of 16/16

Aprovar Ano05 Livro01 High

  • View
    110

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Aprovar Ano05 Livro01 High

Palavra da ReitoraProf.a Dr.a Marilene Corra da Silva Freitasriado para oportunizar aos concluintes do Ensino Mdio e aos que j o concluram, notadamente queles mais humildes, a chance da to sonhada vaga na universidade pblica, o Aprovar pr-vestibular gratuito oferecido pelo Governo do Estado por meio da UEA adquire uma nova caracterstica: ajusta-se ao calendrio escolar das redes pblica e privada de ensino, permitir que seus alunos possam prestar outros concursos, quer seja em universidades pblicas, quer seja em instituies privadas. Antes direcionado especialmente para o concurso vestibular da UEA, o Aprovar teve o seu projeto pedaggico ampliado, tendo como foco esse novo pblico-alvo. A modernizao e a adequao do projeto vo ao encontro de uma nova realidade que se apresenta aos jovens diante da dinmica

C

do mercado de trabalho e, ainda, ao esforo da UEA em atender s demandas impulsionadas pelas vocaes regionais. Diretrizes basilares da poltica educacional do Governo do Estado, a democratizao e a qualidade do ensino so levadas a termo pela UEA em projetos que vo da alfabetizao ps-graduao, com enfoque especial no oferecimento dos meios de acesso ao ensino superior. Dessa forma, coube UEA, no exerccio pleno de sua territorialidade e de sua misso de universalizao do conhecimento, operacionalizar o Aprovar, maior curso prvestibular gratuito do Brasil. E isso tem sido feito, nos ltimos quatro anos, com comprovado sucesso, apoiado num projeto pedaggico cuja qualidade assegurada pela experincia e competncia dos seus professores e pelo arrojo dos

profissionais que tornam possvel transmitir suas aulas aos mais longnquos municpios do nosso Amazonas. Seus resultados no representam um dado simplesmente numrico. Alm de extrapolar as fronteiras do Estado por meio da tecnologia utilizada na sua operacionalizao, o Aprovar j ajudou a concretizar o sonho de 2.416 mil alunos, que ingressaram na UEA depois de estudarem pela tev, pelo rdio e/ou pelas apostilas distribudas gratuitamente em toda a rede estadual de ensino e nos Postos de Atendimento ao Cidado da capital. Cada um desses estudantes leva consigo o nosso orgulho. O conhecimento significa transformao, deciso. E a deciso agora sua. Boa sorte!

ndicePORTUGUSFontica e Fonologia I .............. Pg. 03(aula 1)

Guia de Profisses

T

Fontica e Fonologia II ............. Pg. 06(aula 2)

Acentuao Grfica I ................ Pg. 07(aula 3)

Acentuao Grfica II ............... Pg. 09(aula 4)

Acentuao Grfica III .............. Pg. 11(aula 5)

Ortografia I ............................... Pg. 13(aula 6)

Referncia bibliogrfica ......... Pg. 15

o importante quanto a preparao para o vestibular a escolha da futura profisso, j que o mercado de trabalho torna-se cada vez mais seletivo e exigente. A partir da apostila nmero 2, o Aprovar estar disponibilizando a voc, estudante, um guia sobre as profisses mais procuradas, o nvel salarial e informaes bsicas sobre o projeto pedaggico do curso, no caso de ser oferecido pela UEA. bom lembrar que no se deve planejar o futuro profissional pensando apenas na graduao, pois a qualificao de recursos humanos avanados pr-requisito bsico para o sucesso profissional. Existem instrumentos valiosos de ajuda. A Fundao Getlio Vargas (FGV) lanou, no ano passado, uma pesquisa com valiosos dados sobre o mercado de trabalho e a remunerao. O estudo, chamado de Retornos da Educao no Mercado de Trabalho, realizado pelo Centro de Polticas Sociais, vinculado ao Instituto Brasileiro de Economia da FGV, avalia o impacto educacional no desempenho no trabalho. A pesquisa apresenta um ranking das profisses nacional e detalhado para os 27 Estados e os 200 maiores municpios do Pas. De uma forma geral, os ps-graduados em Administrao so os mais bem

remunerados (mdia de R$ 5.210,00). No quesito salrio e empregabilidade, mdicos com nvel de doutorado registram um ndice de ocupao de 93% e um ganho mdio mensal de R$ 5.091,00. J entre os graduados, 91% esto empregados, mas o salrio mdio cai para R$ 3.841,00. Teologia a carreira universitria com menores salrios (R$ 1.183,00), mas em segundo lugar no quesito horas trabalhadas por semana, s perdendo para os mdicos. Se voc quer uma ajuda sobre qual caminho seguir, uma dica. A FGV est disponibilizando em seu site www.fgv.br/cps um software interativo chamado Espelho Educacional, em que cada pessoa pode inserir a combinao dos seus dados, como sexo, idade, local de moradia, entre outros. Dessa forma, poder cruzar dados do impacto da carreira escolhida sobre o salrio e a probabilidade de encontrar ocupao, alm de dados gerais sobre a pesquisa. O linque http://www4.fgv.br/cps/simulador/ quali2/index.htm Mas o importante ter em mente que aliar vocao, fora de vontade e conhecimento do mercado pode representar a receita do sucesso profissional. Portanto, mos obra!

2

PortugusProfessor Joo BATISTA Gomes Aula 1

W = Oeste Y = trio yd = jarda

5. Nomes das letrasA B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V X Z W Y letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra letra . b. c. d. . efe. [fi]. g. ag. i. jota [jta]. c. ele [le]. eme [mi]. ene [ni]. . p. qu. erre [rri]. esse [ssi]. t. u. v. xis. z. dblio. psilon.

Fontica e fonologia I1. Fonologia a parte da Gramtica que estuda o comportamento dos fonemas de uma lngua, tomando-os como unidades sonoras capazes de criar diferena de significados. Outros nomes: fonmica, fonemtica.

01. (UFAMPSC22008) Assinale a opo em que todos os vocbulos devero ser graficamente acentuados por serem proparoxtonos:a) b) c) d) e) azafama, filantropo, pudico rubrica, hieroglifo, decano ariete, levedo, vermifugo erudito, bramane, batavo periplo, aziago, maquinaria

2. Fontica a parte da Gramtica que estuda as particularidades dos fonemas, ou seja, as variaes que podem ocorrer na realizao dos fonemas.

3. Fonema e letraFonema a menor unidade sonora e distintiva de uma lngua. Os fonemas dividemse em vogais, semivogais e consoantes. Convm reforar que o fonema uma realidade acstica. Letra o sinal grfico que, na escrita, representa o fonema. A letra uma realidade grfico-visual do fonema. OBSERVAES IMPORTANTES: a) Uma mesma letra pode representar fonemas diferentes. o que ocorre com a letra x em palavras como sexo (x = ks), feixe (x = ch), exato (x = z) e prximo (x = ss). b) Um mesmo fonema pode ser representado por letras diferentes. o que ocorre em flecha (ch = x) e lixo (x = ch). c) Uma nica letra pode representar dois fonemas. A esse fenmeno, chama-se dfono. Exemplo: txi (l-se tksi x = ks). d) Duas letras podem representar um nico fonema. A esse fenmeno, chama-se dgrafo. Exemplo: chave (l-se xvi ch = x).

02. Assinale a alternativa em que o vocbulo, por ter o ditongo ei fechado, no merece acento grfico.a) b) c) d) e) nucleico proteico seborreico colmeia dispneico

03. (FURG-RS) Assinale a seqncia em que todas as palavras esto partidas corretamente:a) b) c) d) e) trans-a-tln-ti-co, fi-el, sub-ro-gar bis-a-v, du-e-lo, fo-ga-ru sub-lin-gual, bis-ne-to, de-ses-pe-rar des-li-gar, sub-ju-gar, sub-scre-ver cis-an-di-no, es-p-cie, a-teu

6. VogaisVogais so fonemas que resultam da livre passagem do ar que vem dos pulmes pela cavidade da boca, sem interferncia dos rgos bucais. O som obtido pela vibrao das cordas vocais, o que faz de todas as vogais fonemas sonoros. As vogais constituem a base da slaba, isto , no h slaba sem vogal. Som das vogais a e i o u em p = []; em irm = []. em p = []; em ip = []; em lembro = [em]; em rseo = [i]. em pipa = []; em limpo = [im]. em p = []; em p-lo = []; em ndoa = [u]; em sombra = []. em cupu = []; em cumpro = [um].

04. Assinale a palavra cuja separao silbica fere a norma culta da lngua.a) b) c) d) e) sei-o pla-ti-a u-ru-guai-o sub-li-nhar a-brup-to

05. Assinale a alternativa em que todas as palavras sejam monosslabas.a) b) c) d) e) rua, Lua, sua dia, via, lia, tia boa, voa, moa Deus, pneus, seus a, da, sa

4. AlfabetoA palavra alfabeto formada pela fuso de alfa + beta (primeiras letras do alfabeto grego). Em portugus, a palavra correspondente abecedrio. O alfabeto portugus contm 23 letras: a, b, c, d, e, f, g, h, i, j, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u, v, x e z. Alm dessas letras, existem trs que se podem usar em casos especiais: k, w, y. So empregadas em abreviaturas, smbolos, palavras estrangeiras, nomes prprios estrangeiros. K K k kg km kW W W W = = = = = = = = = potssio Kelvin quilate quilograma quilmetro quilowatt tungstnio watt trabalho

Oralidade e nasalidade das vogais Vogais orais A corrente de ar vibrante passa apenas pela cavidade bucal. So sete os fonemas voclicos orais: 1. /a/ = mato 2. // = letra 3. // = reta 4. /i/ = vida 5. // = boca 6. // = obra 7. /u/ = rubro Vogais nasais A corrente de ar vibrante passa, ao mesmo tempo, pelas cavidades bucal e nasal. Para marcar o som nasal das vogais, a escrita utiliza-se do til, do m ou do n. So cinco as vogais nasais: 1. 2. 3. 4. 5. // /e/ /i/ // /u/ = = = = = m, anta, canto, ambos. lento, vento, lembro. cinto, finda, mpar. pe, ronco, monta, ombro. fundo, mundo, umbral.

06. Assinale a alternativa em que o x tenha som de /s/.a) b) c) d) e) txico fnix nix dplex inexorvel

07. Assinale a alterantiva em que a vogal tnica tenha som oral.a) b) c) d) e) Roraima andaime cama lama saidinha

08. Assinale a alterantiva em que a palavra no contenha dgrafo.a) b) c) d) e) umbral mpar tempo ambos amam

3

Zona de articulao Vogais anteriores ou palatais A lngua dirige-se para a regio palatal ou cu da boca. 1. // = p, serra, mel, pedra. 2. // = medo, cedo, l, medroso. 3. /i/ = fita, ri, rspido, inimigo, vida. 4. /in/ = vinda, finda, timbre. Vogais centrais ou mdias A lngua permanece em repouso. 1. // = m, p, mala, farra. 2. // = l, lama, cama, cana. Vogais posteriores ou velares A lngua permanece em repouso. 1. // = p, escola, prova, novos. 2. // = nu, urubu, caju, tatu, Itu, pacu. Timbre das vogais Vogais abertas: 1. /a/ = p, m, mato, pato, mata, farra. 2. // = p, escola, prova, novos. 3. // = p, serra, mel, pedra. Vogais fechadas: 1. 1. 2. 3. 4. 5. // // // // // /u/ = = = = = = p, serra, mel, pedra. lama, cama, banha, manta, jambo. seco, menta, perda, medo, vento. doce, moa, poo, monte, ponte. minto, cinto, limpo, ntimo. uva, rudemente, fundo, mundo.

1. 2. 3. 4.

vagamente, pazinha. cafezinho, pezinho, levemente. timidamente, Luisinha. tolamente, comodamente, robozinho. 5. // = somente, sozinho, pozinho. 6. /u/ = rudemente, urubuzinho, bauzinho.

/a/ /e/ /i/ //

= = = =

7. SemivogaisSemivogais so fonemas que se apiam em uma vogal para formar slaba. Em sntese: a semivogal est sempre ao lado da vogal na mesma slaba, formando ditongo ou tritongo. Na escrita, as semivogais so e, i, o e u. Na pronncia, as semivogais so /y/ e /w/. 1. Letra e = me (/my/), bem (/bey/), tambm (/tbey/). 2. Letra i = pai (/pay/), feito (/feytu/), peito (/peytu/). 3. Letra o = ndoa (/nodwa/), mgoa (/magwa/). 4. Letra u = pau (/paw/), mingau (/m gaw/).

01. Dada a estrofe seguinte, opte pela afirmativa incorreta.S a leve esperana, em toda a vida, Disfara a pena de viver, mais nada; Nem mais a existncia, resumida, Que uma grande esperana malograda.Velho Tema, Vicente de Carvalho

a) Em esperana, h encontro consonantal e dgrafo. b) Em dizendo, h dgrafo. c) Em existncia, h encontro consonantal, dgrafo e ditongo crescente oral. d) Em que, o nmero de letras coincide com o nmero de fonemas. e) Em grande, h mais letras que fonemas.

8. Slabas unio de um ou mais fonemas pronunciados em uma s emisso de voz d-se o nome de slaba. Em portugus, a base de qualquer slaba sempre a vogal. Assim, para determinar o nmero de slabas de uma palavra, basta verificar a quantidade de vogais. Importante: no existe slaba sem vogal. Nmero de slabas De acordo com o nmero de slabas, os vocbulos podem ser: 1. Monosslabos Formados por apenas uma slaba: pois, dois, bois, Deus, meus, pneus, leis, maus. 2. Disslabos Formados por duas slabas: di-a, ri-o, ru-a, lu-a, vo-a, bo-a, mo-a, Manaus, fei-a. 3. Trisslabos Formados por trs slabas: a-rei-a, ca-dei-a, col-mei-a, ba-tei-a, subli-nhar, ab-rup-to. 4. Polisslabos Formados por mais de trs slabas: in-co-e-ren-te, se-cre-ta-ri-a, ab-rup-ta-men-te.

02. (FGV) Assinale a alternativa em que tenha ocorrido erro de grafia em pelo menos uma palavra:a) b) c) d) e) exceo, disenteria, avaro bvaro, qinqunio, conscincia argem, distinguir, obsesso nterim, itens, obcecado pichar, hfens, crnio

Vogais reduzidas So todas as vogais (finais ou no) tonas. 1. /a/ = mala, serra, farra, amparo, antigo, ambidestro. 2. /e/ = entrada, empate, emblema, fale, cante, frente. 3. // = combate, ondulada, pomada, modo, como. 4. /i/ = insistir, impedir, informar, interior. 5. /u/ = juntar, umbral, umbigo, untar. Intensidade das vogais A intensidade diz respeito fora com que as vogais so emitidas no ato da fala. Assim, elas podem ser: Vogais tnicas So emitidas com mais fora; esto sempre na slaba tnica das palavras. Ateno: nem todas as vogais tnicas so acentuadas graficamente. 1. 2. 3. 4. m, l, falo, calo, mata, farra. p, f, rel, revs, pele, terra. li, a, vida, fsico, tsico, tambaqui. todas, lodo, fogo, moda, pr, crosta. 5. // = plo, fogos, logo, p, corda. 6. /u/ = ba, nu, angu, mido, urso. Vogais tonas So emitidas com menos fora e nunca esto na slaba tnica das palavras. 1. /a/ = mala, azedo, lmpada, cama, tima. 2. /e/ = tremor, enxada, lembrana, enxame. 3. /i/ = imitar, inimigo, cinema, imaginar, imigrar. 4. /o/ = plo, lodo, fogo, porque, pomada, coral. 5. /u/ = bulir, fugir, perfumada, rumor, zumbido. Vogais subtnicas Tm intensidade secundria. S existem em slabas que, antes, eram tnicas. // // /i/ // = = = =

03. (FGV) Leia a estrofe seguinte:Nada do que posso me alucina Tanto quanto o que no fiz Nada do que eu quero me suprime De que por no saber inda no quisJura Secreta, Sueli Costa Abel Silva

No verso 4, ocorre a supresso do a inicial de ainda. Esse processo conhecido como:a) b) c) d) e) afrese; apcope; sncope; direse; sinrese.

Caiu no vestibular01. (UFAMPSM2007) Assinale a opo em que h ditongo decrescente nasal, hiato e tritongo, respectivamente:a) b) c) d) e) ungento, gratuito, sequia xerm, aorta, desguam quando, raiz, enxge pingim, ruiu, tuxaua freqente, frissimo, gaiola

04. Opte pela letra somente com palavras disslabas.a) b) c) d) e) pneus, adeus, Manaus, mingaus dia, tia, rio, frio pais, cais, mais, seio voa, ca, moa, magoa rua, lua, nua, Deus

05. Opte pela letra com palavra monosslaba.a) b) c) d) e) rua frio tio pneus boa

02. (UFAMPSM2007) Assinale a opo em que h, na mesma palavra, tritongo + ditongo:a) b) c) d) e) goiaba quais uruguaio saa correio

06. (AMANRJ) Assinale a opo em que a diviso de slabas no est corretamente feita:a) b) c) d) e) a-bai-xa-do si-me-tria es-fi-a-pa-da ba-i-nhas ca-a-tin-ga

03. (UFAMPSM2007) Assinale a opo em que a vogal tnica de todas as palavras se pronuncia com timbre aberto:a) b) c) d) e) coevo, torpe, ileso crosta, inodoro, bodas obeso, interesse (substantivo), reses dolo, probo, molho (pequeno feixe) algoz, coldre, acervo

4

Aula 2

1. Modos de articulao Oclusivas Quando o obstculo corrente de ar, ao passar pela boca, for total. Note que oclusiva provm de ocluso = fechamento, cerramento. A pronncia momentnea, explosiva. 1. 2. 3. 4. 5. 6. /p/ = /b/ = /t/ = /d/ = /k/ = /g/ = pato, papo. babo, bota. taco, teto. dado, dama. caco, cama, quilo. gago, guerra.

Fontica e fonologia II1. Encontros voclicosChama-se encontro voclico ao agrupamento de vogais (na mesma slaba ou em slabas diferentes) sem consoantes intermedirias. Tipos H trs tipos de encontros voclicos: 1. Hiato a seqncia de duas vogais pronunciadas em slabas separadas: i-a = vi-a, di-a, ti-a, Ma-ri-a, se-cre-ta-ria, ma-qui-na-ri-a. i-o = ri-o, ti-o, fri-o, na-vi-o, des-va-ri-o. u-a = ru-a, nu-a, lu-a, su-a, con-ti-nu-a. o-a = vo-a, co-ro-a, bo-a, ca-no-a, perdo-a, lei-to-a. u-e = a-ve-ri-g-e, a-ve-ri-g-es, a-pa-zig-e, a-pa-zi-g-es. u-o = ar-gu-o, ar-g-is, ar-g-e, ar-g-em. 2. Ditongo a seqncia de vogal + semivogal (decrescente) ou de semivogal + vogal (crescente) na mesma slaba: Ditongo crescente Na slaba, vem primeiro a semivogal (intensidade menor); depois, a vogal (intensidade maior). a) Oral O som produzido com o vu palatino levantado, impedindo a passagem do ar tambm pela cavidade nasal. Exemplos: Pr-prio, n-doa, m-goa, s-rie, quadro, -rea, p-reo. Tran-qi-lo, se-qes-tro, qi-pro-qu, qin-q-nio. b) Nasal Parte da corrente de ar originada nos pulmes escoa atravs da cavidade nasal. Exemplos: Quan-to, de-lin-qen-te, fre-qn-cia, en-xa-ge-mos. Ditongo decrescente Na slaba, vem primeiro a vogal (intensidade maior); depois, a semivogal (intensidade menor). a) Oral: = Pais, mais, a-mais, cais, pa-rais. = Maus, paus, Ma-naus, min-gaus. = Leis, reis, freis, a-m-reis. = Deus, pneus, seus, meus, adeus. = Viu, fu-giu, par-tiu, con-se-guiu. = Cir-cui-to, In-tui-to, for-tui-to, gratui-to, flui-do, des-cui-do. b) Nasal: o = Mo, r-fo, r-go, zn-go. e = Me, a-le-mes, pes, ca-pi-tes. em= Bem, a-mm, h-fen, p-len. am= A-mam, re-cla-mam, di-fa-mam. 3. Tritongo a seqncia de semivogal + vogal + semivogal na mesma slaba (sempre nessa ordem). a) Oral Pa-ra-guai, i-guais, a-ve-ri-geis, a-geis. b) Nasal Sa-guo, -gem, en-x-gem. ai au ei eu iu ui

Constritivas Quando o obstculo corrente de ar, ao passar pela boca, for parcial. Note que constritiva provm de constrio = aperto, compresso. A pronncia prolongada. Constritivas frictivas Quando ocorre frico (atrito) do ar atravs de uma fenda no meio da via bucal. 1. 2. 3. 4. 5. 6. /f/ = /v/ = /s/ = /z/ = // = /3/ = fada, fenda. venda, vida. cedo, sapo, assar, mximo. zebra, casa, exato. chama, taxa, ch, xadrez. jaca, gente, jil, girafa, gibi.

01. Faa opo pelo item com anlise fontica errada:a) b) c) d) e) Item: ditongo decrescente nasal. Amm: ditongo decrescente nasal. Linda: encontro consonantal. Fenda: dgrafo. Imensido: um dgrafo e um ditongo decrescente nasal.

02. Dado o seguinte texto, opte pela afirmativa incoerente.Andorinha l fora est dizendo: Passei o dia toa, toa! Andorinha, andorinha, minha cantiga mais triste! Passei a vida toa, toa...(Andorinha, Manuel Bandeira)

Constritivas laterais Quando o ar passa pelos lados da cavidade bucal. 1. /l/ = lata, leite, colo. 2. /l/ = ilha, malha, espelho, velho. Constritivas vibrantes Quando a corrente de ar faz vibrar o dorso da lngua. 1. /r/ = caro, raro, barata, aro. 2. /R/ = carro, barro, roda, rio. 2. Pontos de articulao Esse critrio toma por base o ponto da cavidade bucal em que se localiza o obstculo corrente de ar. Conforme o ponto de articulao, as consoantes so: Bilabiais Quando ocorre contato dos lbios superior e inferior. 1. /b/ = bata, belo. 2. /m/= mama, mamo. Labiodentais Quando o lbio inferior toca os dentes incisivos superiores. 1. /f/ = fato, favo, fenda. 2. /v/ = voto, veto, vento. Linguodentais Quando a lngua toca a face interna dos dentes incisivos superiores. 1. /d/ = dedo, dado, data. 2. /t/ = tato, tdio,todo. 3. /n/ = nada, neto, ndoa. Alveolares Quando a lngua toca os alvolos (cavidades onde se implantam os dentes) dos dentes incisivos superiores. 1. 2. 3. 4. /s/ /z /l/ /r/ = = = = sala, passar, cela, cala. asa, xito, fazer, azar. tela, vela, ela. aro, caro, faro.

a) b) c) d) e)

Em toa, h hiato. Em dizendo, h dgrafo. Em dia, h hiato. Em mais, h ditongo decrescente oral. Em cantiga, o nmero de letras coincide com o nmero de fonemas.

03. Marque a opo em que todas as palavras apresentam dgrafo:a) b) d) e) c) fixo, auxlio, txico, exame enxergar, luxo, bucho, olho choque, sintaxe, unha, coxa ainda, assim, algum bicho, passo, carro, abrupto

04. (PUCSP) Nas palavras anjinho, carrocinhas, nossa e recolhendo, podemos detectar oralmente a seguinte quantidade de fonemas:a) b) c) d) e) trs, quatro, dois, quatro cinco, nove, quatro, oito seis, dez, cinco, nove trs, seis, dois, cinco sete, onze, cinco, dez

05. (AMANRJ) Assinale a opo em que a diviso de slabas no est corretamente feita:a) b) c) d) e) a-bai-xa-do si-me-tria es-fi-a-pa-da ba-i-nhas ca-a-tin-ga

Palatais Quando o dorso da lngua toca o palato duro (cu da boca). 1. 2. 3. 4. // = /3/ = /l/ = /h/ = chapa, caixa, pichar. jacar, gelo, jeito, gengibre. telha, velha, orelha. ganho, venho, linha.

06. Opte pela letra somente com palavras disslabas.a) b) c) d) e) pneus, adeus, Manaus, mingaus dia, tia, rio, frio pais, cais, mais, seio voa, ca, moa, magoa rua, lua, nua, Deus

2. ConsoantesAs consoantes so fonemas em cuja produo a corrente de ar que vem dos pulmes encontra obstculos ao passar pela cavidade bucal. Esses obstculos podem ser totais ou parciais, dependendo da posio da lngua e dos lbios. As consoantes so classificadas de acordo com os seguintes critrios:

Velares Quando h contato do dorso da lngua com o palato mole (vu palatino). 1. /k/ = cabra, quebra, quatorze. 2. /g/ = galho, guincho, distinguir. 3. /R/ = rota, burro, bizarro.

07. Opte pela letra com palavra monosslaba.a) b) c) d) e) rua frio tio pneus boa

5

3. Sonoridade Esse critrio verifica se ocorre ou no vibrao das cordas vocais. Quanto sonoridade, as consoantes podem ser: Sonoras Consoantes que fazem vibrar as cordas vocais. 1. /b/ = bodega, bode, bola. 2. /d/ = data, dedo, dela. 3. /g/ = gato, galo, gago. 4. /v/ = vida, veto, virgem. 5. /z/ = raso, zelo, exnime, exarar. 6. /3/ = gelo, jeca, jaca, jeito, ojeriza. Surdas Consoantes que no fazem vibrar as cordas vocais. 1. 2. 3. 4. 5. 6. /p/ = /t/ = /k/ = /f/ = /s/ = // = pulo, plo, plos, plo, plos. taco, toco, teto. calo, quilo, quota, quotidiano. fealdade, faz-tudo, fecha. sala, caa, missa, exceo. ch, xale, chal, chaleira.

1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11.

ch = lh = nh = rr = ss = sc = s = xc = xs = qu = gu =

cha-ci-na, chave, enchova. quin-qui-lha-ri-as. en-de-mo-ni-nha-do. des-car-ri-la-men-to. mas-sa-ge-ar. nas-cer, des-cer. cres-a, des-o. ex-ce-o, ex-ce-len-te. ex-su-dar, ex-si-car. quin-ti-lha, brn-quia. guer-ra, guel-ra.

01. Faa opo pelo item com separao silbica errada:a) b) c) d) e) su-ba-qu-ti-co sub-li-nhar ab-rup-to sub-i-tem su-bes-ta-o

Dgrafos voclicos Tm como base uma vogal. So dez: 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. am = em = im = om = um = an = en = in = on = un = am-bos, sam-ba. em-pa-te, em-pe-nho. m-pro-bo, im-pr-prio, as-sim. om-bro, hom-bri-da-de. um-bral, um-bro-so, a-tum. an-ces-tral, an-ci-o. en-ca-be-ar, en-cai-brar. in-co-men-su-r-vel. on-to-ge-ni-a, on-tem, fon-te. un-tu-o-so.

02. Faa opo pelo item com separao silbica errada:a) b) c) d) e) su-ba-bi-ta-o su-bu-ma-no su-ben-ten-di-do sub-a-gn-cia con-ti-nu-a

4. Oralidade e nasalidade Esse critrio verifica se, durante a produo do fonema consonantal, a corrente de ar expiratrio passa unicamente pela cavidade bucal ou tambm pela cavidade nasal. Quanto sonoridade, as consoantes podem ser: Orais A corrente de ar passa apenas pela boca. So orais todas as consoantes, com exceo de /m/, /n/ e /nh/. Nasais Parte da corrente de ar passa pelas fossas nasais. 1. /m/ = tombo, membro, lembro, jambo. 2. /n/ = manto, menta, banda, tenda. 3. /nh/= ninho, vinho, ganho.

5. Slaba tnica, tona e subtnicaSlaba tnica a slaba mais forte da palavra, aquela sobre a qual recai o acento tnico. No confundir acento tnico com acento grfico. 1. 2. 3. 4. Ru-bri-ca n-te-rim Re-cor-de A-va-ro

03. (FURGRS) Assinale a seqncia em que todas as palavras esto partidas corretamente:a) b) c) d) e) trans-a-tln-ti-co, fi-el, sub-ro-gar bis-a-v, du-e-lo, fo-ga-ru sub-lin-gual, bis-ne-to, de-ses-pe-rar des-li-gar, sub-ju-gar, sub-scre-ver cis-an-di-no, es-p-cie, a-teu

04. Sobre as palavras da estrofe seguinte, opte pela afirmativa errada.Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabi; As aves, que aqui gorjeiam, No gorjeiam como l.(Gonalves Dias, Cano do Exlio)

Slaba tona Eliminada a slaba tnica de uma palavra, as restantes so tonas, ou seja, tm pronncia branda. Slaba subtnica S aparece em palavras derivadas; corresponde slaba tnica antes da derivao. 1. So-zi-nho Slaba tnica: zi; subtnica: so. 2. Ca-fe-zal Slaba tnica: zal; subtnica: fe. 3. Al-ta-men-te Slaba tnica: men; subtnica: al. 4. Pe-zu-do Slaba tnica: zu; subtnica: pe.

3. Encontros consonantaisAos grupos formados por mais de uma consoante, na mesma slaba ou em slabas diferentes, sem vogal intermediria, chamase encontro consonantal. Eles podem ser: Perfeitos As consoantes agrupam-se na mesma slaba. 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. 8. 9. 10. 11. 12. bl br cl cr dr fl fr gl gr pl pr tr = = = = = = = = = = = = blo-co, blu-sa, em-ble-ma. bra-o, bri-ta, mem-bro. cla-ro, cla-mor, cle-mncia, clu-be. cra-vo, cre-do, cri-vo, cru-en-to. dra-ce-na, dr-a-de, en-dr-mi-na. fla-gran-te, fla-ge-lo, flam-bo-ai-. fra-grn-cia, fre-a-men-to, fru-fru. gla-bro, gle-na, gl-bu-lo, glu-glu. gr-cil, gre-lo, gru-gru-lhar. pla-ca-me, pla-cen-t-rio. pra-fren-tex, prai-ei-ro, prn-dio. tre-bo-u, tre-cen-t-simo, tr-fe-go.

a) b) c) d)

H dgrafo em minha e canta. H ditongo decrescente nasal em tem. H dgrafo em que e aqui. H ditongo decrescente nasal em gorjeiam. e) H encontro consonantal em onde.

6. Monosslabos tonos1. Os artigos definidos (o, a, os, as) e indefinidos (um, uns). 2. Os pronomes pessoais oblquos tonos: a) o, a, os, as b) me, te, se, nos, vos c) lhe, lhes 3. As contraes ma (me + a), mo (me + o), ta (te + a), to (te + o), lha (lhe + a), lho (lhe + o). 4. As conjunes e, nem, mas, ou, que, se. 5. As preposies a, com, de, em, por, sem, sob. 6. As contraes do (de + o), da (de + a), dos (de + os), das (de + as), no (em + o), na (em + a), nos (em + os), nas, (em + as), dum (de + um), duns (de + uns), num (em + um), nuns (em + uns). 7. A crase (a + a), s (a + as). 8. As combinaes ao (a + o), aos (a + os). 9. O pronome relativo que.

05. (UFJuiz de ForaMG) Assinale a nica afirmativa incorreta. No vocbulo:a) Insnia: h um ditongo oral crescente. b) Quando: h um ditongo nasal crescente. c) Raios: h um tritongo. d) Tambm: h um ditongo nasal decrescente. e) Pior: h um hiato.

06. A palavra que, depois de graficamente acentuada, contm hiato :a) b) c) d) e) ague averigue arguimos enxague gratuito

Imperfeitos As consoantes agrupam-se em slabas diferentes. 1. 2. 3. 4. 5. 6. bd= br = bs = cn = dv = pt = ab-di-car, b-di-to, ab-do-me. ab-rup-to. sub-s-nico, sub-so-lo. ac-ne. ad-vo-ga-do. rap-to, op-to.

07. A palavra que contm semivogal :a) b) c) d) e) porque dia continua secretario cantem

4. DgrafosAo grupo de duas letras que representa um nico som ou articulao chama-se dgrafo. Sinnimo: digrama. Os dgrafos da Lngua Portuguesa so: Dgrafos consonantais Tm como base uma consoante. So onze:

6

Aula 3

4. Acentuao das oxtonasOxtona (definio) Palavra cuja slaba tnica a ltima. Quanto acentuao grfica, vejam-se os verbetes seguintes. Oxtonas acentuadas Levam acento grfico todos os vocbulos oxtonos terminados em: a) a, as: Sof, sofs; caj, cajs; anans. Am-la, cortej-la, beij-la, apresent-la. Am-la-s, cortej-la-ei, beij-la-s. b) e, es: Voc, vocs; caf, cafs; alos. Socorr-la, prend-lo, entend-la. Socorr-la-s, prend-lo-, entend-la-. c) o, os: Av, avs; cip, cips; mocot, mocots. Rep-lo, transp-lo, prop-la. Rep-la-s, transp-lo-emos, prop-lo-ei. d) em, ens: Armazm, armazns; tambm, amm. Detm, contm, retm, intervm. Detm-no, detm-lo, retm-no, retm-lo. Oxtonas em i e u sem acento a) Oxtonas terminadas em u quase mania nacional acentuar oxtonas terminadas em u. Nos vocbulos seguintes, o acento grfico proibido. angu anu babau belzebu baiacu bambu beiju buu calundu candiru canguu caracu Caramuru chuchu cru cupu cupuau cururu exu hindu iglu Iguau aracu Itaipu Itu jaburu jacu jambu jururu jus Manacapuru mandacaru menu meru nu Pacaembu pacu pacuguau pacuu Paraguau peru pirarucu rebu surucucu sururu tatu tutu umbu uru Uruau urubu urucu uruu uirapuru vodu vuvu xampu xuru zebu zulu

Acentuao grfica I1. Para que serveA lngua escrita necessita, na prtica, de certos sinais auxiliares para indicar a exata pronncia das palavras. Esses sinais acessrios da escrita chamam-se notaes lxicas ou sinais diacrticos. Para o caso particular de acentuao grfica, vamos dar valor especial ao acento (agudo e circunflexo).

01. Eleja a alternativa em que todas as palavras sejam oxtonas:a) b) c) d) e) mister, masseter, interim Nobel, ureter, sutil refem, obus, duplex habitat, alibi, frenesi transistor, harem, ambar

2. Sinais diacrticosa) b) c) d) e) f) g) h) Acento agudo (sado). Acento circunflexo (lvedo). Acento grave (quele). Til (ma). Trema (tranqilo). Apstrofo (Vozes dfrica). cedilha (exceo). hfen (sub-reitor).

02. (FGV) (Desafio TV) Assinale a alternativa que NO siga o mesmo caso de acentuao que as demais.a) b) c) d) e) controvrsia plausveis insacivel construdos eltron

3. Tipos de acentoA nossa lngua dispe de apenas trs acentos grficos: a) Acento agudo () Indica que a vogal tnica possui timbre aberto: rel harm beij-la am-la-s sap alos dvena beij-la-s refm am-la gape lcali

03. Sobre a estrofe seguinte, do poema Antfona, de Cruz e Sousa, assinale a afirmativa incorreta.Vises, salmos e cnticos serenos, Surdinas de rgos flbeis, soluantes... Dormncias de volpicos venenos Sutis e suaves, mrbidos, radiantes... a) Pode-se trocar flbeis por plangentes sem prejuzo semntico. b) Os vocbulos dormncias e volpicos so acentuados pela mesma razo. c) Os vocbulos flbeis e dormncias so acentuados pela mesma razo. d) A presena de acento grfico em sutil faz que haja mudana de significado. e) Os vocbulos rgos, flbeis e dormncias so acentuados pela mesma razo.

b) Acento circunflexo (^) Indica que a vogal tnica possui timbre fechado: mago txtil bomia pliade azmola anmona Tmisa brmane znite xodo xul trnsfuga

c) Acento grave (`) Usado, hoje, apenas para indicar o fenmeno da crase, cujas ocorrncias mais comuns so: 1. Fuso de a (preposio) + a(s) (artigo): Fui festa. Chegamos noite. Fizemos referncia s obras romnticas. 2. Fuso do a (preposio) + o primeiro a dos demonstrativos aquele(s), aquela(s), aquilo, aqueloutro: Refiro-me quele rapaz. Endereamos a carta quela moa. Prefiro isto quilo. 3. Fuso de a (preposio) + a (pronome demonstrativo). No me refiro a voc e sim que estava doente. Esta camisa semelhante que ganhei no aniversrio passado. d) Aspecto prtico Na prtica, existem apenas dois acentos grficos: o agudo e o circunflexo. Outro detalhe: s existe acento grfico em slaba tnica (sobre a vogal), mas nem toda slaba tnica merece acento grfico.

04. Assinale a alternativa em que se identifica a figura de linguagem predominante no trecho:As rodas dentadas da pobreza, ignorncia, falta de esperana e baixa autoestima se engrenam para criar um tipo de mqui-na do fracasso perptuo que esmigalha os sonhos de gerao a gerao. Ns todos pagamos o preo de mant-la funcionando. O analfabetismo a sua cavilha. a) b) c) d) e) Eufemismo. Anttese. Metfora. Elipse. Inverso.

b) Oxtonas terminadas em i Veja a relao de palavras em que o acento grfico proibido. haiti halali haraquiri igaci jaraqui javali Jeni juriti jurupari Kali macis macuxi mandi mapinguari maqui mari Marli nasci pequi quati rali rami rani rubi Saci sagi sapoti somali tambaqui tapiri xixi xiri agredi-la ali aqui bagdali bem-te-vi caqui Darci Derci esqui feri-la frenesi gari gris guri Gurupi zumbi

05. (Desafio RDIO) Assinale a alternativa que NO siga o mesmo caso de acentuao que as demais.a) b) c) d) e) resolv-la-s entrevist-la-s conhec-la-s transp-lo-s instru-la-s

7

Oxtonas em i e u com acento grfico a) Terminadas em u com hiato Se houver hiato, o acento acontece nas oxtonas terminadas em u. Anhangaba (SP) Aria (AM) Camburi (SC) cui-cui piti Tapui (CE) Coca (PE) ba ja Graja (MA) Tamba (PB) tei Hostil

encontro consonantal; e-a = hiato. Agressivo; contrrio, adverso, inimigo. Plural: hostis. Fontica: s-t = encontro consonantal; seis letras e cinco fonemas.

Masseter Msculo inferior do queixo. Plural: masseteres. Fontica: ss = dgrafo; oito letras e sete fonemas. Mister Cargo, profisso, ocupao; aquilo que necessrio ou foroso. Plural: misteres. Fontica: s-t = encontro consonantal. Novo; principiante, novato. Plural: novis. Do Prmio Nobel (relativo a Alfredo Nobel, sueco, inventor da dinamite). Plural: nobis. Floresta densa. Plural: obs. Instrumento musical de sopro, feito de madeira, com palheta dupla, de timbre semelhante ao do clarinete, mas levemente nasal. Plural: obos. Fontica: o-e = hiato. Arma antiga semelhante a um morteiro; bomba ou granada lanada pelo obus. Plural: obuses. Pntano: regio inundada por guas estagnadas. Plural: pauis. Fontica: a-u = hiato. Pessoa inocente que retida como garantia. Plural: refns. Fontica: em = ditongo decrescente nasal. Que no tem prstimo; intil. Plural: ruins. Fontica: u-i = hiato; im = dgrafo; quatro letras e trs fonemas. O natural ou habitante da Somlia; relativo Somlia. Plural: somalis. Tnue, fino, delgado, grcil; perspicaz, hbil, engenhoso, talentoso. Plural: sutis. Cf. stil. Peneira de seda usada em farmcia ou laboratrio; peneira, filtro, crivo. Plural: tamises. Natural ou habitante de Timor (Ocenia); timorense.

01. (FGV) Observe o perodo seguinte: o que tem ocorrido com a nova ofensiva hegemnica que tenta atribuir ao baixo nvel educacional da Amrica Latina a origem de todos os males, da estagnao pssima distribuio de renda. Em relao a ele, a nica afirmao INCORRETA que: a) Apresenta pelo menos um dgrafo. b) Contm orao subordinada adjetiva. c) Nele, hegemnica significa preponderante, dominante. d) A forma verbal tenta contm encontro consonantal. e) A palavra origem exerce a funo sinttica de objeto direto.

b) Terminadas em i, com hiato Se houver hiato, o acento acontece nas oxtonas terminadas em i. a sa atra-la retra-lo-ei Chu (RS) Guara (GO) inclu-la Itaja (GO) da aa contra-lo caju Cucu (AM) Icara (CE) inclu-la-ei Jata (GO) ca instru-lo distra-la extra-lo exclu-lo influ-la Itagua (RJ) Juta (AM)

Novel Nobel

Ob Obo

Oxtonas (prosdia e sinonmia) Prosdia o estudo da pronncia correta dos vocbulos. As palavras seguintes so todas oxtonas. Alos Bagdali Espcie de planta (babosa). Fontica: o-e = hiato. Natural ou habitante de Bagd, capital do Iraque. Plural: bagdalis. Fontica: g-d = encontro consonantal. Pennsula europia. Admite a pronncia paroxtona: Blcs. Fontica: l-c = encontro consonantal. Pertencente ao Estado de Bengala (ndia, parte oeste da regio de Bengala). Plural: bengalis. Fontica: en = dgrafo; sete letras e seis fonemas. Sonda cirrgica. Plural: cateteres. Regio da Frana onde existe o mosteiro de Cister, fundado por Santo Alberico. Fontica: s-t = encontro consonantal. Relativo s relaes dos cidados entre si, reguladas por normas do Direito Civil. Plural: civis. Ave de rapina de porte avantajado que vive nos Andes. Plural: condores. Fontica: on = dgra-fo; seis letras e cinco fonemas. Torre em Paris. Fontica: ei = ditongo decrescente oral. Excitao, delrio. Plural: frenesis. Fontica: fr = encontro consonantal. Abrigo fechado, ou galpo, para bales, dirigveis, avies, barcos, etc. Plural: hangares. Fontica: an = dgrafo. Parte da casa muulmana destinada habitao das mulheres. Plural: harns. Fontica: em = ditongo decrescente nasal; cinco letras e quatro fonemas.

Obus

02. (FGV) Assinale a alternativa em que a palavra deveria ter recebido acento grfico:a) b) c) d) e) Paiandu. Taxi. Gratuito. Rubrica. Entorno.

Paul

Balcs

Refm

03. (FGV) Caetano Veloso gravou umacano, do filme Lisbela e o Prisioneiro. Trata-se de Voc no me ensinou a te esquecer. A propsito do ttulo da cano, pode-se dizer que: a) A regra da uniformidade do tratamento respeitada, e o estilo da frase revela a linguagem regional do autor. b) O desrespeito norma sempre revela falta de conhecimento do idioma; nesse caso no diferente. c) O correto seria dizer Voc no me ensinou a lhe esquecer. d) No deveria ocorrer a preposio nessa frase, j que o verbo ensinar transitivo direto. e) Desrespeita-se a regra da uniformidade de tratamento. Com isso, o estilo da frase acaba por aproximar- se do da fala.

Bengali

Ruim

Cateter Cister

Somali

Sutil

Civil

Tamis

Condor

Timor

Eifel Frenesi

Transistor Dispositivo constitudo por semicondutores; rdio provido desse dispositivo. Plural: transistores. Fontica: tr e s-t = encontros consonantais; an = dgrafo; dez letras e nove fonemas. Ureter Cada um dos dois canais que conduzem a urina de cada rim bexiga. Plural: ureteres.

Arapuca04 (FGV) Observe: O diretor perguntou: Onde esto os estagirios? Mandaramnos sair? Esto no andar de cima? O pronome sublinhado pertence: a) b) c) d) e) terceira pessoa do plural. segunda pessoa do singular. terceira pessoa do singular. primeira pessoa do plural. segunda pessoa do plural.

Hangar

Harm

ArapucaAssinale a alternativa com erro de acentuao grfica:a) b) c) d) e) medico secretario continua averige carteres

Preamar Mar-cheia; mar alta. Plural: preamares. Fontica: pr =

8

Aula 4

Exemplos: den, edens, hmen, himens. Lquen, liquens, hfen, hifens. b) Prefixos paroxtonos No levam acento grfico os prefixos paroxtonos anti-, semi-, super-, inter-, hiper-, maxi-, minipor serem considerados elementos tonos. Mas os prefixos podem virar substantivos; ento, justifica-se o acento: as mltis, as mnis, a mxi. c) Timbre fechado Palavras paroxtonas de slaba tnica fechada e sem relao nenhuma com as regras expostas no se acentuam jamais. Exemplos: Flor, flores, dor, dores, amor, amores. Forma, formas, forno, fornos, lobo, lobos. Governo, governos, termo, termos. Sede, sedes, parede, paredes. Reboco, rebocos, sufoco, sufocos.

Acentuao grfica II1. Paroxtona (definio)Palavra cuja slaba tnica a penltima. mesa trax pudica empresa hifens srie xrox sto m prton lbum rubrica recorde hfen prtons

2. Paroxtonas acentuadasLevam acento grfico todos os vocbulos paroxtonos terminados em um xirus no lei ditongo ps. Essa frase mnemnica (fcil de reter na memria) contm todas as terminaes das palavras paroxtonas acentuadas: um, x, i, r, us, n, o, l, ei, ditongo oral e ps. Veja, a seguir, as explicaes e os exemplos necessrios para cada terminao. a) um, uns Vale para o singular e para o plural: lbum lbuns; frum fruns. b) x Veja que trax faz o plural os trax. Dplex, trplex, crtex, xrox, Flix (x = s), fnix (x = s). c) i Vale para o singular e para o plural: cqui cquis; txi txis. d) r Vale para o singular e para o plural, mas observe: palavras paroxtonas terminadas em r tornam-se proparoxtonas no plural: ter teres; revlver revlveres; hambrguer hambrgueres. Carter tem plural especial: caracteres. e) us Veja que o plural feito com ajuda do artigo: vrus os vrus; bnus os bnus; vnus as vnus. f) n Ateno! Se a palavra paroxtona terminada em n fizer o plural em ens, a forma plural no ser acentuada: hfen hifens; den edens; lquen liquens; hmen himens. Se o plural for feito em ons, tanto o plural quanto o singular tero acento grfico: on ons; prton prtons; nutron nutrons, ction ctions. g) o A terminao -o vale para o masculino e o feminino, para o singular e o plural: rfo rfos; rf rfs; m ms; zngo zngos. h) l Vale para o singular e para o plural: rptil rpteis; fssil fsseis; jquei jqueis. Note ainda que rpteis e fsseis terminam em ditongo decrescente oral. i) ei O encontro voclico ei ditongo decrescente oral: jquei, jqueis; freis, amreis, reis, tivreis. j) ditongo As paroxtonas terminadas em ditongo oral, quer crescente quer decrescente, no singular ou no plural, so sempre acentuadas: gua, infncia, srie, mgoas, ndoa, tbuas, srio, rosrio. k) ps Veja que o plural feito com a ajuda do artigo: bceps os bceps; trceps os trceps; Quops.

01. H uma palavra em que a grafia/acentuao grfica no se enquadra na norma culta da lngua. Identifique-a.a) b) c) d) e) trceps, bceps caqui, cqui jqueis-clube reptil, rptil carter, carteres

4. Paroxtonas (prosdia e sinonmia)Abside Recinto semicircular; qualquer recinto abobadado. Fontica: b-s = encontro consonantal. Deciso proferida em grau de recurso por tribunal coletivo. Plural: acrdos. Fontica: r-d = encontro consonantal; o = ditongo decrescente nasal.

02. H uma palavra em que a grafia/acentuao grfica no se enquadra na norma culta da lngua. Identifique-a.a) b) c) d) e) m, ms ter, teres ndoa, ndoas rseo, rseos ambar, ambares

Acrdo

03. H erro de acentuao grfica em:a) b) c) d) e) tem tens prton prtons nutron nutrons on ons fton ftons

Acrimnia Sabor amargo; aspereza; acridez. Fontica: a-cri-m-nia (cr = encontro consonantal; ia = ditongo crescente oral). Acrobacia Arte ou profisso de acrobata; acrobatismo. Fontica: a-cro-baci-a (cr = encontro consonantal; i-a = hiato). Albifloro Que tem flores alvas; albiflor. Fontica: l-b e fl = encontros consonantais.

04. H um item com erro gramatical. Identifique-o.a) O m um corpo de material ferromagntico com imantao permanente. b) O carter agressivo de certos jovens dificulta-lhes o relacionamento. c) O mercadinho vem sendo alvo dos maus-carteres de outros bairros. d) Os liquens vivem em lugares os mais inspitos, comumente sobre rochas e cascas de rvore, e desenvolvem estruturas reprodutivas assexuais especializadas. e) Hmen complacente aquele que no se rompe passagem do pnis.

Algaravia Confuso de vozes; lngua rabe; linguagem confusa e ininteligvel. Fontica: al-ga-ra-vi-a (lg = encontro consonantal; i-a = hiato). Alimria Animal irracional; animal de carga, besta, animlia. Fontica: ali-m-ria (ia = ditongo crescente oral). O orvalho da manh; lgrima de mulher bela. Plural: aljfares. Fontica: l-j = encontro consonantal. Ausncia, congnita ou no, dos cabelos ou dos plos do corpo; atricose, atriquia, falacrose, peladura. Fontica: a-lo-pe-ci-a (i-a = hiato). Substncia derivada de um cido pela eliminao de uma ou mais molculas de gua.

Aljfar

Alopecia

05. H uma palavra em que a grafia/acentuao grfica no se enquadra na norma culta da lngua. Identifique-a.a) b) c) d) e) semideus semi-reta antiinflamatrio antiinflao sper-resistente

Anidrido

Apoteose Final deslumbrante. Fontica: eo = hiato. Ambrosia Comida gostosa, deliciosa; no confundir com Ambrsia, nome prprio. Fontica: am-bro-si-a (am = dgrafo; br = encontro consonantal; i-a = hiato; oito letras e sete fonemas).

06. H uma palavra em que a grafia/acentuao grfica no se enquadra na norma culta da lngua. Identifique-a.a) b) c) d) e) superabundncia superintendncia minissaia intermnio hiper-cido

3. Paroxtonas sem acento grficoa) Terminaes em, ens No levam acento grfico as palavras paroxtonas terminadas em em ou ens.

9

mbar

Substncia slida, resina. Plural: mbares. Fontica: am = dgrafo; cinco letras e quatro fonemas. Severo, srio, compenetrado. Fontica: au = ditongo decrescente oral; st = encontro consonantal. Agourento; dia de azar; infausto, infeliz. Fontica: i-a = hiato. Distncia angular, medida sobre o horizonte, a partir de um ponto origem, geralmente o sul, no sentido dos ponteiros do relgio ou no sentido inverso, at o crculo vertical que passa por um dado astro. ngulo entre a perpendicular ao plano de incidncia e o plano de vibrao de uma radiao eletromagntica planopolarizada. Mesquinho, po-duro; que tem avareza, que srdido e excessivamente apegado ao dinheiro. Sinnimos: avarento, amarrado, cainho, forreta [], fuinha, mode-finado, mo-de-leito, mode-vaca, morrinha, muquira, muquirana, sovina, tamandu, unhade-fome. Que procede dos avs ou antepassados. Cheiro caracterstico da umidade e ausncia de renovao do ar; mofo, bolor. Fontica: ba-fi-o (i-o = hiato). Selvageria, crueldade, atrocidade, barbaridade, barbarismo. Fontica: bar-ba-ri-a (rb = encontro consonantal; i-a = hiato). Estado ou condio da gente brbara. Fontica: bar-b-rie (rb = encontro consonantal; ie = ditongo crescente oral). Ao de benzer ou de abenoar; bendio; graa divina. Plural: bnos. Fontica: en = dgrafo; o = ditongo decrescente nasal; seis letras e cinco fonemas. Ciclope

Austero

go, tabela; padro, modelo, norma, regra. Plural: cnones. Forma variante: cnone. Fontica: on = dgrafo; cinco letras e quatro fonemas. Caracteres Plural de carter. Celtibero Unio dos povos celtas + iberos []; o natural ou habitante da Celtibria. Fontica: l-t = encontro consonantal. Gigante mitolgico de um olho s no meio da testa. Fontica: cl = encontro consonantal. Relativo ao Direito Civil. Plural: cveis. Pequeno rgo alongado, ertil, situado na parte superior da vulva. Fontica: cl = encontro consonantal. Pequeno osso que termina a coluna vertebral na parte inferior. Fontica: coc-cix (c-c = encontro consonantal; x = s). Casca de rvore; cortia. Fontica: r-t = encontro consonantal; x = ks (dfono); seis letras e sete fonemas. Forma variante: crtice. Plural: crtices. Variedade verde lmpida da olivina (mineral ortorrmbico). Deus alado do amor. Cf cpido. Membro antigo de um clube, membro fundador; deo; subreitor, ou diretor de centro, em uma universidade. Crtica acerba; escrito ou discurso violento e injurioso. Fontica: i-a = hiato; tr = encontro consonantal. Doena infecto-contagiosa. Fontica: dif-te-ri-a (f-t = encontro consonantal; i-a = hiato). Desigual, diferente, dessemelhante. Plural: dspares. Fontica: s-p = encontro consonantal. O que a conscincia e a razo dizem que se deve ser; regra, aviso, ordem, doutrina. Plural: ditames. Antigo sacerdote, entre os gauleses e bretes. Feminino: druidesa e druidisa (menos usado). Fontica: drui-da (dr = encontro consonantal; ui =ditongo decrescente oral). Apartamento duplicado. A pronncia [duplex] popular, mas antigramatical. Sinnimo: dplice. Fontica: pl = encontro consonantal; x = ks (dfono); seis letras e sete fonemas. Mandado, decreto, ordem. Cf. dito.

Aziago Azimute

Caiu no vestibular01. (FGV) Assinale a palavra que est graficamente acentuada pela mesma regra que determina o acento em inadimplncia.a) b) c) d) e) Mgoa. H. Sabi. Herico. Ba. Avaro

Cvel Clitris

Cccix

02. (FGV) Assinale a alternativa em que as palavras sejam, depois de corretamente acentuadas, respectivamente: oxtona, oxtona, paroxtona, proparoxtona, proparoxtona e oxtona.a) Nobel, somali, avaro, aziago, interim, habitat, ureter. b) Novel, triplex, avaro, aziago, interim, habitat, masseter. c) Novel, triplex, cdmio, aziago, interim, habitat, cateter. d) Transistor, ruim, cdmio, mister, interim, habitat, cateter. e) Transistor, ruim, cdmio, austero, interim, habitat, cateter. Avito Bafio

Crtex

Crisolita Cupido Decano

Barbaria

Diatribe

Arapuca03. Identifique a palavra em que a norma culta da lngua no abona a indicao do timbre da vogal tnica.a) b) c) d) e) Fecha (). Espelha (). Algoz (). Colmeia (). Obsoleto ().

Barbrie

Difteria

Bno

Dspar

Ditame

04. Em que letra as palavras (como pescoo) fazem o plural sem metafonia?a) b) c) d) e) almoo, bolso, fogo caboclo, boto, aborto socorro, povo, destroo forno, corno, toco reboco, torto, porco

Blasfemo Que blasfema; blasfemador. Fontica: bl e s-f = encontros consonantais. Bomia Vadiagem, vida airada. A pronncia [bo-e-mi-a] popular, mas antigramatical. Fontica: bo-mia (o-e = hiato; ia = ditongo crescente oral). Nome prprio; unidade monetria e moeda da Venezuela. Plural: bolvares. O gnero-tipo dos bombicdeos; qualquer espcie desse gnero como o bicho-da-seda, cuja mariposa adulta branco-cremosa. Fontica: om = dgrafo; x = ks (dfono); seis letras e sete fonemas. O borato de sdio decaidratado, cristalino, usado como anti-sptico. Forma variante: borace. Fontica: x = ks (dfono); cinco letras e seis fonemas. Regra geral de onde se inferem regras especiais; relao, catlo-

Druida

05. Eleja a opo em que todas as palavras, depois de corretamente acentuadas, sejam oxtonas:a) b) c) d) e) mister, masseter, interim Nobel, ureter, sutil refem, obus, duplex habitat, alibi, frenesi transistor, harem, ambar

Bolvar

Dplex

Bmbix

Edito

06. Escolha a opo em que todas as palavras tenham o timbre da vogal tnica fechado:a) b) c) d) e) obeso, badejo, crosta cora, camioneta, algoz grelha, extra, ileso incesto, coeso, textil destro, espelha, molho (coletivo)

Brax

Efebo [] Rapaz que chegou puberdade; homem jovem; mancebo. Plural: efebos []. Enxovia Crcere trreo ou subterrneo, escuro, mido e sujo. Fontica: en-xo-vi-a (en = dgrafo; i-a = hiato; sete letras e seis fonemas).

Cnon

10

Aula 5

e) Plo, plos Extremidade; face ou aspecto oposto a outro; jogo. Plo, plos Falco, aor ou gavio que no chega a ter um ano. Polo contrao antiga de por + o. f) Pra Substantivo (o fruto da pereira). Pera Contrao antiga de per + a. g) Pr Verbo. Por Preposio. h) Cas, ca Formas verbais de coar: eu co, tu cas, ele ca. Coa, coas Aglutinao da preposio com + a, com + as. i) Qu Substantivo; pronome em fim de frase. Que Conjuno. j) Porqu Substantivo. Porque Conjuno. Observaes importantes: 1. O substantivo pra s leva acento grfico no singular; no plural (peras) perde o acento. 2. Conjugando o verbo parar no presente do indicativo, s a terceira pessoa do singular acentuada: eu paro, tu paras, ele pra, ns paramos, vs parais, eles param. Diferencial de timbre Acento grfico usado, excepcionalmente, para distinguir o homgrafo tnico fechado pde (pretrito perfeito do verbo poder) do homgrafo tnico aberto pode (presente do indicativo do mesmo verbo). Este acento foi extinto na Reforma Ortogrfica de 1971. Diferencial morfolgico Acento circunflexo usado para fazer diferena entre a terceira pessoa do plural e a terceira do singular do presente do indicativo dos verbos ter, vir e seus derivados. Exemplos: Ele tem Ele vem Ele retm Ela entretm Ele intervm Ele provm eles tm eles vm eles retm elas entretm eles intervm eles provm

Acentuao grfica III1. Monosslabos (definio)Monosslabo palavra de uma s slaba. Pode ser tono ou tnico. a) tono o monosslabo pronunciado to fracamente na frase que a sua intensidade equivale de uma slaba tona. Por isso, no tem autonomia fontica e jamais leva acento grfico. Exemplos: de, um, uns, sob, em, sem, dum. b) Tnico o monosslabo cuja intensidade se equipara de uma slaba tnica, pois pronunciado fortemente. Nem todos so acentuados graficamente. Exemplos: p, p, p, ps, cs, d-lo, p-lo, s, ss, n, ns, trem, bem.

01. Assinale a alternativa com erro de grafia:a) b) c) d) e) sintetizar catequisar hipnotizar batizar avalizar

02. (FGV) O vocbulo embora uma aglutinao de em+boa+hora; o vocbulo abaixo que exemplo do mesmo processo de formao de palavras :a) b) c) d) e) passatempo; girassol; planalto; sexta-feira; urbanismo.

2. Monosslabos tnicos acentuadosAcentuam-se os monosslabos tnicos terminados em: a) a, as P, ps, Brs, j, l, m, ms; f-lo-s, f-lo-ei, f-lo-emos, tr-lo-ei, trlo-amos. b) e, es F, fs, p, ps, r, rs, ms; cr, crs, d, ds, vs, f-lo, f-la. c) o, os P, ps, n, ns, cs, s, ss; ps; p-lo-s, p-lo-ei, p-la-amos, plo, p-la.

03. Assinale a alternativa em que as palavras sejam, depois de corretamente acentuadas, respectivamente: oxtona, paroxtona e proparoxtona.a) b) c) d) e) Nobel, aziago, habitat. Novel, triplex, interim. Ureter, aziago, cadmio. Transistor, mister, austero. Ruim, cateter, avaro.

3. ProparoxtonasDefinio e regra de acentuao a palavra que tem a antepenltima slaba tnica. Todas so acentuadas graficamente. Exemplos: crisntemo lacre nterim Lucferes nefito gide lvedo libi aborgine Jpiter dptero hbitat gape bolo bitipo Lcifer Jupteres frula dvena mprobo fentipo

04. Assinale a alternativa em que a norma culta da lngua escrita NO foi respeitada.a) As cs cobriam-lhe a cabea como se neve fosse. b) Compre aqui seu culos de grau por um precinho mdico. c) As olheiras denunciavam uma noite maldormida. d) L pelos idos de 1930, Carlos Drummond de Andrade estreou na Literatura Brasileira. e) Com as tcnicas disseminadas pelo Ibama, as famlias aprenderam a extrair leo de pau-rosa sem sacrificar as rvores.

4. Acentos diferenciaisDiferencial de tonicidade Acento grfico usado para distinguir hom-grafos (palavras de igual grafia) tnicos de tonos. O acento pode ser agudo ou circunflexo. Veja a relao completa das palavras com esse tipo de acento: a) s Carta do baralho; pessoa exmia em determinada atividade. As Artigo feminino plural. b) Pra Forma verbal de parar: eu paro, tu paras, ele pra. Para Preposio. c) Pla, plas Formas verbais de pelar: eu plo, tu plas, ele pla. Pela, pelas Contraes de por + a, por + as. d) Plo Forma verbal de pelar (eu plo, tu plas, ele pla). Plo, plos Substantivo (conjunto dos plos de um animal; cabelo). pelo, pelos Contrao de por + o, por + os.

5. Acentuao dos ditongos abertosDitongos abertos acentuados Acentua-se a vogal tnica dos ditongos abertos u, i e i. Observe bem a separao silbica: 1. Ditongo aberto u: cu, cha-pu, vu, du, ru, es-car-cu. 2. Ditongo aberto i: a-nis, as-sem-bli-a, car-ri-tis, pla-ti-a, quar-tis. 3. Ditongo aberto i: a-pi-o, bi-a, cons-tri, len-is, he-ri. Ditongos abertos sem acento grfico Se os ditongos abertos i, u, i no estiverem na slaba tnica da palavra, o acento grfico no pode ocorrer. o que ocorre nos vocbulos seguintes: a-nei-zi-nhos ceu-zi-nho an-zoi-zi-nhos i-dei-a-zi-nha cha-peu-zi-nho boi-a-zi-nha car-ri-tei-zi-nhos mun-deu-zi-nho fa-roi-zi-nhos pla-tei-a-zi-nha reu-zi-nho he-roi-zi-nho quar-tei-zi-nhos veu-zi-nho

ArapucaH um plural condenado pela norma culta da lngua. Assinale-o.a) caracteres b) itens c) juniores d) seniores e) Luciferes

Caiu no vestibular(FGV) Com base na formao da pala-vra hierarquizar, assinale a alternativa cuja palavra apresenta erro de grafia por NO seguir o mesmo processo de formao:a) legalizar b) civilizar c) improvizar d) americanizar e) radicalizar

11

Pronncias especiais As palavras seguintes tm pronncias especiais. O uso popular consagrou a pronncia errada. Veja: Certo bateia colmeia diarrico dispnico nuclico orfico protico seborrico Errado batia colmia diarreico dispneico nucleico orfeico proteico seborreico

cr-em d-em des-d-em des-cr-em l-em re-l-em re-v-em v-em

a-ben--o a-bo-t-o a-pre-g-o des-t-o en-j-o en-t-o ma-g-o per-d-o

co-r-o a-mon-t-o v-o a-tor-d-o m-o en-j-os v-os co-r-o

Proparoxtonas (prosdia e sinonmia)Acrpole A parte mais elevada das antigas cidades gregas, que comportava a cidadela e, eventualmente, santurios. Fontica: cr = encontro consonantal. Cmara secreta, nos templos antigos; santurio onde s os sacerdotes podiam entrar; compartimento reservado. Cf. adito, do verbo aditar. Forasteiro, estrangeiro. Fontica: dv = encontro consonantal. Meteoride que cai na superfcie terrestre depois de ter produzido meteoro; astrlito, meteorlito, uranlito, pedra-de-raio. Fontica: a-e = hiato. Banquete, almoo festivo. Plural: gapes. Forma variante: gapa. Variedade de calcednia de brilho ceroso e litide; serve para a manufatura de jias, objetos de arte, etc. Alegre, jovial, animado. Fontica: cr = encontro consonantal. Castelo fortificado, ou fortaleza; casb; castelo antigo. Fontica: l-c = encontro consonantal. Qualquer hidrxido dos metais alcalinos (ltio, sdio, potssio, rubdio e csio). Ave fabulosa, dos antigos; na Astronomia, uma das sete estrelas visveis vista desarmada do asterismo das Pliades. Fontica: lc = encontro consonantal; i-o = hiato. Artifcio do ru para se livrar de uma acusao. Percentual sobre o valor da coisa tributada. Fontica: qu = dgrafo; oito letras e sete fonemas.

7. Acentuao dos grupos gue, gui, que, quiTrema Quando a letra u dos grupos gue, gui, que e qui pronunciada de forma tona, usa-se trema. o que acontece, por exemplo, com todas as formas do verbo aguar no presente do subjuntivo. Observe bem a acentuao grfica e a separao silbica. Que Que Que Que Que Que eu -ge tu -ges ele -ge ns a-ge-mos vs a-geis eles -gem

6. Acentuao dos hiatosDefinio Hiato o encontro de duas vogais, uma em cada slaba. Nem toda palavra com hiato acentuada graficamente. Veja: Com acento a- ba-la-s-tre ba- ca-s-te sa--da sa-s-te sa--de vi--va Sem acento bo-a di-a ba-u-zi-nho ca-ir sa-i-di-nha sa-ir-mos Sa-ul vi-u-vi-nha

dito

dvena Aerlito

gape gata

Critrios de acentuao A acentuao de palavras com hiato (vogais pronunciadas em slabas diferentes) feita com base em dois critrios: 1. Hiato com i e u Acentuam-se o i e o u tnicos orais, bases de um hiato, sozinhos na slaba ou com a letra s, precedidos de vogal noidntica. Confira a seguir, atentando na separao silbica: Hiato com i a- ca-s-te ca- ca--da sa-s-te sa- fa-s-ca sa--da pa-s dis-tra--la con-tri-bu-s-te con-tri-bu--a Hiato com u ba- I-ta- ba-la-s-tre sa--de sa--va vi--va ga--cha mi--da man-te--da tei- ja um-ba--ba

Acento agudo Quando a letra u dos grupos gue, gui, que e qui pronunciada de forma tnica, usa-se acento agudo. o que acontece, por exemplo, com algumas formas dos verbos apaziguar e averiguar no presente do subjuntivo. Observe bem a acentuao grfica e a separao silbica. Que Que Que Que Que Que eu a-pa-zi-g-e tu a-pa-zi-g-es ele a-pa-zi-g-e ns a-pa-zi-ge-mos vs a-pa-zi-geis eles a-pa-zi-g-em

lacre Alcova

lcali

Alcone

Acentuao justificada Veja a justificativa gramatical para o trema ou o acento agudo em algumas palavras: 1. Apazige: acentuada graficamente porque o u, dentro do grupo gue, pronunciado e tnico. 2. Averige: acentuada graficamente porque o u, dentro do grupo gue, pronunciado e tnico. 3. Agemos: com trema porque o u, dentro do grupo gue, pronunciado e tono. 4. ge: com trema porque o u, dentro do grupo gue, pronunciado e tono. 5. Distinguir: sem trema porque o u, dentro do grupo gui, no pronunciado (gu = dgrafo). 6. Delinqir: com trema porque o u, dentro do grupo qui, pronunciado e tono. Trema facultativo O trema facultativo nas palavras seguintes: 1. 2. 3. 4. 5. 6. 7. Eqidade ou equidade Sangnio ou sanguneo Lngido ou lnguido Antigidade ou antiguidade Eqivaler ou equivaler Liqefazer ou liquefazer Liqidao ou liquidao

libi Alquota

Ateno! O i e o u, mesmo formando hiato, no sero acentuados: 1. Quando seguidos de nh: Co-ro-i-nha, ba-i-nha, ra-i-nha. 2. Quando formarem slaba com outra letra que no seja s: Ca-ir-mos, sa-ir, sa-ir-mos, Ra-ul, pa-ul, Sa-ul. 3. Quando, mesmo sendo tnicos e formando hiato, no forem a slaba tnica da palavra: Ca-i-di-nha, sa-i-di-nha, vi-u-vi-nha. 4. Quando, mesmo sendo tnicos e formando hiato, forem precedidos de vogal igual: va-di-i-ce, xi-i-tas. 2. Hiatos oo e ee Acentua-se com circunflexo a primeira vogal dos hiatos fechados oo e ee, quando for tnica. Veja:

Andrgino De aparncia ou modos indefinidos, entre masculino e feminino, ou que tem traos marcantes do sexo oposto. Fontica: an = dgrafo; dr = encontro consonantal; nove letras e oito fonemas. Andromo Diz-se de peixe marinho que sobe para os rios na poca da desova. Fontica: dr = encontro consonantal. Antema Expulso do seio da Igreja; excomunho; maldio, execrao, oprbrio. Gnero de plantas herbceas, perenes, ornamentais, da famlia das ranunculceas, de flores variadamente coloridas. Sinnimo: anmona.

Anmone

12

Aula 6

Ortografia I1. Letras e e iEscreve-se com e (e no com i): acarear areo ante- (prefixo = antes) antevspera aqueduto apazige (a-pa-zi-g-e) rea (medida) averige (a-ve-ri-g-e) beneficncia beneficente betume (massa) boreal (do lado norte) cardeal (ave, prelado, p. geogrfico) carestia cedilha (c cedilhado) cercear, cerceamento cereal continue, continues (continuar) antemo deferir (conceder) delao (denncia) descortinar (des- + cortina + -ar) descrio despender (mas dispndio) despensa (compartimento) despesa (de despender) falsear (falseamos, falseando) granjear (granjeamos, granjeando) hastear (hasteamos, hasteando) homogneo indeferir (negar) legtimo lenimento (que suaviza) nomear (nomeando, nomeado) palavreado parntese (ou parntesis) Escreve-se com i (e no com e): aborgine acrimnia anti- (pref.=contra) argis, argi (verbo argir) arqui- (pref.) artifcio atribui(s) (atribuir) calcrio crie (cariar) diferir (divergir) dilao (adiamento) dilapidar, dilapidao dilatar (alargar) discrio (reserva) discricionrio (arbitrrio) discriminar (discernir, separar) dispndio (mas despender) dispensa (licena) distinguir distoro feminino frontispcio Ifignia imergir (mergulhar) imigrar (entrar em pas estrangeiro) iminente (prximo) imiscuir-se (intrometer-se) impigem imprescindvel incandescente

inciso, inciso inclinar incorporar (encorpar) incrustar (encrostar) indenizao indigitar (apontar, mostrar) influi(s) (verbo influir) infuso inigualvel intitulao intitular, intitulado, irrupo, irruptivo (irromper) Itelvina jri (comisso) linimento (medicamento untuoso) meritssimo miscigenao parcimnia possui(s) (verbo possuir) privilgio remediar (remedeio, remedeias) silvcola substitui(s) (verbo substituir) verossmil (semelhante verdade)

Parnimos e homnimos que se diferenciam pela oposio das vogais e e irea ria Afear Afiar Arrear Arriar Cardeal Cardial superfcie. melodia, canto. tornar feio, feia. amolar, dar fio. pr arreios. abaixar, descer, colocar no cho. religioso; ave. relativo crdia (corao).

2. Letras s e zTerminaes -izar e -isar 1. Sufixo -ar Acrescenta-se ao verbo cujo radical contm s na ltima slaba. A letra s aparecer em todas as formas da conjugao desses verbos. Primitiva Anlise Aviso Bis Catlise Friso Improviso Liso Paralisia Pesquisa Piso Derivada analisar avisar bisar catalisar frisar improvisar alisar paralisar pesquisar pisar

Deferimento concesso, anuncia. Diferimento adiamento. Deferir Diferir Delatar Dilatar Descrio Discrio conceder, anuir. adiar. denunciar, revelar (crime ou delito). aumentar, alargar, ampliar. ato de descrever. qualidade de discreto; reserva.

Descriminar inocentar, absolver de crime. Discriminar distinguir, diferenar, discernir. Despensa Dispensa Destratar Distratar Emergir Imergir Emigrante Imigrante Eminncia Iminncia Eminente Iminente Emitir Imitir Enfestar Infestar Enformar Informar Entender Intender Estropear Estropiar Lenimento Linimento Peo Pio Recrear Recriar Se Si Trfego Trfico Vadear Vadiar Venoso Vinoso lugar para guardar mantimentos. liberao; iseno de servio. insultar;maltratar com palavras. desfazer trato; anular; rescindir. vir tona; mostrar-se. afundar; mergulhar. quem emigra (sai do prprio pas). quem entra em pas estranho. altura, excelncia, proeminncia. proximidade; prestes a acontecer. alto, ilustre, elevado, sublime. prestes a acontecer. lanar fora de si; pr em circulao. fazer entrar; pr para dentro; meter. dobrar ao meio; aumentar. assolar; percorrer; invadir. meter na forma. avisar, noticiar; instruir. compreender; ter idia clara. exercer vigilncia sobre; dirigir. fazer tropel. mutilar, aleijar, cortar algum membro. suavizao; remdio que alivia dores. medicamento untoso para frices. que anda a p; pedestre. brinquedo; mastro de escada. divertir; proporcionar recreio. criar novamente. pronome pessoal oblquo tono. pronome pessoal oblquo tnico. movimento; atividade; trnsito. contrabando; comrcio ilcito. passar o rio a vau (a p ou a cavalo). vagabundear; levar vida ociosa. relativo a veias; venal. que produz vinho; vinfero.

2. Sufixo -izar Acrescenta-se ao verbo cujo radical no contm s. A letra z aparecer em todas as formas da conjugao desses verbos. Primitiva Ameno Anarquia Batismo Canal Carbono Cicatriz Civil Colono Legal Matiz Motor Vulgar Derivada amenizar anarquizar batizar canalizar carbonizar cicatrizar civilizar colonizar legalizar matizar motorizar vulgarizar

3. Palavras especiais Veja a grafia de quatro palavras especiais: Batizar: provm de batismo. Catequizar: provm de catequtico e no de catequese. Hipnotizar: provm de hipntico e no de hipnose. Sintetizar: provm de sinttico e no de sntese. Terminaes -ez(-eza)e -s(-esa) 1. O sufixo -ez(a) formador de substantivos abstratos oriundos de adjetivos. Adjetivo Substantivo em -ez(a)

13

01. Observe a grafia de malferida na estrofe seguinte; assinale a alternativa em que se empregou o vocbulo mal em desacordo com a norma gramatical.que sabe a sal no mais azul do peito onde o amor sofre a pena malferida de ser to grande e ser to imperfeito.(Anbal Bea)

Absurdo vido Caduco Dbio Escasso Flcido Grvida Leve Limpo Mudo Plido Slido Surdo Vivo

absurdez avidez caduquez dubiez escassez flacidez gravidez leveza limpeza Mudez palidez solidez surdez viuvez

puseram, pusramos. 2. Querer: quis, quiseste, quisemos, quisestes, quiseram, quisramos. Fazer e trazer As formas dos verbos fazer e trazer so grafadas com a letra z. Confira 1. Fazer: fiz, fizeste, fez, fizemos, fizestes, fizeram, fizramos. 2. Trazer: trazes, traz, trazemos, trazem. Sufixo -oso(a) O sufixo nominal -oso(a) grafado sempre com s. Exceo: gozo. Confira: Bondoso bondosa Caridoso caridosa Formoso formosa Generoso generosa Gostoso gostosa Valioso valiosa Virtuoso virtuosa

2. O sufixo -s(esa) formador de vocbulos (adjetivos e substantivos) que se origianam de substantivos. Veja: Substantivo Burgo Campo Corte Monte Pedra China Holanda Sufixo -s(-esa) burgus, burguesa campons, camponesa corts monts pedrs chins, chinesa holands, holandesa

a) Os bifes malpassados causam-me enjo imediato. b) Os ovos esto assim, meio moles, porque foram mal passados pela cozinheira. c) No creio que haja remdio para o meu mal-estar. d) Ela procede assim porque foi mal-educada pelos tios-avs. e) Ela sempre chegava tarde e justificava-se por meio de histrias malcontadas.

3. Dgrafo ssVerbos cujos radicais terminam em -ceder, -gredir, -primir, -meter e -tir do origem a palavras com o dgrafo ss. Confira: Ceder cesso, cessionrio, cessvel. Interceder intercesso, intercessor. Retroceder retrocesso, retrocesso. Progredir progresso, progressivo. Regredir regresso, regressivo. Deprimir depresso, depressivo. Comprimir compresso, compressor. Reprimir represso, repressivo. Intrometer intromisso. Remeter remessa. Discutir discusso. Remitir remisso. Repercutir repercusso.

Pretender pretenso Verbos cujos radicais contm ND do origem a palavras com a letra s. Confira: Apreender Confundir Compreender Defender Despender Difundir Distender Expandir Fundir Intender Pretender Repreender Suspender Divertir diverso Verbos cujos radicais contm RT do origem a palavras com a letra s. Confira: Converter Inverter Divertir Perverter converso, conversivo. inverso, inversor. diverso, diversivo. perverso, perversor. apreensivo, apreenso. confuso, confuso. compreenso. defesa, defensivo. despesa. difuso, difuso, difusor. distenso, distensivo. expansivo, expanso. fuso. intensivo, intenso. pretenso, pretensioso. repreensivo, repreenso. suspenso, suspenso.

02. Observe a grafia de onde na estrofe seguinte; assinale a alternativa em que se empregou o vocbulo onde em desacordo com a norma gramatical.que sabe a sal no mais azul do peito onde o amor sofre a pena malferida de ser to grande e ser to imperfeito.(Anbal Bea)

a) De onde vem tanto amor? b) Donde vem tanto amor? c) Os argumentos onde nos apoiamos tm respaldo cientfico. d) At onde voc pretende chegar com isso? e) Aonde ela voi e onde se esconde ainda um mistrio.

4. Emprego do Veja algumas regras prticas para o emprego do . 1. Terminao -to Vocbulos terminados em -to do origem a outros terminados em -o. Veja: Aflito Atento Ato Canto Convicto Correto Eleito Ereto Exceto Intento Invento Isento Junto Maldito Perfeito Rejeito Sujeito aflio ateno ao cano convico correo eleio ereo exceo inteno inveno iseno juno maldio perfeio rejeio sujeio

03. (FGV) Assinale a alternativa em que NO haja erro de grafia de palavras.a) canjica berinjela rubrica exceo necessidade b) geito monje beringela nterim pudico c) pajem excesso concincia pdico flagelo d) enchente rbrica monge aziago piscina e) qinqnio marrom pixao ascenso frceps

Aspergir asperso Verbos cujos radicais contm RG do origem a palavras com a letra s. Confira: Aspergir Convergir Repelir repulso Verbos cujos radicais contm PEL do origem a palavras com a letra s. Confira: Compelir Expelir Repelir compulso, compulsivo. expulso, expulso. repulso, repulsivo. asperso, aspersor. converso, conversor.

04. (FGV) Assinale a alternativa em que se tenha usado corretamente o porqu.a) Os perigos porque passamos fizeram-nos amadurecer. b) Porque todos vo ficar calados voc tambm vai ficar? c) No havia um por qu para a ausncia da equipe. d) Sem saber porque, todos ficaram atnitos. e) Eles no se manifestaram, porqu?

Discorrer discurso Verbos cujos radicais contm CORR do origem a palavras com a letra s. Confira: Concorrer concursado, concurso. Discorrer discurso, discursivo. Recorrer recurso, recursrio. Percorrer percurso. Pr e querer As formas dos verbos pr e querer cujo som de z so grafadas com a letra s. Confira 1. Pr: pus, puseste, pusemos, pusestes,

05. (FGV2004) Passando miditico-popular para o plural, teramos:a) b) c) d) e) miditicos-populares; miditicos-popular; miditico-populares; miditico-popular; miditicos populares.

2. Terminao -ter De verbos terminados em -ter provm palavras terminadas em -teno. Veja: Abster Conter Deter Manter Obter Reter absteno conteno deteno manuteno obteno reteno

14

Calendrio 2008

Aulas 01 a 70

Leitura obrigatria: Cinzas do Norte (romance) Milton Hatoum Budapeste (romance) Chico Buarque Leitura complementar: O humor do portugus (crnicas) Joo Batista Gomes DEVIA SER PROIBIDODevia ser proibido debochar de quem se aventura em lngua estrangeira. Certa manh, ao deixar o metr por engano numa estao azul igual dela, com um nome semelhante estao da casa dela, telefonei da rua e disse: a estou chegando quase. Desconfiei na mesma hora que tinha falado besteira, porque a professora me pediu para repetir a sentena. A estou chegando quase... Havia provavelmente algum problema com a palavra quase. S que, em vez de apontar o erro, ela me fez repeti-lo, repeti-lo, repeti-lo, depois caiu numa gargalhada que me levou a bater o fone. Ao me ver sua porta teve novo acesso, e quanto mais prendia o riso na boca, mais se sacudia de rir com o corpo inteiro. Disse enfim ter entendido que eu chegaria pouco a pouco, primeiro o nariz, depois uma orelha, depois um joelho, e a piada nem tinha essa graa toda. Tanto verdade que em seguida Kriska ficou meio triste e, sem saber pedir desculpas, roou com a ponta dos dedos meus lbios trmulos. Hoje porm posso dizer que falo o hngaro com perfeio, ou quase. Quando de noite comeo a murmurar sozinho, a suspeita de um ligeirssimo sotaque aqui e ali muito me aflige. Nos ambientes que freqento, onde discorro em voz alta sobre temas nacionais, emprego verbos raros e corrijo pessoas cultas, um sbito acento estranho seria desastroso. Para tirar a cisma s posso recorrer a Kriska, que tampouco muito confivel; a fim de me segurar ali comendo em sua mo, como talvez deseje, sempre me negar a ltima migalha. (Chico Buarque, Budapeste, pg. 5-6)

01. Assinale a alternativa em que as palavras so formadas pelo mesmo processo de metr (linha 3).a) b) c) d) e) abalo, saque, sarampo cinema, canto, forma aclarar, amanhecer, entardecer reler, sobrevir, entreter bem-te-vi, tiquetaque, zunzum

BUDAPESTE (personagens) Jos Costa (Zsoze Kosta): narrador; escritor annimo. Wanda: esposa de Jos Costa. Joaquinzinho: filho de Wanda e Jos Costa. lvaro Cunha: amigo de infncia e scio de Jos Costa. Kriska: ensina a Jos Costa o idioma magiar (hngaro). Kaspar Krabbe: alemo cuja biografia (O gingrafo), escrita por Jos Costa, faz sucesso.

15

ADALBERTO Prado e Silva et al. Dicionrio brasileiro da lngua portuguesa. So Paulo: Melhoramentos, 1975. ALMEIDA, Napoleo Mendes de. Dicionrio de questes vernculas. 3. ed. So Paulo: tica, 1996. _______. Gramtica metdica da lngua portuguesa 35. ed. So Paulo: Saraiva, 1988. AULETE, Caldas. Dicionrio contemporneo da lngua portuguesa. 4. ed. Atualizado por Hamlcar de Garcia. Rio de Janeiro: Delta, 1958. BECHARA, Evanildo. Lies de portugus pela anlise sinttica. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1960. _______. Gramtica portuguesa. 31. ed. So Paulo: Nacional, 1987 CEGALLA, Domingos Paschoal. Dicionrio de dvidas da lngua portuguesa. 2. impr. So Paulo: Nova Fronteira, 1996. _______. Novssima gramtica da lngua portuguesa. 30. ed. So Paulo: Companhia Editora Nacional, 1988. CUNHA, Celso; CYNTRA, Lindley. Nova gramtica do portugus contemporneo 3. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1985. GARCIA, Othon M. Comunicao em prosa moderna. 13. ed. Rio de Janeiro: Fundao Getlio Vargas, 1986. HOLANDA, Aurlio Buarque de. Novo dicionrio da lngua portuguesa. 2. ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. HOUAISS, Antnio. Pequeno dicionrio enciclopdico Koogan Larousse. 2. ed. Rio de Janeiro: Larousse do Brasil, 1979.

KURY, Adriano da Gama. Para falar e escrever melhor o portugus. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1989. MARTINS, Eduardo. Manual de redao e estilo. 3. ed. So Paulo: Moderna, 1997. SACCONI, Luiz Antonio. No erre mais. 19. ed. So Paulo: Atual, 1995. SEREBRENICK, Salomo. 70 Segredos da lngua portuguesa. Rio de Janeiro: Bloch, 1990.