Anti-doping e Doping Genetico

  • View
    101

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Anti-doping e Doping Genetico. RAFAEL C. GEISS SANTOS R1 MEDICINA ESPORTIVA 14/09/2012. Introducao. O que e doping ? Como e quando se avalia ? Quais substancias ? De quem e a culpa? Por quanto tempo? Uso terapeutico ? Novos metodos de doping Etc…. COI. - PowerPoint PPT Presentation

Text of Anti-doping e Doping Genetico

Anti-doping e Doping Genetico

Anti-doping e Doping GeneticoRAFAEL C.GEISS SANTOSR1 MEDICINA ESPORTIVA14/09/2012IntroducaoO que e doping?Como e quando se avalia?Quais substancias?De quem e a culpa?Por quanto tempo?Uso terapeutico?Novos metodos de dopingEtcCOIThe International Olympic CommitteeAnti-Doping Rulesapplicable to the Games of the XXX Olympiad,London 2012

Artigo 2 do Cdigo se aplica a determinar a violao das regras antidopagem, com as seguintes alteraes:(A) Posse de Substncias e Mtodos Proibidos(A.1) posse por um atleta de uma substncia proibida ou de um mtodo proibido, a menos que o Atleta estabelece que a posse decorre de uma iseno para uso teraputico concedido em conformidade com o artigo 3.2 (Uso Teraputico) (A.2) A posse de uma substncia proibida ou de um mtodo proibido pela equipe do Atleta,Pessoal em conexo com um atleta, competio ou treinamento, a menos que o Atleta ou Pessoal de Apoio estabelea que a posse decorra do Uso Teraputico.

A Lista Proibida

Publicao, incorporao e Reviso da Lista de Substncias ProibidasEstas normas incorporam a Lista Proibida publicada pela WADA de acordo com o artigo 4.1 do Cdigo em vigor durante o perodo do Jogos Olmpicos de Londres.Os CONs so responsveis por garantir que suas delegaes, incluindo os seus atletas, so cientes da Lista de Substncias Proibidas. A ignorncia da Lista de Substncias Proibidas no constitui qualquer desculpa qualquer para qualquer participante a qualquer ttulo, Jogos Olmpicos de Londres.

Uso Teraputico

A Comisso Mdica do COI nomear uma comisso de pelo menos trs mdicos (o "TUEC") WADA, a pedido de um atleta, o COI ou por sua prpria iniciativa, poder rever a concesso ou negao de qualquer TUE a um atleta. Se a WADA determina que a concesso ou negao de uma TUE no cumpriu com o Padro Internacional para Iseno de Uso Teraputico ento a AMA poder reverter essa deciso. As decises sobre TUE esto sujeitos a novo recurso, tal como previsto no artigo 11.

Seleo de atletas a serem testadosO COI, em consulta com o LOCOG e as respectivas federaes internacionais, determina o nmero de testes a serem realizados durante o Perodo do Jogos Olmpicos de Londres.Uma quantidade significativa de testes devem ser alvo de teste e de outros testes sero determinados por sorteio.

Anlise de amostras

Armazenamento de amostras e anlise de amostras em atraso devem ser armazenados de forma segura no laboratrio ou de outra forma dirigido pelo COI e pode ser estudada. Conformidade com o artigo 17 do Cdigo, a propriedade das amostras investido no COI por oito anos. Durante este perodo, o COI ter o direito de re-analisar as amostras, sendo certo que as normas internacionais, como eles podem ser alterados ao longo do tempo, aplicvel, se necessrio. Qualquer violao da regra anti-doping descoberto como um resultado da mesma deve ser tratado de acordo com essas regras.

Aps este perodo de oito anos, e desde que o atleta tenha dado a sua / seu consentimento por escrito, no momento da coleta das amostras, a propriedade das amostras devem ser transferidas para o laboratrio para fins de pesquisa, desde que todos os meios de identificao dos atletas sero removidos e destrudos e que a prova desta destruio deve ser fornecida ao COI.

Notificar atleta ou outras pessoas interessadas da violao da regra anti-doping:O presidente do COI ou uma pessoa por ele designada deve notificar imediatamente o Atleta ou outra pessoa em causa, os Atleta ou outra pessoa chefe de misso, a Federao Internacional em causa e um representante do Programa de Observadores Independentes de:a) o resultado analtico adverso;b) o direito do atleta de solicitar a anlise da amostra B ou, na falta desse pedido, que a anlise da amostra B pode ser considerada renncia;c) da data prevista, hora e local para a anlise da amostra B, se o atleta optar por solicitar uma anlise da Amostra B ou se o COI escolhe ter a amostra B analisada;d) o direito do atleta e / ou representante do atleta para participar da abertura da amostra B e anlise se tal anlise for solicitada;e) O direito do atleta de solicitar cpias do pacote de laboratrio A e B da amostra, que inclui informaes como exigido pela Norma Internacional para Laboratrios;

Exerccio do direito de ser ouvido:

The World Anti-Doping Code THE 2012 PROHIBITED LIST INTERNATIONAL STANDARD

SUBSTANCES AND METHODS PROHIBITED AT ALL TIMES(IN- AND OUT-OF-COMPETITION)S0. NON-APPROVED SUBSTANCESS1. ANABOLIC AGENTSAnabolic Androgenic Steroids (AAS)Endogenous** AAS when administered exogenouslyOther Anabolic Agents, including but not limited to:Clenbuterol, selective androgen receptor modulators (SARMs), tibolone, zeranol, zilpaterol.

S2. PEPTIDE HORMONES, GROWTH FACTORS AND RELATED SUBSTANCES1. Erythropoiesis-Stimulating Agents [e.g. erythropoietin (EPO), darbepoetin (dEPO), hypoxia-inducible factor (HIF) stabilizers, methoxy polyethylene glycol-epoetin beta (CERA), peginesatide (Hematide)];2. Chorionic Gonadotrophin (CG) and Luteinizing Hormone (LH) in males;3. Insulins;4. Corticotrophins;5. Growth Hormone (GH), Insulin-like Growth Factor-1 (IGF-1), Fibroblast Growth Factors (FGFs), Hepatocyte Growth Factor (HGF), Mechano Growth Factors (MGFs), Platelet-Derived Growth Factor (PDGF), Vascular-Endothelial Growth Factor (VEGF)

S3. BETA-2 AGONISTSexcept salbutamol (maximum 1600 micrograms over 24 hours), formoterol (maximum 36 micrograms over 24 hours) and salmeterol when taken by inhalation in accordance with the manufacturers recommended therapeutic regime.S4. HORMONE AND METABOLIC MODULATORSS5. DIURETICS AND OTHER MASKING AGENTS

PROHIBITED METHODS

M1. ENHANCEMENT OF OXYGEN TRANSFER1. Blood doping, including the use of autologous, homologous or heterologous blood or red blood cell products of any origin.2. Artificially enhancing the uptake, transport or delivery of oxygen, including, but not limited to, perfluorochemicals, efaproxiral (RSR13) and modified haemoglobin products (e.g. haemoglobin-based blood substitutes, microencapsulated haemoglobin products), excluding supplemental oxygen.

M2. CHEMICAL AND PHYSICAL MANIPULATION1. Tampering, or attempting to tamper, in order to alter the integrity and validity of Samples collected during Doping Control is prohibited. These include but are not limited to urine substitution and/or adulteration (e.g. proteases).2. Intravenous infusions and/or injections of more than 50 mL per 6 hour period are prohibited except for those legitimately received in the course of hospital admissions or clinical investigations.3. Sequential withdrawal, manipulation and reintroduction of any quantity of whole blood into the circulatory system.

M3. GENE DOPINGThe following, with the potential to enhance sport performance, are prohibited:1. The transfer of nucleic acids or nucleic acid sequences;2. The use of normal or genetically modified cells.

SUBSTANCES AND METHODSPROHIBITED IN-COMPETITIONS6. STIMULANTSS7. NARCOTICSS8. CANNABINOIDSS9. GLUCOCORTICOSTEROIDS

SUBSTANCES PROHIBITED IN PARTICULAR SPORTSSUBSTANCES PROHIBITED IN PARTICULAR SPORTSP1. ALCOHOLAlcohol (ethanol) is prohibited In-Competition only, in the following sports. Detection will be conducted by analysis of breath and/or blood. The doping violation threshold (haematological values) is 0.10 g/L. Aeronautic (FAI) Archery (FITA) Automobile (FIA) Karate (WKF) Motorcycling (FIM) Powerboating (UIM)

P2. BETA-BLOCKERSUnless otherwise specified, beta-blockers are prohibited In-Competition only, in the following sports. Aeronautic (FAI) Archery (FITA) (also prohibited Out-of-Competition) Automobile (FIA) Billiards (all disciplines) (WCBS) Boules (CMSB) Bridge (FMB) Darts (WDF) Golf (IGF) Ninepin and Tenpin Bowling (FIQ) Powerboating (UIM) Shooting (ISSF, IPC) (also prohibited Out-of-Competition) Skiing/Snowboarding (FIS) in ski jumping, freestyle aerials/halfpipe and snowboard halfpipe/big air

Gene Doping

Recentes avanos biotecnolgicos permitiram a manipulao de seqncias genticas para o tratamento de diversas doenas, em um processo chamado de terapia de gene/gentica.No entanto, o avano da terapia gentica, abriu a porta para a possibilidade de utilizar a manipulao gentica (GM), para melhorar o desempenho atltico.Em "doping gentico" , sequncias genticas exgenas so inseridos em um tecido especfico, alterando a atividade do gene celular ou que conduzam expresso de um produto protico.

Os genes exgenos com maior probabilidade de ser utilizados para a dopagem de genes incluem a eritropoietina (EPO), factor de crescimento endotelial vascular (VEGF), insulina como factor de crescimento de tipo 1 (IGF-1), os antagonistas da miostatina e endorfina.No entanto, muitos outros genes poderiam tambm ser utilizados, tais como os envolvidos nas vias metablicas da glicose.

Porque o doping gentico seria muito difcil de detectar, inerentemente muito atraente para aqueles que buscam vencer a todo custo.

No passado, o doping e trapaa no esporte foram habilitados por avanos na farmacologia e fisiologia. Agora, os avanos na gentica molecular tm dado origem ao potencial de melhorar vrias caractersticas humanas, incluindo o desempenho esportivo com o uso da tecnologia GMA expresso gentica regulada principalmente por dois mecanismos principais: a) mudanas na estrutura do DNA e b) o controle direto sobre os processos de transcrio e traduo.

Atravs epigentica, o grau de transcrio de genes alterada, sem alteraes na sequncia de ADN Tambm de grande importncia, as mutaes promovem alteraes na sequncia de nucleotdeos do gene e podem inviabilizar o processo de transcrio, ou gerar um novo produto, diferente do originalO segundo mecanismo composto de molculas de repressao e inducao, fatores de transcrio, intensificadores e modificadores ps-transcricionaisAssim, algumas alteraes no processo regulador pode resultar num aumento ou dim