Apostila Citologia 9 Ano Prof Luca

  • View
    12.580

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Apostila Citologia 9 Ano Prof Luca

  • Colgio Batista do Cariri 9 ano

    Apostila de Biologia Prof. Luis Carlos

    1

    APOSTILA

    DE

    BIOLOGIA

    9 ANO FUNDAMENTAL

    Prof. Luis Carlos

  • Colgio Batista do Cariri 9 ano

    Apostila de Biologia Prof. Luis Carlos

    2

    COMPOSIO QUIMICA DOS SERES VIVOS

    Todos os seres vivos so constitudos por substncias qumicas, que alm de form-lo, ainda permite sua manuteno. Os elementos qumicos que participam da composio da matria viva esto presentes tambm na matria bruta. Entretanto, nesta ltima, os tomos se dispem de forma mais simples e muitas vezes no chegam a formar molculas. o que acontece com substncias como o cloreto de sdio (NaCl sal de cozinha). Costuma-se classificar as substncias em dois grupos: as substncias inorgnicas e as substncias orgnicas. Esto includos no grupo dos inorgnicos a gua e os sais minerais; e fazendo parte das substncias orgnicas temos: as protenas, vitaminas, cidos nuclicos, carboidratos e lipdeos.

    Na natureza dos seres viventes, a gua o componente qumico que entra em maior quantidade, mas as substncias orgnicas predominam em variedade, pois grande o nmero de protenas, cidos nuclicos, lipdios e carboidratos diferentes que formam a estrutura das clulas e dos organismos. Sais minerais e vitaminas participam em doses pequenas, mas tambm desempenham papis importantes.

    O estudo da composio qumica dos organismos tem a sua maior parte fundamentada na bioqumica celular ou citoqumica. Afinal, os seres viventes tm a sua estrutura basicamente organizada e estabelecida na clula.

    PERCENTUAL DE SUBSTNCIAS NO ORGANISMO

    Principais elementos : Oxignio 65,0% Carbono 18,0% Hidrognio 10,0% Nitrognio 3,05 Subtotal 96,0%

    Principais Substncias

    Clcio (Ca) 1,80% Fsforo (P) 1,20% Potssio (K). 0,35% Enxofre (S) 0,25% Sdio (Na) 0,15% Cloro (Cl). 0,15% Magnsio (Mg) 0,05% Flor (F). 0,007% Ferro (Fe) 0,005% Subtotal 3,962% Outros(Zn,Br,Mn,Cu,I,Co) 0,038% TOTAL 100,00

    gua 65% Protenas 15% Lipdios 8% Carboidratos 6% Sais Minerais 5% Outros 1% TOTAL 100

  • Colgio Batista do Cariri 9 ano

    Apostila de Biologia Prof. Luis Carlos

    3

    1. COMPOSTOS INORGNICOS

    1.1. GUA

    POR QUE A GUA TO FUNDAMENTAL?

    Na verdade, ela um dos melhores solventes que existem na natureza; em outras palavras, dissolve uma infinidade de tipos de substncias. Grande parte das substncias dos seres vivos fica, ento, dissolvida na gua.

    Todo transporte de substncias tanto dentro das clulas (meio intracelular) como fora das clulas (meio extracelular) dependem da gua. Alimentos, gases da respirao, excretas, tudo isso se difunde nesse lquido e por ele carregado.

    A excreo (eliminao) de substncias que no so mais necessrias ao organismo e a produo de substncias que o corpo elimina de alguma forma so formadas, em sua grande maioria, usando-se gua. a base do sangue, da linfa, dos lquidos intersticiais nos tecidos e das secrees como a lgrima, o leite e o suor.

    A gua favorece a ocorrncia de reaes qumicas. As molculas nela dissolvidas ficam em constante movimento, podendo se encontrar e reagir quimicamente.

    O metabolismo depende sem dvida da gua. Em um nvel de organismo, a gua tem muita importncia na manuteno da temperatura de animais e plantas terrestres.

    A gua obtida atravs da ingesto de alimentos slidos ou pastosos, de lquidos e da prpria gua. Alguns animais nunca bebem gua, eles a obtm exclusivamente atravs dos alimentos.

    Ao fim das reaes qumicas de fabricao de protenas, glicdios e lipdios, bem como ao final do processo respiratrio e da fotossntese, ocorre a formao de molculas de gua.

    Por isso a quantidade de gua na clula proporcional

  • Colgio Batista do Cariri 9 ano

    Apostila de Biologia Prof. Luis Carlos

    4

    atividade celular, ou seja, varia de acordo com o metabolismo da clula. Quanto maior for sua atividade, maior a necessidade de gua.

    Nos tecidos muscular e nervoso, sua proporo de 70% a 80%, enquanto que no tecido sseo de cerca de 25%.

    Alm da atividade da clula ou tecido, a quantidade de gua em um organismo depende tambm da espcie considerada. Nos cnidrios (guas-vivas) a quantidade de gua pode chegar a 98%, nos moluscos (polvo) um pouco maior do que 80%, na espcie humana varia entre 60 e 70%.

    A proporo varia tambm com a idade do indivduo. Nos embries, a quantidade de gua maior do que nos adultos.

    1.2. SAIS MINERAIS

    Os sais minerais so substncias que auxiliam na regulao das atividades celulares e participam da formao de diversos componentes, sendo encontrados tanto nas clulas vivas quanto na natureza no-viva.

    Os sais tambm so usados como componentes de estruturas esquelticas: neste caso so pouco solveis em gua. o caso dos esqueletos das cascas de ovos, das carapaas de insetos e caranguejos.

    Eles so obtidos pela ingesto de gua e junto com alimentos como frutos, cereais, leite, peixes, etc.

  • Colgio Batista do Cariri 9 ano

    Apostila de Biologia Prof. Luis Carlos

    5

    FUNES DOS SAIS MINERAIS

    Tm participao nos mecanismos de regulao da quantidade de gua, estimulando a sada ou a entrada de gua dentro da clula. Quanto maior for a concentrao de sais, maior ser a quantidade de gua usada para dissolv-los, quanto menor for sua concentrao, menor ser sua necessidade de gua.

    A concentrao dos sais na clula determina o grau de densidade do material intracelular em relao ao meio extracelular.

    IMPORTNCIA DOS SAIS MINERAIS

    Os sais de ferro so importantes para a formao da hemoglobina. A deficincia de ferro no organismo causa um dos tipos de anemia.

    Os sais de iodo tm papel relevante na ativao da glndula tireide, cujos hormnios possuem iodo na sua frmula. A falta de sais de iodo na alimentao ocasiona o bcio.

    Os fosfatos e carbonatos de clcio participam na sua forma cristalina da composio da substncia intercelular do tecido sseo e do tecido conjuntivo da dentina. A carncia desses sais na alimentao implica no desenvolvimento anormal de ossos e dentes, determinando o raquitismo. Como ons isolados, os fosfatos e carbonatos atuam no equilbrio do pH celular.

    Os ons de sdio e potssio tm ativa participao na transmisso dos impulsos nervosos atravs dos neurnios.

    Os ons clcio atuam na contrao das fibras musculares e no mecanismo de coagulao sangnea.

    Os ons magnsio participam da formao da molcula de clorofila, essencial para a realizao da fotossntese.

    Os ons fsforo fazem parte da molcula do ATP (composto que armazena energia) e integra as molculas de cidos nuclicos (DNA e RNA).

    Os sais mais comuns na composio da matria viva so os cloretos, os carbonatos, os fosfatos, os nitratos e os sulfatos (de sdio, de potssio, de clcio, de magnsio e outros).

    Sdio: Sua concentrao na clula sempre menor do que a externa. As membranas celulares expulso constantemente o sdio que tende a penetrar na clula.

    Potssio: Inversamente ao sdio, mais abundante dentro das clulas do que fora delas. Sdio e potssio se relacionam com fenmenos de conduo nervosa.

  • Colgio Batista do Cariri 9 ano

    Apostila de Biologia Prof. Luis Carlos

    6

    Clcio: Necessrio para ao de certas enzimas, como na coagulao, por exemplo.

    Magnsio: Presente na clorofila, portanto necessrio ao processo de fotossntese.

    Ferro: Presente na hemoglobina, que transporta o oxignio. Faz parte dos citocromos, substncias importantes que participam do processo de respirao celular.

    TABELA DE SAIS MINERAIS

    Sal mineral Funo Sua falta provoca Fontes Clcio Atua na formao de

    tecidos, ossos e dentes; age na coagulao do sangue e na oxigenao dos tecidos; combate as infeces e mantm o equilbrio de ferro no organismo

    Deformaes sseas; enfraquecimento dos dentes

    Queijo, leite, nozes, uva, cereais integrais, nabo, couve, chicria, feijo, lentilha, amendoim, castanha de caju

    Fsforo Atua na formao de ossos e dentes; indispensvel para o sistema nervoso e o sistema muscular; junto com o clcio e a vitamina D, combate o raquitismo

    Maior probabilidade de ocorrncia de fraturas; msculos atrofiados; alteraes nervosas; raquitismo

    Carnes, midos, aves, peixes, ovo, leguminosas, queijo, cereais integrais

    Ferro Indispensvel na formao do sangue; atua como veiculador do oxignio para todo o organismo

    Anemia Fgado, rim, corao, gema de ovo, leguminosas, verduras, nozes, frutas secas, azeitona

    Iodo Faz funcionar a glndula tireide; ativa o funcionamento cerebral; permite que os msculos armazenem oxignio e evita que a gordura se deposite nos tecidos

    Bcio; obesidade, cansao

    Agrio, alcachofra, alface, alho, cebola, cenoura, ervilha, aspargo, rabanete, tomate, peixes, frutos do mar vegetais

  • Colgio Batista do Cariri 9 ano

    Apostila de Biologia Prof. Luis Carlos

    7

    Cloro Constitui os sucos gstricos e pancreticos

    difcil haver carncia e cloro, pois existe em quase todos os vegetais; o excesso de cloro destri a vitamina E e reduz a produo de iodo

    Potssio Atua associado ao sdio, regularizando as batidas do corao e o sistema muscular; contribui para a formao as clulas

    Diminuio da atividade muscular, inclusive a do corao

    Azeitona verde, ameixa seca, ervilha, figo, lentilha, espinafre, banana, laranja, tomate, carnes, vinagre de ma, arroz integral

    Flor Forma ossos e dentes; previne dilatao das veias, clculos da vescula e paralisia

    A necessidade de flor muito pequena; ele recomendado apenas para gestantes para crianas durante a formao da segunda dentio

    Agrio, alho, aveia, brcolis, beterraba, cebola, couve-flor, ma, trigo integral

    Sdio Impede o endurecimento d