1. LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO CURSO: 2

  • View
    105

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of 1. LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2º PERÍODO CURSO: 2

  • Slide 1
  • 1
  • Slide 2
  • LICENCIATURA EM CINCIAS BIOLGICAS 2 PERODO CURSO: 2
  • Slide 3
  • Prof. Marcelo Xavier Travassos - Curso: Cincias Biolgicas UNIMONTES 1.- A UTILIZAO DO COMPUTADOR 3 Os computadores so produtos de ponta de uma tecnologia inteligente, isto , uma tecnologia que se desenvolve e se estrutura a partir de componentes oriundos de processos cerebrais. So mquinas semnticas, utilizando formas de linguagem bastante sofisticadas, tais como: imagens, cdigos de linguagem, processadores de texto e clculo etc. A verdadeira mgica dos computadores reside no fato de eles no estarem amarrados ao velho mundo analgico dos objetos. Podem imitar muito desse mundo, claro, mas so tambm capazes de adotar novas identidades e desempenhar novas tarefas que no tm absolutamente nenhum equivalente no mundo real.
  • Slide 4
  • Prof. Marcelo Xavier Travassos - Curso: Cincias Biolgicas UNIMONTES4 2.- Aplicar tecnologias da informao em situaes relevantes O domnio dos conceitos que at agora estamos analisando dever constituir uma rede cuja significao s se efetivar medida que o aluno for construindo a competncia tanto de acessar criticamente as diferentes fontes de informao (sites, portais, CD- ROM), discutindo o processo de busca em cada uma delas, suas vantagens e desvantagens, quanto de aplic-las na resoluo de problemas. 3. Anlise e sntese A anlise dos recursos tecnolgicos presentes em nosso cotidiano permite uma compreenso contempornea do universo fsico e da vida planetria, pois leva ao entendimento de como so utilizados os instrumentos com os quais o homem maneja, investiga e codifica o mundo natural. A sntese o contraponto necessrio anlise e dela decorre. So conceitos que sustentam a compreenso de como as tecnologias transformam o cotidiano.
  • Slide 5
  • Prof. Marcelo Xavier Travassos - Curso: Cincias Biolgicas UNIMONTES5 4. Identidade No plano do conhecimento metalingstico, o conceito diz respeito ao reconhecimento de caractersticas prprias e especficas da nova linguagem instaurada pelas tecnologias da informao. J no plano das macrocompetncias, sabemos que a educao implica um processo de construo da identidade que se constitui pelo desenvolvimento da sensibilidade e pelo reconhecimento do direito igualdade, respeito e diversidade. Nas atividades que envolvem os recursos informatizados, o professor encontra um excelente recurso para construir esse conceito quando o aluno se integra a um grupo de discusso e percebe-se como um indivduo com personalidade prpria e verdadeira, que optou por conviver num ambiente com regras prprias.
  • Slide 6
  • Prof. Marcelo Xavier Travassos - Curso: Cincias Biolgicas UNIMONTES6 5. Integrao No uso dos recursos oferecidos pela linguagem digital, pode-se levar o aluno a reconhecer as possibilidades de integrao entre programas de computador, observando que a forma de apresentao das informaes de um deles pode ser interessante complemento para outro. A insero de um grfico em uma apresentao, por exemplo, permite integrar duas linguagens diferentes, veiculadas no mesmo suporte. 6. Classificao O computador possui um sistema de engenharia de mquina que permite agrupar dados de diferentes formas, de acordo com determinados parmetros e critrios. As diferentes formas de classificao auxiliam a localizao, seleo e armazenamento de informaes, permitindo que o usurio escolha trabalhar da forma que lhe parea mais confortvel. H possibilidades de manipulao dos dados armazenados por meio de sua classificao por data, nome, extenso ou tamanho.
  • Slide 7
  • Prof. Marcelo Xavier Travassos - Curso: Cincias Biolgicas UNIMONTES7 7. Hipertexto As novas tecnologias transformam o conceito de tempo e espao, assim como a prtica linear de registro e escrita, exigindo novas formas de organizao e transmisso do conhecimento. O texto, construdo na forma de imensurveis links (remisses), vai ficando sem limites precisos e sendo construdo no mais por uma inteligncia individual, mas por uma imensa e dispersa inteligncia coletiva. Ler textos hipertextuais em CD-ROM ou navegando por pginas da internet e produzir material hipertextual permite que os alunos tenham uma primeira experincia de aproximao a essa inteligncia coletiva, em que se valoriza o aprender a ser. Essas atividades certamente deflagraro a comparao com outros tipos de suportes de informao: bibliotecas, ndices de livros, sumrios e organizao de material em jornais e revistas. Longe de interessar apenas aos professores da rea de Linguagens, Cdigos e suas Tecnologias, o conceito de hipertexto permeia, hoje, todos os campos do saber e as prprias pesquisas de mecanismos de cognio.
  • Slide 8
  • Prof. Marcelo Xavier Travassos - Curso: Cincias Biolgicas UNIMONTES8 8. Globalizao versus localizao Alm de poder propiciar uma rpida difuso de informaes de interesse para a escola, pais e comunidade, a globalizao incentiva a construo interdisciplinar de conhecimento, a partir de informaes produzidas individualmente ou em grupo, bem como o desenvolvimento colaborativo de projetos geograficamente distantes. As comunidades virtuais abertas (voltadas pesquisa, prtica e ao debate) que pelo menos potencialmente neutralizam ou relativizam o dogmatismo e a manipulao unilateral da informao possibilitam diferentes tipos e nveis de integrao, independentemente de barreiras fsicas ou geogrficas. Esse conjunto de fenmenos desperta no aluno a reflexo a respeito do impacto das tecnologias sobre os processos de produo e desenvolvimento do conhecimento e sobre sua vida pessoal e social. Ao trabalhar com esses conceitos, o professor tem de estar atento para o fato de, ante a pasteurizao provocada pelos meios eletrnicos, as culturas regionais correrem o risco de sucumbir, o que pode alterar o senso de identidade cultural.
  • Slide 9
  • Prof. Marcelo Xavier Travassos - Curso: Cincias Biolgicas UNIMONTES9 9. Conhecimento: dinmica e construo coletiva Tecer aprendizagem virtual em ambiente colaborativo, principalmente com as trocas entre professor e aluno, uma das mais interessantes e profcuas maneiras de interao para a construo do conhecimento. A compreenso do conhecimento como construo coletiva fundamental para que o aluno entenda, por exemplo, que um hipertexto uma reunio de vozes e de olhares, construdo por muitas mos e aberto para todos os links e sentidos possveis. (Ramal, 2002)
  • Slide 10
  • Prof. Marcelo Xavier Travassos - Curso: Cincias Biolgicas UNIMONTES10 A inteligncia ou a cognio so o resultado das redes complexas onde interagem um grande nmero de atores humanos, biolgicos e tcnicos. No sou eu que sou inteligente, mas eu com o grupo humano do qual sou membro, com minha lngua, como toda a herana de mtodos e tecnologias intelectuais. (Lvy, 1993, p. 135)
  • Slide 11
  • Prof. Marcelo Xavier Travassos - Curso: Cincias Biolgicas UNIMONTES11 FIM DA SEGUNDA FASE