A Import¢ncia do Gerenciamento de Processos e da ... PIM 424/2016-MP/MF/CGU IN 02/2017-MP Novo

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of A Import¢ncia do Gerenciamento de Processos e da ... PIM 424/2016-MP/MF/CGU IN 02/2017-MP Novo

A Importncia do Gerenciamento de Processos e da Integridade para o

Resgate da Confiana no Servio Pblico

8.516 milhes de km

207,7 milhes de habitantes

(2016)

5 regies e 5.670 municpios

com realidades e necessidades

distintas

Diferentes nveis de maturidade na

gesto pblica

Vrias instncias de controle

Voc sabe o que so as Transferncias Voluntrias?

Sociedade Estado

Situao Encontrada: problemas complexos

Moderada transparncia

Baixa confiana Muitos atores

Interesses muito distintos

Necessidades muito diferenciadas

Falta de compliance

Baixa padronizao de processos

Muitas interferncias

Muita burocracia

Transio pra qu?

O que queremos alcanar?

Maior Transparncia

Governana efetiva

Compliance plena

Padronizao dos processos

Menos burocracia

Resposta s diferentesnecessidades

Resgate da confiana

Olhar voltado ao cidado e

suas necessidades

Fomento governana

colaborativa

Aumento da maturidade na

gesto pblica

Promoo da melhoria do

gasto pblico

Gerao de resultados para a

sociedade

O que queremos?

Governana

Gesto melhorada

Efetiva implementao

dos instrumentos

Melhor prestao de

servios

Melhores resultados

GOVERNANA COLABORATIVA

Processo de gerao de valor pblico, a partir de

capacidades e relacionamentos institucionais voltados

para o desempenho

Fonte: (Martins e Marini, 2010)

CAPACIDADE DE GOVERNANA

Gesto o conjunto de mecanismos que controla a execuo dos processos no dia a dia - controla tarefas executivas..

Governana no controla diretamente tarefas executivas. Controla se h controles sobre as tarefas executivas, monitorando-os e adotando medidas corretivas sob certas situaes de risco (pr-definidas). Controla se h gestores fazendo as coisas certas nos lugares certos (para que os processos gerem os resultados esperados) e monitora esses controles, de acordo com os riscos.

(Cristiano Heckert, 2017)

15

Gesto x Governana

Fonte: Referencial bsico de governana do TCU (2014) 15

Mais que mudar regras, preciso mudar comportamentos

Liderana

Competncias

Prontido para atuar

Potencial de atuao

Desenho Institucional

Foco no Cidado

Autonomia com Responsabilidade

Integridade e Transparncia

Estruturas e Oramentos

viveis

Gesto de Desempenho e

Riscos

Efetividadenos Gastos

17

17

Princpios para a boa governana pblica

Integridade e valores ticos

Competncia das pessoas da entidade

Estilo operacional da organizao

Aspectos relacionados com a gesto

Forma de atribuio da autoridade e responsabilidade.

Ambiente De ControleAspectos Importantes

Intergridade fazer o certo, mesmo que ningum esteja vendo. (Jim Stovall)

O que vive com integridade, e pratica a justia, e, de corao, fala a verdade.

(Salmos 15:1-2) .

TRATAMENTO DA EPIDEMIA DA CORRUPOFrentes que devem coexistir e terem inovaes

V A C I N AATIVAR ANTI-CORPOS

Preveno Primria/Fator Humano- Formao de sociedade ntegra, intolerante corrupo e

agente de mudana.

U T IJ U S T I A

Represso/Responsabilizao proporcional ao dano e

A M B U L AT R I OCONTROLE INTERNO,

EXTERNO E SOCIALControle de deteco de desvios

de recursos pblicos.

A probidade, eficincia e capacidade de inovar das instituies para melhor atender ao interesse pblico

depende necessariamente do grau de comprometimento e integridade das pessoas que dela

fazem parte.

P E S S O A SNTEGRAS E PROATIVAS

I N S T I T I T U I E SEFICIENTES E INOVADORAS +

Cidadosntegros,

accountablee vigilantes

Instituieseficientes, confiveis,

Transparentes e responsivas

Terrenofavorvel

paraEmpreender

EmpregoDignidadePoupanaConsumo

Eleva receitamelhora

educao, servios

essenciais e infraestrutura

Identificao de Eventos

Eventos

ImpactosNegativos

ImpactosPositivos

Riscos

Oportunidades

A Gesto de Riscos Operacionais

um dos principais fatores para a

sobrevivncia de qualquer entidade

pblica ou privada.

Rede SICONVGesto Compartilhada de Riscos

Rede SICONVGesto Compartilhada de Riscos

Risco Operacional definido como a possibilidade de ocorrncia de perdasresultantes de falha, deficincia ou inadequao de processos internos, pessoas esistemas, ou de eventos externos. Inclui:

o risco legal associado inadequao;

deficincia dos instrumentos firmados pelas entidades;

sanes em razo de descumprimento de dispositivos legais;

indenizaes por danos a terceiros decorrentes das atividades desenvolvidas

pelas entidades

Seguindo as melhores prticas de governana foram adotadas as seguintes iniciativas para mitigao dos Riscos Operacionais (2015-2016) :

Revisar normas com foco:

Simplificao operacional;

Controle de resultados;

Reduo dos custos;

Melhoria da gesto financeira dos recursos;

Reduo dos prazos no ciclo de vida dos instrumentos.

Mapear e redesenhar os processos de trabalho;

Elaborar modelo relacionamento/contratao padro com mandatrias para toda APF;

Revisar modelo de relacionamento com instituies financeiras com foco na ampliaoda transparncia.

Rede SICONVGesto Compartilhada de Riscos

CANVAS TRANSFERNCIAS VOLUNTRIAS

Fontes de FinanciamentoEstrutura de Custos

Proposta de Valor

Valor Pblico

ServiosAtividades e RecursosParceiros

Relacionamento

Canais

ClientesLegitimidade e Apoio

Comisso Gestora do SICONV (SG Presidncia, STN/MF, CGU, SOF/MP, Banco do Brasil, Caixa Econmica)

Estados da REDE SICONV, ENCLA, ATRICOM, TCU, MinistriosPblicos.

Promover TransfernciasVoluntrias para mudar a

vida dos cidados.

Capacitao:ENAP, ESAF, ISC (TCU), IRB (TCEs),

UNBB, Universidade Caixa, Escolas de Governo Estaduais.

Atendimento: Call Center : Central IT,

Planto: UGEs da REDE SICONV

Pre-servio: Comunicao , Sensibilizao e

Capacitao

Operao: Cadastro de Ente Entidade

Cadastro de UsuriosConvnios

Contrato de RepasseTermo de ParceriaTermo de Fomento

Termo de Colaborao

Ps-servio:Pesquisas de Satisfao e Efetividade

Desempenhamos um papelcentral, mas precisamos

fortalecer as oes de governana para melhorar a

efetivadade das transfernciasvoluntrias.

Portal de Convnios

Call Center

Sistema Siconv

Aplicativo mobile (emdesenvolvimento)

Rede SICONV

Portiflio de Normatizaes

Portiflio de Servios de Atendimento

Portiflio de PlataformaTecnolgica

Portiflio de Desenvolvimento Humano

Sociedade e Cidado

Clientes Parceiros

Concedentes (Ministrios e rgos

Convenentes de OSCConvenentes de Estado

Covenentes de Municpio

Instituies Mandatrias

Instituioes Financeiras

Orgos de Controle (TCU, CGU, CGE, TCE)

Ministrio Pblico

Custos de Manuteno do Departamento, Contrato com o Serpro e Contratocom a Central IT

Oramento do Ministrio do Planejamento

31

Avaliar a efetividade

das polticas pblicas

Fortalecimento da

Gesto e Controle

Desburocratizao

Simplificao de

processos e rotinas.

Qualidade do

gasto pblico

Inovao

Adotar a gesto de

custos e riscos.

Melhorar a qualidade

do servio pblico

Arcabolo legalTransparncia Conectar

Tornar a rede SICONV

conectada e compartilhando

informaes

Reduzir o retrabalho

atravs de integrao

segura e completa.

Integrao

Enfrentar os desafios

com os

direcionadores certos...

Adequao do processo

de negcio a legislao

Regras claras com foco

em controle de resultados

COMPONENTES ESTRATGICOS

No lugar de criar regras,

mudar comportamentos e atitudes

POR QUE TRANSFORMAR O MODELO DE NEGCIO?

Motivaes, expectativas e necessidades da gesto da governana coorporativa do negcio:

Qual o perfil da persona? Nome: Idade: Emprego: Estado Civil:Principais caractersticas da persona: Quais os seus principais hbitos? Quais os principais padres de comportamento? O que ele considera de mais crtico? De quanto em quanto tempo a persona consome o servio?

Requisitos: Que servio mais importante para esta persona? Que atributos do servio so mais demandados por esta persona? O que ele espera quando atendido? Do que ele no gosta quando consome o servio?

CONSTRUINDO AS PERSONAS

FASES DO PROJETO

FASES DO PROJETO

CRONOGRAMA GERAL DE EXECUO

MAPEAMENTO DE PROCESSOS

Objetivo: Entender o processo como ele acontece no dia a dia do rgo, construindo um real e mais completo

entendimento sobre como os processos de negcio so executados.

O entendimento da situao atual dos processos foi essencial para que se tenha informaes suficientes para

propor melhorias que iro agregar valor para os rgos.

Processo de Execuo: