of 14 /14
9/18/2010 1 ROTINAS DE TRABALHO PROCEDIMENTOS NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade NR10: 10.11 Procedimentos de Trabalho 10.11.1 Os serviços em instalações elétricas devem ser PLANEJADOS e realizados em conformidade com procedimentos de trabalho específicos, PADRONIZADOS, com descrição detalhada de cada tarefa, passo a passo, assinados por profissional que atenda ao que estabelece o item 10.8 desta NR. Serviços em Instalações Elétricas Planejados Conformidade com Procedimentos de trabalho específicos Padronizados Descrição Detalhada 10.11.1 Um aspecto importante é que o procedimento técnico não é mais separado do procedimento de segurança.

a08s01 - Rotinas

Embed Size (px)

Text of a08s01 - Rotinas

Page 1: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

1

ROTINAS DE TRABALHOPROCEDIMENTOS

NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade

NR10: 10.11 Procedimentos de Trabalho

10.11.1

Os serviços em instalações elétricas devem serPLANEJADOS e realizados em conformidade comprocedimentos de trabalho específicos,PADRONIZADOS, com descrição detalhada decada tarefa, passo a passo, assinados porprofissional que atenda ao que estabelece o item10.8 desta NR.

Serviços em Instalações Elétricas

Planejados

Conformidade com

Procedimentos de trabalho específicos

Padronizados

Descrição Detalhada

10.11.1

Um aspecto importante é que o procedimentotécnico não é mais separado do procedimento desegurança.

Page 2: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

2

10.11.2

Os serviços em instalações elétricas devem serprecedidos de ordens de serviço especificas,aprovadas por trabalhador autorizado, contendo,no mínimo, o tipo, a data, o local e as referênciasaos procedimentos de trabalho a serem adotados.

a08.1 - OS.pdf

10.11.3

Os procedimentos de trabalho devem conter, nomínimo, objetivo, campo de aplicação, base técnica,competências e responsabilidades, disposiçõesgerais, medidas de controle e orientações finais.

Objetivo:

• Alvo que sepretendeatingir

Campo de aplicação:

• Limite ousituação para oemprego dodocumento

Base técnica:

• Fundamentaçãoe embasamentotécnico adotado

Competências e responsabilidades:

• Indicação das atribuiçõese responsabilidades emtodos os níveis envolvidos

Disposições gerais:

• Distribuição organizadados assuntos tratados nodocumento

Medidas de controle:

• Coletivo das ações estratégicas deprevenção destinadas a eliminar ou reduzir,sob controle, as incertezas com capacidadepotencial para causar lesões ou danos àsaúde dos trabalhadores e ao patrimônio,na atividade e ambiente objeto da análise.

a08.1 - Procedimento.pdf

10.11.4

Os procedimentos de trabalho, o treinamento desegurança e saúde e a autorização de que trata oitem 10.8 devem ter a participação em todoprocesso de desenvolvimento do ServiçoEspecializado de Engenharia de Segurança eMedicina do Trabalho - SESMT, quando houver.

10.11.5

A autorização referida no item 10.8 deve estar emconformidade com o treinamento ministrado,previsto no Anexo II desta NR.

Page 3: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

3

10.11.6

Toda equipe deverá ter um de seus trabalhadoresindicado e em condições de exercer a supervisão econdução dos trabalhos.

10.11.7

Antes de iniciar trabalhos em equipe os seusmembros, em conjunto com o responsável pelaexecução do serviço, devem realizar: Uma avaliação prévia; Estudar; e Planejar as atividades e ações a serem desenvolvidas

no local, de forma a atender os princípios técnicos básicos e

as melhores técnicas de segurança aplicáveis aoserviço.

10.11.8

A alternância de atividades deve considerar aanálise de riscos das tarefas e a competência dostrabalhadores envolvidos, de forma a garantir asegurança e a saúde no trabalho.

NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade

Rotinas de trabalho – Procedimentos

Rotinas de trabalho – Procedimentos

Instalações desenergizadas; Liberação para serviços; Sinalização; Inspeções de áreas, serviços, ferramental e

equipamento;

Instalações desenergizadas

Page 4: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

4

Objetivo

Definir procedimentos básicos para execução deatividades/trabalhos em sistema e instalaçõeselétricas desenergizadas.

Campo de aplicação

Aplica-se às áreas envolvidas direta ouindiretamente no planejamento, programação,coordenação e execução das atividades, no sistemaou instalações elétricas energizadas.

NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade

Conceitos Básicos

Impedimento de equipamento

Isolamentos elétricos do equipamento ouinstalação, eliminando a possibilidade deenergização indesejada, indisponibilizando àoperação enquanto permanecer a condição deimpedimento.

Desenergização

Responsável pelo serviço

Empregado da empresa ou de terceirizada queassume a coordenação e supervisão efetivados trabalhos.

É responsável pela viabilidade da execuçãoda atividade e por todas as medidasnecessárias à segurança dos envolvidos naexecução das atividades, de terceiros, e dasinstalações.

PES – Pedido para Execução de Serviço

Documento emitido para solicitar a áreafuncional responsável pelo sistema ou instalação,o impedimento de equipamento, sistema ouinstalação, visando a realização de serviços.

Page 5: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

5

AES – Autorização para Execução de Serviço

É a autorização fornecida pela área funcional,ao responsável pelo serviço, liberando eautorizando a execução dos serviços.

A AES é parte integrante do documentoPES.

Desligamento programado

Toda interrupção programada dofornecimento de energia elétrica, deve sercomunicada aos clientes afetadosformalmente com antecedência contendo:Data;Horário;Duração pré-determinados do desligamento.

Desligamento de emergência

Interrupção do fornecimento de energiaelétrica sem aviso prévio aos clientesafetados, se justifica por motivo de forçamaior.

Bairro do Valentina – jul/2010

Page 6: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

6

Interrupção momentânea

Toda interrupção provocada pela atuação deequipamentos de proteção com religamentoautomático.

Interrupção momentânea???

O sistema de distribuição de energia elétrica estásujeito a perturbações de várias origens tais como: Sobretensões Descargas atmosféricas Comutação (maquinas de grande potência ou Manobras

e/ou defeitos na alimentação elétrica) Problemas mecânicos na rede; Problema de natureza térmica; Atos de vandalismo; e Curto-circuito.

Religadores

Por sua versatilidade podem proporcionarreligamentos automáticos dando maiorversatilidade ao sistema elétrico. Maior continuidade; Grande parte dos defeitos serem temporários

(fortuitos).

Estudos estatísticos revelam que cerca de 96% dos curtoscircuitos são temporários e que são eliminados quase queem sua totalidade no primeiro religamento.

Estes defeitos têm como causa os seguintes agentes: Umidade; Galhos de árvores; Fauna; Fortes ventos; Salinidade; Contaminação dos isoladores; Sobretensões na rede que podem romper o isolamento causando

a ionização do ar, provocando o arco-elétrico dando origem acurtos-circuitos.

video

0055.avi

NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade

Procedimentos gerais de segurança

Page 7: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

7

Procedimentos gerais de segurança

Todo serviço deve ser planejadoantecipadamente e executado por equipesdevidamente treinadas e autorizadas deacordo com a NR-10.

Procedimentos gerais para serviços programados

O empregado que coordenar a execução dasatividades/trabalhos em sistema e instalações elétricasdesenergizadas, terá como responsabilidades: Apresentar os projetos a serem analisados, com os

respectivos estudos de viabilidade, tempo necessário paraexecução das atividades/trabalhos;

Definir os recursos materiais e humanos para cumprimentodo planejado;

Entregar os projetos que envolverem alteração deconfiguração do sistema e instalações elétricas à áreafuncional responsável.

Emissão do PES

Deverá ser emitido para cada serviço, quando deimpedimentos distintos.

Quando houver dois ou mais serviços que envolvam omesmo impedimento: Apenas um PES; Emitido um para cada responsável.

Etapas de Programação

Elaboração da Manobra Programada

Data, horário previsto para inicio e fim do serviço;

Descrição sucinta da atividade;

Nome do responsável pelo serviço;

Dados dos clientes interrompidos, área ou linha

de produção;

Trecho elétrico a ser desligado, identificado por

pontos significativos;

Seqüência das manobras necessárias para garantir a

ausência de tensão no trecho do serviço e a

segurança nas operações;

Seqüência de manobras para retorno à situação

inicial;

Divulgação do desligamento programado,

aos envolvidos;

As áreas/clientes afetados pelo desligamento

programado devem ser informadas com

antecedência da data do desligamento.

Etapas de Programação

Aprovação do PES Procedimentos Gerais

Caso o responsável pelo serviço não esteja de posse doPES/AES, a área funcional responsável não autorizará aexecução do desligamento.

O impedimento do equipamento/instalação depende dasolicitação direta do responsável pelo serviço à áreafuncional responsável, devendo este já se encontrar nolocal onde serão executados os serviços.

Etapas de Programação

Procedimentos Gerais Para todo PES deverá ser gerada uma Ordem de Serviço –

OS. A área funcional responsável autorizará o início da

execução da atividade após confirmar com o responsávelpelo serviço, os dados constantes no documento em campo,certificando-se de sua igualdade.

Após a conclusão das atividades e liberação doresponsável pelo serviço, a área funcional responsável,coordenará o retorno à configuração normal deoperação, retirando toda a documentação vinculada àexecução do serviço.

Page 8: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

8

Etapas de Programação

Procedimentos Gerais Caso haja mais de uma equipe trabalhando em um

mesmo trecho, a normalização somente poderá serautorizada pela área funcional responsável após aliberação do trecho por todos os responsáveis.

Nos casos em que os serviços não forem executados ouexecutados parcialmente conforme a programação, oresponsável pelo serviço deverá comunicar à área funcionalresponsável, para adequação da base de dados ereprogramação dos serviços.

Serviços de Emergência

Registro de Reclamação no Callcenter Callcenter área funcional responsável Envio de equipe para o local Informações:

O motivo do impedimento; O nome do solicitante e do responsável pelo serviço; Descrição sucinta e localização das atividades a serem

executadas; Tempo necessário para a execução das atividades; Elemento a ser impedido.

Etapas de Programação

Procedimentos para serviços de emergência A área funcional responsável deverá gerar uma Ordem de

Serviço – OS e comunicar, sempre que possível, os clientesafetados.

Após a conclusão dos serviços e conseqüente liberação dosistema por parte do responsável pelo serviço, à áreafuncional responsável coordenará o retorno à configuraçãonormal de operação, retirando toda a documentaçãovinculada à execução do serviço.

Liberação para serviços

Objetivo

Definir procedimentos básicos para liberação daexecução de atividades/trabalhos em circuitos einstalações elétricas desenergizadas.

Campo de Aplicação

Aplica-se às áreas envolvidas direta ouindiretamente no planejamento, programação,liberação, coordenação e execução de serviços nosistema ou instalações elétricas.

Page 9: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

9

NR-10 - Segurança em Instalações e Serviços com Eletricidade

Conceitos Básicos

Falha

Irregularidade total ou parcial em umequipamento, componente da rede ou instalação,com ou sem atuação de dispositivos de proteção,supervisão ou sinalização, impedindo que omesmo cumpra sua finalidade prevista em caráterpermanente ou temporário.

Defeito

Irregularidade em um equipamento ou componentedo circuito elétrico, que impede o seu corretofuncionamento, podendo acarretar suaindisponibilidade.

Interrupção

Programada Interrupção no fornecimento de energia elétrica por

determinado espaço de tempo, programado e com prévio aviso aos clientes envolvidos.

Não Programada Interrupção no fornecimento de energia elétrica sem

prévio aviso aos clientes.

Procedimentos gerais

Definição das equipes e dos recursos alocadosserão considerados todos os aspectos, tais como: comprimento do circuito; dificuldade de acesso; período de chuvas; existência de cargas; e clientes especiais.

Procedimentos gerais

Definição e liberação dos serviços, serãoconsiderados: os pontos estratégicos dos circuitos; tipo de defeito; tempo de restabelecimento; importância do circuito; comprimento do trecho a ser liberado; cruzamento com outros circuitos; seqüência das manobras necessárias para liberação

dos circuitos envolvidos.

Page 10: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

10

Procedimentos gerais

Antes de iniciar qualquer atividade o responsávelpelo serviço deve reunir os envolvidos naliberação e execução da atividade e: Certificar-se de que os empregados envolvidos na

liberação e execução dos serviços estão munidos detodos os EPI’s necessários;

Explicar aos envolvidos as etapas da liberação dosserviços a serem executados e os objetivos a seremalcançados;

Procedimentos gerais

Transmitir claramente as normas de segurançaaplicáveis, dedicando especial atenção à execuçãodas atividades fora de rotina;

Certificar de que os envolvidos estão conscientes doque fazer, onde fazer, como fazer, quando fazer eporque fazer.

Sinalização

Sinalização de segurança

A sinalização de segurança consiste numprocedimento padronizado destinado a: Orientar; Alertar; Avisar; e Advertir

Pessoas quanto aos riscos ou condições de perigoexistentes, proibições de ingresso ou acesso ecuidados e identificação dos circuitos ou parte dele.

Placas

Destinada advertir aspessoas quanto aoperigo de ultrapassaráreas delimitadasonde haja apossibilidade dechoque elétrico,devendo ser instaladaem caráterpermanente.

Placas

Destinada a advertirpara o fato doequipamento emreferência, mesmoestando no interior daárea delimitada paratrabalhos, encontrar-seenergizado.

Page 11: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

11

Placas

Destinada a alertarquanto a possibilidadede exposição a ruídoexcessivo e partesvolantes, quando departida automática degrupos auxiliares deemergência.

Placas

Destinada a advertirquanto ao perigo deexplosão, quando docontato de fontes decalor com os gasespresentes em salas debaterias e depósitos deinflamáveis, devendo amesma ser afixada nolado externo.

Placas

Destinada a alertarquanto àobrigatoriedade douso de determinadoequipamento deproteção individual.

Placas

Destinada a alertarquanto a necessidadedo acionamento dosistema de exaustãodas salas de bateriasantes de se adentrar,para retirada depossíveis gases nolocal.

Placas

Destinada a alertar aOperação,Manutenção eConstrução quanto anecessidade deespera de um tempomínimo para fazer oAterramento MóvelTemporário de formasegura e iniciar osserviços.

Placas

Advertir terceirosquanto aos perigos dechoque elétrico nasinstalações dentro daárea delimitada.

Instalada nos muros ecercas externas dassubestações.

Page 12: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

12

Placas

Advertir terceirospara não subir,devido ao perigoda alta tensão.

Instaladas em torres,pórticos e postes desustentação decondutoresenergizados

Identificação de circuitos elétricos

Delimitações de Segurança Sinalização de impedimento de energização

Identificação de equipamento ou circuito impedido.

Inspeções de áreas,serviços, ferramental e equipamento

Page 13: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

13

Objetivo

Vigilância e controle das condições de segurança domeio ambiente laboral;

Identificação de situações “perigosas” e “riscos” àintegridade física dos empregados, contratados,visitantes e terceiros que adentrem a área de risco,evitando assim que situações previsíveis possam levara ocorrência de acidentes.

Inspeções gerais

Realizadas anualmente, com o apoio dosprofissionais do SESMT e Supervisores das áreasenvolvidas.

Estas inspeções atingem a empresa como um todo. Algumas empresas já mantêm essa inspeção sob o

título de "auditoria", uma vez que é sistemática,documentada e objetiva.

Inspeções parciais

Realizadas nos setores seguindo um cronogramaanual com escolha pré-determinada ou aleatória.

Quando se usam critérios de escolhas, estes estãorelacionados com o grau de risco envolvido e comas características do trabalho desenvolvido naárea.

São as inspeções mais comuns, atendem àlegislação e podem ser feitas por cipeiros no seupróprio local de trabalho.

Inspeções periódicas

Realizadas com o objetivo de manter aregularidade para uma rastreabilidade ou estudocomplementar de possíveis incidentes.

Estão ligadas ao acompanhamento das medidasde controle sugeridas para os riscos da área. Sãoutilizadas nos setores de produção e manutenção.

Inspeções por denúncia

Através de denúncia anônima ou não, pode-sesolicitar uma inspeção em local onde há riscos deacidentes ou agentes agressivos a saúde e meioambiente.

Deve-se ainda efetuar levantamento detalhado sobre oque de fato está acontecendo, buscando informaçõesadicionais junto à: fabricantes, fornecedores, SESMT esupervisor da área onde a situação ocorreu.

Detectado o problema, cabe aos responsáveisimplementar medida de controle e acompanhar suaefetiva implantação.

Inspeções cíclicas

Realizadas com intervalos de tempo pré-definidos,uma vez que exista um parâmetro que norteie essesintervalos.

Exemplo: as inspeções realizadas no verão, ondeaumenta as atividades nos segmentos operacionais.

Page 14: a08s01 - Rotinas

9/18/2010

14

Inspeções de rotina

Realizadas em setores onde há a possibilidade deocorrer incidentes/acidentes.

Esta inspeção não pode ser duradoura, ou seja, àmedida que os problemas forem regularizados, ointervalo entre as inspeções será maior até que setorne periódico.