro dessa, o do ensino de Geografia, trazer tona as condies necessrias para a evidenciao das con-tradies da sociedade a partir do espao, para que no seu entendi-

  • 245 BGGISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goinia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013Artigomento e esclarecimento possa surgir um inconformismo e, a partir da, uma outra possibilidade para a condio da existncia huma-na. (Straforini, 2004, p. 57)

    Tais reflexes apontam para alm do carter formal do currculo escolar, colocando-nos a importncia do contexto social no processo de ensino-aprendizagem da Geografia Escolar contempornea. Nessa pers-pectiva, as representaes sociais dos estudantes so partes constituintes dos contedos geogrficos a serem ensinados, os quais podem ser selecio-nados com objetivos sociopolticos definidos a partir da contextualizao do espao geogrfico vivido e percebido nos Cerrados baianos.

    Contudo, as anlises mais quantitativas dos dados da pesquisa de-monstram que 55% ainda consideram os Cerrados como meio ambiente inspito. Menos de 5% representaram a presena dos seres humanos no passado dos Cerrados. Os outros 40% revelam esteretipos em relao ao processo de uso e ocupao das reas de Cerrados, inclusive com repro-duo de conceitos divulgados pela mdia de massa. Com base nesse diag-nstico, procederei discusso dos trs grupos de representaes sociais identificadas nos desenhos-textos dos estudantes pesquisados: cerrados desumanizados; uso e ocupao estereotipados; e cenrios futuros: deser-tificao e urbanizao.

    Cerrados desumanizados

    A concepo de Cerrados desumanizados interliga-se com a viso de desnaturizao (Moreira, 2010). Nessa concepo, as representaes sociais dos Cerrados demonstram a viso inspita dessas reas, ainda presente no imaginrio social das populaes que (sobre)vivem nas/das franjas de Cerrados.4 Uma imagem que socialmente muito denominada de serto,5 destacada desde os viajantes naturalistas (Corra, 2001). Des-sas viagens, germinam representaes sociais progressistas que objeti-varam a interveno e as ocupaes dos chamados vazios demogrficos brasileiros. Alm disso, essas representaes sociais foram revalorizadas no processo de modernizao do territrio brasileiro, com base nos mitos da modernidade: o mito da natureza infinita; o mito do progresso e do crescimento ilimitado; o mito da igualdade socioeconmica e do sucesso garantido nos grandes centros urbanos; o mito da neutralidade e da su-perioridade da cincia e da tecnologia (Duarte, 2002, p. 18). Tais mitos

  • 246BGG As representaes sociais dos Cerrados: um estudo de caso no Colgio Alexandre Leal Costa...Valney Dias Rigonatopropagaram-se nas reas dos Cerrados brasileiros e motivaram as diversas aes que metamorfosearam os modos de vida das populaes desse meio. Concomitantemente, ocorreu tambm a ampliao de oportunidades e possibilidades de desenvolvimento no processo de ensino e aprendizagem escolar. No entanto, ainda no se conseguiu eliminar essas representaes do imaginrio social vivido pelos estudantes no municpio de Barreiras, como se observa na Figura 2:

    Figura 2 - Cerrados naturais, sem presena do ser humanoFonte: Oliveira, 2011

    Entretanto, como j foi apontado, houve um pequeno grupo de estu-dantes que representou a presena dos seres humanos no passado, como se v na Figura 3.

    Diante disso, cabe salientar: uma vez que a viso de Cerrados ins-pitos e de paraso natural ainda muito presente nas representaes dos estudantes do ensino mdio, qual o papel da escola e do currculo de Geo-grafia na construo das representaes sobre o que significam realmente os Cerrados e o seu processo de uso e ocupao no oeste da Bahia? Cabe lembrar que a pesquisa foi desenvolvida na cidade de Barreiras, situada nas reas de Cerrados baianos, que passaram por diversas ebulies para atender dinmica de modernizao da agricultura.

  • 247 BGGISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goinia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013Artigo

    Figura 3 - Os poucos seres humanos nos Cerrados (no passado)Fonte: Oliveira, 2011

    Outro aspecto identificado foi a ausncia quase total da fauna. Essa informao demonstra o pouco conhecimento da rica biodiversidade da regio. Revela o conhecimento apenas dos aspectos visuais das fitofisio-nomias dos Cerrados. As representaes revelam o silncio visual em rela-o diversidade geoecolgica, apontada no incio deste texto. Em sntese, pode-se afirmar que esses aspectos identificados mostraram o pouco co-nhecimento dos estudantes sobre a biodiversidade dos Cerrados e, mor-mente, demonstraram a dificuldade da escola em contextualizar a vida desses estudantes com a realidade vivida nas reas de Cerrados.

    Em relao anlise das representaes/desenhos, percebe-se, de forma geral, que muitos buscaram representar os aspectos afetivos, id-licos, pobres e belos das paisagens dos Cerrados naturais. Desse grupo de estudantes, menos de 10% evidenciaram a simplificao dos Cerrados pelo desmatamento. Mesmo nessas representaes a presena humana e dos animais foram inexistentes. Tal fato e a pouca valorizao dos seres humanos nos Cerrados do passado reforam o aspecto de desumanizao dos Cerrados, tanto difundido por meio do mito da natureza intocada e infinita presente na sociedade ocidental.

    Alm de representarem os Cerrados desumanizados, os mesmos fo-ram representados sem sua flora. Outro aspecto das fitofisionomias de

  • 248BGG As representaes sociais dos Cerrados: um estudo de caso no Colgio Alexandre Leal Costa...Valney Dias RigonatoCerrados foi a presena de representaes das espcies arbreas, possi-velmente uma tentativa de demonstrar a importncia das madeiras de lei que outrora foram valorizadas para a construo de infraestrutura de casas, construo de cercas, pontes, entre outras utilizaes. Nota-se o de-saparecimento dos aspectos naturais dos Cerrados, mas tambm notam-se as tradies, os modos de vida e os costumes das pessoas que habitavam e habitam as reas dos Cerrados baianos, conforme Figura 3.

    Uso e ocupao estereotipados

    Em relao ao processo de uso e ocupao da biodiversidade dos Cerrados, verificaram-se representaes sociais estereotipadas dos estu-dantes, devido a seu pouco conhecimento acerca desses usos/ocupaes. Tal esteretipo se constitui na lgica dual e conflituosa dos seres huma-nos versus Cerrados.

    Cabe destacar que esses estudantes, em sua maioria, so filhos de famlias que migraram para o espao urbano de Barreiras (BA), e que sofreram com [...] a ruptura do saber e conhecimento acumulado em sua vivncia com a natureza (Almeida, 2008, p. 331). Todavia, sobrevivem em reas de expanso da fronteira agrcola brasileira, que marcada pela insero do agronegcio com diversas alteraes ambientais. Essa reali-dade emprica contribuiu para a formao de representaes sociais dos Cerrados estereotipadas em relao ao uso e ocupao vigentes.

    Para Massey (2008), o modo como imaginamos o espao tem seu efeito. A autora assegura tambm que a imaginao espacial reduz coe-xistncias simultneas a um lugar na fila da histria. Da a importncia de se refletir, a partir das representaes sociais, sobre quais so as co-existncias representativas do processo de uso e ocupao das reas de Cerrados.

    Observe-se a Figura 4 e o texto/resposta a seguir:

  • 249 BGGISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goinia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013Artigo

    Figura 4Fonte: Oliveira, 2011

    Resposta escrita: O ser humano, ao chegar a lugares lindos e paradisacos, tem a rotina de destru--los. Ento, com o tempo, todos viraram desertos. Estudante E. V.

    Como se v na figura e no texto acima, as paisagens, ao longo do tempo, foram sendo simplificadas. A espcie de cacto representada na fi-gura demonstra a sensibilidade dos estudantes em relao s caractersti-cas paisagsticas da faixa de transio dos Cerrados para Caatinga, onde se encontram. Observa-se tambm a influncia do discurso miditico am-bientalista internalizado pelos estudantes, uma vez que suas representa-es demonstram pouco conhecimento geogrfico dos usos minerao, agricultura de subsistncia, pecuria extensiva e o prprio agronegcio.

    O imutvel das representaes analisadas foi a tendncia marcante de ciclo linear de simplificao, tanto da biodiversidade como da hetero-geneidade das paisagens culturais nas reas de Cerrados. Assim, demons-tram o contraponto entre as representaes vividas e as hegemnicas. Da, emerge o papel pedaggico da escola de reconstruir possibilidades para se renegarem as representaes inspitas do passado, de contextualizar as vividas do presente e apontar as diversas possibilidades para o futuro, inclusive alternativas de outros modelos de uso e ocupao dos Cerrados,

  • 250BGG As representaes sociais dos Cerrados: um estudo de caso no Colgio Alexandre Leal Costa...Valney Dias Rigonatopotencializando outro imaginrio geogrfico sobre o processo de uso e ocupao dos Cerrados baianos.

    Em sntese, possivelmente a falta de formao de conceitos rela-cionados ao processo de uso e ocupao dessas reas, aliada ao papel da comunicao de massa, contriburam para consolidar representaes es-tereotipadas: Cerrados inspitos e cnicos de futuro incerto.

    Cenrios futuros: desertificao e urbanizao

    A construo de cenrios futuros no processo de ensino e aprendi-zagem de Geografia ainda pouco utilizada no territrio brasileiro. Tal evidncia pode correlacionar a nossa indolncia epistemolgica (Santos, 2000) e a viso estratgica do saber geogrfico no espao escolar. Nesse sentido, Castrogiovanni (2011, p. 175) aponta a importncia de se recons-truir o saber geogrfico a partir da trade: informao, conhecimento e sabedoria. Essa ltima coloca, inclusive, a tomada de deciso em relao aos cenrios futuros da produo do espao geogrfico nas reas de Cer-rados. J para Serpa (2008, p. 66), uma Geografia assim deve estar atenta s experincias do fazer e do agir solidrios, s experincias de autonomia e aos seus desdobramentos futuros.

    A anlise dos desenhos e dos textos/respostas dos estudantes indica duas tendncias atribudas aos cenrios futuros dos Cerrados: desertifica-o e urbanizao. Tais ocorrncias podem ser visualizadas na Figura 5 e no texto/resposta a seguir, e nas Figuras 3 e 4 anteriores.

    Por um lado, essas representaes sociais dos estudantes apontam que esto atentos s transformaes do espao vivido e cotidiano, uma vez que moram em reas de forte devastao dos Cerrados e intenso pro-cesso de urbanizao das cidades, a exemplo de Barreiras, Lus Eduardo Magalhes e So Desidrio, no Estado da Bahia. Por outro lado, como j foi mencionado, as representaes sociais demonstram a incapacidade da instituio escolar de formar conceitos, diante dos rtulos estereotipados ventilados pela comunicao de massa, uma vez que tambm houve a au-sncia de comentrios escritos sobre a arenizao, fenmeno natural mais adequado para as reas de Cerrados. A recorrncia do discurso de deserti-ficao no processo de uso e ocupao dessas reas revela a influncia da mdia televisiva de massa.

  • 251 BGGISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goinia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013Artigo

    Figura 5 - Cerrado urbanizado no futuroFonte: Oliveira, 2011

    Resposta escrita:Os impactos foram muito fortes. Acabaram com a floresta, o cerrado, e industriali-zaram as cidades. No vemos nem rvores, s casas, carros e indstrias.

    Cabe aqui frisar que em veredas e reas de Cerrados baianos h

    experincias de agroextrativismo desenvolvidas pelas populaes tradi-cionais, populaes ribeirinhas e pequenos agricultores, de forma mais sustentvel. Utilizam razes, fibras, frutos e capins, inclusive o capim dourado, gerando emprego e renda no campo. Entretanto, esses cenrios no foram mencionados, sobretudo pelos estudantes da zona rural do mu-nicpio de Barreiras que compem o grupo da pesquisa.

    Diante disso, destaca-se a importncia de contextualizar a vida dos estudantes nos espaos escolares, principalmente no ensino da Geo-grafia Escolar. Esse caminho pedaggico pode abrir uma janela para re-velar outras paisagens, outras formas de uso e ocupao dos ambientes vividos. Para isso, a escola precisa assumir o papel de protagonista a par-tir dos princpios lgicos da Geografia: localizao, extenso, densidade, conexo, delimitao e escala (Moreira, 2010).

    Nessa mesma perspectiva, Serpa (2008) assevera:

  • 252BGG As representaes sociais dos Cerrados: um estudo de caso no Colgio Alexandre Leal Costa...Valney Dias RigonatoImaginar abstrair a realidade para a ela voltar aps sonhar. So-nhar uma nova realidade para alm do presente e do passado requer tambm coragem para imaginar um outro mundo, outros modos de vida possveis, para alm da sociedade de consumo e da mercado-ria. (Serpa, 2008, p. 65)

    Acredita-se, portanto, que os profissionais da educao, principal-mente os da rea de Geografia, precisam promover um ensino que propicie oportunidades, que alimente novas esperanas e amplie as possibilidades de viver, de imaginar e de criar cenrios do espao vivido dos estudantes. Cavalcanti (2011), ao refletir sobre o ensino de Geografia na sociedade contempornea, assevera que

    nesse cenrio pode-se incluir um projeto de ensino de Geografia ar-ticulado a um projeto de sociedade de cunho mais humanista, que busque a formao cidad, pautada na justia social, nas diferentes escalas geogrficas e nas diferentes dimenses da vida humana. (Cavalcanti, 2011, p. 94)

    Essas reflexes esto interligadas com as infinitas possibilidades terico-didticas de construo do saber geogrfico no espao escolar contemporneo. Uma construo que valorize as perspectivas objetivas e subjetivas na elaborao de representaes sociais e, se possvel, na (re) construo de cenrios futuros com mais autonomia no fazer social em relao s velhas e novas territorialidades nas reas de Cerrados.

    O papel do audiovisual no ensino de Geografia com as representaes sociais dos Cerrados

    Como se pde observar nas discusses anteriores, os estudantes do ensino mdio da cidade de Barreiras externalizaram representaes sociais que possuem influncia da comunicao de massa. Muitas, inclu-sive, representaes sociais etnocntricas, com reproduo de paisagens estereotipadas, com presena apenas das fitofisionomias e de um espao rural idlico. Os estudantes demonstraram pouco conhecimento da vivn-cia nas reas dos Cerrados baianos.

    No entanto, o propsito aqui no aprofundar esse debate, e sim destacar a importncia da utilizao do documentrio referenciado no subttulo acima, construdo com o objetivo de contextualizar o processo de uso e ocupao dos Cerrados e sua importncia no territrio brasileiro.

  • 253 BGGISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goinia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013ArtigoEsse material foi produzido pela Universidade Federal de Gois, com pa-trocnio da Sociedade Brasileira para o Progresso da Cincia - SBPC. Foi o instrumento didtico-pedaggico utilizado para desenvolver a interativi-dade dos estudantes com o contedo.

    Durante a exibio do documentrio, os estudantes demonstraram envolvimento e participao nas discusses. Assim, pode-se afirmar que tanto o documentrio, como as aulas e as explicaes, foram importantes para o incio da reformulao dos conceitos relacionados aos Cerrados. Notou-se que houve, no segundo momento, escritas mais contextualiza-das com o processo de uso e ocupao das reas de Cerrados, nos trs est-gios passado, presente e futuro , como demonstram os textos/respostas dos estudantes, a seguir:

    Resposta 1 estudante A. L.A vegetao do cerrado est associada ao clima da regio, s seme-lhanas em vrias regies da terra de tipos especficos; caracteri-zam diversos tipos de clima.

    Resposta 2 estudante A. L. Cerrado um tipo de bioma brasileiro localizado principalmente na regio Centro-Oeste. Assim como a Amaznia, serve para o equi-lbrio do planeta, diminui a poluio do ar e garante um emprego sustentvel para todas as famlias que vivem ao redor, ou seja, no Cerrado extremamente sustentvel.

    Resposta 1 estudante J. C.Um desses impactos a desertificao da rea. No lugar de rvores constroem casas, com isso vindo a desabitar os animais que faziam moradia daquele local, causando a morte e mudana de muitos ani-mais que ocupavam aquela rea. Alm da ocupao desordenada, tem o fato das queimadas, que mais destroem o Cerrado brasileiro, ainda mais no perodo de secas.

    Resposta 2 estudante J. C.O Cerrado um lugar onde se concentra um rico ecossistema, onde so encontradas vrias espcies de animais e vegetaes diversifi-cadas, como ip, pequi, caju, entre outras da regio [...]. Essas plan-tas e animais ajudam a manter o equilbrio do planeta.

    Como se v acima, o uso do audiovisual auxiliou na construo das respostas, individuais e coletivas, conforme a metodologia da pesquisa--ao. Houve, principalmente, a ampliao da capacidade argumentativa dos estudantes. Notou-se tambm a valorizao da biodiversidade dos

  • 254BGG As representaes sociais dos Cerrados: um estudo de caso no Colgio Alexandre Leal Costa...Valney Dias RigonatoCerrados, uma vez que os estudantes at apontam algumas espcies, das quais no primeiro contato revelaram pouco conhecimento. Outro fator preponderante foi a incluso dos impactos ambientais mais contextuali-zados com a realidade vivida.

    O uso de documentrios contextualizados pode auxiliar no processo de ensino e aprendizagem em Geografia Escolar, sobretudo no estudo das representaes sociais. No entanto, os gegrafos-educadores devem sa-ber como utiliz-las sem se deixar usar por elas (Bourdieu, 2000). No caso especfico dos Cerrados, os gegrafos-educadores precisam romper com a legitimao de paisagens estereotipadas, com a inautenticidade das fitofisionomias, para a (re)construo de representaes sociais menos et-nocntricas, principalmente do processo de uso e ocupao dessas reas.

    Para tanto, significativa a valorizao dos saberes populares, da biodiversidade nativa e da cultura local, em oposio s representaes sociais singulares. Espera-se que se instituam representaes sociais plu-rais que possam fortalecer a diversidade cultural e social dos Cerrados baianos.

    Consideraes finais

    O presente texto buscou caminhos para discutir e contextualizar as representaes sociais dos principais protagonistas do espao escolar os estudantes no processo de ensino e aprendizagem em Geografia, em relao s ebulies espaciais nos Cerrados brasileiros. Assim, buscou--se valorizar algumas formas de externalizao desenhos e textos en-quanto representaes sociais dos estudantes, enquanto recurso didtico para aproximao e (re) construo do saber geogrfico escolar, nas reas de fronteiras do agronegcio nos Cerrados. Alm disso, procurou-se valo-rizar o documentrio Cerrado: afinal o que ? E para que serve o Cerrado?, enquanto instrumento audiovisual didtico-pedaggico para aproxima-o dos estudantes s escalas sociais vividas no processo de uso e ocupa-o dos Cerrados, nas ltimas dcadas do sculo XX e no incio do sculo XXI.

    A respeito da pesquisa-ao desenvolvida, podem-se afirmar trs perspectivas pontuais:

    A pesquisa com representaes sociais esteve conectada com as habilidades e competncias do ensino mdio para se alcanar a

  • 255 BGGISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goinia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013Artigoformao de conceitos e, se possvel, a formao cidad em rela-o s novas (re)territorialidades nos Cerrados do oeste da Bahia.

    O documentrio foi um importante instrumento audiovisual tanto para a motivao como para o prprio desenvolvimento da pesquisa-ao, uma vez que possibilitou a ampliao e contextua-lizao das ebulies humanas nas reas dos Cerrados brasileiros.

    A construo de cenrios representativos do processo de uso e ocupao (histrico) revelou um importante instrumento para a (re)significao do processo de ensino e aprendizagem na Geogra-fia Escolar, sobretudo para (re)significaes das representaes sociais hegemnicas imbudas no espao escolar pela mdia de massa.

    Acredita-se que essa pesquisa-ao foi de fundamental importncia para desconstruir as prticas cristalizadas de ensino e aprendizagem em Geografia no espao escolar. Para Castrogiovanni (2011, p. 176), o nosso movimento pedaggico deve ser uma constante pesquisa-ao. Uma des-construo motivada pelos princpios da pesquisa-ao, que foi iniciada na formao inicial (estgio), uma vez que tanto os docentes em formao e atuantes, como os discentes, desenvolveram sensibilidade ambiental em relao s paisagens dos Cerrados baianos, ou melhor, do oeste da Bahia.

    Notas

    1. Essa pesquisa foi desenvolvida sob a nossa orientao, na disciplina Didtica e Prxis Pedaggica: Estgio IV, curso de licenciatura em Geografia do Insti-tuto de Cincias Ambientais e Desenvolvimento Sustentvel - ICADS/UFBA, durante o ano letivo de 2011.1 e 2011.2. Foi realizada pela estudante Iracema Souza de Oliveira, que cedeu as imagens para elaborao deste artigo.

    2. Utilizou-se o conceito Cerrados, no plural, pela compreenso de que o mesmo detentor tanto de uma rica biodiversidade como de uma diversidade social, econmica, cultural e poltica mpar. Portanto, trat-lo no singular seria sim-plific-lo luz da cincia geogrfica contempornea.

    3. No dia 4 de maro de 1985, foi assinado, no Japo, o contrato do PRODECER II. Com isso, a Cooperativa Agrcola de Cotia comea a procurar terras na regio de Barreiras, na Bahia (IBASE, 1984, p. 4).

    4. As franjas dos Cerrados so reas de remanescentes das paisagens naturais desse domnio da natureza (Aziz Nacib AbSaber, 2003), lugares onde h uma forte presena das populaes tradicionais, que estabelecem sua (re)existncia ao longo do processo de uso e ocupao dos chamados sertes brasileiros.

  • 256BGG As representaes sociais dos Cerrados: um estudo de caso no Colgio Alexandre Leal Costa...Valney Dias Rigonato5. Sobre o conceito de serto na cincia geogrfica, ler mais em Almeida (2008)

    e Paula (2009).

    Obs.: Agradeo a leitura atenta realizada pelo colega Marcos Mondardo.

    Referncias

    ABSABER, A. N. Os domnios de natureza no Brasil: potencialidades paisagsticas. So Paulo: Ateli Editorial, 2003.

    ALBAGLI, S. Geopoltica da biodiversidade. Braslia: Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renovveis, 1998.

    ALMEIDA, G. de. Cultura Ecolgica e biodiversidade. Mercator: revista de Geo-grafia da UFC, Fortaleza-CE, ano 1, n. 3, p. 71-82, jun./jul. 2003.

    ALMEIDA, G. de. (Org.). Tantos Cerrados: mltiplas abordagens sobre a biogeodi-versidade e singularidade cultural. Goinia: Ed. Vieira, 2005.

    ALMEIDA, G. de. Uma leitura etnogeogrfica do Brasil sertanejo. In: SERPA, A. (Org.). Espaos culturais: vivncias, imaginaes e representaes. Salvador: EDUFBA, 2008. p. 294-313.

    BOURDIEU, P. A TV precisa de um contrapoder. Jornal do Brasil, Caderno Ideias, 11/09/2000.

    BRASIL. Ministrio do Meio Ambiente: . Acesso em: 25 maio 2012.

    CASTROGIOVANNI, A. C. Diferentes conceitos nas complexas prticas de ensino em Geografia. In: TONINI, I. M. et al. O ensino da Geografia e suas composies curriculares. Porto Alegre: UFRGS, 2011.

    CAVALCANTI, L. S. A Geografia Escolar e a sociedade brasileira contempornea. In: TONINI, I. M. (Org.). O ensino da Geografia e suas composies curriculares. Porto Alegre: UFRGS, 1998.

    CLAVAL, P. Uma, ou algumas, abordagem(ns) cultural(is) na Geografia Humana? In: SERPA, A. (Org.). Espaos culturais: vivncias, imaginaes e representaes. Salvador: EDUFBA, 2008.

    CORRA, M. M. S. da. Naturalistas e viajantes estrangeiros em Gois (1800-1850). In: RIBEIRO, P. R.; CHAUL, N. F. (Orgs.). Gois: identidade, paisagem e tradio. Goinia: Ed. UCG, 2001.

    DIEGUES, A. C. S. A. O mito moderno da natureza intocada. So Paulo: Ed. Hucitec, 1996.

    DUARTE, L. M. G.; THEODORO, S. H. (Orgs.). Dilema dos Cerrados: entre o ecolo-gicamente (in)correto e o socialmente (in)justo. Rio de Janeiro: Garamond, 2002.

    HAESBAERT, R. Gachos no Nordeste: modernidade, des-territorializao e identidade. Tese (Doutorado) FFLCH/Universidade de So Paulo, So Paulo, 1995.

  • 257 BGGISSN: 1984-8501 Bol. Goia. Geogr. (Online). Goinia, v. 33, n. 2, p. 239-258, maio/ago. 2013ArtigoINTITUTO BRASILEIRO DE ANLISES SOCIAIS E ECONMICAS (IBASE). O capital japons no Brasil. Rio de Janeiro: IBASE, 1984.

    KOZEL, S. As representaes no geogrfico. In: MENDONA, F. e KOZEL, S. Elementos de epistemologia da Geografia contempornea. Curitiba: Editora da UFPR, 2002.

    KOZEL, S. Representao e Ensino: aguando o olhar geogrfico para os aspectos didtico-pedaggicos. In: SERPA, A. (Org.). Espaos culturais: vivncias, imaginaes e representaes. Salvador: EDUFBA, 2008.

    LEFEBVRE, H. A produo do espao. Trad. Doralice Barros Pereira e Srgio Martins (do original: La production de lespace; primeira verso: fev.2006). 4. ed. Paris: ditions Anthropos, 2000.

    MASSEY, D. Pelo espao uma nova poltica da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008.

    MORAES, G. R. A chave do tamanho abre o conhecimento do espao geogrfico. 2006. Dissertao (Mestrado em Geografia) Instituto de Geocincias da Univer-sidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2006. 138 p.

    MOREIRA, R. Pensar e ser em Geografia. So Paulo: Contexto, 2010.

    MOSCOVICI, S. Representaes sociais: investigaes em psicologia social. Edi-tado em ingls por Gerard Duveen e traduzido por Pedrinho A. Guareschi. Petr-polis-RJ: Vozes, 2003.

    OLIVEIRA, I. Relatrio de Estgio Supervisionado em Geografia Escolar. Universi-dade Federal da Bahia. ICADS/UFBA, 2011.

    PAULA, A. M. N. R. de. Travessias movimentos migratrios em comunidades rurais no serto do norte de Minas Gerais. Tese (Doutorado) Universidade Federal de Uberlndia/UFU, Uberlndia, 2009.

    RIGONATO, V. D. A dimenso sociocultural das paisagens do Cerrado goiano: o distrito de Vila Borba. In: ALMEIDA, M. G. (Org.). Tantos Cerrados. Goinia: Ed.Vieira, 2005. p. 49-71.

    ROCHA, G. O. R. da; AMORAS, I. C. R. O ensino de Geografia e a construo de representaes sociais sobre a Amaznia. Revista Terra Livre, n. 26, v. 1, p. 143-164 .

    SANTOS, M. Manifesto dos gegrafos. Revista Territrio, Rio de Janeiro, ano V, n. 9, p.103-109, jul./dez. 2000. Disponvel em: . Acesso em: 15/11/2012.

    SOCIEDADE BRASILEIRA PARA O PROGRESSO DA CINCIA (SBPC), Regional de Gois. Documentrio: Cerrado: afinal o que ? E para que serve o Cerrado? Goinia (GO), UFG, 2008. DVD com durao aproximada de 17 minutos.

    SERPA, A. O espao pblico na cidade contempornea. So Paulo: Contexto, 2007.

    SERPA, A. (Org.). Espaos culturais: vivncias, imaginaes e representaes. Sal-vador: EDUFBA, 2008.

  • 258BGG As representaes sociais dos Cerrados: um estudo de caso no Colgio Alexandre Leal Costa...Valney Dias RigonatoSOUZA, J. G.; KATUTA, . M. Geografia e conhecimentos cartogrficos. So Paulo: Editora UNESP, 2001.

    STRAFORINI, R. Ensinar Geografia: o desafio da totalidade-mundo nas sries iniciais. So Paulo: Annablume, 2004.

    THIOLLENT, M. Metodologia da pesquisa-ao. So Paulo: Cortez, 2008.

    Valney Dias Rigonato - Licenciado em Geografia pela Universidade Federal de Gois - Mestre em Geografia pela mesma universidade - Professor do curso de Geografia na Universidade Federal da Bahia.

    Recebido para publicao em 21 de maro de 2013Aceito para publicao em 29 de junho de 2013